domingo, 27 de março de 2016

Lasanha (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)

Há uns tempos estava na maré de fazer chili e bolonhesa imensas vezes, na maior parte delas até em quantidades massivas para que pudesse congelar as sobras. Ia frequentemente comprar carne de peru ou frango picada ao supermercado local (porque certos supermercados maiores não picam carne de aves) e ficava meia hora à espera, durante a qual a máquina um pouco rudimentar moía lentamente os quilos de carne que eu pedia - tanto que a pobre coitada veio a avariar um dia a meio do processo (ups).
Eventualmente fartei-me de passar tanto tempo a revirar carne numa panela enorme, pelo que parei de fazer doses tão exageradas e comecei a fazer comida mais simples. Entraram em jogo a batata-doce grelhada, o arroz basmati, os hambúrgueres de vaca e os bifes de frango - e pude dar algum descanso à nova máquina do meu supermercado local. 
Pensava eu que tinha atingido uma espécie de equilíbrio com as receitas que fazia quando, a cozinhar crepiocas, associei a textura à de cannelloni, do que resultou uma experiência bem sucedida. E a estabilidade no mundo das receitas básicas pareceu estremecer.
Não podia ignorar o óbvio passo seguinte. Assim sendo, esta semana tive de fazer, também com crepiocas, a ainda-mais-famosa prima de cannelloni: lasanha.
E qual é o recheio quer de um quer do outro? Carne picada. We meet again.
Lá vim eu então do supermercado, com dois quilos de carne para fazer lasanha, empadão e massa (os últimos dois não merecem história, lamento. Poderão vê-los na página de facebook nos próximos dias). 
Prepara-te, nova máquina de picar carne. Parece-me que isto não vai ficar por aqui.





Lasanha (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose)
Para 12 doses (2 tabuleiros do tamanho do da figura)

Ingredientes:

Para os crepes (que servirão de placas de lasanha):
[  5 ovos
[  3 claras de ovo
[  10 colheres de sopa de polvilho doce (cerca de 100g)
[  5 colheres de sopa de água
[  2 colheres de sopa de iogurte (ou quark, ou iogurte de soja/sem lactose para a versão sem lactose)

Para o molho:
[  10 dentes de alho
[  3 colher de sopa de azeite
[  500g de couve-flor cozida
[  250ml de leite (pode ser magro ou vegetal, mas não adoçado; usar sem lactose para a versão sem lactose)
[  100g de queijo (pode ser queijo de barrar ou ralado, sem lactose para uma versão sem lactose)
[  3 colher de sopa de sumo de limão (opcional)
[  Sal (a gosto)
[  Pimenta branca (a gosto)
[  Orégãos (a gosto)

Para o recheio de carne:
[  Azeite
[  1kg de peito de frango (ou peru) picado
[  Sal (a gosto)
[  Orégãos (a gosto)
[  Pimentão doce (a gosto)
[  Paprika (a gosto)
[  1 cebola
[  3 dentes de alho
[  200ml de molho de tomate

Para a 'montagem':
[  Queijo ralado (a gosto, opcional; omitir para a versão sem lactose)

Preparação:

Para os crepes:
| Bater todos os ingredientes (ovos, claras, polvilho doce, água e iogurte) com a varinha mágica (ou numa liquidificadora/à mão).
| Aquecer uma frigideira pequena no fogão e fazer crepes não muito finos. Deverão ser por volta de 15 no total.

Para o molho:
| Picar os dentes de alho.
| Dourar o alho no azeite, numa frigideira pequena a lume baixo.
| Triturar até que fique cremosa (com varinha mágica/processador/liquidificadora) a couve-flor cozida com o refogado de alho, leite, queijo, sumo de limão, sal, pimenta e orégãos. 

Para o recheio de carne:
| Numa frigideira antiaderente ou wok em lume baixo, colocar um pouco de azeite e cozinhar o frango picado. Temperar com sal, orégãos, pimentão doce e paprika e escorrer qualquer líquido. Reservar.
| Na mesma frigideira/wok (sem o frango), colocar um fio de azeite juntamente com a cebola e 3 dentes de alho previamente picados.
| Assim que a cebola estiver translúcida, adicionar a carne anteriormente cozinhada (podem cozinhar a carne só neste passo, mas eu prefiro assim) e o molho de tomate, misturando.

