terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Bolo de Coco e Tangerina (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Açúcar Adicionado)


Nunca fui a mais ativa participante em desafios aqui no blog. Vejo muita gente a participar em desafios periódicos como o 'Dia um... Na cozinha!' ou o 'Um mês com...', e apesar de gostar achar as rubricas e as participações interessantes nunca me decidi a fazer parte delas. 
No entanto, o caso muda de figura quando os desafios são lançados por bloggers que conheço e sigo, que costumo achar (por razões óbvias) mais envolventes. É o caso do Sweet World, promovido pela Susana e pela Lia, o recente Bake Off da padaria da Ana e o Ingrediente do Mês da Marta (não esquecendo ainda o desafio de Natal da Casinha das Bolachas, no qual gostei muito de participar).
Estes desafios são todos sensivelmente mensais, e sempre que um novo tema é lançado tenho o mesmo pensamento: este mês vou mesmo participar. E, acreditem, as minhas intenções são geralmente as melhores, mas na maior parte das vezes por não concretizá-las, chegando em vez disso a uma conclusão (a mesma da vez anterior): um mês passa muito depressa.
Estou, no entanto, a esforçar-me para mudar isto - tanto que este bolinho está aqui, feito a pensar nas tangerinas que a Marta nomeou ingrediente do mês (confesso que seria uma vergonha não participar, uma vez que tenho toneladas delas) e inspirado numa outra participação (do blog Basta Cheio).
Agora é ver se ganho coragem para São Marcos e bolos espelho ;)







Bolo de Coco e Tangerina (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Açúcar Adicionado)
Adaptado daqui

Ingredientes:
[  4 ovos
[  Sumo de 3 tangerinas (cerca de 100ml. A raspa será também utilizada)
[ 40ml de óleo de coco (usei da EU Nutrition - podem até amanhã comprá-lo com o dobro do desconto do costume usando o código euavela10)
[  60g de mel
[  100g de farinha de aveia (flocos de aveia triturados; sem glúten para a versão sem glúten)
[  50g de coco ralado
[  Raspa de 3 tangerinas
[  1 colher de café de fermento

Preparação:
| Num recipiente grande, colocar os ingredientes líquidos (ovos, sumo de tangerina, óleo de coco e mel) e bater até obter uma mistura homogénea (podem bater à mão ou com uma batedeira elétrica ou usar um processador/liquidificadora).
| Num recipiente à parte, misturar os ingredientes secos (farinha de aveia, coco ralado, raspa de tangerina e fermento).
| Adicionar os ingredientes secos aos líquidos e envolver. Transferir o preparado para uma forma pequena (usei uma de bolo inglês, mas podem usar outra se preferirem) forrada com papel vegetal e levar ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 20 minutos (ou até estar cozido - podem fazer o teste do palito).



Este bolo surpreendeu-me - nunca tinha feito nenhum com tangerina e achei que o sabor ficou ótimo! Intenso e agradável, doce na medida certa e a combinar mesmo bem com o coco. A textura também ficou perfeita, fofa e molhadinha como se quer em bolos assim... Será para repetir de certeza - citrinos e coco em bolos fofinhos = amor na certa ;)
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma fatia)
Energia: 150kcal
Proteínas: 4.0g
Hidratos de Carbono: 14.2g 
-       Dos quais açúcares: 6.4g
Lípidos: 9.4g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 6.8g
Fibra:  1.8g
Sódio: 28mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose, 1 fatia ou 1/10 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

20% de Desconto em Todo o Site da EU Nutrition


Era só para avisar que, à semelhança do que aconteceu em Dezembro, podem durante um período de tempo limitado obter 20% de desconto em encomendas no site da EU Nutrition usando o meu código, EUAVELA10. Eu estou viciada em vários produtos da marca e sugiro que aproveitem esta oportunidade para experimentá-los, porque não se vão arrepender :)

