terça-feira, 27 de setembro de 2016

Panqueca Gigante de Forno (2 ingredientes) (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Lactose)


Às vezes repito uma receita exaustivamente durante uma semana, publico-a no blog e depois modero a paixão, esqueço-me dela e não a faço durante meses. Eventualmente algo despoleta novamente o meu vício: estou a atualizar o índice de receitas e vejo lá essa, associo-a a algum ingrediente que tenho de gastar, alguém me diz que a experimentou e adorou... E então a receita sai da sombra, voltando a ter o destaque que merece.
Isto aconteceu com as panquecas de aveia e centeio: quando as descobri pela primeira vez passei a fazê-las praticamente todos os dias para o pequeno-almoço, mas o tempo passou e elas foram ofuscadas por outras receitas (como as panquecas de aveia com claras e as panquecas de weetabix). Entretanto lembrei-me delas e decidi fazê-las, utilizando apenas aveia (e não centeio), fazendo 1/4 da receita (a original rende imenso) e trocando o ovo por claras que tinha de sobra. Ficaram tão boas como as de que me lembrava, fofinhas e saborosas, com uma pequena diferença: a porção que fiz rendeu 12 panquecas em vez das 3 que supostamente renderia, e o mesmo aconteceu em todas as vezes que repeti a receita.
Como é óbvio, isto não é nenhum desastre; afinal de contas, as panquecas são deliciosas. É provável que isto se deva a alguma diferença nas farinhas e no tempo que demorava a fazer as panquecas (porque as farinhas absorvem líquido, logo com o tempo a massa vai ficando mais espessa e faz panquecas mais altas/maiores), mas qualquer que seja a razão não me importo de comer panquecas extra. A minha única reserva deve-se a uma coisa: a única frigideira antiaderente de jeito que tenho é pequena, por isso só posso fazer uma panqueca de cada vez - e até que as doze panquecas fiquem prontas ainda passa algum tempo.
Com outra receita, aqui está a panqueca-solução: uma receita que não só rende sempre a mesma quantidade (porque a massa se coloca toda numa forma) como também não exige atenção na hora de cozinhar a panqueca, visto que esta coze no forno. As más-línguas dirão que isto é um bolo e não uma panqueca, mas não liguem: panquecas perfeitas têm tendência a criar inimigos. ;)






Panqueca Gigante de Forno
Adaptado da página de facebook 'Saudável como um Pêro'
Para 1 panqueca gigante

Ingredientes:
[  200ml de claras
[  40g de aveia com sabor (podem usar aveia normal e eventualmente sem glúten, mas o resultado ficará mais parecido a uma omelete de forno. Mais sobre a aveia com sabor aqui)

Preparação:
| Bater as claras em castelo.
| Adicionar a aveia com sabor e envolver suavemente.
| Colocar o preparado numa forma não muito grande antiaderente (ou forrada com papel vegetal / untada e enfarinhada) e levá-lo ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 15 minutos (ou até estar cozinhado).



Honestamente experimentei esta 'panqueca' por a ver repetida incessantemente pela autora - de resto não teria grandes expectativas, já que os únicos ingredientes são claras e aveia, o que costuma dar algo enjoativo/com uma textura estranha. No entanto, ficou mesmo fenomenal! É fofinha e tem um sabor bem agradável e leve. É ainda muito prática: podendo ser feita com antecedência, dá um belo e saciante pequeno-almoço ou pós-treino (pequeno-almoço e pós-treino, na loucura). Podem ir variando nos 'toppings': a banana e a manteiga de amendoim ficaram perfeitas, mas iogurte grego ou quark, por exemplo, devem ficar excelentes também. Espero que gostem!
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (pela panqueca inteira)
Energia: 267kcal
Proteínas: 29.4g
Hidratos de Carbono: 27.5g 
-       Dos quais açúcares: 1.5g
Lípidos: 3.4g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.0g
Fibra:  4.0g
Sódio: 207mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 250g, 1 panqueca gigante ou a totalidade da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

domingo, 25 de setembro de 2016

10 Bolos Clássicos Tornados Saudáveis (Receitas)

Recentemente estava a tentar lembrar-me de quantas (e quais) receitas de bolos saudáveis já tinha publicado aqui no blog e apercebi-me de que eram imensas. Entre bolos grandes e pequenos, tartes, pastéis e bolinhos de microondas, conto com dezenas delas. Como estão um pouco dispersos entre meses de publicações, decidi começar a fazer algumas seleções para facilitar a consulta - e claro que não podia deixar de começar por versões saudáveis dos bolos que todos conhecemos, até porque é sobre eles que parece recair a preferência da maior parte das pessoas. Espero que gostem :)



Este é, provavelmente, o bolo que mais vezes faço. Além de ser muito simples e apenas sujar um recipiente (admitam, é a parte mais importante), é sempre um sucesso por ser muito parecido aos bolos 'normais' de coco. Às vezes aumento a quantidade de iogurte em 100g e fica mais húmido, quase a desfazer-se na boca! Iogurtes de aroma também resultam bem nesta receita, se forem fãs.



Este bolinho já é um pouco mais trabalhoso, mas não assim tanto se simplificarem e não se prenderem com queriquices como alternar quantidades mínimas das duas massas para que o bolo fique às risquinhas. Não que eu conheça alguém que faça isso... ;)
De qualquer forma, o resultado vale a pena, porque aquele contraste caraterístico dos bolos mármore entre a fofura da parte laranja e a cremosidade da parte de chocolate resulta na perfeição! Ainda fica melhor coberto com iogurte grego (digo eu, mas desconfiem - para mim tudo fica melhor coberto com iogurte grego). 



