sábado, 24 de maio de 2014

Rolinhos de Peru (ou frango) com Queijo e Fiambre


Queijo e fiambre é um par muito bem-sucedido. Esqueçamos a manteiga de amendoim com banana durante algum tempo. 2 minutos devem chegar. Ou 1. Basta ler rápido. Eu tento não me alongar.
Em tostas mistas, em pizza...  em rolinhos. Os rolinhos de queijo e fiambre que as crianças comem porque são demasiado gulosas para comer o pão. São uma boa recordação de lanches à pressa, ainda que não os tenha comido muito devido a uma relação má com o queijo em fatias. 
Quando era pequenina abri um restaurante com a minha prima e irmã. O menu era queijo e fiambre no microondas, servido com um garfo e uma faca, disfarçado de outro nome qualquer e com uma vasta gama de maneiras inovadoras de dobrar queijo e fiambre. Gourmet. Sempre tive vocação para a coisa.
Agora que cozinho um bocadinho melhor posso melhorar essa velha receita secreta. Numa homenagem à tasca do queijo meio queimado, talvez da próxima vez aproveite para limpar a cozinha com toalhetes. 





Rolinhos de Peru com Queijo e Fiambre (Sem Glúten)
Adaptado daqui
Para 5 doses

Ingredientes:

[  5 bifes de peru (ou frango) fininhos 
[  5 fatias de queijo
[  10 fatias fininhas de fiambre de peru (ou 5 normais)
[  1 cebola grande
[  5 dentes de alho pequenos
[  1/2 pimento vermelho
[  Azeite (a gosto)
[  Sal (a gosto)
[  Molho picante (a gosto)
[  1 colher de sopa de sumo de limão
[  2 colheres de sopa de vinho verde branco
[  Molho de tomate (a gosto)
[  Salsa fresca (a gosto)
[  Alho em pó (a gosto)
[  Manjericão (a gosto)
[  Pimentão doce (a gosto)
[  Paprika (a gosto)
[  Oregãos (a gosto)

Preparação:

| Espalmar os bifes com um martelo. 
| Colocar uma fatia de queijo e uma (ou duas) de fiambre em cima de cada bife. Enrolá-los e prender na ponta com um palito.
| Picar a cebola, o alho e o pimento e refogá-los numa frigideira grande com um fio de azeite, temperando com sal e algumas gotas de molho picante.
| Após alguns minutos, acrescentar o sumo de limão, o vinho e um pouco de molho de tomate e tapar a frigideira. Vigiar e mexer regularmente.
| Quando os vegetais estiverem mais "murchos", adicionar a salsa e temperar com o alho em pó, o manjericão, o pimentão doce, a paprika, os oregãos e mais um pouco de molho picante.
| Retirar para um copo medidor e triturar com a varinha mágica. Juntar água a ferver, caso esteja demasiado espesso.
| Colocar de novo da frigideira e deixar aquecer.
| Dispôr os bifes na frigideira, por cima do molho (com os palitos virados para cima). Tapar.
| Remover os palitos e virar os bifes, tapando novamente.
| Se necessário, virar para baixo qualquer parte que permaneça mal cozinhada. 
| Recolocar a tampa e deixar até os bifes estarem completamente cozinhados e o queijo derretido.



Gostei imenso destes bifes, acho que até superaram o queijo meio queimado do microondas. Queria fazer bifes recheados há muito tempo, mas sinceramente achava que não iriam ser nada de especial e que nem sequer poderiam ser assim tão bons. Acho que me enganei... Fiquei muito surpreendida com o resultado, superou as minhas expectativas! Estavam deliciosos. O próprio bife ficou muito gostoso (apesar de não gostar nada desta palavra... não encontro outra). Também são mais fáceis e rápidos de fazer do que estava à espera, pensei que se fossem desmanchar. E continuaram a ser muito bons no dia seguinte, depois de serem aquecidos!