Aproveito para vos mostrar alguns dos que tenho usado, as minhas últimas encomendas e as duas novidades da marca, para que possam inspirar-se para as vossas compras. ;)

Encomenda número 1 da semana

Encomenda número 2 da semana - eu disse que estava viciada. :P
É nesta última encomenda que estão as novidades - aveia com sabor a coco e aveia com sabor a banana. Chegaram ambas hoje, por isso ainda só tive a oportunidade de experimentar a de coco, a que mais me chamou:

Não me digam que não vos chama também ;)
Achei-a muito boa. Não tem um sabor forte a coco (pelo contrário, o sabor é bastante leve), mas é uma aveia agradável para fazer umas papas suaves e cremosas (fiquei com a ideia de que a textura estava especialmente boa, não sei se foi impressão minha). Se gostarem de um sabor mais forte podem sempre juntar coco ralado, até porque tenho a certeza de que a textura ficará ainda mais maravilhosa :) 

Quando a tiver utilizado em mais coisas e experimentado a de banana também faço uma publicação sobre as duas. Entretanto se experimentarem digam-me o que acharam!

As papas de aveia de bolacha maria ficaram invejosas e também quiseram aparecer. Papas, certo? 
Já sabem que tenho utilizado esta receita para as fazer.

Não sei se repararam, mas há dois elementos comuns nas encomendas que mostrei, só para verem o quão apaixonada por eles estou. O primeiro é, claro...

Oreos proteicas
Não sei se esperavam a aveia de bolacha maria e ficaram tristes por ela, mas não se preocupem - só não aparece nas encomendas porque já tenho um stock de duas embalagens :P 

Estas bolachas é que estavam a desaparecer rapidamente do meu armário, por isso decidi precaver-me e encomendar uma caixa de 12 (até porque adoro caixas de barras/bolachas, são sempre adoráveis).

Explosão de minhas coisas preferidas: oreos proteicas e marinheiras integrais com banana e manteiga de amendoim
A manteiga de amendoim no prato também é da marca. Ainda só experimentei a cremosa (por acaso tenho a crocante por abrir, vou ver se experimento em breve), mas ando fã! Como já disse, é mais espessa e moldável do que a da Prozis, por exemplo (dá para ver na foto), por isso ando tentada a fazer algumas receitas básicas com ela, tipo peanut butter cups saudáveis. Se correr bem partilho a sugestão por aqui ;)

Por falar em sugestões futuramente partilhadas por aqui - acho que ainda não vos tinha mostrado o cheesecake de oreo saudável que fiz com estas bolachinhas-maravilha! 

Ficou PERFEITO!  
Para compensar a falha de ainda não ter mencionado esta maravilha por aqui ;)
Já sabem que assim que puder partilho a receita (não me passaria pela cabeça não partilhar uma coisa tão boa com a humanidade :P).

O outro elemento comum:

Barra proteica de chocolate 
Admito sem vergonha que tenho neste momento 2 caixas destas barras inteiras e ainda uma que está a acabar. Talvez se as barras de amendoim não estivessem esgotadas eu dividisse mais a minha atenção, mas de qualquer maneira este é o meu sabor preferido. Não querendo insistir demais, experimentem aquecê-las no microondas e depois digam-me se não parece que estão a comer um brownie. ;)

Há uns tempos encomendei também farinha de trigo sarraceno. Admito que só fiz até agora uma receita com eles, mas para compensar era ótima! 

Crepes vegan com chocolate negro :)
Adorei tanto as crepiocas que não fazia uma receita de crepes nova há séculos, mas ainda bem que experimentei esta. É bastante diferente, até porque não tem ovos, mas tem na mesma aquela textura de crepe que conquista logo uma pessoa :)

Relativamente aos sabores de whey da marca - encomendei até agora duas embalagens de 1kg de whey premium, uma de chocolate e avelã e outra de baunilha e canela, uma embalagem de 1kg de proteína vegetal de chocolate e ainda experimentei amostras de whey de bolacha maria e iogurte de limão.