Montagem:
| Dispôr no fundo de uma forma redonda (com um diâmetro próximo ao dos crepes) algum molho de couve-flor. Colocar depois um crepe, mais molho e posteriormente carne, repetindo a sequência (crepe-molho-carne) até a forma estar cheia e terminando com crepe, molho e queijo ralado (se desejado). Como a minha frigideira era pequena, usei duas formas (ao invés de uma) com menor diâmetro, mas podem usar uma frigideira maior e colocar a lasanha num só tabuleiro. 
| Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 15 minutos ou até que o queijo esteja tostado.



A lasanha ficou muito fidedigna (por comparação à versão 'original' ou mais comum): achei-a mesmo autêntica e deliciosa.  Além de ser óptima para fazer em dose extra e guardar no frigorífico para posteriores visitas ao microondas, potenciando uma série de almoços (quase) instantâneos excelentes. 
Apesar de a lista de ingredientes poder parecer ter uma extensão pouco atrativa, por favor tenham em consideração que 1) vocês querem isto nas vossas vidas, confiem em mim e 2) grande parte é especiarias e tal, na verdade é muito simples. Consiste basicamente em carne de peru picada com tomate alternada com 'camadas de massa' (sem glúten; são basicamente crepes, dando bem menos trabalho do que as típicas com farinha), com um molho 'béchamel' (sem lactose, à base de couve-flor - e dou a minha palavra, pessoal mais céptico, em como é fabuloso) e queijo - porque, desculpem lá, esta parte era indispensável, podem omitir se quiserem (at your own risk :P). 
Tl;dr - façam ;)
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 233kcal
Proteínas: 24.8g
Hidratos de Carbono: 12.7g
-       Dos quais açúcares: 1.9g
Lípidos: 9.5g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 2.8g
Fibra:  1.9g
Sódio: 377mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 230g, 1 dose ou 1/12 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sexta-feira, 25 de março de 2016

Tag - 'A Irmandade das Blogueiras'

A Pimentinha do blog Pitadas de Coisas Boas nomeou-me para responder a uma tag. Assim sendo, aqui estou eu, a fazer isso ;)
Não se esqueçam de visitar o blog, prometo que vale a pena!

Como surgiu o teu blog?
Acho que já mencionei em tags anteriores que o objetivo maior, aquele que me atingiu tipo epifania, foi partilhar uma receita de snickers caseiro. No entanto, isto poderá ter sido uma profunda escolha do meu subconsciente para representar, por sinédoque, todas as outras receitas que tinha o desejo de partilhar - nunca saberemos. ;)

Qual o chef português com quem mais te identificas? E qual o estrangeiro?
Sinceramente não sou daquelas pessoas que seguem o trabalho chefs, nem portugueses nem estrangeiros. Assim sendo, a resposta mais próxima da verdade seria 'a minha avó'.

Qual é aquele livro de culinária que não te cansas de folhear?
Como será dedutível pela resposta anterior, não tenho muitos livros de culinária. Lembro-me, no entanto, de um em particular, comprado numa feira do livro quando eu era pequena. A minha mãe ofereceu-mo com a promessa da minha parte de cozinhar - era um livro grande que tinha histórias e receitas anexadas, incluindo uma de torradas francesas que fiz em vários dias da mãe enquanto filha dedicada (acho que a promessa se pode dizer cumprida, portanto). Acho que esse vale. ;)

Entre as tuas melhores receitas, qual aquela que os teus amigos e familiares mais pedem que faças?
Tarte de Flan. Aquilo é tipo o Hotel California - começar a fazer tudo bem, mas depois se se passa uma semana sem satisfazer o vício alheio é dos diabos. :P

Para um jantar à laia de petisco com amigos, quais as tuas sugestões de pratos práticos e económicos?
Talvez os folhados de alheira. São muito simples de fazer e toda a gente os ama de paixão. Pff, salgados e a sua facilidade em conquistar multidões... 

A nível internacional, qual a cozinha que mais te fascina?
Não tenho grande cultura a esse nível (a menos que fro yo conte como parte da culinária espanhola), por isso tenho de dizer a asiática, que conheço mais ou menos desde criança e da qual gosto bastante. :)

O que não dispensas num brunch?
Brunch não é algo que costume fazer, mas como adoro papas de aveia pode ser essa a minha resposta. E não é preciso mais nada (especialmente sopa - não é preciso sopa).