A combinação de batata-doce com amêndoa é bastante badalada, mas, convenhamos, a fama é merecida. Quem não gosta de um bolo com aquele toque de doçaria conventual dado pela amêndoa, ligeiramente húmido devido ao uso de puré de batata-doce? 

4 - Bolo Húmido de Chocolate (com courgette)


'Bolo de chocolate húmido' e 'saudável' são expressões no geral separadas por um pacote de manteiga e algumas chávenas de açúcar, mas a quebra desta barreira resulta sempre em benefício para a Humanidade. O sabor a chocolate negro caraterístico deste bolo convence qualquer um quando conjugado com a textura maravilhosa. Não quero insistir na mesma coisa, mas... Provar este bolo com iogurte grego devia estar em todas as listas de 'coisas a fazer antes de morrer'. Ficam avisados.



Talvez por cá este não seja propriamente um bolo 'clássico', mas o fanatismo americano por sobremesas com abóbora tem influência transatlântica. Agora que o Outono chegou é sempre bom ter uma receita (doce, óbvio) com abóbora à mão, e sendo esta saudável melhor. O puré de abóbora confere uma textura incrível a este bolinho, e a combinação do sabor desta com as especiarias é simplesmente imperdível!



De cada vez que faço este bolo penso que lhe devia ter chamado de pão de Ló de amêndoa, porque é o que lembra a textura tão fofa. Este bolo é mais um que apenas suja um recipiente e demora no máximo 5 minutos a preparar, por isso se estiverem com vontade de comer um docinho sem ingerir grandes quantidades de açúcar e gordura ou perder imenso tempo já sabem. ;) 



Sendo o preferido de muita gente e aquele que muitos associam à sua infância, o bolo de iogurte não podia deixar de marcar presença nesta versão mais saudável. Apesar de não ter óleo como a maior parte das versões originais, é muito fofo e saboroso. 



Esta combinação é outra bem famosa e tradicional, embora pessoalmente nunca a tenha experimentado em qualquer sobremesa que não esta (não fiquem com pena de mim, esta vale por várias). O bolo fica bem leve e saboroso - e se eu, que não sou a maior fã de alfarroba, digo isto, no caso de serem apreciadores precisam deste bolo nas vossas vidas! 

9 - Bolo de Laranja e Cenoura (com courgette)


Costumo achar os singelos bolos de cenoura e laranja um pouco sem graça, mas este fez com que engolisse as minhas palavras/pensamentos. Um bolo idealizado não seria melhor: este fica com uma textura fofa e ao mesmo tempo húmida, até algo sticky, devido à utilização de laranja, cenoura e courgette. A par do sabor, isto torna o bolo magnífico - se são esquisitinhos e só gostam de bolos simples este é para vocês!



O último-mas-não-menos-importante bolo de maçã. Este não tem mel nem outro adoçante, o toque doce vem apenas do puré de maçã, mas não é isso que o torna menos delicioso, pelo contrário - a junção da maçã com canela torna o aroma (e o sabor) do bolo uma perdição. Uns pedacinhos do fruto pelo meio também lhe conferem um toque especial. :)

E pronto, espero que tenham gostado do 'apanhado' de receitas de bolos - enquanto eu puder continuar a fazer e publicar receitas a família alargar-se-á, por isso mantenham-se atentos... 

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Produtos #9 - Quest Bars (Barrinhas Proteicas)

Com a popularidade destas barrinhas imagino que já se tenham, em alguma altura, cruzado com o nome delas. Pessoalmente, provei-as depois de me cansar de ver fotos com as suas embalagens adoráveis nas redes sociais, que provocaram então a minha estreia em compras em lojas de suplementos online. Na altura fui ler este post da 'Gi' e este post da Carolina do 'Fome Foco Força e Fé', que recomendo por me terem esclarecido bastante!



A fama das barrinhas deve-se em grande parte ao quão 'limpas' são - têm muita fibra e proteína e poucos net carbs, tudo isto associado a uma lista de ingredientes bastante melhor do que a da maioria dos produtos ricos em proteína. Outras particularidades são a versatilidade (podem ser aquecidas no forno ou microondas, por exemplo, de modo a ficarem mais moles e quase derretidas, o que não costuma acontecer com outras barras) e a enorme panóplia de sabores disponíveis (entre os mais famosos estão cookies & cream (bolacha e nata) e chocolate chip cookie dough (massa de bolacha com pepitas de chocolate), mas há muitos mais - por volta de vinte no total).


Onde Comprar, Preço, Ingredientes e Informação Nutricional

Em Portugal não conheço nenhuma loja física que venda estas barrinhas (EDIT: soube através de um comentário no IG que existe uma loja em Almada, a My Whey Store, que também vende online), mas há lojas online que o fazem com portes acessíveis (frequentemente grátis). A primeira vez que encomendei as barrinhas fi-lo na Nutritienda, mas ultimamente faço as encomendas sempre na Prozis devido à maior variedade de produtos e aos maiores descontos (mais sobre a Prozis aqui). Mesmo não considerando promoções, as barras são um pouco mais baratas na Prozis, sendo que podem consultar os preços aí praticados carregando nas imagens interativas, bem como os ingredientes, os sabores existentes e a informação nutricional de cada um deles.

Na Nutritienda as barrinhas ficam por 2.39€ cada uma, um preço cerca de 10 cêntimos superior àquele que é o preço 'normal' da Prozis - de momento a diferença é ainda maior, uma vez que as barrinhas estão com 25% de desconto direto neste último site (aproveitem, raramente se encontram a este preço). Podem reparar que na lista de produtos acima as barras parecem estar repetidas na versão individual e na versão 'pack', mas os links associados são diferentes e diferentes sabores estão disponíveis em cada um deles (até os preços diferem ligeiramente). Penso que tem a ver com a data de validade dos lotes.