Gostei de todas - a mais enjoativa é talvez a de iogurte de limão, porque tem um sabor bastante intenso. A de chocolate e avelãs é ótima, fica perfeita em receitas (fiz com ela um fluff de café e chocolate maravilhoso!) e tem um sabor intenso na medida certa. A vegetal também me surpreendeu positivamente - nunca tinha experimentado nenhuma proteína em pó que não fosse whey e estava com algum receio, mas afinal era infundado. O sabor é um pouco diferente, mas não tem aquele aftertaste caraterístico da proteína do soro do leite (se já provaram barrinhas da herbalife sabem do que falo!) que pode tornar-se desagradável, o que é um ponto positivo. Chocolate simples no geral não é a minha primeira escolha, mas é menos enjoativo do que esperava, embora estranhe um pouco por estar habituada à whey!

A última a ser testada - baunilha e canela
Este sabor chamou-me logo a atenção, porque consigo ver o sabor com designações sensacionalistas que se costumam usar neste tipo de produtos. Praticamente consigo ler leite creme, pastel de nata ou creme de pasteleiro no rótulo - baunilha e canela é o nome mais básico que lhe podiam ter dado, mas ganha pontos pela modéstia :P

O meu olho para sabores parece ser bom, porque este realmente é maravilhoso. Baunilha é definitivamente o sabor predominante, com um toque muito leve de canela que resulta muito bem. Tem um cheirinho fantástico! Ainda só a utilizei em iogurte, mas tenho de ver se desenvolvo mais receitas. 

Depois falo-vos nestes chips!
Por último, deixo-vos o preparado para pizza margarita, que ainda não tinha experimentado quando fiz o post sobre a versão proteica.


Ainda só o experimentei do modo tradicional, numa pizza, mas bastou para ficar fã. A textura é semelhante à do outro, a massa fica muito crocante e saborosa! Aliás, este até tem mais sabor, porque ao contrário do outro tem cebola, tomate e orégãos (basic pizza material). Notei logo a diferença no cheiro assim que abri o pacote!


Os ingredientes são semelhantes ao do outro preparado, biológicos e vegan, com a vantagem de não incluirem glúten (apesar de poder ter vestígios). É um bom partido - de tal forma que a embalagem que vêm na segunda foto deste post já é outra, que encomendei para reserva :P

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Papas de Aveia com Claras no Microondas (com aveia de sabor) (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Lactose*)


Sempre tive algumas reservas em relação ao microondas. Não porque ache que faz mal à saúde, mas sim porque a maneira como cozinha as coisas as deixa muito diferentes (geralmente piores) das versões no forno ou no fogão.
Em especial, preferi durante muito tempo fazer papas de aveia no fogão, mesmo sendo um processo mais demorado (e tendo eu de lavar o tacho no fim). Depois experimentei as cada vez mais populares papas no microondas com sucesso, e mesmo as várias vezes em que injuriei o eletrodoméstico por ser tão implacável que eu não me podia distrair com as papas lá dentro sem ter no minuto seguinte um vulcão de papas de aveia no microondas (quem nunca) não fizeram com que este deixasse de subir na minha consideração. Desde então já fiz receitas no microondas que adorei, como as papas de aveia com banana e chocolate, as papas de aveia de coco e as papas de aveia (só).
Mas houve uma coisa que eu nunca consegui fazer decentemente no microondas: papas de aveia com claras.
Depois de me viciar na versão de fogão destas papas maravilhosas com claras em castelo, pensei que não poderia ser assim tão difícil, como não foi no caso das papas simples, adaptá-las ao microondas. Mas estava enganada - seguiram-se malgas e malgas de papas de aveia falhadas, com pedaços de claras cozidas e nem vista da textura cremosa que caraterizava as papas com claras no fogão. 
A certa altura deixei de tentar e fiquei-me pelas duas opções que já tinha - fazer papas normais no microondas ou com claras no fogão. Depois chegou à minha vida a aveia com sabor, e fiz mais vezes do que aquelas que consigo contar a minha receita preferida de papas de aveia de sabor com claras. Então voltei a pensar numa versão de microondas - ao longo dos anos quanto tempo de vida não podia poupar com isto? -, e depois de ver a Carla da página Saudável como um Pêro a fazer imensas vezes papas de aveia deste género no microondas com ótimos resultados decidi experimentar. 
As papas não podiam ter ficado melhores. Não se nota que não sejam feitas no fogão, já que a textura é igualmente cremosa e o sabor idêntico, por isso a partir daí nunca fiz a versão antiga.
Talvez o microondas não seja assim tão mau afinal de contas...






