domingo, 28 de junho de 2015

Ovos Mexidos da Joana Banana ( = perfeitos e cremosos) (Saudável, Paleo, Sem Gordura Adicionada, Sem Lactose, Sem Glúten)


*Alerta*
Possíveis spoilers quanto ao programa How I Met Your Mother. Como se alguém não tivesse visto, pfff, eu sei. Mas não quero ser vítima de tentativas de assassinato por revolta. Caso não tenham visto, boa sorte, aquilo quase supera o final do Oliver e Benji. 
*Fim do Alerta* 

Um dos programas que sempre gostei bastante de ver é How I Met Your Mother (ou Foi Assim que Aconteceu, em português). Não tinha a qualidade de Game of Thrones, o apelo de The Walking Dead nem a genialidade de Dr. House, mas é(ra) uma série agradável, leve e com ocasionais piadas hilariantes (aka Neil Patrick Harris).
Até à final.
Nos minutos que durou a traumática final do programa a minha ideia quanto ao programa mudou consideravelmente - achei o episódio mal escrito, mal dirigido e mal pensado, e dei por mim a questionar-me porque raio é que eles haviam de fazer aquilo: construir a ideia de uma personagem durante oito temporadas (supostamente, porque aquilo pareceu mais um amontoado de situações paralelas e não propriamente encadeadas) e chegar ao fim para matá-la sem explicações, passar uma temporada inteira centrada no casamento de duas outras personagens para declarar o seu fim em menos de um minuto - e retomar o cliché do trombone azul. Sinceramente pareceu-me que estavam a despachar a coisa e a tentar dar dois fins diferentes a uma série por não conseguirem abdicar de nenhum e de modo a satisfazer toda a gente - e a tentativa saiu furada.
(Porque agora toda a gente os odeia.)
Antes desta dececionante reviravolta, no entanto, houve um episódio de que me lembro particularmente - um que envolvia uma competição de ovos mexidos. A mãe do Barney (que tem nome de dinossauro roxo) fez os supostos melhores ovos mexidos de sempre, que fizeram com que toda a gente se babasse por eles - e eu fiquei sem perceber muito bem. Nunca tinha comido ovos mexidos maravilhosamente bons, ficavam sempre um bocado sem sabor e secos. Aqueles dos desenhos animados, representados por uma 'papa' indiferenciada de ovos mexidos cremosos, pareciam-me bastante distantes.
E depois provei estes ovos mexidos da Joana Banana, e fiquei a perceber a história toda; afinal havia, sim, ovos mexidos cremosos e muito, muito saborosos.
Aqui têm então a receita, se estão à procura dos melhores ovos mexidos de sempre - garantidamente destinados a vencer qualquer competição de ovos mexidos.


Círculo de ovo. 




Ovos Mexidos da Joana Banana ( = perfeitos e cremosos) (Saudável, Paleo, Sem Gordura Adicionada, Sem Lactose, Sem Glúten)
Adaptado daqui
Para 1 pessoa

Ingredientes:
[  2 ovos
[  1 pitada de sal
[  1 colher de chá de iogurte, quark ou queijo fresco batido (opcional)

Preparação:
| Colocar os ovos numa frigideira ou num tacho (não aquecida(o)).
| Colocar no fogão em lume baixo.
| Mexer sempre até começar a ganhar consistência.
| Quando estiver sólido mas ainda muito cremoso (mais ou menos como veem nas fotografias), temperar com sal e juntar o iogurte/quark/queijo batido (opcional).
| Mexer bem até incorporar e servir.




