terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Queijada Proteica de Baunilha (com Whey) (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten)


Não sei se se lembram, mas a minha primeira tentativa de fazer tarte de flan saiu um pouco falhada porque tentei fazer a base de raiz e não ficou nada boa. Desde aí que uso massa de compra (folhada ou quebrada) sempre que faço a receita - não porque duvide do potencial de uma versão caseira, mas porque não quero arriscar a minha sorte outra vez.
Na verdade é um problema geral - as bases dão-me sempre demasiado trabalho. Uma vez fiz um cheesecake depois de o meu antigo processador avariar, mas só me lembrei desse pequeno pormenor quando tinha aberto vários pacotes de bolachas digestivas. Qual a minha solução, perguntam vocês? Triturar as bolachas aos pares num moinho de café. Como podem imaginar, foi uma longa tarde. 
Masoquista como sou, claro que não me fiquei por aqui - continuei a fazer cheesecakes com recurso ao moinho, e na verdade só parei quando este morreu, apesar do quão desencorajante era saber que tinha de limpar um moinho cheio de resíduos de gordura no fim (ainda por cima o motor ficava mesmo por baixo, por isso não podia mergulhá-lo em água).
Quando fiz a tarte de maçã a tendência repetiu-se - usei uma forma enorme, o que me forçou a ficar imenso tempo a espalhar o mais possível a base de forma a cobrir todo o fundo. E no fim aquela ingrata sucumbiu a uma avaria num iPad e falta de backups recentes. Mas pelo menos ficou deliciosa.
Assim, quando fiz pela primeira vez uma queijada saudável decidi não utilizar uma base (toda a gente sabe que as bases são sobrevalorizadas de qualquer maneira, certo?). Coloquei a massa diretamente na forma, levei ao forno e não pensei mais nisso - pelo menos até cortar a tarte e reparar que, quiçá por a minha falta de jeito com bases ter caído em graça divina, se tinham formado duas camadas, sendo a de baixo mais densa e rica em aveia e a de cima tipo creme ou recheio. Ali estava ela - uma base, criada sem qualquer tipo de esforço da minha parte. Acho que já sei como se sentiu a pessoa que criou os famosos 'bolos mágicos'.  
Esta tendência da queijada para me facilitar a vida não se reflete só na parte da base - ela é também uma das receitas mais simples de fazer que conheço, já que para a preparar só é preciso misturar todos os (poucos) ingredientes. Claro que retribuo o favor fazendo-a imensas vezes - já surgiram por cá versões com alfarroba, com aveia de sabor, com uma parte de polvilho doce,...
Esta versão em particular surgiu num dia em que talvez não devesse ter ido para a cozinha preparar uma sobremesa. Estava tão distraída que quando dei por ela tinha partido 5 ovos para o recipiente (a receita usual apenas usa 3) e tão preguiçosa que usei whey para a adoçar em vez de mel, de modo a não ter de sujar (e limpar) a balança. Mas já sabem o quanto esta receita gosta de mim - é claro que acabou por sair perfeita como sempre. E com uma bela base...





Queijada Proteica de Baunilha (com Whey) (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados, Sem Glúten)

Ingredientes:
[  5 ovos
[  2 scoops de whey com sabor a baunilha e canela (podem comprar aqui usando o código euavela15 para terem 15% de desconto. Podem usar outra, mas claro que o sabor ficará diferente. Para a versão sem glúten certifiquem-se de que é isenta)
[  150g de flocos de aveia grosseiramente triturados (certificados sem glúten para a versão sem glúten)
[  1 colher de chá de fermento
[  750ml de leite (pode ser magro, vegetal ou sem lactose)

Preparação:
| Num recipiente grande colocar os ovos, a whey, a aveia e o fermento e misturar até que o preparado fique homogéneo.
| Adicionar o leite aos poucos, mexendo sempre.
| Transferir a mistura para uma forma (usei uma de vidro, mas podem usar uma antiaderente) e levá-la ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 40 minutos.


Como podem ver, a tarte ficou com uma textura deliciosa! O aroma da whey dá-lhe um toque especial, e os ovos extra garantiram uma textura ainda mais reminiscente de uma queijada. Ficou muito amarelinho porque usei ovos caseiros, e até me lembrou um pouco tarte de flan. E isso é dizer alguma coisa. ;)
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma fatia)
Energia:170kcal
Proteínas: 14.6g
Hidratos de Carbono: 13.8g 
-       Dos quais açúcares: 0.6g
Lípidos: 6.1g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 1.6g
Fibra:  2.5g
Sódio: 63mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 fatia ou 1/8 da receita). O leite considerado é o de soja sem açúcar da alpro. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Produtos #26 - Aveia

Não sei se se lembram, mas o post sobre cereais de pequeno-almoço terminou com um pequeno teaser:


Acreditem que a vontade era muita, mas *é possível* que eu me tenha esquecido ligeiramente da tal publicação. Espero que me perdoem, porque estou agora mais de 7 meses e 23 outros posts na rubrica depois pronta a colmatar essa falha. ;)

Voltando ao que interessa - aveia. Este post é apenas sobre a aveia tradicional - podem ver o post sobre a aveia com sabor que tenho usado ultimamente aqui

Onde Comprar e Preço

Costumo comprar a aveia no Lidl, como (acho) a maior parte das pessoas. É um dos supermercados onde esta é mais acessível; o preço é, se não me engano, 0.59€ por 500g. No entanto, há outros supermercados onde o preço não é muito mais alto - sei que no Mini Preço, no Aldi e no E. Leclerc, pelo menos, há também aveia bastante em conta.