Papas de Aveia com Claras no Microondas (com aveia de sabor) (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Lactose*)

Ingredientes:
[  20g de aveia com sabor (recomendo especialmente a aveia com sabor a bolacha maria)
[  200ml de água (podem usar metade água metade leite ou 200ml de leite, se preferirem)
[  100ml de claras pasteurizadas

Preparação:
| Num recipiente que possa ir ao microondas, colocar a aveia e ir acrescentando a água aos poucos, mexendo para que a mistura fique homogénea. Por fim, incorporar as claras.
| Levar o preparado ao microondas em potência máxima durante uns minutos, retirando para mexer de vez em quando, até que as papas atinjam a textura pretendida. Inicialmente o microondas só vai aquecer a mistura, mas após algum tempo irão ver que esta começa a engrossar. Aí é importante retirar o recipiente do microondas com ainda mais frequência, para mexer bem e impedir que se formem grumos.



Acho que disse tudo no início: para além de toda a economia de tempo e loiça, estas papas são fenomenais. Ficam completamente diferentes de quaisquer papas que tenha feito no microondas: mais cremosas e com aquela consistência reconfortante de papa de bebé! Para além disso, têm uns macros bem bonitinhos, com  quase só HC da aveia e proteína 'limpa' das claras. Se quiserem completar o trio, garanto que não custa nada juntar manteiga de amendoim ou chocolate como topping... ;)

*Apesar de não haver nada com lactose no ingredientes, a aveia pode conter vestígios.
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma dose)
Energia: 120kcal
Proteínas: 13.6g
Hidratos de Carbono: 10.6g 
-       Dos quais açúcares: 1.0g
Lípidos: 1.8g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.3g
Fibra:  1.7g
Sódio: 143mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose, 1 malga ou a totalidade da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sábado, 21 de janeiro de 2017

Produtos #24 - Preparado para Pizza Proteica (Biológico e Vegan)

Hoje venho dar-vos a conhecer mais um produto da EU Nutrition (post sobre a marca e o site aqui) com que ando entusiasmada: o preparado para pizza proteica.


Este preparado está disponível há pouco tempo e faz parte da gama biológica da marca. Um pote de meio quilo como o da imagem custa 9,99€; embora o preço possa parecer um pouco elevado, um pacote dá para cinco pizzas e os ingredientes são de qualidade (biológicos e livres de organismos geneticamente modificados). Podem ainda usar o meu código, euavela10, ao adquiri-lo, reduzindo este valor em 10% - penso que o montante final acaba por não ser exagerado tendo em conta tudo o que mencionei.


Como podem ver, a lista de ingredientes é muito curtinha e health-friendly. As farinhas em maior quantidade são de espelta e de aveia, sendo que eu pessoalmente considero ambas uma ótima opção. O teor em proteína vem de farinha de soja (também torço um bocado o nariz ao ler soja, mas esta pelo menos é bio e sem GMOs) e glúten de trigo. Talvez não sejam as fontes de proteína mais populares, mas servem um dos objetivos do produto - não incluir ingredientes de origem animal. De resto os ingredientes são perfeitos (até fiquei surpreendida quando li a lista, confesso que não estava à espera de ver um preparado para pizza tão clean - até pensei que por isso o resultado não fosse ser muito agradável, mas estava enganada. Continuem a ler se querem a versão longa).