sábado, 17 de maio de 2014

Folhados de Alheira


Acho que me falta uma caraterística para ser completamente portuguesa (e que, aliás, deveria ser obrigatória para ter essa nacionalidade): estar disposta e com vontade de comer um pão com chouriço, uma bifana ou semelhante a qualquer (mas mesmo qualquer!) hora (incluindo às 5 da manhã).
Há gente que gosta imenso de rissóis, bolinhos salgados, bolas, pães com bifes/hambúrgueres/bifanas/chouriça/fêvera, folhados salgados, presunto, mortadela,... Apesar de não desgostar, também não acho nada de especial.
Claro que esta é uma questão como muitas outras: de gosto. Há gostos e gostos, e este é o gosto que prevalece em Portugal.
Aqui fica a receita para esses tais portugueses. Esses que estão dispostos e com vontade de comer um pão com chouriço, uma bifana ou semelhante a qualquer hora... Uma sugestão de pequeno almoço?






Folhados de Alheira
Adaptado daqui
Para cerca de 15 folhadinhos

Ingredientes:

[  Azeite (a gosto)
[  5 dentes de alho pequenos ou 2 grandes
[ 1 alheira
[ 1 pacote de massa folhada
[  Molho picante (a gosto)
[  1 gema de ovo
[  2 colheres de sopa de água

Preparação:

| Picar os dentes de alho e refogar em azeite num wok (ou frigideira).
| Fazer um corte na alheira em forma de "U" e retirar a pele.
| Descartar a pele e cortar a alheira aos bocadinhos.
| Acrescentar a alheira ao refogado, quando o alho já estiver dourado.
| Entretanto, estender a massa folhada numa superfície enfarinhada e cortar em quadrados (o tamanho dos quadrados depende do tamanho desejado. Como a folha era redonda, cortei os sítios demasiado desproporcionais, juntei tudo e voltei a estender com o rolo da massa para fazer quadrados).
| Juntar à alheira molho picante a gosto.
| Quando a alheira estiver pronta, colocar nos quadradinhos de massa folhada e embrulhar como desejado.
| Diluir a gema de ovo em 2 colheres de sopa de água.
| Pincelar os folhados com a gema.
| Levar a forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 30 minutos.




A massa folhada ficou bem, crocante e húmida por dentro ao mesmo tempo. Toda a gente adorou os folhados... Só arrancaram elogios, é definitivamente uma coisa nacional. Ficaram muito bons, claro que  o resultado também depende da alheira (eu usei uma de Mirandela, do Continente, e era bastante boa, mas há melhores). Por acaso alheira até é um dos enchidos de que gosto bastante (não é bem por acaso, se não fosse não aparecia aqui...)
É uma receita extremamente simples e rápida, pelo que até é injusto que tenha sido tão bem-sucedida.
Recomendo... massa folhada e alheira? Portugal em peso recomenda. 

(Já agora, o tabuleiro ficou mesmo engraçado e entusiasmei-me a tirar-lhe fotografias. Nota-se muito?)


sábado, 10 de maio de 2014

Muffins de Baklava (Sem Lactose)


Este ia ser um texto lamechas sobre corrida. No entanto, não tenho grande vocação para isso e as endorfinas de hoje (spoiler) já não estão tão presentes, portanto prossigamos.
Fui fazer um trail, e, pela primeira vez, corri 20km em trilhos (dispenso os comentários de corredores a sério :P), batendo a minha maior distância anterior por 2km (ou três, que cheguei a perder-me algumas vezes!).
E, apesar das dores nas pernas, apesar do meio milhar de degraus, apesar dos 900m de desnível positivo, apesar dos 20 21km de comprimento, apesar das descidas assustadoras, apesar da pior dor que alguma vez senti na minha vida... Eu sei perfeitamente que trails é do que mais gosto de acabar fazer. 
E também sei que significam um resto-de-dia em que sabe tremendamente bem deitar-me no sofá com a sensação de «missão cumprida». E não sair de lá.
Exceto para fazer muffins de baklava.


Venham os 42 30.






