quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

«Pão» / Bolo de Banana (Saudável, Sem lactose, Integral, Sem Gordura Adicionada, Sem Açúcar Adicionado)


Enquanto os blogs estrangeiros desesperadamente publicam fotografias de pão com banana, bolo com banana, queques com banana, papas de aveia com banana, panquecas com banana e mais o que quer que seja com banana, eu fico sempre indiferente a esta moda toda porque nunca gostei muito de banana em bolos e coisas assim (porque sinceramente acho que fica com um gosto um bocado esquisito e porque quando lhes dá na panca esses blogs lembram-se de fazer tudo e mais alguma coisa com o mesmo ingrediente).
Já me chegou ceder à moda da abóbora (que por acaso até gosto bastante de usar!)...
Embora a minha consciência insistisse em fazer um pão de banana pelo bem de todos, nunca achei uma ideia muito apelativa nem nada do género - até à semana passada, quando tive uma breve e brilhante ideia semelhante a tenho-de-fazer-pão-de-banana-deve-ser-mesmo-bom-vou-comprar-bananas-a-apodrecer-à-mercearia-da-esquina... 
E pronto, sinceramente a minha ideia sobre o uso de bananas na culinária alterou-se drasticamente (até porque num espaço de 4 dias fiz muffins de banana); as bananas fazem tudo ficar húmido, fofo, naturalmente doce e, claro, delicioso!...
(até compensou ver a minha sanidade mental questionada por ir de propósito ao supermercado para comprar fruta quase podre com a fruteira cheia.)

Deixo aqui o meu agradecimento à Joana Banana por me introduzir o encanto das bananas com pintinhas.




Bolo/«Pão» de Banana
Adaptado daqui
Para 12 fatias

Ingredientes:

[  3 bananas muito maduras
[  80ml de mel
[  100g de puré de maçã
[  1 ovo
[  180ml de leite (de soja ou outro)
[  1 colher de chá de extrato de baunilha
[  90g de farinha de espelta
[  90g de farinha integral
[  100g de flocos de aveia (usei metade grossos e metade finos)
[  1 ½ colher de chá de fermento
[  ¾ de colher de chá de bicarbonato de soda
[  1 pitada de sal
[  1 colher de chá de canela
[  ¼ de colher de chá de noz moscada

Preparação:

| Num recipiente juntar a banana, o mel, o puré de maçã, o ovo, o leite e a baunilha, batendo entre cada adição.
| Noutro recipiente juntar as 2 farinhas, a aveia, o fermento, o bicarbonato, o sal, a canela e a noz-moscada.
| Levar (numa forma de pão inglês previamente untada e polvilhada) ao forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de 45 minutos ( fazer o teste do palito).


A sério que não costumo achar a banana em bolos fascinante, porque banana quente é enjoativa e estranha (a não ser que tenha manteiga de amendoim, se tiver manteiga de amendoim é boa.).  Afinal fiquei agradavelmente surpreendida! O bolo (eu chamaria mais a isto «bolo» do que propriamente «pão», apenas por ser doce) tinha um sabor muito aromático e delicioso. A textura é muito húmida, mas não crua: simplesmente macia, fofa e molinha. É também bastante saudável. Fica doce o suficiente devido às bananas, ao puré de maçã e ao mel, e não de todo pesado por ser 100% integral. Vou certamente repetir a experiência! Gostei muito :)

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional 
Energia: 154kcal 
Proteínas: 4.1g
Hidratos de Carbono: 33.0g
-       Dos quais açúcares: 12.8g
Lípidos: 1.4g
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
Fibra: 3.0g
Sódio: 26mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 fatia). Inclui leite de soja magro. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real.
_________________________________________________________________________

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Bolachas com Pepitas de Chocolate


