quarta-feira, 16 de julho de 2014

Pausa


Vou estar com acesso muito limitado à internet durante o próximo mês, portanto não vou poder postar nem comentar. Talvez venha cá uma vez visitar os blogs que sigo e fazer um post para o blog não ficar às moscas :)
Entretanto não me abandonem! :P

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Éclairs de Manteiga de Amendoim


Eu posso quase só ter éclairs como experiência pessoal que encaixe nesta etiqueta, mas adoro culinária francesa.
A originalidade, os sabores, a diversidade e a apresentação dos pratos fazem com que me apeteça cozinhar só pratos franceses.
Sobremesas principalmente, admito.
Não sei qual foi o dia em que guardei centenas dezenas de receitas francesas no pocket, nem qual foi o dia a partir do qual decidi que ia fazer quase exclusivamente éclairs como sobremesa nas próximas 5 semanas (e cumpri.). Mas sei que existiram (desde que não se justifique um debate sobre a autenticidade da nossa percepção da realidade).
E todos esses franceses com pescoço comprido, bigode, chapéu de artista, camisola às riscas e baguetes na mão devem estar gratos aos éclairs, porque foram estes pequenos bolinhos que fizeram com que uma importante alma culinária (eu ;) ) se entusiasmasse com a culinária francesa.
E com que essa mesma alma culinária criasse uma etiqueta no pocket a dizer "french".
E esse é um ato de mundialmente reconhecida importância.





Éclairs de Manteiga de Amendoim (com creme de pasteleiro de manteiga de amendoim e cobertura de manteiga de amendoim)
Creme de pasteleiro adaptado daqui
Para 22 éclairs pequenos

Ingredientes:

Para os éclairs:
[  110g de manteiga 
[  240ml de água
[  1 colher de chá de açúcar
[  1/2 colher de chá de sal fino (omitir se se usar manteiga com sal)
[  145g de farinha 
[  4 ovos L (à temperatura ambiente)
[  1 clara de ovo (se necessário)

Para o creme de pasteleiro de manteiga de amendoim:
[ 375ml de leite gordo
[ 125ml de natas (com 35% de gordura)
[ 90g + 20g de açúcar
[ Uma pitada de sal
[ 5 gemas
[ 45g de amido de milho
[ 4 colheres de sopa de manteiga sem sal em cubos (fria)
[ 150g de manteiga de amendoim cremosa
[1 colher de chá de extrato de baunilha
[ 50 ml de natas para bater (ou a gosto)

[ Manteiga de amendoim cremosa (a gosto)

Preparação:

Éclairs:
| Pré-aquecer o forno a 220 graus.
| Forrar 2 tabuleiros (de preferência não pretos) com papel vegetal. Com uma régua e um lápis, traçar em cada tabuleiro 2 filas de 5 linhas parelas com 8cm de comprimento, distribuindo-as de modo a deixar o máximo de espaço entre cada uma. Virar a folha ao contrário.
| Cortar a manteiga em pedaços pequenos (com cerca de 1 centímetro de lado).
| Num tacho médio-pequeno, juntar a manteiga, a água, o açúcar e, se necessário, o sal.
| Levar ao fogão, a lume médio. 
| Retirar assim que ferva (a manteiga deve estar completamente derretida). 
| Retirar do calor e juntar a farinha toda de uma vez, misturando rapidamente com uma colher de pau.
| Devolver ao lume, desta vez médio-alto.
| Deixar cozinhar sem parar de mexer, durante cerca de 3 minutos. Deve formar-se uma película de massa agarrada no fundo do tacho, e o resto mistura deve descolar-se da panela.
| Transferir para o recipiente da batedeira. 
| Bater na velocidade mínima da batedeira elétrica durante 1 minuto.
| Deixar arrefecer durante uns minutos.
| Bater de novo durante uns segundos na velocidade mínima.
| Aumentar para a velocidade média.
| Juntar um ovo de cada vez, batendo muito bem entre cada adição (cada um dos ovos deve estar completamente incorporado antes da adição seguinte).
| A massa deve formar, após o toque rápido de um dedo, um pequeno "pico". Se tal não acontecer, bater levemente a clara opcional com um garfo e juntar aos poucos, sem parar de bater, até que o faça.
| Colocar a massa num saco de pasteleiro (com boca circular; para alternativa ver fim do post) e, nas linhas desenhadas ao longo dos tabuleiros, dispôr a massa em linhas espessas para formar os eclairs. Se necessário, alisar com um dedo húmido.
| Levar ao forno pré-aquecido durante 10 minutos, sem o abrir.
| Reduzir a temperatura do forno para 180 graus e deixar durante mais 25-30 minutos, até que os éclairs estejam dourados.
| Colocar numa grade até que arrefeçam completamente.