Muffins Húmidos de Baklava (Sem Lactose)
Base dos muffins adaptada daqui, molho de baklava adaptado daqui
Para 15 muffins pequenos ou 9 muffins grandes

Ingredientes:

Para os muffins:
[  200g de nozes em pedaços pequenos
[  2 1/2 colheres de chá de canela (uso dividido)
[  1 colher de sopa + 150g de farinha (usei 100g espelta)
[  120g de cenoura ralada 
[  1 colher de sopa de gérmen de trigo
[  1 pitada de sal fino
[  3/4 de colher de chá de bicarbonato de soda
[  1/2 colher de chá de fermento em pó
[  50g de açúcar branco
[  50g de açúcar mascavado (ou amarelo)
[  120ml de óleo
[  2 ovos L
[  5 colheres de sopa de leite (pode ser magro ou vegetal)

Para a calda:
[  240ml de água
[  200g de açúcar branco
[  120ml de mel
[  1 vagem de baunilha

Para a cobertura de açúcar:
[  2 colheres de sopa de açúcar branco
[  2 colheres de sopa de açúcar mascavado (de preferência puro de cana)
[  1/2 colher de sopa de canela

Preparação:

Calda:
| Levar a água com o açúcar (da calda) ao lume. Assim que ferva, adicionar o mel e as sementes da baunilha raspada, assim como a vagem. Baixar o lume e deixar durante 20 minutos.
| Deixar arrefecer.

Cobertura de açúcar:
| Misturar o açúcar branco com o açúcar mascavado e a canela.

Muffins:
| Misturar bem 1 1/2 colher de chá canela com as nozes e a colher de sopa de farinha.
| Adicionar a cenoura e incorporar.
| Juntar separadamente as farinhas restantes peneiradas, o gérmen, o sal, o resto da canela, o bicarbonato e o fermento.
| À parte, misturar o óleo com os açúcares. Juntar os ovos, um de cada vez, batendo bem a cada adição, e o leite, apenas no fim.
| Colocar no preparado de farinha o bicarbonato de sódio e o fermento. Juntar a mistura de líquidos e misturar apenas até envolvido. Juntar a cenoura com as nozes e incorporar apenas (é uma mistura bastante densa e espessa). Colocar nas formas para muffins e levar ao forno pré-aquecido a 200 graus. Após cerca de 7 minutos, reduzir a temperatura para 180 graus. Monitorizar com cuidado a cozedura, uma vez que estes muffins devem ficar quase mal cozidos para manterem uma textura húmida - tirar assim que prontos. 
| Poucos minutos depois de retirar os muffins do forno, picar com um palito pequeno, cuidadosamente para não os desfazer. Colocar uma colher de sopa da calda por cima de cada muffin; deixar absorver e colocar outra colher de sopa (é melhor fazer isto num tabuleiro, porque acabam por deixar algum líquido). Para os muffins pequenos bastam 2 colheres de sopa em cada, para os grandes é preciso o dobro.
| Mergulhar, imediatamente após a última colher de calda, na cobertura de açúcar. Deixar absorver uns minutos. É aconselhável pousar os muffins em papel absorvente durante apenas uns segundos para retirar o excesso de líquido das formas.




Esta foi mais uma ideia repentina que resultou tremendamente bem!
Eu já tinha mencionado estes muffins, e a verdade é que os adoro. Acho que são os melhores muffins de todos os que já fiz ou comi, e da primeira vez que fiz delirei. Imensas nozes crocantes, açúcar ligeiramente crocante no topo e uma textura macia e húmida com sabor a Natal e a uma sobremesa perfeita. Parece-me bem. 
Gosto muito de baklava e talvez fosse melhor começar com essa receita, mas as minhas fotos estão mesmo más (e não estou a armar-me em fotógrafa, as minhas já são más mas estão ainda piores do que o costume!) e portanto tenho de fazer outra vez (que sacrifício). 
Eu sinceramente não gosto nada de repetir receitas, mas todas as que publico no blog já foram feitas mais do que uma vez ou fiquei com vontade de o fazer. Esta já repeti 3 vezes!

(Caso alguém fique na dúvida sobre se isto é uma piada, não é, eu arrastei mesmo os meus gémeos chorões até à cozinha para fazer muffins.)




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...