Pus a dose para 2 ovos mas não rende muito em volume. Se não comer mais nenhuma fonte de proteína costumo fazer com 3.
Caso queiram podem acrescentar outras especiarias (salsa, orégãos,...), eu geralmente faço simples mas é uma questão de preferência.
Agora relativamente aos ovos - que. Perfeição. Nunca imaginei que uns ovos mexidos pudessem ser tão bons e ter uma textura maravilhosa. Sinceramente sempre foram a minha maneira menos preferida de fazer ovos (juntamente com omeletes), mas desde que descobri a receita já devo ter feito umas 10 vezes (e não foi há muito tempo). É rápido, prático e delicioso! Não tem nada a ver com as minhas espécies de omeletes em pedaços que só agora percebo não merecerem o título. O gosto é mesmo muito bom, e com algum tipo de queijo/iogurte fica ainda melhor! A coisa mais chatinha é mesmo limpar a frigideira, mas vale a pena.

(É bom que apreciem bem as fotos de ovos mexidos no pão, porque aquilo para cortar ao meio foi uma bagunçada.)
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 126kcal
Proteínas: 11.1g
Hidratos de Carbono: 0.7g
-       Dos quais açúcares: 0.7g
Lípidos: 8.8g
-          Dos quais hidrogenados: 0g
-     Dos quais saturados: 2.7g
Fibra: 0g
Sódio: 278mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 90g, 1 dose ou a totalidade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para a versão sem lactose ou paleo (mais restrita), não se poderá utilizar o queijo/iogurte. 
_________________________________________________________________________

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Giveaway - Quest Bars


Estou a sortear 4 barrinhas Quest, proteicas e cheias de fibra de sabores (giros)
à escolha :D
Podem ver como participar aqui, na página de facebook do blog. Só têm de partilhar a publicação e gostar da página. Para aumentar a probabilidade de ganhar, podem também seguir o blog e o Instagram (@creme_de_avelas), deixando comentários extra.
Caso não tenham facebook e queiram participar deixem um comentário com a vossa conta de seguidor do blog (para extra, a do Instagram também) e eu adiciono a vossa participação ;)
Boa sorte!


domingo, 14 de junho de 2015

Fluff/Creme de Whey com Banana Congelada (Saudável, Sem Açúcar Adicionado, Sem Glúten, Sem Gordura Adicionada, Sem Lactose)



Eu adoro receber amostras de coisas. Acho que há um qualquer encanto em ter um mini-pacotinho com uma quantidade indecentemente pequena de alguma coisa, de poder experimentar um produto sem ter de comprar uma embalagem inteira (não aplicável a amostras de cremes ou champôs - são demasiado aborrecidos para terem amostras interessantes).
Não sei se conta como amostra, mas acho que o dia mais feliz da minha vida foi quando encontrei no continente publicidade com autocolantes. Ideia brilhante, certo? Ninguém quer saber da publicidade, mas acho que posso dizer que toda agente adora autocolantes - e posso admitir que são o meu principal critério de escolha de livros de atividades para crianças. Quantas mais páginas de autocolantes melhor - é este o princípio que rege a minha vida, e talvez simultaneamente o motivo pelo qual ainda hoje tenho um livro meio podre em que os autocolantes já não descolam, apesar de ainda ter imensos (o facto de gastá-los parecer uma profanação ajuda).
(O segundo dia mais feliz da minha vida foi quando a Visão Júnior ofereceu um envelope de um brilho ofuscante cheio de cromos e publicidade. Até pode não servir para nada, mas é extremamente atractivo. Acho que se ainda hoje, se se dignassem a conceber brindes decentes - e toda a gente sabe que a qualidade de algo é proporcional à sua capacidade de reflectir a luz -, eu comprava.)
Ultimamente as minhas amostras de preferência têm sido as de proteína - não pretendo comprar um pacote inteiro (porque não tenciono usar regularmente e porque me iria fartar) mas adoro poder experimentar em receitas diferentes sabores.
Neste caso, com os pontos que ganhei na Nutritienda ao encomendar as (maravilhosas) quest, encomendei duas amostras da tão falada proteína de morango e chocolate branco da Scitec (alguém no Instagram a gabou imenso, já nem me lembro quem, de forma que eu quase sonhei com ela) - uma delas usei para misturar no queijo batido, outra para fazer esta delícia cremosa. 
E digo-vos já que estas amostras de proteína de um vermelho brilhante reacenderam em mim a paixão pelas amostras - ao contrário das da myprotein, brancas e feias, que me fizeram lembrar o meu ódio por xaropes brancos.
(Mas eram boas à mesma.)