A Prozis costuma também ser mais rápida a disponibilizar os novos sabores - o de s'mores, por exemplo, demorou bem mais tempo a chegar à Nutritienda. Isto é especialmente importante agora, tendo sido anunciados novos sabores que soam mesmo bem: oatmeal chocolate chip (aveia e pepitas de chocolate), blueberry muffin (queque de mirtilo) e rocky road (uma espécie de gelado de chocolate, marshmallows e frutos secos). Ainda estão a ser disponibilizados nos EUA, pelo que há a possibilidade de demorarem, mas quanto mais cedo melhor. Até porque as barras de S'mores valeram bem a pena a espera... E reparem - eu sei, porque comprei uma embalagem de 12.


Deixo a transcrição da lista de ingredientes das barras com sabor a Brownie de Chocolate:

Mistura proteica (proteína do soro de leite isolada, proteína isolada do leite), isomalto-oligossacarídeos (tapioca), amêndoas, cacau, água, aromas naturais, sal marinho, edulcorantes (sucralose)

Como podem reparar, é bastante aceitável. As barras mais antigas e mais 'elementares' (sem pedaços de chocolate e etc.) têm uma melhor lista de ingredientes, já que têm vindo a ser incluídos novos aditivos nas barras mais recentes (na de s'mores, por exemplo). Estas continuam a ser melhores nutricionalmente do que a média, mas começam a ter aditivos desnecessários.  Houve também uma recente alteração da fórmula de todas as barras, tendo sido os isomalto-oligossacarídeos substituídos por fibra de milho solúvel. A lista de ingredientes acima é a antiga, já que por enquanto barras com a antiga fórmula ainda são vendidas nas lojas online de que falei (estando as 'novas' também disponíveis).

A informação nutricional é, como disse antes, ótima: cada barrinha ronda as 200kcal e tem por volta de 20g de proteína, apenas 1g de açúcar e 2 a 7g de net carbs (a quantidade de net carbs que existe num alimento é determinada fazendo a diferença entre o total de hidratos de carbono e o total de fibra existente nesse alimento; estes são os hidratos de carbono capazes de afetar os níveis de açúcar no sangue, também conhecidos por 'hidratos de carbono líquidos').



Sabor e Textura

Como é óbvio, o sabor das barras Quest varia consoante o sabor, mas mantém-se semelhante em essência: agradável, não muito doce no geral (embora haja barrinhas mais doces do que outras) e sem aquele aftertaste desagradável que algumas barrinhas feitas com whey deixam. Quando provei a primeira, de bolacha e nata, associei o sabor à parte de bolacha dos gelados tipo 'sanduíche' - podem depreender da minha experiência associativa que o sabor é bastante bom. :P
Já experimentei todos os sabores (devida exceção feita ao de chocolate e menta, porque odeio a combinação) mas como este post já vai longo deixo o meu ranking de sabores para outro. Só para quebrar o texto e separar as duas qualidades imiscíveis que constituem o sabor e a textura, uma fotografia nada aleatória:



E agora sim, podemos prosseguir para a textura. Acho que este ponto é bastante importante por poder facilmente tornar uma barra enjoativa. Há muitas barrinhas proteicas demasiado moles ou demasiado duras, e por muito bom que seja o sabor dela ninguém quer comer uma barra com textura de cartão ou esferovite. Acho que neste ponto as Quest batem a maior parte das barras da concorrência: a textura é suave e chewy, parecendo quase um fudge mais consistente. Isto consegue tornar os sabores ainda mais agradáveis!

Usos

Eu sei, eu sei, 'usos' é um tópico um pouco estranho para avaliar barras que, afinal de contas, são barras - não há grande necessidade de incluir uma lista de instruções, toda a gente sabe como abrir o pacote e comê-las, embora pouca gente o faça da maneira correta: junto de uma taça de gelado de banana. ;)


No entanto, como disse acima, estas barras têm a caraterística incomum de ficarem boas quando aquecidas. Podem, por exemplo, colocá-las no forno pré-aquecido (a por volta de 200 graus) durante 5 minutos, assemelhando-se o resultado a um bolinho quente muito agradável. Normalmente os sabores de chocolate são os que mais ganham com isto (basta que imaginem uma barra de frutos vermelhos aquecida à beira de uma barra de chocolate aquecida para perceberem porquê), nomeadamente o de Smores, que fica meeesmo bom:


(Eu sei que o aspeto das barras frias e quentes é praticamente o mesmo, mas a minha intenção foi a melhor. Terão de se ficar pela confiança que têm nas minhas palavras ;))

Se preferem uma opção mais rápida/económica, podem também aquecer as barras uns segundos no microondas antes de as comer, também resulta. Quando aquecidas, estas tornam-se muito moldáveis, pelo que podem fazer até bolachinhas adoráveis com elas depois de as aquecerem no microondas, levando-as então ao forno para ficarem mais parecidas a bolachas normais. Podem ainda cobri-las com chocolate no fim, mas isso seria claramente exagerado.




*Ups*

Não sei se se aperceberam das consequências disto, mas as barras são moldáveis - se isto não põe um fim às limitações humanas não sei o que porá. Esta informação é basicamente a chave que permite a aspiração ao infinito. E nunca esta foi tão bela... ;)


E pronto, podem suspirar de alívio - a minha dissertação sobre Quest Bars termina aqui. Espero que tenham gostado. ;)
Deixo ainda uma foto de um pack de um dos meus sabores preferidos, de modo a que a despedida não seja tão brusca e não fiquem com problemas a despedir-se de barras Quest no futuro.