Acho que bolachas com pepitas de chocolate têm uma conotação extremamente agradável. Com um copo de leite, são o completo significado de ambiente de Natal.
No entanto, para fazer 2 tabuleiros delas, é preciso ter duas toneladas de bastantes pepitas de chocolate.
Adoro pepitas de chocolate; não que use muito, mas nem que seja meia dúzia no topo de um bolo dá logo um aspeto agradável...
Ao contrário do preço. Em Portugal as marcas investem pouco nesse tipo de coisas, e por isso uma única marca tem o monopólio das pepitas de chocolate no país. O que me faz pôr ligeiramente de lado a minha vontade de decorar bolos com pepitas de chocolate. Mesmo assim comprei-as várias vezes, porque não consigo evitar e ficam mesmo boas. (e em Espanha são vendidas a metade do preço.)
Até há bem pouco tempo, só tinha feito uma vez bolachas com pepitas de chocolate. Até que, quando estava a fazer compras no E-Leclerc, encontrei pepitas de chocolate da marca guia. 
A quase um terço do preço.
Pai Natal, aqui vão as tuas bolachinhas, algo atrasadas. 
E deliciosas.







Bolachas com Pepitas de Chocolate
Adaptadas daqui
Para cerca de 20 bolachas grandes

Ingredientes:

[  260g de farinha para todos os usos
[  1/2 colher de chá de bicarbonato de soda
[  1 pitada de sal
[  160g de manteiga sem sal 
[  150g de açúcar mascavado puro de cana
[  100g de açúcar branco
[  1 ovo L à temperatura ambiente
[  1 gema de ovo L à temperatura ambiente
[  2 colheres de chá de aroma de baunilha (ou essência)
[  200g de pepitas de chocolate negro (ou a gosto)

Preparação:

| Pré-aquecer o forno a 160 graus. Preparar dois tabuleiros com papel vegetal. Os tabuleiros têm de estar frios quando as bolachas forem colocadas nestes.
| Derreter a manteiga e deixar arrefecer.
| Peneirar a farinha com o bicarbonato de soda e o sal e misturar.
| À parte, bater com a batedeira elétrica a manteiga, o açúcar branco e o açúcar mascavado.
| Acrescentar, batendo, o ovo, a gema e a baunilha. 
| Juntar a mistura de farinha e bater na velocidade mínima. 
| Adicionar as pepitas de chocolate e mexer.
| A massa pode ser refrigerada durante meia hora para uma moldagem mais eficaz, mas este passo não é absolutamente necessário.
| Formar bolas com a massa e colocar nos tabuleiros, deixando espaço entre elas e, se necessário, molhando as mãos em água fria (para não aquecerem, ou a massa pega-se e é difícil moldá-las).
| Levar ao forno até as bordas estarem douradas e o centro estiver ainda macio, mas sem que estejam cruas.  A receita original sugere 15 a 18 minutos, mas precisei de cerca de 20 minutos. Trocar os tabuleiros a meio do tempo.
| Deixar arrefecer sem retirar do tabuleiro. Poderão ser retiradas com uma espátula de metal, mas não achei necessário.





As bolachas ficaram um bocado mal cozidas e tive de as pôr a cozer outra vez. Tirei-as cedo demais do forno (muito tempo antes) porque da última vez que fiz estavam moles e deixei-as queimar, já que é suposto elas não estarem realmente sólidas logo que saem do forno. Levei-as ao forno durante mais algum tempo logo que reparei e, para minha surpresa, ficaram deliciosas à mesma! Se seguirem o intervalo de tempo estipulado penso que não terão problemas.
Resumidamente, ficaram muito boas, «chewy» e saborosas! Se as fizesse novamente talvez moldasse bolachinhas mais pequenas. Adorei a textura e o sabor. Deu para imensas bolachas e não duraram 2 dias :) Entretanto guardei-as num recipiente hermético e ficaram como novas.

 (...e já agora: não, não estou a ser paga para publicitar as pepitas :P)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Chili (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)