Fluff de Proteína com Banana Congelada
Para 1 dose

Ingredientes:
[  1 banana pequena (70g)
[  10g de proteína de soro de leite (whey) (usei de morango e chocolate branco)
[  1 clara (30ml) (preferencialmente pasteurizada)
[  2 colheres de sopa de iogurte (pode ser vegetal), queijo fresco batido ou quark 
[  1/8 de colher de chá de goma xantana (opcional)

Preparação:
| Previamente, cortar a banana às rodelas e congelar.
| Pelo menos 5 horas depois (mas podem deixar no congelador vários dias ou até semanas), triturar a banana congelada com a varinha mágica/processador/liquidificadora.
| Juntar todos os restantes ingredientes (proteína, clara, iogurte/queijo/quark e goma xantana) e triturar bem. Se o iogurte/queijo/quark for muito espesso podem ter de juntar leite ou água. 





Esta é a parte em que eu digo que é fenomenal, certo? É FENOMENAL. Fica maravilhosamente fresquinho, com textura de nuvem condensada (pleonasmo?) batida para incorporar ar e deliciosidade. E ainda por cima sabe a iogurte de bebé. E é do conhecimento geral de que saber a iogurte de bebé é um grande ponto a favor.
A textura é mais densa um bocado do que o fluff de claras. Não sabe particularmente a banana, tem um sabor infantil aaa iogurte de bebé. E também tem cor suave e clarinha de iogurte de bebé. O único contra é mesmo ter destruído os Beatles.
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 142kcal
Proteínas: 15.2g
Hidratos de Carbono: 19.4g
-       Dos quais açúcares: 10.8g
Lípidos: 1.0g
-          Dos quais hidrogenados: 0g
-     Dos quais saturados: 0.0g
Fibra: 1.8g
Sódio: 73mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 163g, 1 dose ou a totalidade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
_________________________________________________________________________

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Bolinhos de Frango - De Obeso a Gymnodesportista

Hoje o post vem num modo diferente!
O Eduíno, do famoso blog De Obeso A Gymnodesportista, convidou-me para participar numa «troca» de receitas. Eu olho para esse blog como um «marco» gigante no mundo dos blogs, por chegar a muita gente que nem está muito envolvida neste meio e também, claro, por ter conteúdo de valor. Ouço menções frequentemente, muitas de pessoas que nem estão a par das tendências do mundo saudável/fit/..., o que é um feito. Visito regularmente e aconselho a que façam o mesmo!
...Assim sendo, anuncio-vos a parceria com satisfação, até porque estes bolinhos de frango parecem mesmo fenomenais! 


Ingredientes
100g Peito Frango  (cozer antes)
100g Queijo Quark 20%
150g Ovos (3)
30g de Aveia Triturada
15g Cenoura
Pimenta Preta q.b
Cenoura q.b
Sal q.b

Como fazer
1. Triturar todos ingredientes;
2. Colocar em mini formas; 
3. 30m no forno até ficar alourados.



Carregar para ampliar                    

Tomei a liberdade de dar um título, já que «Bolinhos de Frango» me parece bastante adequado e consensual. Eu gostei especialmente dos fiinhos de cenoura que se vê, lembram-me de um bolo de cenoura que fazia quando era pequena e não faço/como há imenso tempo! Ficaram adoráveis, tenho de experimentar também.
(E de fazer bolo de cenoura.)
Raramente faço estas coisas tão práticas, deliciosas e simplistas, é tempo de quebrar a maldição... Certo? 