Agradeçam-me depois, quando não tiverem de pedir a alguém para colocar a embalagem de uma barrinha no lixo e pô-lo fora da vossa vista enquanto vocês tapam os olhos... ;)

domingo, 18 de setembro de 2016

Bolo de Batata-Doce e Amêndoa (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten/Lactose)


Sempre associei a uma maior complexidade as receitas com caldas, massas lêvedas ou cremes, e até mesmo aquelas com algum elemento cozido e triturado (neste caso batata-doce, mas vem-me também à mente os clássicos exemplos de cenoura e abóbora). Isto acontecia mais até antes de eu começar a experimentar/inventar receitas de sobremesas, talvez porque os tipos que mencionei acima diferem consideravelmente dos mais simples (como o de iogurte ou o de laranja) e eu, desconhecendo a preparação, desconhecia o motivo da diferença de textura. Quem não conhece a clássica textura rica dos doces conventuais feitos com caldas (e gemas, muitas gemas), a fofura das sobremesas lêvedas que tanto furor fazem enquanto quentes, a cremosidade dos cremes engrossados a maizena ou o toque de humidade nos bolos com purés? Todos estes bolos são claramente detentores de uma particularidade de confeção que parece imponente e desafiadora para uma pessoa sem grande experiência culinária.
Durante algum tempo fiquei-me pelos simples bolos que tranquilizadoramente envolvem apenas básicas misturas de ingredientes, mas à medida que fui passando para as receitas que antes considerava complexas fui abandonando este 'conforto' - de tal modo que não faço um bolo simples (pelo menos não saudável, porque saudáveis faço muitas vezes) há séculos, sendo estas receitas renegadas em favor de doces conventuais, tartes cremosas e bolos lêvedos. Curiosamente, o 'tipo' de sobremesas mais simples de todos, bolos feitos com purés, foi um pouco deixado para trás, sendo que o bolo de abóbora é o único deste tipo que me lembro de ter feito (esse e uma torta de cenoura muito muito nojenta). Lembrando-me da tradicional combinação de batata-doce e amêndoa, decidi corrigir essa falha - e não podia esta mais satisfeita por o ter feito...





Bolo de Batata-Doce e Amêndoa (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten/Lactose)

Ingredientes:
[  3 ovos
[  60g de mel
[  300g de batata-doce descascada e cozinhada*
[  100ml de leite (pode ser vegetal ou sem lactose para a versão sem lactose)
[  100g de farinha de amêndoa
[  Canela (a gosto) (opcional)
[  1 colher de sopa mal cheia de fermento

Preparação:
| Separar as gemas das claras, colocando as primeiras num recipiente grande e as segundas no recipiente de uma batedeira elétrica.
| Triturar a batata-doce cozinhada com o leite até que a mistura fique cremosa.
| Juntar às gemas o mel e a mistura com batata-doce, batendo bem com um garfo. Adicionar a farinha de amêndoa, a canela e o fermento e misturar com uma espátula.
| À parte, bater as claras em castelo. Adicioná-las ao preparado anterior aos poucos e cuidadosamente.
| Colocar a mistura numa forma antiaderente (ou numa normal untada e enfarinhada) pequena e levar ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 25 minutos (podem ir fazendo o teste do palito).

*Podem cozê-la ou cozinhar no microondas, seguindo este procedimento (sem a parte de grelhar).



Temia que este bolo ficasse um pouco estranho devido ao uso de batata-doce, mas ficou excelente. A textura é fofinha e nada seca, e o sabor leve, sem um tom forte de batata doce e ainda assim agradavelmente fiel a esta.
O procedimento é muito simples, como tento que seja regra neste tipo de sobremesas (porque faço várias vezes e não quero perder imenso tempo - ou melhor, porque sou boa pessoa e não quero que vocês percam imenso tempo ;)). Para variar não usei farinha de aveia, o que o torna ainda mais amigável de dietas sem glúten, uma vez que a aveia dele isenta não é tão fácil de encontrar como a amêndoa em pó (que existe em qualquer hipermercado). 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 fatia)
Energia: 158kcal
Proteínas: 5.9g
Hidratos de Carbono: 17.6g 
-       Dos quais açúcares: 9.2g
Lípidos: 8.2g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 1.0g
Fibra:  3.0g
Sódio: 40mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 90g, 1 fatia ou 1/8 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sábado, 17 de setembro de 2016

Passatempo Fruut Surf

Em parceria com a Fruut tenho 3 packs de 3 embalagens de maçã desidratada ondulada para oferecer. Vou sortear um entre os participantes aqui no blog, um entre os participantes no facebook e um entre os participantes no instagram - podem participar em todas as três redes sociais, aumentando as vossas hipóteses de ganhar, desde que cumpram os requisitos de cada uma delas (visitem a publicação no instagram e a publicação no facebook para mais informações).


Para participarem aqui no blog só precisam de:
- Seguir o blog;
- Deixar um comentário (neste post) com o vosso nome de seguidor, caso estejam em anónimo;
ou
- Deixar um comentário a dizer uma coisa aleatória (desde 'estou a participar' a 'dióspiro', sejam originais*) se tiverem o log in feito numa conta que siga o blog (uma vez que isso basta para eu conferir se são seguidores).

Podem participar até ao dia 30 de Setembro às 23h59. O sorteio é válido para Portugal e ilhas.