Sempre gostei mais de fazer sobremesas do que de fazer comida (é melhor avisar, já que não se nota pelas receitas que ponho...).
Sobremesas são, no geral, mais surpreendentes e é bastante mais difícil de inovar quando se trata de pratos de comida. Talvez seja também porque não ligo tanto a refeições como a lanches ou coisas doces...
Ainda assim, há pratos que até gosto de fazer, mais simples e deliciosos que faço em quantidades industriais para não ter de cozinhar tanto
O chili, por exemplo, é para mim um desses pratos; é relativamente rápido, é possível fazê-lo em grandes quantidades e é muito bom. Os pimentos e a cebola dão imenso volume (e sabor) e por isso rende bastante. Uma dose é bastante generosa. No geral, acho que toda a gente gosta, além de que se pode adaptar conforme o gosto as especiarias e o molho picante que se usa.
Ainda assim, das bastantes vezes em que fiz chili, houve duas vezes em que calhou pior; a primeira vez foi exatamente a primeira vez que fiz, em que ficou muito picante. A segunda vez ocorreu quando usei uns pimentos biológicos que não deitaram sumo nenhum, o que fez com que o chili ficasse muito seco e a saber a molho de tomate. Talvez estivesse relacionado também com  tê-los posto no processador para não ter de picar finamente 15 pimentos.

E, ainda assim, foi aprovado pelo meu cão...


Chili (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)
Adaptado daqui
 Para 5 doses de 270g

Ingredientes:
[  1 ½ cebola
[  5 dentes de alho grandes
[  1 fio de azeite
[  3 pimentos vermelhos (ou verdes ou ambos)
[  500g de peito de frango ou peru picado
[  1 ramo grande de salsa fresca
[  Molho de tomate (a gosto)
[  Sal (a gosto)[  Paprika em pó (a gosto)
[  Óregãos (a gosto)
[  Pimentão-doce moído (a gosto)
[  Cominhos moídos (a gosto)
[  Coentros moídos (a gosto)
[  Molho picante (a gosto)
[  Feijão vermelho cozido (a gosto; uso aproximadamente uma chávena) 

Preparação:
| Picar a cebola e o alho e colocar num tacho com o azeite. Refogar lentamente em lume baixo.
| Quando a cebola estiver translúcida, acrescentar os pimentos picados, mexer bem e tapar a panela para deixar amolecer.
| Juntar a carne picada e misturar bem com o refogado (se preferirem ou quiserem que seja mais rápido podem adicionar a carne já cozida).
| Picar a salsa e juntar ao chili, juntamente com o molho de tomate, o sal, a paprika, o pimentão doce, os cominhos, os coentros, os oregãos e o molho picante. Ajustar os temperos conforme o gosto.
| Tapar e deixar ao lume durante alguns minutos.
| Acrescentar o feijão, incorporar apenas (para não se desfazer) e servir. Se estiver muito seco, podem juntar água da cozedura do feijão (ou da lata) ou ainda água a ferver.



Já fiz chili umas 10 vezes, sempre inspirada pelo blog Palavras que Enchem a Barriga. É tão prático que é absurdo, nunca pensaria em fazer esta receita por mim (e admito que pensava que o chili era aquela mistela vermelha que queimava as línguas em concursos mexicanos do chili mais picante. Os desenhos animados não uma fonte inegável de sabedoria).
Quando o faço como-o bastantes vezes aquecido e de cada vez penso que é a minha comida favorita. Esta foi a última vez que fiz, mas não vou postar a receita que costumava fazer porque esta é A receita. É perfeita, ficou com um sabor fantástico! Fi-la em maiores quantidades que dividi para ser mais prático. Foi aprovado por 10 pessoas :D


_________________________________________________________________________
Informação Nutricional por 1 dose (271g)
Energia: 239 kcal
Proteínas: 23.1g
Hidratos de Carbono: 11.7g
-       Dos quais açúcares: 6.0g
Lípidos: 11.1g
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
Fibra: 9.5g
Sódio: 304mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde uma dose de 270g).Os ingredientes da receita, para esta não ter glúten, devem ser certificados sem glúten, pois podem ser contaminados. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real.
_________________________________________________________________________

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Trufas de Cacau (Cremosas e Simples)