A informação nutricional é mais ou menos o que seria de esperar; não muita gordura, bastantes hidratos (mas pouco açúcar) e fibra e uma quantidade relativamente elevada de proteína (tendo em consideração o perfil de uma pizza normal, que é basicamente só hidratos e gordura :P).

Como eu sou uma pessoa muito original, este foi o primeiro uso que dei ao preparado:

Imagino que estejam pasmados de surpresa...
Como as farinhas que o preparado tem são todas integrais, pensei que talvez a massa fosse ficar um pouco pesada e ter um sabor mais forte do que o costume, mas isso não aconteceu! Ficou fina e estaladiça (eu gosto de massas assim, mas se preferirem massas altas podem fazer uma pizza mais pequena) e com um sabor normal (isto pode não parecer um grande elogio, mas o normal-pizza é geralmente ótimo!).

Tenham em atenção que a pizza não é muito grande. Dá para duas pessoas com algum acompanhamento ou uma pessoa mais esfomeada, mas podem sempre fazer uma maior usando o dobro da massa!


Usei apenas molho de tomate, queijo ralado e orégãos, os ingredientes imprescindíveis para que uma pizza saiba a pizza :P

O procedimento é muito simples: achei que iria exigir horas, mas o tempo total de preparação, com tempo para a massa levedar incluído, ronda os 20 minutos. Apenas é preciso colocar 100g (que correspondem a dois scoops dos que vêm com o produto) de preparado numa tigela, abrir um 'buraco' no meio e adicionar 70ml de água a ferver. Depois mistura-se com as mãos e faz-se uma bola que se deixa a levedar durante 15 minutos (coberta). Passado esse tempo amassa-se a mistura durante 5 minutos e está pronta, é só dar-lhe a forma pretendida e levar ao forno pré-aquecido a 180 graus por volta de meia hora! Se tiverem um rolo de cozinha é mais fácil estender a massa, mas eu não tenho nenhum e consigo moldá-lo muito bem na mesma (pelo menos tão bem quanto o formato tosco da pizza revela) :)

Claro que depois de ver o potencial desta espécie de substituto massa folhada saudável não me fiquei pelas pizzas - na verdade desde que fiz a que vos mostro nunca fiz mais nenhuma e o pacote está quase a acabar (ainda bem que tenho outro de reserva). E isto não se deve a não ter gostado da pizza, mas sim a ser um pecado não explorar o mundo de opções que uma massa tão versátil nos oferece ;)

E não é tão bom explorar obrigatoriamente mundos de opções com calzones saudáveis?
Embora nunca tenha comido um calzone (à parte deste), pareceu-me uma escolha óbvia. O que mais se podia seguir à pizza que não uma pizza dobrada, certo? Ainda por cima tinha queijo ralado da experiência anterior para gastar, pelo que foi uma escolha conveniente.

Calzone de cogumelos e queijo
Arrisco-me a dizer que ainda ficou melhor do que a pizza - com a massa crocante e fofa ao mesmo tempo e o queijo derretido por cima dos cogumelos roçava a perfeição. Ainda por cima foi muito fácil de fazer - apenas salteei cogumelos em azeite e alho, coloquei por cima de massa depois de preparada como descrevi anteriormente, cobri com queijo e fechei. Não é de todo difícil de fechar e não abriu (admito que receava que abrisse, mas a massa é bastante obediente :P), pelo que ficou muito giro!

Depois de duas experiências fantásticas não podia ficar por aqui - seguiram-se...