Podem visitar o site e as redes sociais do blog «De Obeso a Gymnodesportista» aqui

Entretanto vão espreitando o site, até porque também estará lá uma receita minha - brownie de batata doce (no microondas). EU SEI. Corram.

domingo, 7 de junho de 2015

Crème Brûlée de Nutella


Tenho 3 tabuleiros de forno, daqueles que encaixam mesmo nas ranhuras: uma grade, um preto e um cinzento.
A grade é a que uso para base de tabuleiros mais pequenos - não gosto de pôr nada lá, mesmo com papel vegetal, porque fica com riscas por baixo e é difícil de mexer. Também a uso para arrefecer panquecas, o que vai dando um jeitinho.
O preto é o de que menos gosto - apesar de dar para fazer assados queima as coisas por baixo muito facilmente. É o trono do café, secador de arroz e frigideira com restos reutilizáveis de gordura para cozinhar (da minha avó, eu odeio o ritual), quando o forno está desligado.
E depois há o cinzento, que é o meu preferido - que não queima nada, que é leve, que é profundo o suficiente. E que a minha avó adora roubar para congelar carne aos sábados.
Não sei se estão aqui a ver o conflito de interesses - sábado é dia de bolo. Que eu faço no forno. No meu lindo e adorável tabuleiro cinzento. Que é ciclicamente profanado pela minha avó pela fé de resguardar pedaços de vitela e costela mendinha. 
Isto já deu origem a diversas discussões, que andam sempre à volta de:
- BÓÓ*, o tabuleiro cinzento?! Tenho aqui um bolo para pôr no forno!
- ...está a congelar carne.
- Outra vez?! Porque é que não usas o outro cinzento esmagado e torto?
- Não cabe bem na arca.
- Vou queimar o bolo todo por tua causa. Mas está bem, não faz maal, deixa estar. As galinhas vão adorar comê-lo. 
*avó dirige-se irritada à arca e arranca a carne do tabuleiro*
- Obrigada, querida avó. Fico feliz por conseguirmos resolver as nossas disputas familiares com calma, paz e amor.**
Para que esta situação não ocorra com demasiada frequência, posso sempre recorrer a esta opção - um crème brûlée de Nutella que coze em banho maria, e por isso pode ser feito em qualquer tabuleiro em cima da grade. 
Digam lá se não é uma sobremesa reconciliadora...

*Eu não chamo à minha avó, mas a expressão tem uma sonância hilariante.
**Fala possivelmente alterada tendo em vista propósitos textuais. 





Crème Brûlée de Nutella
Adaptado daqui
Para cerca de 12 ramequins

Ingredientes:
[  600ml de natas
[  200ml de leite achocolatado
[  1 colher de café pequena de extracto de amêndoa (opcional)
[  250g de Nutella
[  50g de açúcar
[  10 gemas de ovo L (ou 12 M) (200ml)
[  1 vagem de baunilha (ou 2 colheres de chá de essência de baunilha)

Preparação:
| Colocar num tacho as natas, o leite achocolatado e o extracto de amêndoa.
| Levar a lume médio e aquecer apenas até fervilhar. Desligar o lume e deixar arrefecer um pouco enquanto se prossegue com o passo seguinte.
| Aquecer a Nutella numa frequência baixa do microondas e colocar num recipiente.
| Aos poucos (inicialmente colher a colher), ir juntando as natas aquecidas (com leite de chocolate) à Nutella e mexendo rapidamente. Quando já estiver mais líquido pode-se verter para esta com menos lentidão, mas sempre a misturar. Inicialmente pode ficar um bocado grosso e parecer que nunca na vida vai ficar cremoso, mas continuando a bater e incorporar fica. 
| À parte e na velocidade máxima da batedeira eléctrica, bater as gemas com o açúcar até que aumentem em volume e a cor aclare (cerca de 30 segundos).
| Verter as natas aquecidas em fio para a mistura das gemas, mexendo rapidamente com uma vara de arames.
| Dividir por ramequins ou tacinhas. Colocá-los num tabuleiro fundo (pelo menos tão alto como os ramequins) e encher o tabuleiro de água a ferver até ao nível do creme nos ramequins (banho-maria).
| Levar ao forno pré-aquecido a 160ºC durante cerca de 30 minutos, monitorizando: devem ficar estáveis e relativamente firmes, especialmente nas bordas, mas ainda tremelicar ligeiramente no centro quando agitados.
| Refrigerar durante pelo menos 4 horas.
| Para servir, polvilhar com açúcar e queimar com um maçarico.