Eu adoro chocolate preto.
Não vou dizer que às vezes não goste de comer chocolate de leite, por exemplo, mas acho enjoativo; além disso, há marcas de qualidade, como a Lindt, e marcas que considero bastante fracas (não quero dizer nomes mas o chocolate vem de uma vaca roxa).
O chocolate preto é, na minha opinião, muito melhor, tem um sabor mais concentrado e muito menos enjoativo, e por isso gosto muito de chocolate com, por exemplo, 85% cacau.
O ano passado, quando fui de férias, deparei-me com tabletes finas de chocolate 99% cacau. Escusado será dizer que comprei logo uma para experimentar, e foi assim que descobri uma das minhas coisas preferidas (não é preciso preocuparem-se, ainda tenho espaço para a-veia do meu coração ;)).
O chocolate com 99% cacau vem em quadradinhos pequeninos e fininhos, come-se aos bocadinhos e deixa-se derreter na boca para sentir o sabor amargo e delicioso do cacau... É mesmo bom!
Ao longo dos últimos meses tenho tentado generosamente impingir oferecer a experiência deliciosa de saborear o chocolate com 99% de cacau, que geralmente acabaram com um quadradinho regurgitado no caixote do lixo (!) e com umas bentas tremendas.
Parece que é uma paixão não-tão-comum (deve ser demasiado requintado para o resto das pessoas ;)), porque eu não percebo como é possível não gostar de tal coisa!
Entretanto, pode ser que vá «adaptando» o paladar a estes ignorantes com umas trufas de chocolate negro...










Trufas de Cacau
Adaptado daqui
Para 24 trufas

Ingredientes:

[  160g de manteiga sem sal
[   Aproximadamente 90g de cacau em pó puro
[  370g de leite condensado (uma lata)
[  1 colher de sopa de aroma de baunilha
[  Coberturas (canela com açúcar, cacau em pó, amêndoa granulada, coco com  açúcar, café com açúcar,...)

Preparação:
|  Derreter a manteiga em lume brando.
|  Juntar o cacau e mexer rapidamente até que esteja cremoso. Aumentar o lume para médio e adicionar logo o leite condensado.
|  Misturar e mexer durante cerca de 3 minutos, retirando do lume após esse tempo. Incorporar o aroma de baunilha e transferir para um recipiente.
|  Cobrir com papel aderente e levar ao frigorífico durante umas horas (preferencialmente durante uma noite) ou até estar frio e sólido o suficiente para formar bolinhas.
|  Pegando em pedaços do tamanho desejado para as trufas, rolar até ficarem redondos e passar por uma das coberturas.

               
                                                                                              (cacau em pó)

                
                                                                                                     (coco)
                
                               (amêndoa)
                 
                              (canela e açúcar)

Eu gostei muito, moldavam-se muito bem e, apesar de não se ver muito bem, ficaram muito engraçadas; umas cobri com canela e açúcar (estas ficaram com uma cor muito bonita), as outras cobri com amêndoa, coco e cacau. Todos os passos da receita correram maravilhosamente bem (adoro quando isso acontece!), e mesmo antes da moldagem a massa era um creme muito bonito e cremoso. No entanto, valeu a pena esperar: acabaram por ficar ainda melhores quando sólidas! A textura estava perfeita e suave, e o sabor a cacau era suficientemente intenso. Não estavam doces demais mas também não eram exatamente amargas... Adorei o processo e os resultados :) No prato fizeram-me lembrar uma discoteca! Estavam coloridas e variadas :)
Ofereci algumas e receberam muitos elogios. 


domingo, 9 de fevereiro de 2014

Papas de Aveia com Claras, As Papas de Aveia Perfeitas (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)


Já falei de papas de aveia por aqui, mas falar de papas de aveia nunca é demais.
Quando faço papas de aveia, uso flocos bastante grandes porque é mesmo como gosto mais (há muita gente que prefere flocos muito finos, e até que passa com varinha mágica depois de os cozer, é uma questão de preferência).
Faço com leite suficiente, pois gosto que os flocos fiquem brilhantes, mas nunca demais, porque também não gosto que estejam a boiar num monte de leite (acredito que haja gente que prefira assim, mas eu gosto mais dos flocos mais soltinhos) e porque fica ridiculamente cremoso.
Tapo a malga com um pano enquanto arrefece para que o calor fique mais uniformemente distribuído.
Apenas uso leite (de soja ou não) e flocos de aveia, porque o sabor da aveia é mesmo bom e, se acrescentar alguma coisa, estraga o seu sabor natural que é mesmo agradável.
Se acrescento claras, deixo arrefecer bastante antes de as juntar, porque se não o fizer as claras cozem e não fica a delícia espumosa que é suposto ficar.
Deixo sempre algum leite por absorver antes de deitar as claras, porque dessa maneira não fica seco e as claras misturam-se melhor.
Não bato as claras demasiado, para que fique parecido com espuma, nem de menos, para que não fique pegajoso e estranho.
Uso sempre pelo menos uma razão de 1 para 2, quando faço no fogão, onde a aveia absorve imenso, ou de 1 para 3/2, no microondas, onde absorve menos.
Se faço no microondas, utilizo uma potência muito baixa, para cozinhar devagar, e só retiro a malga depois de estar no microondas desligado uns minutos, para que não seja uma enorme alteração de temperatura.
E vale completamente a pena.