Qual o ingrediente que não pode faltar na tua cozinha?
Talvez ovos. Uso-os muito (e para tudo), embora haja muitas outras coisas que não dispenso. 

Qual é a receita publicada no teu blog de que mais te orgulhas?
Possivelmente o bolo de coco saudável... Tenho recebido muitas mensagens de gente que fez e gostou, que me deixam sempre contente. Além disso, improvisei bastante a receita e acabou por correr muito bem (código para 'o bolo ficou perfeito'), o que é sempre bom! 

Qual a tua opinião sobre a minha cozinha?
Gosto muito! Tens sempre imensas boas sugestões, prontas a deixar uma pessoa com água na boca. Ainda fico com fome quando me lembro daquele bolo com cenoura e abóbora que parecia ter uma óptima textura :D


Agora supostamente teria de nomear 10 outras bloggers e atribuir-lhes 10 outras perguntas. No entanto, e apesar de não ser a maior fã deste método de 'quem quiser responda', já vi tanta gente a responder a esta tag que não sei quem foi ou não nomeado... Assim sendo, não vou nomear ninguém, mas se alguém ainda não tiver respondido sinta-se livre para o fazer! :)

domingo, 20 de março de 2016

Papas de Aveia de Coco no Microondas (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten/Lactose, Vegan)


Às vezes é difícil acreditar na capacidade que um (ou alguns) simples ingrediente(s) tem para alterar completamente o sabor de uma receita.
Quando experimentei fazer frango asiático e estive durante imenso tempo a fritar pedaços de frango para que ficassem douradinhos e tostados, não fazia ideia de que adicionar um simples molho de mel o ia tornar incrivelmente enjoativo e, como é óbvio, muito pior (não é suposto ficar magicamente bom com mel mesmo que não soe bem?!).
Quando me enganei e pus caril nas papas em vez de canela, não imaginava o quão horrível aquilo ia ficar (ok, admito que esta era algo previsível).
Quando adiciono manteiga de amendoim a bolos, fruta, iogurte, pão, comida, tostas, batidos, gelados, batidos, scones ou qualquer outra comida, fico sempre surpreendida por ficar tão melhor (já mencionei que sou especialmente fã de manteiga de amendoim? ;)) 
Quando ia comer arroz de frango da minha avó e reparei que estava mesmo muito avinagrado (porque ela se enganou e deitou vinagre duas vezes)... Pensando bem, comida demasiado avinagrada soa mal logo à partida. Ignorem esta.
Quando me lembrei, num mui claro e ledo dia, de adicionar coco ralado às minhas habituais papas de aveia de microondas, não pensei que o sabor e textura mudassem completamente. Não pensei que a textura ficasse tipo a de um bombom nem que o sabor se fosse assemelhar tanto a Raffaello. Mas foi exatamente isso que aconteceu. ;)




Papas de Aveia de Coco no Microondas (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten/Lactose, Vegan)
para 1 dose

Ingredientes:
[  50g de flocos de aveia (sem glúten para a versão sem glúten)
[  1 colher de sopa de coco ralado
[  200ml de leite (vegetal para as versões vegan e sem lactose)

Preparação:
| Colocar numa malga a aveia e o coco e cobrir com o leite.
| Levar ao microondas a 50% da potência máxima durante cerca de 5 minutos, ou até que a aveia coza.
| Mexer bem e adicionar mais leite, se necessário.

Nota: As papas, não tendo ingredientes adicionados para o efeito, não ficam propriamente doces. Se preferirem que o sejam podem adicionar mel ou outro adoçante.