Grito de falcão assassino :P



Eu fiz isto tudo um bocado à toa, numa ideia de «hm, crème brûlée de Nutella deve ser bom», pelo que acho que temos todos de concordar que eu sou uma pessoa brilhante. Nem estava particularmente confiante, não tinha muita Nutella, *inserir mais choraminguices aqui* - mas ficou FENOMENAL. A sério, fenomenal.
Tem a textura rica e extremamente cremosa do crème brûlée, mas com um sabor suave a chocolate e um toque de avelã. Há qualquer coisa de sublime no crocante do açúcar caramelizado (para além da diversão que o processo é!) que, quando martelado com uma colher, dá caminho a um creme luxurioso e delicioso. Não parece que se está a comer Nutella à colher (atividade que tem o seu charme), mas o gosto está definitivamente presente - e eu sou uma crítica de receitas com Nutella que mal sabem a Nutella. Este não é o caso, portanto e resumidamente. Também faz lembrar leite achocolatado (porque será?...), mas sem um sabor infantil (convenhamos, leite achocolatado sabe um bocado a lanche de primária). São receitas como esta que me fazem achar uma loja/café/pastelaria com o conceito «pegar em todos os bolos existentes à face da Terra e besuntá-los com Nutella» pouco originais.
Ao contrário do que possa parecer pelos meus sempre extensos «manuscritos» de receitas, a receita é mesmo básica e fácil, tipo bolo-de-laranja-fácil. E bestial. Sim, também é bastante bestial.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Dorayakis (Bolinhos Japoneses) Recheados com Creme de Cacau e Abacate (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)


Hoje estou em modo guest post para o Palavras que Enchem a Barriga - uma honra, portanto!

Um dos desenhos animados de que mais gostava quando era pequena era o Doraemon - o híbrido de gato e canguru com uma bolsa interminável cheia de inventos destinados a ajudar um miúdo nos propósitos mais fúteis de sempre mais adorável do mundo.
As raras aparições da irmã amarela do Doraemon faziam o meu dia, os aviões do Suneo que rapidamente eram destruídos pelo Gigante eram já um clássico... e, claro, os dorayakis, aqueles adoráveis bolinhos que o Doraemon devorava, tinham um aspeto delicioso.
Muito recentemente passei por um episódio do Doraemon na televisão, e a primeira coisa em que reparei foi nos dorayakis. Como é que não me tinha lembrado de cozinhar dorayakis? Afinal, agora sou uma mestre da cozinha (o que é que são esses risos condescendentes?! :P).
(Para ser honesta, a primeira coisa em que reparei na realidade foi que a música era diferente - para pior! - e que o programa era dobrado - o horror.)
No momento em que tive acesso à internet fui procurar receitas de dorayakis, uma vez que não fazia a mínima ideia de como fazer (até achava que eram feitos com chocolate) - e descobri uma coisa desastrosa engraçada: os dorayakis são uma sobremesa japonesa que basicamente consiste em duas panquecas recheadas com anko. O que é o anko? Pasta de feijão doce.
Panquecas com pasta de feijão. A isto se resumiam todas as aspirações da minha infância.
Por esta altura já se devem estar a aperceber da dimensão do problema.
Qual é o problema, Avelã? Ninguém te mandou comer panquecas com feijão, dizem vocês.
Pois.
Não só fui ao celeiro comprar o feijão específico como também estive a cozer feijão com passas durante duas horas e meia. No final recheei e montei as panquecas, rezei para que se tivessem magicamente transformado nos dorayakis que via o Doraemon comer e dei uma trinca. Não se tinham transformado, e o que senti foi uma pasta nojenta e granulosa com sabor a feijão sanduichada entre duas panquecas que ainda agora me dá vómitos só de pensar.
Não podia deixar a situação assim, com uma ideia de infância estilhaçada - e por isso comprei abacate e fiz uns dorayakis saudáveis, desta vez recheados com chocolate, que tenho a certeza que era o que tinham os do Doraemon (acreditem, eu conheço-o, ele não ia comer feijão com panquecas).
E ainda bem que o fiz, porque estes não só são mil vezes melhores como também não têm feijão.
(Isto é só vantagens.)