*A originalidade não conta para nada, o sorteio será feito aleatoriamente... ;)

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Overnight Oats de Limão e Iogurte (Saudável, Vegan, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten/Lactose)


Em minha casa há um hábito profundamente enraizado quanto à localização do café pronto: fica sempre num pote de alumínio cheio de marcas de guerra (trocando por miúdos, deformado de tal forma que a tampa nem encaixa) colocado no forno (quando desligado, claro) em cima de um tabuleiro preto, à beira de um secador de arroz e uma folha de papel de cozinha (mas isso é outra história).
Sempre que alguém quer café dirige-se ao forno e abre impulsivamente a porta deste, sendo que muitas vezes a expectativa de ver o pote de café se vê defraudada - isto porque as pessoas ignoram os óbvios sinais de que o forno está ligado e tem um bolo dentro, mesmo quando toda a cozinha cheira a bolo (irritante, eu sei).
Isto torna-se um problema quando faço bolos delicados. Com os macarons, por exemplo, não há problema porque eu fico a sondar a ponta do forno e a observar os bolinhos o tempo inteiro de qualquer maneira (quem não?), mas com pavlovas a situação agrava-se, uma vez que estas têm de ficar no forno fechado até arrefecerem completamente e nem eu tenho vontade de as vigiar durante 10 horas. E esta é a explicação do porquê de ocasionalmente o meu forno estar vedado com fita adesiva e ainda um papel com a ordem NÃO ABRIR inscrita em letras gordas, porque nada é exagero quando se combate o hábito da localização do café.
Como devem imaginar, constitui para mim um alívio fazer overnight oats: assim como a pavlova, repousam durante toda a noite, mas bem fechadinhos dentro de um tupperware, longe do perigo e sem risco de serem arruinados por casualidades - e ainda garantem um pequeno-almoço delicioso e saudável para a manhã seguinte. Nenhuma pavlova supera isto...




Overnight Oats de Limão e Iogurte (Saudável, Vegan, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten/Lactose)
Adaptado daqui
Para 1 dose

Ingredientes:
[  30g de flocos de aveia (certificada sem glúten para a versão sem glúten)
[  100ml de leite (pode ser vegetal, para a versão vegan, ou sem lactose, para a versão sem lactose)
[  2 colheres de sopa bem cheias de iogurte (grego fica especialmente bem, mas podem usar vegetal, para a versão vegan ou sem lactose, para a versão sem lactose)
[  1 colher de sopa de sumo de limão
[  Raspa de meio limão pequeno
[  1 colher de café mal cheia de extrato de baunilha 
[  Mel ou adoçante (opcional; não costumo usar, mas se não forem fãs do sabor não adoçado podem adicionar. Como é óbvio, o mel não serve para a versão vegan)

Preparação:
| Num recipiente hermético, misturar todos os ingredientes (flocos de aveia, leite, iogurte, sumo e raspa de limão, extrato de baunilha e, caso pretendam usar, mel ou adoçante).
| Fechar bem o recipiente e levá-lo ao frigorífico durante por volta de 8 horas (é costume deixá-lo no frigorífico durante a noite, daí o nome). 



Esta foi a primeira receita de overnight oats que me convenceu. Segunda, se tivermos em conta os maravilhosos overnight oats de cacau com gelado de banana, mas acho que a adição de gelado de banana os desqualifica como verdadeiros overnight oats, vejo-os mais como um parfait gelado (e delicioso). Ficam muito cremosos e consistentes, em parte devido ao iogurte, e o sabor a limão complementa a textura na perfeição. Pensei que este fosse resultar num travo azedo, uma vez que não usei nenhum adoçante, mas não, ficou só muito agradável e fresco! De notar que o aroma também era fantástico, melhor do que o de qualquer vela que já cheirei ;)
É uma experiência a repetir - se, como eu, ainda não atinaram com os famosos overnight oats, dêem uma oportunidade a esta receita. Pode ser que vos convença como me convenceu a mim!
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 182kcal
Proteínas: 12.4g
Hidratos de Carbono: 22.8g 
-       Dos quais açúcares: 2.8g
Lípidos: 3.9g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.8g
Fibra:  3.7g
Sódio: 34mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 200g, 1 dose ou a totalidade da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
_______________________________________________________________________

domingo, 11 de setembro de 2016

Bolo de Iogurte (Saudável, Sem Gordura/Açúcar Adicionados, Sem Glúten/Lactose, Integral)


Geralmente, noto uma preferência do 'público' por receitas saudáveis de sobremesas. São o tipo de post com mais visualizações por aqui, sendo que os de produtosos 'relatos' ou as receitas menos saudáveis (#litotealert) não costumam receber tanta atenção.
Uma notável exceção a esta regra é o post sobre iogurtes. Quando o publiquei estava ocupada com outros assuntos, e quando fui dar uma vista de olhos ao blogger deparei-me com um surpreendente pico no gráfico de visualizações de página. Deitei-me tarde e antes de ir dormir não pude deixar de reparar que tinha batido o recorde de visualizações diárias, só para no dia seguinte acordar e ver o número 5 000 logo às 9 da manhã, tendo aumentando ao longo do dia para fechar novamente com um recorde - mais de 10 000 visualizações de página no total, um número mais alto do que o usual para o meu modesto blog. Ainda hoje o post permanece em sexto lugar nos mais vistos, sendo batido apenas por receitas que faço imensas vezes e publico no facebook, o que lhes rende algum tráfego.
O particular 'sucesso' (sem aspas é para os blogs crescidos) deste post não me parece aleatório - há uma certa divinização do iogurte e do quark pela população saudável. Quem nunca ouviu dizer que o iogurte era uma forma saudável de substituir a manteiga nos bolos, ou que com iogurte se faziam molhos com menos gordura? Eu já - e foi por isso que uma vez tentei fazer bacalhau com natas substituindo estas por iogurte.  
Na verdade nunca tinha tido grande sucesso em experiências do género; tinha já feito várias vezes molho de iogurte caseiro e saudável não muito bom, assim como outros pratos não dignos de serem mencionados. Mas via tanta gente a fazer versões saudáveis de bacalhau com natas desta forma que o erro só podia ser meu... Ou não. 
Não havia muito mais a correr mal: o iogurte coalhou, a mistura não ficou nada cremosa e o sabor era praticamente repulsivo. Nesse dia estive prestes a declarar guerra ao iogurte, mas ainda bem que não o fiz: pode não ser o meu melhor aliado nas receitas salgadas, mas nunca me desiludiu nas doces.
Assim chego à minha conclusão (pelo menos até futura mudança de paradigma): o iogurte não serve para fazer molhos mais saudáveis, mas redime-se por ser sem dúvida ótimo para fazer bolos fofos sem gordura. E a redenção não podia ser mais deliciosa... ;)