Como já disse acima, estas papas deixaram-me mesmo surpreendida - até as publiquei por isso, não costumo pôr aqui receitas que só diferem minimamente de outras já publicadas. Ficaram mesmo saborosas e com uma textura extremamente agradável (típica do coco)! Tanto que já as fiz duas vezes, e numa delas adicionei um quadrado de chocolate. Isto, como podem imaginar, só me deu mais vontade de publicar o (parcamente existente) segredo desta malga de perfeição ;) Aconselho imenso, é uma ótima forma de variar os pequenos-almoços ou lanches, com o bónus de se ficar com a sensação de que se está a comer uma sobremesa! 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 269kcal
Proteínas: 13.3g
Hidratos de Carbono: 34.4g
-       Dos quais açúcares: 0.7g
Lípidos: 8.4g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 2.5g
Fibra:  6.7g
Sódio: 24mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 250g, 1 dose ou a totalidade da receita). O leite considerado é o de soja da Alpro. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sábado, 12 de março de 2016

Mini Pizzas com Pimentos e Cebola (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura Adicionada, Vegetariano)


No dia 26 de Dezembro uma pessoa fica sempre com aquele sentimento estranho de quem ultrapassou um período de azáfama - os dias anteriores são para a maior parte de nós uma confusão indistinta de embrulhos, compras e jantares, e quando o dia para que tudo isto servia passa e o tempo anda irremediavelmente a um ritmo mais lento é impossível não estranharmos a transição. Foi nesse dia que decidi publicar uma foto de 'roupa velha' no Facebook. Já não publicava desde de manhã e as minhas fotos anteriores eram todas de bolos (ups), por isso achei que não faria mal diversificar um bocado o feed.
Sucedeu-se aquela corrente de eventos que acontece sempre que uma publicação é invulgarmente popular. Passados uns tempos tinha já vários comentários, e atingiu um total de 40 com quase 200 gostos*, o que me fez perceber uma coisa importante - as pessoas adoram roupa velha.
Este é o tipo de lições úteis para a vida que podem conquistar se criarem uma página. Na verdade, esta não foi de todo a única realização, e a quantidade delas que já tive permite-me fazer uma espécie de estudo de mercado. Há imensos fenómenos interessantes que uma pessoa pode observar: por exemplo, o amor incondicional que existe pelos produtos do Lidl (a sério, seja quark, iogurte grego, pão ou frutos secos, a fama daquilo é imensa), bolos saudáveis (esta percebe-se...), broas e vídeos de receitas, bem como a notável interação que geram os posts de aniversário ou de mini-conquistas como meias maratonas (obrigada pessoal, é bom saber que me apoiam ;)).
Assim sendo, aqui está um tipo de receita que sei que é do agrado geral: uma versão saudável de um prato conhecido, neste caso pizza. Uma sugestão surpreendentemente saudável - e tão deliciosa que merece qualquer alarido à sua volta...

*Quando disse popular queria dizer dentro da minha mísera realidade de pequeno blog de culinária, lamento se induzi alguém em erro e posteriormente desilusão... ;)





Mini Pizzas com Pimentos e Cebola (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose, Vegetariano, Sem Gordura Adicionada) 
Para 6 mini pizzas

Ingredientes
[  1 ovo
[  3 claras (100ml) 
[  5 colheres de sopa de polvilho (doce ou azedo)
[  1 colher de chá mal cheia de fermento em pó
[  1 pitada de sal
[  6 colheres de chá de molho de tomate (ou a gosto)
[  Pimentos (a gosto; coloquei em tiras)
[  Cebola (a gosto; coloquei em tiras)
[  Orégãos (a gosto)

Preparação
| Bater o ovo e as claras com o polvilho, o fermento e o sal (à mão ou com a varinha mágica/batedeira). 
| Colocar porções da massa numa frigideira pequena quente, de modo a cobrir o seu fundo (como se fosse um crepe, mas mais espesso). Deixar cozinhar em lume baixo até que a parte inferior esteja ligeiramente tostada. Virar e esperar que toste do outro lado. 
| Retirar a base para um tabuleiro forrado com papel vegetal ou rede de forno e repetir o procedimento até que não sobre massa (deu para fazer 6 no total). Cobrir cada uma das pizzas com uma colher de chá de molho de tomate,  pimentos, cebola e orégãos. 
| Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC durante cerca de 15 minutos para que fique crocante e os pimentos/cebola cozinhem ligeiramente.