Dorayakis (Bolinhos Japoneses) Recheados com Creme de Cacau e Abacate  (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)
Para cerca de 7 dorayakis
Adaptado daqui

Ingredientes:

Para as panquecas
[  4 ovos
[  100g de mel
[  100g de farinha de aveia (triturei aveia no moinho de café. Podem usar um processador ou até uma varinha mágica)
[  1 colher de chá de fermento
[  Água

Para o creme de chocolate e abacate
[  1/2 abacate maduro
[  25g de mel ou xarope de seiva de ácer
[  10g de cacau em pó
[  1 colher de sopa de óleo de coco derretido
[  1/4 colher de chá de extrato de baunilha

Preparação:

Para as panquecas
| Com uma batedeira elétrica, bater os ovos com o mel até ficarem espumosos (cerca de um minuto).
| Peneirar a farinha de aveia e o fermento para os ovos com mel e misturar.
| Refrigerar durante 15 minutos.
| Acrescentar uma ou duas colheres de sopa de água para que a mistura fique menos espessa (sem que fique excessivamente líquida).
| Fazer panquecas médias numa frigideira (se necessário podem passar um guardanapo com um pouco de óleo antes).

Para o creme de chocolate e abacate
| Triturar tudo (abacate, mel, cacau, óleo de coco e extrato de baunilha) muito bem com uma varinha mágica ou num processador/liquidificadora.

Montagem:
| Colocar no centro de uma panqueca uma colher do creme de chocolate e cobrir com outra panqueca. «Beliscar» as pontas das panquecas para fechar.



Eu, rodeada de dorayakis com feijão.
Quando a Joana do blog «Palavras que Enchem a Barriga» (quem é que eu quero enganar, acho que toda a gente conhece o blog lendário) me convidou a participar na semana da obesidade infantil lembrei-me logo disto. E de mais 10 coisas. Escolhi esta, o que tem de significar alguma coisa, certo? O momento da derradeira decisão foi quando perguntei ao meu irmão se queria que eu fizesse dorayakis e ele ficou extremamente entusiasmado. 
(Ignoremos o pormenor de ele ter ficado traumatizado com os de feijão.)
Quanto ao veredicto: eu sei que digo sempre isto, mas... MELHOR. Coisa. De sempre. Ficam absolutamente fenomenais! E não, não sabe a abacate, de todo (gosto tão mais de abacate do que de feijão!). Sabe a delicioso. Sim, sabe bastante a delicioso. Há tempos comprei dorayakis da Panrico - uma raridade que nunca mais localizei em loja alguma. Eram fofos, as panquecas levemente esponjosas e o creme de chocolate suave e perfeito. Eu nem estava à espera de todo, mas estes são iguaizinhos. As panquecas são diferentes das normais, fofas mas consistentes, uma casinha perfeita para um recheio super cremoso de chocolate docinho. Tenho a certeza de que nenhuma criança iria recusar estas belezas. 
Pode não parecer muito prático para fazer ao pequeno-almoço, mas feitos com antecedência aguentam bem - eu fechei numa caixa hermética para alimentos e duraram uns dias (não muitos porque acabaram logo). 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dorayaki)
Energia: 162kcal
Proteínas: 4.9g
Hidratos de Carbono: 23.6g
-       Dos quais açúcares: 13.2g
Lípidos: 6.3g
-          Dos quais hidrogenados: 0g
-     Dos quais saturados: 2.0g
Fibra: 2.5g
Sódio: 34mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 70g, 1 dose, um dorayaki ou 1/7 da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
_________________________________________________________________________

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...