(A título de curiosidade, uma das minhas ideias geniais para nome de blog era «A-veia do meu coração»)





Papas de aveia com claras
Para 1 dose

Ingredientes:
[  50g de aveia em flocos (prefiro os grossos, costumo usar do Lidl; poderá ser certificada sem glúten)
[  300ml de leite de vaca magro ou vegetal (para ficar sem lactose; aconselho um que não tenha um sabor tão forte como o de soja: de arroz ou amêndoa, por exemplo)
[  1 a 3 claras de ovo 
[ Toppings/Adições a gosto (fruta fresca, fruta desidratada, frutos secos, cacau, coco ralado, chocolate,...) (opcional)

Preparação:
| Ferver o leite numa panela. 
| Adicionar a aveia e baixar o lume. Deixar absorver bem, mexendo.
| Bater as claras com a batedeira elétrica ou com um garfo (sendo que este último demora bastante mais tempo) até ficarem brancas, espumosas e aumentarem de volume (mas muito longe de estarem em castelo; bastam cerca de 20 segundos na velocidade máxima da batedeira).
| Quando a aveia estiver já cremosa e com pouco leite, mas não sem nenhum, retirar do lume e deixar arrefecer um pouco, mexendo sempre. 
| Envolver as claras rapidamente.
| Levar a lume brando, sem deixar de mexer, durante pouco tempo, até as claras cozinharem suficientemente e a aveia absorver um pouco as claras e ficar mais cremosa, com a consistência desejada.
| Cobrir com toppings, se desejado.



As fotografias não lhe fazem justiça de todo... A textura é perfeita, parece uma nuvem, o sabor é leve, o cheiro é delicioso... Apenas tem aveia, leite e claras, é muito simples, equilibrado e delicioso... É das minhas coisas preferidas, só para dar uma ideia cheguei a levantar-me todos os dias meia hora mais cedo para as fazer! É muito simples, mas tive de fazer várias tentativas até chegar a este resultado perfeito com a proporção ideal de aveia, leite e claras (com demasiadas claras sabe mal e o que acontece com os outros é óbvio), com o leite tão cremoso que apetece lamber o tacho, com claras que não estejam cozidas e aos bocados (já me aconteceu antes disto), com a aveia bem cozida, mas não demais, com a textura ideal, sem um sabor estranho, sem que as claras dêem um resultado seco e com as claras batidas apenas na medida certa. 
Já fiz isto mais vezes do que qualquer outra receita!
A sério, experimentem, é delicioso! (Agora que estive a rever a experiência estou a ponderar seriamente fazê-las hoje para o lanche...)

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional 
Energia: 299 kcal (não é uma estratégia de marketing, deu-me mesmo isto!)
Proteínas: 17.2g
Hidratos de Carbono: 71.9g
-       Dos quais açúcares: 15,6g
Lípidos: 7.7g
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
Fibra: 9.5g
Sódio: 50.1mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde à totalidade da receita, o que é uma dose bastante generosa, sem ingredientes opcionais e com 1 clara). Inclui leite de vaca magro. Para não ter glúten a aveia deverá ser certificada como tal. A informação está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real.
_________________________________________________________________________

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Creme de Cacau e Avelãs (Sem Lactose, Sem Glúten, Saudável)