Bolo de Iogurte (Saudável, Sem Gordura/Açúcar Adicionados, Sem Glúten/Lactose, Integral)

Ingredientes:
[  6 ovos
[  80g de mel (se gostarem de bolos bem doces podem aumentar a quantidade, embora esta seja suficiente para um bolo agradável e toda a gente que provou tenha ficado fã)
[  1 iogurte (usei um de 125g; podem usar natural ou de sabores, sem lactose para a versão sem lactose)
[  70g de polvilho doce
[  140g de farinha de aveia (certificada sem glúten para a versão sem glúten)
[  2 colheres de chá mal cheias de fermento

Preparação:
| Separar as gemas das claras e colocar ambas em recipientes grandes.
| Adicionar o mel às gemas e bater a mistura com uma batedeira elétrica. Adicionar o iogurte e assim que este esteja incorporado o polvilho doce, a aveia e o fermento, sem parar de bater até que o preparado esteja homogéneo.
| À parte, bater as claras em castelo. 
| Incorporar, suavemente e pouco a pouco, as claras no preparado. Colocar este numa forma anti-aderente (ou untada e enfarinhada) e levá-lo ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 25 minutos (ou até que o bolo esteja cozido; podem fazer o teste do palito).



Apesar de ser um dos bolos favoritos da maior parte das pessoas, o bolo de iogurte nunca foi um bolo que me chamasse particularmente a atenção. No entanto, depois de fazer tantas vezes o maravilhoso bolo de coco saudável (que tem imenso iogurte), comecei a repensar esta minha indiferença e decidi que tinha de dar uma oportunidade ao famoso bolo de iogurte. Resultou bem melhor do que eu estava à espera: a textura ficou muito fresca e fofinha, com um sabor leve nada enjoativo! Preferi mil vezes este a qualquer outro que tinha provado. Vou repetir de certeza :)
______________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 fatia)
Energia: 149kcal
Proteínas: 6.5g
Hidratos de Carbono: 23.5g 
-       Dos quais açúcares: 7.7g
Lípidos: 3.5g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 1.0g
Fibra:  1.5g
Sódio: 44mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 70g, 1 fatia ou 1/10 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

domingo, 4 de setembro de 2016

Resumo dos Tempos de Ausência #2 - Parte 3

Aproveitem-no bem, pois este é o último dos três fantásticos e cativantes posts sobre as minhas férias a que têm direito este ano. Não se esqueçam de ler a primeira e segunda partes, isto se forem uns leitores degenerados que, quiçá por estarem feitos bacalhaus ao sol na altura, não os leram logo quando foram publicados (shame).

Tenho noção de que a parada está alta para a primeira foto, visto que os posts de férias anteriores começaram com iogurte gelado e um salteado de vegetais delicioso (eu, a fazer-me de pessoa saudável e a fingir que o salteado de vegetais pode sequer competir com iogurte gelado). Decidi então,  para fazer face à feroz concorrência, munir-me de um conjunto três coisas a que ninguém resiste: bagels, manteiga de amendoim com doce (é uma combinação tão boa que conta como uma só coisa :P) e uma toalha alegre. O resultado, modéstia à parte, está capaz de conquistar qualquer um: 



Uma (adorável) garrafa de coca-cola alusiva ao Europeu 2004, para relembrar os tempos menos felizes e manter a modéstia :P
Os chocolates-irmãos do de brownie de caramelo que mostrei no primeiro post de férias
Nunca tinha provado nenhum destes sabores (nem o do outro post) que, juntamente com o de cheesecake de morango, constituem a gama 'Hello' da Lindt. Já tinha comprado no E. Leclerc uma versão mais pequena do de cheesecake de morango, que me chamou a atenção num daqueles expositores da decadência com chocolates que sobram das épocas festivas e por isso estão em promoção. Sinceramente não fiquei grande fã, já o meu irmão adorou aquilo - mas de qualquer modo ele é parcial, adora qualquer coisa com sabor a cheesecake de morango, especialmente cheesecake de morango. :P
Destes três ainda só provei o de pipoca, que é o mais 'diferente' deles todos, e o que posso dizer é que sabe mesmo a pipoca. Nunca pensei que pudesse dizer isto de um chocolate e simultaneamente achá-lo agradável, mas a Lindt é assim, sempre a pôr uma pessoa em situações impensáveis. No início parece um chocolate normal, mas depois nota-se logo um sabor a pipocas torradas que encaixa muito bem no resto. Surpreendeu-me pela positiva!