Empadinhas de vitela
Para mim esta foi mais uma estreia. Fiz as empadinhas com carne de vitela picada, que salteei em azeite, alho e cebola depois de cozinhar numa frigideira antiaderente (como não gosto nada do cheiro da carne a cozinhar prefiro fazer à parte e depois escorrer bem, mas podem colocá-la crua diretamente no refogado, claro). Depois foi só rechear a massa, que já esperava (novamente já pronta) em formas de queques, e colocar tampinhas (também de massa)! No forno demoraram um pouco menos tempo, por volta de 20 minutos, por serem individuais. Rendeu 6.

Que rapidamente desapareceram, diga-se...

Nada que não fosse de esperar, considerando o quão deliciosas eram :)
A última experiência esteve ao alto nível de todas as outras. Consistiu numa quiche de salmão fumado, espinafres, queijo e cogumelos que ficou fenomenal! Cheirava mesmo bem e o sabor era incrivelmente agradável e viciante. Sempre considerei difícil a tarefa de fazer uma quiche saudável, pois seria preciso ou fazer uma base saudável (o que não seria fácil, até porque tendem a não ser muito coesas) ou fazer uma quiche sem base, o que acaba por fugir ao verdadeiro propósito das quiches. Parece que sem eu saber havia uma terceira opção - deixar este preparado para pizza brilhar :P


Mais uma vez, a massa portou-se muito bem - é um ótimo suporte para tartes, uma vez que esta, apesar de ter um recheio bem pesado, se desenformou muito bem (e as fatias não se partiram). Demorou mais tempo a ficar pronta do que as outras coisas, uns 40 minutos, e usei mais massa (150g de preparado). Como é uma receita ligeiramente mais complexa e que me surpreendeu bastante irei publicá-la por aqui!

Deixo só uma fatia, para vos cativar ;)
Isto não acaba na quiche - na verdade esta só é a última receita porque a fiz ontem para o jantar, ainda tenho muitas receitas que quero experimentar. Rissóis, croquetes, nachos,... O céu é o limite com uma massa saudável deste calibre. ;)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Crumble de Maçã (Vegan, Sem Glúten/Lactose, Sem Açúcar Adicionado)


Quando eu era pequena os jantares de família incluíam frequentemente maçã assada para sobremesa. Para além de assar maçãs ser um método eficaz de acabar com as que enrugam na fruteira sem que uma pessoa consiga dar-lhes feito, a fruta fica muito agradável quando assim preparada e é uma sobremesa mais saudável do que o costume (embora haja bastante tendência para adicionar açúcar, mais até do que para adicionar canela. Como é que é possível fazer maçã assada e não adicionar canela, certo?).
Assim, embora fossem ocasionalmente substituída por bolos de aniversários em ocasiões especiais e castanhas no Outono, as maçãs costumavam seguir-se à refeição (vocês estão a imaginar o tipo - aquelas que dão para um regimento e são servidas em tachos enormes, do género de massa à bolonhesa e cabidela).
Depois eu comecei a adorar experimentar receitas de bolos, e o espólio de sobremesas por cá variou bastante, já que passei a aproveitar a ocasião para fazer algumas novas e ter quem as provasse (alguns desmancha-prazeres acham exagerado eu querer que comam várias sobremesas para eu poder testar novas receitas em dias que não constituam ocasiões especiais, dá para acreditar?!) - e o reinado da maçã assada viu-se ameaçado, tendo esta desaparecido por longos anos.
Ainda não voltei a acender a chama da tradição (o que é que posso fazer, a maçã inspira-me e os recursos estilísticos mais sobreusados de sempre jorram desta forma), mas depois de fazer este crumble cheguei à conclusão de que é mais fácil que parece unir o melhor de duas eras: é uma sobremesa que tem maçã assada mas não tem maçã assada - parece que quer que a adoremos. E quem somos nós para não lhe fazer a vontade?