Creme de pasteleiro de manteiga de amendoim:
| Num tacho, colocar o leite, as natas, 90g de açúcar e o sal e aquecer até fervilhar, mexendo ocasionalmente.
| Noutro recipiente, juntar as gemas com 20g de açúcar e bater por 20 segundos. Adicionar o amido de milho e bater durante aproximadamente mais 1 minuto (deve ficar cremoso e mais espesso).
| Juntar algumas colheres da mistura aquecida às gemas e mexer depressa para não cozer. Juntar o restante, mexendo rápida e constantemente. 
| Colocar novamente a mistura no tacho e levar a lume médio até engrossar, mexendo sempre.
| Retirar do lume e adicionar a manteiga de amendoim, extrato de baunilha e manteiga. Misturar até que derreta.
| Deixar arrefecer.
| Levar ao frigorífico com papel aderente na superfície para não formar uma película superficial.
|  Quando for a altura de usar, bater as natas e envolver no creme com uma espátula.

Montagem:
| Fazer um pequeno buraco na extremidade de um éclair.
| Encher o saco de pasteleiro com o creme.
| Introduzir a boca do saco de pasteleiro na abertura e rechear o éclair, verificando se está cheio.
| Derreter a manteiga de amendoim com cuidado no microondas. Transferir para um recipiente onde se possa mergulhar os éclairs.
| Mergulhar o topo dos éclairs na manteiga de amendoim, deixar o excesso escorrer e colocar  os éclairs numa grade.
| Repetir o procedimento com todos os bolinhos.
| Quando a manteiga de amendoim por cima estiver sólida, transferir para um tabuleiro e refrigerar (de preferência durante algumas horas).





Estes éclairs ficaram meeeesmo bons! Este era um resultado inevitável da minha fixação com éclairs.
O creme de pasteleiro adoptou melhor o sabor a manteiga de amendoim do que eu tinha imaginado (seria estranho associá-la ao creme de pasteleiro normal) e, com a cobertura e a massa, fica uma deliciosa explosão de manteiga de amendoim - que é o que se quer, certo? Eu costumo até ficar reticente com sobremesas de manteiga de amendoim por não saberem a manteiga de amendoim o suficiente e por gastarem manteiga de amendoim. Mas isto ficou escandalosamente bom. Aliás, tenho de admitir que metade o creme foi comida à colher pela aniversariante! As expectativas eram bastante altas e foram superadas. A textura também é muito boa, e gostei ainda da cor.
Já agora, até acho que a minha técnica tem vindo a registar progressos, portanto fazer éclairs é óptimo para melhorar as aptidões para trabalhos manuais! (Alguns da primeira fornada pareciam bolotas.)
Para a parte de cima eu prefiro "molhar" mesmo os éclairs, mas algumas pessoas preferem barrar a cobertura - eu gosto mais de como eu faço (que estranho), mas se quiserem também podem fazer isso. Usei uma molheira cheia de pó que tinha no armário há anos* para ter mais ou menos a forma do éclair e ser fácil molhá-lo sem ter de usar o frasco de manteiga de amendoim inteiro. Assim sobra sempre um bocado - o que é uma excelente desculpa para comer manteiga de amendoim, que é ainda melhor derretida.
Ainda pensei em fazer uma cobertura com mais ingredientes, mas acho que assim fica melhor - mais intenso e simples.
Apesar de fazer o creme de pasteleiro dar consideravelmente mais trabalho do que bater natas, acho que fica bastante menos enjoativo e a saber mais a éclair "a sério", menos leve (peso e textura). Depende dos gostos, ambos os recheios costumam ser usados - normalmente cá vejo mais com creme de pasteleiro mesmo. Se tiver tempo acho que prefiro fazer o creme. Também é mais fácil de rechear, por ser mais denso. E de qualquer das maneiras não me estava a ver a misturar manteiga de amendoim com natas batidas.
Fiquei fascinada com esta sobremesa e acho que qualquer fã de manteiga de amendoim devia experimentar! (Ainda assim houve rendições por parte de não-fãs de manteiga de amendoim. Essas criaturas vis.)