Como esta é a versão mini (versão maior - e com ovos inteiros - aqui), usei uma frigideira com apenas 10cm de diâmetro, mas como é óbvio podem fazer pizzas maiorzinhas com esta massa. Também sugiro a quem goste a adição de um pouco de molho piri piri juntamente com o molho de tomate, que combina muito bem com a leveza do recheio e com os sabores - pelo menos se não exagerarem de tal modo que o picante vos faça chorar para cima das próprias pizzas (não que tenha acontecido... ;)). 
Esta receita é tão fantástica que mesmo antes de a publicar já a repeti várias vezes. Uma vez provei uma pizza que tinha cebola e pimentos num restaurante e adorei - além de o sabor ser diferente e mais subtil que a pizza clássica banhada em óleo e queijo (não desfazendo), tinha um cheio fantástico (sou parcial, adoro cebola e pimentos). Ainda achei que os pimentos não me agradariam tanto assim, o sabor deles pode ficar meio exagerado e não costumo gostar da sua presença em coisas que não pratos com carne e etc., mas encaixou na perfeição. Depois da primeira pizza saudável lembrei-me de fazer uma versão com toppings do género, mas não esperava que resultasse tão bem! Até porque associo sempre erradamente pizza a queijo como se fizesse parte da definição (apanha a dica, Priberam).
O sabor ficou ideal e nem vou falar o cheirinho que enche a casa inteira... Superou qualquer expectativa :) 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 mini pizza)
Energia: 51kcal
Proteínas: 2.8g
Hidratos de Carbono: 8.2g
-       Dos quais açúcares: 0.6g
Lípidos: 0.8g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.0g
Fibra: 0g
Sódio: 77mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 40g, 1 mini pizza ou 1/6 da receita). Não tem em consideração a cebola nem os pimentos, uma vez que as quantidades utilizadas dependem do gosto pessoal. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

domingo, 6 de março de 2016

Lanches para Crianças (e adultos!) - Sugestões (Parte II)

Aqui estou eu com o restante das sugestões de lanches para crianças, que de mid-season breaks longos já está tudo farto (por isso e por ter havido mais pessoas a sugerir posts assim - chamemos-lhe catalisador extra, não sou tão responsável assim). Assim sendo, aqui está a parte II - é a última, prometo ;)

Parte I aqui.

...E nada melhor para o iniciar do que um aglomerado de coisas deliciosas:

O '& Co.' ;)
Não vou fazer um tópico separado para cada receita possível e imaginária, portanto aqui têm um aglomerado delas. São exemplos de coisas que acho chamativas para miúdos e giras para fazer (e/ou comer) com eles! Não são as fotos das respetivas publicações, tirei-as com o intuito de colocar neste post - só para dizer que não é um agregado aleatório, não sou particularmente adepta de 'round ups' tipo link link link (não tenho tantas receitas que se percam, ou já agora fotos bonitas).
Publico fotos e receitas minhas; claro, não detenho o monopólio das receitas do estilo e estão livres para usar a barra do google, atraiçoando esta imensamente útil fonte de informação ;) 
Assim sendo: 

Gelatina. Dá para fazer coisas giras com gelatina, para brincar um bocado com cores (considere-se que não é o que de mais 'limpo' há, eventualmente deverá limitar-se o uso). Normal, com quark ou com claras, sendo este último o meu método de eleição porque parece marshmallow e eu não gosto de gelatina. No post têm a disposição em camadas que eu penso ficar visualmente interessante!

Waffles. Têm aquele je ne sais quoi de item menos comum, aparecem nos desenhos animados com frequência (não subestimem o poder persuasivo do Titio Avô) e podem ser bastante bons a nível de composição nutricional. Tenho esta receita no blog. Podem inventar nos toppings, usando qualquer um dos sugeridos para os crepes (post anterior). 

Bolinhos. De microondas ou de forno, miniatura porque toda a gente sabe que são mais  giros. Com a aliciante opção de usar coberturas. Em geral são bem simples: tenho 'aqui' duas receitas particularmente apreciadas, esta e esta. Não recomendado para pais de fãs das PowerPuff Girls, alguém vai acabar a juntar açúcar, picante e doces enquanto resmunga por não haver Químico X na dispensa (true story).

Mais gelatina. Talvez devesse ter posto seguido, mas não gosto de repetições tão próximas (detalhe acrescido de não estar com vontade de refazer a montagem). A receita é a mesma, aqui, podem ver diferenças na consistência, uma vez que aperfeiçoei a receita (mudei já *para melhor* as instruções). 