Crumble de Maçã (Vegan, Sem Glúten/Lactose, Sem Açúcar Adicionado)
Para cerca de 6 doses
Adaptado daqui

Ingredientes:
[  4 maçãs (cerca de 400g no total depois de retirar os caroços)
[  Canela (a gosto, opcional)
[  Sumo de limão (apenas umas gotas)
[  100g de flocos de aveia (certificados sem glúten para a versão sem glúten)
[  Frutos secos (a gosto, opcional)
[  1 pitada de sal
[  2 colheres de sopa de mel (ou maple syrup, para a versão vegan)
[  80ml de óleo de coco (usei da EU Nutrition; mais sobre o óleo de coco aqui)

Preparação:
| Cortar a maçã em cubinhos, deixando a casca e retirando os caroços. Misturar com a canela (se pretenderem usá-la) e o sumo de limão e colocar num tabuleiro pequeno.
| Num recipiente à parte, colocar a aveia, os frutos secos e o sal (e mais canela, se quiserem) e misturar bem.
| Juntar aos ingredientes secos o mel e o óleo de coco derretido e misturar bem. Distribuir este preparado pelo tabuleiro (em cima das maçãs).
| Levar o crumble ao forno pré-aquecido a 180 graus durante 30 a 40 minutos e servir ainda morno (de preferência com iogurte grego, mas também ficará ótimo com gelado de banana, por exemplo).



Eu já tinha feito uma espécie de crumble saudável, mas este é TÃO superior. Ficou realmente crocante, fornecendo ainda o aconchego necessário aos lanches da estação (já disse hoje que tem estado o frio horrível?). Sei que o costume é servir crumbles com gelado de baunilha, mas não deixem de experimentar substituí-lo por iogurte natural/grego ou quark: o toque ácido combina lindamente com o doce das maçãs.
Só de olhar para esta malga apetece-me comê-la agora como lanche (NB: são oito da noite e acabei de jantar) :P 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma dose)
Energia: 221kcal
Proteínas: 2.4g
Hidratos de Carbono: 25.3g 
-       Dos quais açúcares: 12.4g
Lípidos: 13.4g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 10.8g
Fibra:  2.6g
Sódio: 28mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose, cerca de 100g ou 1/6 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Produtos #23 - Chocolate 'Mousse' do Lidl

Não sei se ainda se lembram, mas no Verão mencionei num dos posts com fotografias das minhas férias um chocolate negro de pistáchio que encontrei num Lidl espanhol e adorei, tendo até exprimido a minha pena por não estar disponível cá. 

Para nossa felicidade, este chocolate está disponível desde há pouco tempo nas lojas portuguesas, juntamente com duas outras variedades que constituem os chocolates 'mousse' da marca J.D. Gross (do Lidl, como já disse).


Isto é bom não só porque os chocolates são deliciosos mas também porque, para variar, sabe bem ter um produto novo que não está permanentemente esgotado. Refiro-me aos Skyr, iogurtes com que o povo anda entusiasmado e os quais, do alto da sua fama, quase que exigem que uma pessoa acampe à porta dos estabelecimentos para ter o privilégio de os comprar. Tirando a primeira vez que os comprei nunca lhes pus os olhos em cima (admito que entretanto só fui uma vez ao Lidl, mas como dessa vez estavam esgotados a indisponibilidade percentual parece-me totalista).

Apartes à parte, os chocolates têm todos uma espécie de recheio mais leve e espumoso (daí o nome mousse) e os quadradinhos são bem gordos - podem vê-los nas fotos abaixo. Esqueci-me de registar o preço, mas penso que ronda os 2 euros.


Apenas dois deles são negros (o de pistáchio e o de trufa), e mesmo estes têm uma percentagem relativamente baixa de cacau, a par de bastante açúcar e óleo de palma (podem ver os ingredientes e informação nutricional mais abaixo). No entanto, sugiro que não os deixem de parte por causa disso - claro que não são a melhor opção para um go-to chocolate negro, mas são muito agradáveis e esporadicamente não é uma diferença de 20% na percentagem de cacau que vos vai fazer menos saudáveis :)

O de avelã já não é negro de todo, infelizmente para mim e felizmente para pessoas como o meu irmão, que não gostam de chocolate negro (como é que é possível, certo?) mas adoram chocolate com sabor a frutos secos.