Há pouco tempo publiquei a receita de licor de nutella que tinha feito, e recebi um comentário da Rita do blog «Era uma vez... Uma dieta» a dizer que não podia comer Nutella por ter intolerância à lactose. 
Claro que já sabia que quem tem esse tipo de restrições alimentares não pode comer várias coisas, e é óbvio que a Nutella não é a coisa mais amiga desse tipo de restrições.
Mesmo assim, depois de ler aquilo, fiquei a imaginar como seria não poder comer esse tipo de coisas (ainda por cima Nutella!). Acho que a minha veia melodramática até começou a ver aqueles filmes em que eu corria a abraçar um frasco de Nutella gigante...
Já tinha imaginado que deve ser muito chato ser intolerante a glúten ou a lactose, porque há bastantes coisas que os tem e, sendo os produtos processados como hoje são, podem ficar contaminados no processo. 
Mas ninguém merece não poder comer Nutella...
Por isso, no dia a seguir a receber o comentário, fiz uma receita de Nutella sem lactose.
Ocorreram alguns problemazinhos; não tostei bem as avelãs, as tâmaras que supostamente não tinham caroço tinham caroço, e a lâmina do processador ficou presa no fim.
No entanto, estou a publicar a receita porque já modifiquei para que a receita desse certo, porque quem faça pode verificar se as tâmaras têm caroço, porque a maior parte dos processadores não são teimosos que nem mulas e porque ficou delicioso.
(Claro que, para a receita não conter glúten nem lactose, se deve verificar que os produtos não tenham sido contaminados com glúten. Todos os ingredientes da receita são livres de glúten e lactose, mas em certas marcas podem conter vestígios de ambos.)












Creme de Cacau e Avelãs
Adaptado daqui
Para aproximadamente 770g

Ingredientes:
[  300g de miolo de avelã
[  600ml de água
[  4 colheres de sopa de bicarbonato de sódio
[  150g de pasta de tâmara
[  60g de cacau em pó puro
[  30g de óleo de coco
[  1 colher de sopa de extracto de baunilha puro
[  1 pitada de sal
[  150g de claras de ovo pasteurizadas (vendidas em pacotes)


Preparação:
| Ferver a água numa panela bem grande (ou irá transbordar).
| Dissolver na água o bicarbonato.
| Acrescentar as avelãs e deixar ferver durante alguns minutos, sem deixar que a espuma saia para fora.
| Tirar a pele às avelãs.
| Levar a tostar ao forno pré-aquecido a 200 graus, tostando bem (senão não resulta). Deverá demorar um pouco mais de 20 minutos.
| Com a ajuda de um processador de alimentos ou robot de cozinha (ou talvez uma liquidificadora) triturar as avelãs, parando para empurrar para baixo o que ficar preso nas "paredes" do recipiente.
| Após alguns minutos depois de se reduzirem a granulado, as avelãs deverão "transformar-se" numa manteiga/pasta. É manteiga de avelã caseira! Podem fazer só isto, se pretenderem fazer apenas manteiga de avelã.
| Colocar a pasta de tâmara, o cacau, o óleo, a baunilha e o sal no mesmo recipiente (na máquina) em que está a manteiga de avelã.
| Processar durante alguns minutos, até que fique um creme homogéneo.
| Juntar as claras de ovo em três adições, processando entre estas.
| Se necessário, juntar mais claras de ovo, cacau ou mel.






Em tostas achei que ficou mesmo delicioso! Tem um sabor mais forte a cacau do que os cremes de chocolate no geral, e claro que não vou dizer que é igualzinho a nutella porque seria um grande milagre, mas achei mesmo bom e toda a gente que provou adorou! Além disto, é bastante rápido de fazer... Não experimentei fazer com a varinha mágica, é capaz de demorar mais tempo mas acho que é possível.
Ficou mesmo viciante e muito bom!

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional 
Energia: 370 kcal
Proteínas: 9.4g
Hidratos de Carbono: 25.4g
-       Dos quais açúcares: 15.2g
Lípidos: 29.3g
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
Fibra: 7.0g
Sódio: 53mg

     A informação nutricional corresponde a 100g. Uma porção é (claro) muito mais pequena. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real.
_________________________________________________________________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...