Bolos. Tamanho completo desta vez, têm também a sua graça e são fáceis de adiantar para pequenos-almoços/... Mais uma vez, adições à escolha para dar mais vida às fatias. Sugiro o bolo de maçã, o bolo de cenoura com laranja e o de abóbora. Dependendo da gulodice podem aumentar a quantidade de mel nas receitas, há imensas 'formigas' por aí :) 

Bolachas. Há imensas receitas, a pairar online e tal, e se tem pepitas de chocolate é provavelmente tiro certo. Esta é com massa de scone, achei que resultou tremendamente bem - crocantes e com um gosto fabuloso a aveia :)

Mini cheesecakes. Giros, fresquinhos, adoráveis, manteiga de amendoim. Eu sei, parece um daqueles joguinhos de encontrar o intruso, mas se fizerem e puserem por cima um drizzle destes vêm que o quão justificado é! 

Panquecas. Para quem não tem uma máquina de waffles (ou para quem tem uma máquina de waffles). Porque, bem, panquecas. Eu até teria colocado seguido, associo muito os dois - maaas já sabem, montagem. Especialmente boas com gelado de banana, e por isso assim apresentadas na foto... Tenho algumas receitas infalíveis no blog, como esta.

Para mais sugestões o índice de receitas do blog está sempre ao dispor!


Por último, a fruta. Parece-me um lanche (ou elemento de) óptimo, sem exigir grande elaboração. O estigma 'nem vale a pena' acaba sempre por se autoalimentar: as peças de fruta são maioritariamente alimentos bem saudáveis, coloridos e doces o suficiente para agradar - tanto as mais exóticas como as da época (privilegiando estas). As disposições podem ser mais caprichadas para 'encher os olhos', que também é importante; há até alternativas como puré de maçã e fruta desidratada sem adições, apesar de deverem, claro, ser mais a excepção do que a regra, favorecendo frescos.
Por outro lado, algo que parece fazer um óptimo trabalho a convencer crianças a adorar fruta consiste em... Desenhos animados. Nunca me apeteceu tanto comer uma maçã como quando o Tom Sawyer roubou uma à tia Polly - ou quando o Ryuk fez danças hilariantes por estar em síndrome de abstinência de maçãs forçada.

Óptimos exemplos.
Primeira foto retirada daqui, segunda daqui e a terceira é o meu irmão. ;) Esqueci-me de mencionar que o meu irmão é um shinigamipardon-moiTêm a caixa de comentários abaixo para elogiarem o fato, que me deu um trabalhão a fazer.


tentando infrutífera de disfarçadamente evitar que isto seja um bloco massivo de texto ~


Para concluir, tenho de mencionar que, como será óbvio, aqui não estão incluídas todas as possibilidades para refeições (neste caso lanches) equilibradas(os), tratando-se estas de meras ideias que, aliás, poderão não ser boas para todos, assim como nada o é - falo sobretudo no caso das intolerâncias, mas também das ideologias 'alternativas'.

Há lugares-comuns da alimentação relativamente seguros e, sendo um campo de área maioritária cinzenta, tentei uma abordagem moderada - pessoalmente não defenderia (por algumas questões, embora não passe da minha opinião) dietas radicais específicas não 'necessárias' na fase da vida em causa. Vem-me à cabeça a paleo; para ser sincera, não me oponho a que lanchem pão ou grãos no geral (fosse esse o problema da alimentação infantil!), etc., o que mais uma vez é, e admito-o, debatível. E só não pus fotos do pão porque, bem... Alguém quer ver fotos de pão? Eu não tenho especial prazer nisso, pelo menos. :P 

Para mais sugestões posso sugerir (e sou parcial) a minha página de facebook ou a conta de instagram, onde diariamente publico exemplos refeições adequadas a um estilo de vida saudável. Também aconselho a dar uma vista de olhos pelas publicações no blog 'Palavras que Enchem a Barriga' da semana da obesidade infantil (na qual até participei :D), assim como de outros recursos na internet de receitas e comida saudáveis, que não vou enumerar exaustivamente mas de certeza encontram. 

Espero que tenham gostado das publicações (gigantescas, eu sei). Se leram até aqui merecem assistir ao melhor GIF de sempre:


:D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...