Relativamente aos usos, normalmente cinjo-me a consumi-los simples, mas são também fantásticos para outros usos. Ficam ótimos em papas de aveia (o quadradinho de chocolate negro a derreter por cima é imprescindível) e penso que têm potencial para transformar qualquer receita com chocolate derretido para melhor - consigo imaginá-los a ficar muito bem numa mousse mais saudável ou no bolo de chocolate húmido com courgette.

Segue-se uma descrição exageradamente ilustrada de cada uma das variedades, por ordem de preferência da minha parte (fotos a mais e rankings começam a tornar-se a minha imagem de marca).

1º - Pistáchio



Não há volta  a dar, já sabem que desde que vi este chocolate eu e ele somos inseparáveis - e nem constumo ser grande fã de coisas com sabor a pistáchio.



Como a embalagem sugere, o recheio tem uma parte de cacau e uma parte mais clara com sabor a pistáchio. Olhando para a fotografia do pacote uma pessoa fica curiosa - será que na há mesmo aquela enorme meia lua de pistáchio que tem mesmo ar de ter sido exageradamente desenhada?

Acho que isto responde à pergunta e simultaneamente vos ensina a não confiar nas fotografias que vêem nos pacotes dos alimentos :P
Portanto, e por muito difícil que seja aceitar isso, aquele quadrado meio partido com ar de miúdo chorão de BD cujos cartoonistas desenharam com um dente único para terem menos trabalho não existe realmente.

Não digam que não ficariam assim ao se aperceberem de que a vossa vida era uma mentira, eu vi o Matrix :P
De qualquer modo, a verdade é que se nota bem o sabor a pistáchio (e para ser justa há mesmo uma camada branca até bastante generosa que não se vê na fotografia que tirei). O sabor é forte e até parece ter um toque de álcool, apesar de nada com álcool estar incluído da composição. Em termos de textura os chocolates são todos semelhantes - têm uma camada de chocolate por fora e por dentro são muito macios, quase fofos. O conjunto derrete-se facilmente na boca, o que é um ponto alto agora que estamos no Inverno e até a Nutella precisa de ser cortada com um serrote.

2º - Trufa


Já repararam que todos os chocolates têm avelã? A Avelã também tem todos os chocolates


O de trufa tem um sabor mais normal que o de pistáchio, isto é, sabe mais a um chocolate negro tradicional (embora a textura seja completamente diferente), como seria de esperar. Preferi o outro, mas este também consegue ser muito viciante, e parece mesmo ter sido recheado com mousse.

E este, tem um recheio decentemente parecido com o sugerido na imagem, perguntam vocês?

...Não. Mas não se sintam idiotas, uma pessoa precisa de ter esperança :P
3º - Avelã




Este sabor ficou um bocado prejudicado na ordenação por não ser negro, mas para um chocolate de leite não podia ser melhor. Tem um sabor realmente agradável a avelã, um recheio muito leve, que faz com que não seja nada enjoativo, e ainda uma embalagem sem camadas perfeitas e enganadoras completamente afastadas da realidade. Se estas não são as caraterísticas de um chocolate perfeito não sei quais serão. ;)

Não há fotos da informação nutricional, porque me esqueci de tirar.

...E se repararem bem o pacote não está nos seus melhores dias, porque já o tinha rasgado e colocado no caixote da reciclagem quando me lembrei que tinha de tirar fotos e fui resgatá-lo.

Um quadrado com cara de you disgust me por ter maltratado a sua embalagem (que, além de ser sua, é verdadeira e merece por isso ser tratada com respeito e ter um final digno)
 Acho que é só isto. Já provaram os chocolates? Qual é o vosso preferido? :)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...