* (lavei-a antes!)

sábado, 5 de julho de 2014

Massa com "Natas" (de Couve-Flor) (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose,Vegetariano)


Há muita gente que vive na esperança de um dia encontrar esta ou aquela comida transformada em saudável ou, provavelmente mais do que saudável, com poucas calorias.
Há muita gente que verifica avidamente nos supermercados a primeira linha da informação nutricional de um pão milagroso, de um chocolate sem açúcar, de uma embalagem de manteiga de amendoim light ou de massas que nem são bem massas, à espera de encontrar um produto ideal que, na maior parte das vezes, não existe - ou parece existir quando camuflado de certa forma (com porções pequenas para iludir, por exemplo).
Sinceramente acho que há uma tendência para esquecer que há comida saudável (e/ou pouco calórica) que, apesar de não imitar qualquer comida não-saudável, é igualmente boa e vale por si. Temos bons exemplos como a crepioca com queijo fresco, as papas de aveia, as overnight oats com gelado de banana e muitos, mas mesmo muitos, mais.
Mas não é o caso desta massa, porque sabe mesmo a massa com natas.






Massa com "Natas" (de Couve-Flor) (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose, Vegetariano)
Adaptado daqui
Para 2 doses

Ingredientes:

[  1 colher de sopa de azeite (0,03€)
[  6 dentes de alho (para um sabor forte a alho; se preferirem um sabor mais leve reduzam) (0,12€)
[  165g de couve-flor bem cozida (sem muitos troços) (0,52€)
[  30ml de leite (pode ser magro ou vegetal, mas não adoçado; pode ser natas vegetais) (0,02€)
[  35g de queijo (ralado ou de barrar, sem lactose se necessário) (0,37€)
[  1 colher de sopa de sumo de limão (opcional)
[  Sal (a gosto) (custo desprezável) (0,13€)
[  Pimenta branca (a gosto) (custo desprezável)
[  Orégãos em folha (a gosto) (0,14€)
[  100g de massa de arroz (ou qualquer outra, esparguete normal para uma refeição mais económica) (0,07€)
[  80g de frango cozido (opcional, omitir para que seja vegetariano) (0,50€)

Preparação:

| Picar os dentes de alho.
| Refogar no azeite, numa frigideira pequena, até que estejam dourados.
| Triturar com a varinha mágica, processador ou liquidificadora a couve-flor com o refogado de alho, leite, sumo de limão e queijo. Deve ficar muito cremoso.
| Temperar com sal, pimenta e orégãos.
| Desfiar o frango.
| Cozer a massa em água temperada com sal.
| Escorrer a massa.
| Juntar à massa (no tacho onde foi cozida) o frango desfiado e o molho de couve-flor.
| Levar a lume médio até aquecer, mexendo.
| Se necessário, ajustar os temperos.


Total: 1,90€ - 0,95€ por pessoa (preço calculado devido ao desafio)





Adorei esta massa. Tinha comprado massa de arroz há algum tempo e não gostei muito, mas neste prato fica deliciosa - tinha um pacote por acabar desde há um ano e ontem fui às compras, depois de fazer isto, e trouxe logo mais dois. É da marca «koka», comprei no Continente. É tipo fettuccine, que penso ser a massa que fica melhor neste tipo de coisas.
O molho é ridiculamente cremoso, a couve-flor não se sente de todo (eu não gosto dela no seu estado natural). Fica com um sabor fantástico a alho e orégãos e uma textura perfeita. Juro que se me dissessem que era massa com natas não duvidava! Acho que este passou a ser o meu prato preferido, e olhem que a concorrência é mesmo muito feroz. 
Pode-se juntar mais frango para uma refeição mais rica em proteína ou até eliminá-lo - fica bom à mesma, mas passa a ter bastante menos do referido macronutriente. Também se pode juntar cogumelos ou outras coisas, mas eu prefiro simples.
É uma refeição bastante equilibrada, com alguma proteína, uma quantidade razoável de vegetais, bastante menos hidratos do que um tradicional prato de massa e pouca gordura. As porções são bem satisfatórias, iguais às das fotografias. É também uma óptima maneira de «esconder» vegetais, porque não se nota mesmo nada.
Aproveito para participar no desafio "Há vida para além da massa de atum", organizado pelos blogs A Cozinha da Ovelha Negra e Coisas e Coisinhas. O tema deste mês é (era) Euro-poupança: pratos principais por 1€ por pessoa, e eu para variar adiei até ao último dia. O custo estimado deste prato, usando os ingredientes mais económicos, claro, é de 95 cêntimos. Inclui o frango, para uma refeição completa.
Tenho de reforçar mais uma vez antes de terminar o post: aconselho vivamente a que experimentem esta perfeição!
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose média)
Energia: 173kcal 
Proteínas: 14.1g
Hidratos de Carbono: 28.4g
-       Dos quais açúcares: 3.5g
Lípidos: 7.4g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 2.8g
Sódio: 328mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose, aproximadamente 205g, ou metade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
_________________________________________________________________________