Ovos cozidos, que, sendo a coisa mais prática de sempre, são uma escolha perfeita para uma refeição de férias
A bola de berlim espanhola
Costumo comprar estas hóstias, ou 'barquillos', à unidade em praias na zona da Galiza e são mesmo boas! Crocantes e com uma maravilhosa parte lateral, senão vejam:

A perfeição materializada num canto de hóstia... ;)
Frozen Yogurt. Outra vez.
Desta vez, o Frozen Yogurt é de bolacha (gostei bastante deste sabor) e os toppings são doce de leite e amendoins. É uma combinação mesmo agradável. :)

Uns bolinhos (que nada têm de saudáveis, fica o aviso) de chocolate
Apesar de não consumir este tipo de produtos com regularidade, já provei/vi algumas vezes os sabores disponíveis por cá, que não incluem chocolate, penso eu. Como gosto de experimentar tudo o que é novidade (caio tão facilmente nas 'edições limitadas' de alguns produtos) comprei uma embalagem deste sabor. Achei muito bom! :)

Arroz de feijão com repolho
 Quem mais acha que o repolho é a melhor parte deste tipo de pratos? :D

O arsenal de protetores solares/cremes, porque a proteção da pele é uma coisa séria ;)
Uma barrinha que comprei no Celeiro
Fiquei fã desta barrinha, tem uma textura muito suave, quase fofa, que a faz parecer quase um brownie! Há outros dois sabores, bolacha e nata e coco, mas não provei nenhum deles (embora tenha comprado o primeiro e me tenham informado no facebook e no instagram do blog que a de coco, a única que não comprei, é particularmente boa. Obrigada, pessoal :P)

Melões e melancias - carradas deles, para ser exata
Não sei qual é a ligação existente entre mim e as frutas de verão, mas é qualquer coisa de muito forte. Quiçá levada pela insistência da minha vozinha interior ('tens de aproveitar esta frutinha deliciosa e sumarenta, daqui a um mês acaba-se o bem bom!'), acho que desenvolvi um vício qualquer por melões e melancias. Agora estou controlada, frequento um grupo de apoio que me ajudou bastaante no processo de desintoxicação, mas tenho de admitir que no auge deste vício cheguei a ter 11 melões em casa - e não tenho orgulho nisso... :P 

Para citar o meu 'eu' do ano passado: Água HORRÍVEL
Pois é, aqui esta pessoa inteligente esqueceu-se de um ano para o outro que era preciso ter cuidado com os espanhóis e a sua preferência por água insossa e voltou a comprar 10 exemplares destes belos especímenes de 5 litros. Quase perdi o meu amor à vida, mas consegui acabá-los.

A materialização do mal
Quark com nozes, mirtilos e gressinos integrais 
Tanto as nozes como os mirtilos são bem mais baratos por lá, pelo que tive de aproveitar... ;) Os gressinos são uns da Bimbo com uma lista de ingredientes muito aceitável que comprei no Froiz. Eram tão viciantes!

Umas tostinhas que encontrei no Supercor
A lista de ingredientes, que é ótima!
E a informação nutricional :)
É raro encontrar umas tostas tão nutricionalmente limpas (embora haja um considerável leque de boas opções, como as famosas 'tortitas' de arroz ou de milho e as tostas de centeio do Lidl), pelo que acho que foi uma boa descoberta. O sabor e textura eram muito agradáveis também!


Aquilo que parece uma mousse deliciosa na fotografia (note-se a imparcialidade) não é mais do que aveia com sabor de Nutella misturada com iogurte. Depois de servir impecavelmente valores mais altos, o pacote deste sabor viu o seu fim nestas férias (mas já arranjei substituto à altura, não se preocupem ;)).

Um pão de cereais comprado, como as tostas acima, no Supercor
Achei piada a este pão, que vinha numa embalagem muito gira de madeira e tinha uma lista de ingredientes aceitável (sendo o único senão ter farinha de trigo refinada), como podem ver:

Lista de ingredientes aceitável e um totó à moda da Pipi das Meias Altas
Como sugeria a embalagem, levei o pão ao forno durante uns minutos antes de experimentar. Aqui está ele, depois de ir ao forno e antes de ser chacinado por gente insensível com fome:

Numa fotografia altamente imprescindível, porque o seu aspeto ficou visivelmente diferente quando aquecido ;)
A textura deste pão era das melhores que já vi, entre o fofo e o húmido/elástico (numa maneira boa, se conseguirem tal imaginar). Fez-me até lembrar o famoso pão shape, na versão em bola que cheguei a comprar no E. Leclerc (a versão em formato de pão de forma do Pingo Doce pareceu-me mais seca, quando a provei).

Kiwi Gold
Não sei se estão a reparar no padrão, mas depois do chocolate gold que mostrei no outro post deixo aqui os kiwis gold que comprei várias vezes por lá, onde são bastante comuns. São bastante diferentes dos verdes, com um sabor menos ácido e mais doce e uma textura menos fibrosa. A diferença de preço deste para o normal é considerável, mas este justifica o preço por ser mesmo muito bom! :)


Mais uma barrinha na saga da redenção das barrinhas da Atkins. Este sabor é delicioso, com o toque da laranja a complementar o sabor forte a chocolate na perfeição!

Um parque natural, e à beira do banco um bebedouro onde matava saudades de água decente enquanto os garrafões de água horrível não acabavam
A sopa de quem se esqueceu de pôr a varinha mágica na mala :P

Umas hóstias em forma de nota
Adoráveis, eu sei ;)
Já comprava estas notas numa loja de gomas no ano passado e neste o interesse não desvaneceu. Não têm glúten nem açúcar, pelo que dentro da gomas não são do pior que há, e são muito viciantes. :) Por cá nunca vi, mas se alguém conhecer uma loja que as venda e quiser dar a dica agradeço! ;)

Porque eu sei que vão ter saudades de ver produtos da secção de pastelaria/padaria do Froiz
Estes pãezinhos são de passas e nozes e, embora tenham a aparência clássica de um pão oco e duro, eram muito fofos e saborosos! Ajudaram a comprovar a máxima 'todo o pão do Froiz é perfeito' (se bem que podiam aprender um bocadinho com os portugueses no que toca a broas, a deles é horrível). 



Encontrei estas latas de peito de frango no Carrefour e, claro, comprei uma embalagem para experimentar. Ainda não provei, mas parece-me um produto bom e muito prático! Tenho a ideia de que o Jumbo vende algo semelhante (isto porque já ouvi falar - se tiver à espera que os senhores do Jumbo abram um na minha cidade para saber destas coisas bem que o posso fazer sentada :P), mas entretanto reparei que havia também peito de frango enlatado na Prozis (para o qual remete a imagem acima) que é muito parecido. Assim todos podem comprá-lo e não há favorecimento dos previlegiados que têm hipermercados Jumbo por perto... :P

Os livros das férias, ou 'quando me candidatar à presidência não digam que não viram os sinais'
Em férias tenho alguma tendência a ler tudo o que me aparece à frente (acalma os cavalinhos, Pedro Chagas Freitas, que a minha boa vontade não chega para tanto), até porque não tenho acesso à Internet (esse buraco negro sugador de tempos livres).

Acima está a lista dos livros que li que remete para a Fnac, caso queiram ver os detalhes (a lista está um pouco diferente porque não encontrei alguns livros nem as versões que li de outros). Embora não os tenha considerado assoberbantes, gostei do Amsterdam, assim como do O Crime de Lord Arthur de SavileA Herança de Eszter e do de Florbela Espanca. Já o Portrait of the Artist as a Young Man achei fantástico; admito que o li um pouco em preparação para o Ulisses, já que estou a sentir-me com coragem para me aventurar nele qualquer dia. Adorei também O Som e a Fúria (a proveniência do título é hilariante), bem como a peça Fim de Partida. Nunca tinha tido contacto com o trabalho de Beckett e surpreendeu-me pela positiva. Coloquei na lista da Fnac uma diferente peça do mesmo autor, Waiting for Godot, possivelmente o título mais famoso deste e que planeio ler em breve.
Também não tinha lido nenhum livro de Maximo Gorki, mas este não me convenceu tão completamente. Fiquei com alguns mixed feelings em relação a ele - apesar de gostar do enredo, vi algumas particularidades (na minha opinião) negativas no estilo de escrita. 
Quanto ao de Saramago, talvez por ser um dos seus livros mais renomados, estava à espera de mais. Pareceram-me muitas páginas para poucas ideias. Claro, ser sobre o pior heterónimo todos não ajudou... #imparcialidade
O de Hemingway é essencialmente narrativo, com a escrita cativante caraterística do autor. No entanto, é uma edição post mortem com cortes e seleções feitos pelo filho do autor, o que perturba de algum modo a sua essência (mesmo que o seleccionador compartilhe alguns genes Nobel). No site da Fnac deparei-me com o no mínimo contrastante Morte ao Entardecer, ou Death in the Afternoon. Admito que fiquei curiosa... :P

E, como não podia deixar de ser, algo para balancear a atividade mentalmente exigente que é a leitura
Algumas pessoas compram livros de colorir estupidamente caros, eu jogo joguinhos para crianças no tablet. Cada um com a sua terapia.
Pipas caramelizadas :D
 Estas pipas vieram do mesmo sítio que as macadâmias caramelizadas que mostrei no primeiro post, sendo as pipas o produto-destaque da 'loja' (a palavra está entre aspas porque aquilo é mais uma barraca de feira do que uma loja :P). Percebe-se o porquê - são incrivelmente viciantes! 

Pão quadrado da Oroweat com vegetais salteados
Desta vez os filmes perderam para os animes em atenção (e sim, eu dou-me ao trabalho de personalizar todos os ícones)
Este ano só vi um filme não-deste-género, o Dark Side of the Rainbow. Para quem não conhece, é o Feiticeiro de Oz sincronizado com o álbum The Dark Side of the Moon, dos Pink Floyd; supostamente, o álbum encaixa em vários momentos no filme. Realmente parece-me que há muitas coincidências, seja com a letra ou a música, mas não sei se será confirmation bias... :P
Já tinha visto o Death Note e o Fullmetal Alchemist, pelo que o que vi nas férias foram apenas alguns filmes de ambos (não live actions, porque são live actions). Vi os rewrites do Death Note, se 'ver' for o termo certo para 'ficar a olhar para o ecrã o tempo necessário para perceber que aquilo é horrível'. São basicamente uma versão pior e incompleta (cortar a cena do telefone é uma atrocidade!) do anime com cenas extras que já toda a gente viu no youtube. Já o filme que vi do Fullmetal Alchemist, The Sacred Star of Millos, não desiludiu, bem como nenhum dos outros animes que comecei a ver (não são todos os que estão na pasta da fotografia, sobreestimei a quantidade de que precisava para as férias). Entretanto já começo a desenvolver um pequeno vício pelo merchandise disponível:

Adorável, confessem ;)
E pronto, é isto. Não se preocupem, para o ano há mais. ;) Deixo, novamente, uma lista dos produtos da Prozis que compõe as fotografias deste post (o peito de frango na versão 'alternativa').


Nota: Links afiliados.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...