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Overnight Oats de Cacau com Gelado de Banana (Saudável, Sem Açúcar Adicionado, Sem Glúten, Sem Lactose, Vegan)


Sendo uma das maiores a maior fã de papas de aveia, tendo feito as papas de aveia já de várias formas e feitios, no forno, microondas e fogão, estava já na altura de começar a usar o frigorífico como meio de obtenção de um pequeno-almoço delicioso.
Não me vou desculpar totalmente desta falta grave, mas a verdade é que as famosas overnight oats também nunca foram muito simpáticas para mim. 
Na primeira vez em que as tentei fazer usei praticamente só leite e flocos grossos, mas numa proporção, digamos, não-ideal, que resultou numa papa não-cremosa, esbranquiçada e sem sabor, com uma textura áspera.
À segunda tentativa deitei mais leite, no dia seguinte acrescentei nozes e mel mas, embora ficasse mais tragável, também não comi tudo por ser demasiado enjoativo.
Sinceramente, acho que isto aconteceu por eu ser aquilo a que se chama uma purista das papas de aveia (sim, chama-se.) e gostar só de flocos de aveia dos grossos + leite, sem admitir sequer outros add-ins. Parece que isto não resultou muito bem das primeiras duas vezes.
O que é que se pode dizer?
À terceira é de vez...





Overnight Oats de Cacau com Gelado de Banana (Saudável, Sem Açúcar Adicionado, Sem Glúten, Sem Lactose, Vegan)
Adaptado daqui
Para 1 pessoa

Ingredientes:

[  25g de flocos de aveia finos
[  1 colher de chá de cacau em pó
[  1 colher de sopa de sementes de chia
[  180ml de leite à escolha (gosto de usar de aveia)
[ 1 banana

Preparação:

| No dia anterior à noite, congelar a banana às rodelas e, num recipiente hermético, juntar a aveia, cacau, sementes de chia e leite e colocar no frigorífico (tapando o recipiente).
| No dia seguinte, processar a banana (ver mais dicas aqui) até ficar com consistência de gelado.
| Numa malga/copo, fazer camadas alternadas de gelado de banana e overnight oats.




Adorei mesmo estas papas de aveia! Fazem um pequeno almoço fantástico, fresquinho e delicioso. Nem sei bem qual das partes é a melhor... mas sei que a mistura das duas é incrível.
Já comi cada uma das coisas separadamente e também são boas. Apesar de a aveia não ter açúcares adicionados e ter cacau, que é um bocado amargo, fica muito boa mesmo sem nada, mais do que eu esperaria, com um sabor forte a chocolate. Mas ganha uma nova vida quando é combinada com o gelado...
Em vez de cacau pode ser usada proteína em pó com sabor a chocolate (ou até a outras coisas), o que terá um resultado mais doce e provavelmente menos intenso. Recomendo cacau puro em oposição ao cacau magro que se vende em saquinhos, mas ambos resultam.
Também podem pôr num copo ou frasco gigante e fazer camadas, mas sinceramente não tenho paciência tempo para isso e, apesar de até ficar visualmente apelativo, não gosto muito de comer de copos ou frascos. Fiz isso uma vez, mas normalmente prefiro mesmo pôr numa malga (portanto fi-lo muitas vezes, que isto vicia).

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose média)
Energia: 320kcal 
Proteínas: 13.1g
Hidratos de Carbono: 54.4g
-       Dos quais açúcares: 23.4g
Lípidos: 5.2g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 10.5g
Sódio: 134mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose de aproximadamente 340g, ou a totalidade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para que não tenha lactose e/ou seja vegan, deve ser utilizado leite vegetal. Para que seja sem glúten, os produtos devem ser certificados sem glúten, pois, apesar de estes ingredientes não possuírem esta proteína naturalmente, há possibilidade de contaminação.
_________________________________________________________________________

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...