A do Lidl. Eu sei que fica estranha quando está numa foto não-editada :P
No caso do Lidl está disponível em duas versões (flocos finos ou grossos). Às vezes perguntam-me qual é que uso - costumo preferir os flocos mais grossos para papas, porque gosto da textura que lhes dão, mas acabam por ser bastante semelhantes.

Há ainda outras versões de aveia por aí, como a aveia instantânea, em que os flocos passam por um processo de 'pré-cozimento' para que depois sejam mais rápidos de preparar. O preço é absurdo, mas como já mencionei comprei uma vez para experimentar e gostei muito (deixo foto da embalagem e textura abaixo).

Glúten

Deixo aqui a nota de que se são intolerantes ao glúten devem ter muito cuidado com a aveia que escolhem (já devem ter reparado que menciono sempre isso nas receitas). Apesar de a aveia ser um cereal naturalmente isento, quase toda a aveia disponível nos supermercados pode ter vestígios de glúten devido à contaminação cruzada. Sei que no Celeiro há uma aveia isenta, a da marca Bauck Hof, mas é consideravelmente mais cara (até porque também é biológica) - ronda os 3€ por 500g.

Papas de Aveia

Acho que é impossível dissociar a aveia das papas - desde leitores dos 3 ursinhos a pessoas que procuram lanches simples e saudáveis, todos nos deparamos com elas pouco depois ou até antes de saber mais sobre a aveia.

Sendo a aveia um cereal rico em fibra, absorve muito líquido e quando cozinhada em papas torna-se especialmente cremosa. O mais comum é prepará-las no fogão, num pequeno tacho e mexendo sempre, mas podem ser preparadas no microondas para poupar tempo - a consistência muda um pouco, mas fica também cremosa.

As papas têm imensas variações; podem ser feitas apenas com líquido e flocos (costumo usar leite quando uso aveia sem sabor, há quem use água mas acho que o resultado fica 'deslavado'), mas no geral isto não acontece. É frequente juntar-se um pau de canela e um pedacinho de casca de limão, mas isso é porque somos portugueses e adoramos arroz doce. ;)

A minha versão preferida de papas feitas com flocos é a com claras, porque as claras deixam as papas um pouco mais ricas - apesar de serem saudáveis, quando preparadas normalmente consistem quase só em hidratos de carbono, pelo que não são um pequeno-almoço muito completo - e ainda mais cremosas :)

Também as faço muitas vezes a receita de microondas, a baixa potência porque na minha cabeça isso as torna mais saborosas. :P

Eu sei ;) Estas são as de microondas, com banana e manteiga de amendoim (como se vocês ainda não tivessem reparado)

Papas com claras no fogão
Claro que há mais variações possível, e às vezes juntar um ingrediente muda tudo. Depende muito da vossa preferência, mas podem juntar alfarroba, coco (tenho uma receita no microondas com coco aqui), fruta, extrato de baunilha ou até iogurte! Deixo-vos um exemplo extra: 

Papas de aveia de banana e chocolate (m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a-s)
Aproveito para vos deixar um aviso, caso sejam inexperientes em papas de aveia - ao contrário do que possa parecer pelas primeiras duas fotos, é considerado pelos grandes fãs de papas um gesto de mau gosto não colocar um quadrado de chocolate por cima de uma taça delas. Aconselho-vos a manterem uma tablete de chocolate negro à mão, nunca sabem quando irão precisar! Estão avisados. ;)

Mais uma coisa que me perguntam muito - quando se deve comer papas? No pré/pós-treino, ao pequeno-almoço ou ao lanche?
Esta pergunta é muito difícil de responder sem mais informação - depende imenso da filosofia alimentar de cada um. Se estão numa alimentação low carb nunca vai ser apropriado; se os vossos hábitos incluirem uma refeição rica em hidratos antes e depois do treino talvez as papas sejam uma boa opção; se estão simplesmente a tentar trocar o pão do pequeno-almoço por algo mais saudável também não é má ideia comê-las nessa altura... Como disse acima, é uma refeição bastante rica em hidratos, mas se juntarem claras (ou whey, ou outra fonte de proteína) e frutos secos, sementes ou manteiga de amendoim já têm os 3 macronutrientes reunidos. Se esse for o vosso objetivo facilmente o atingem :)
O que não recomendo é fazer das papas jantar ou almoço frequentemente - é sempre importante fazer refeições variadas (e ricas em vegetais) nessas alturas, trocá-las frequentemente por papas é um mau hábito. Não vou dizer que não tenho o ocasional jantar de papas (quando chega a preguiça :P), mas se o faço é muito raramente!

Farinha de Aveia

Imagino que já conheçam a farinha de aveia, porque é possivelmente o ingrediente que mais utilizo nas minhas receitas (que vocês adoram, certo? ;)). Quando comecei a fazer bolos saudáveis usava muitas vezes espelta e centeio, mas quer em flocos quer em farinha são cereais menos acessíveis. A farinha de aveia também é bem mais cara que os flocos, por isso costumo fazê-la a partir destes - não há nada mais simples. É só triturar os flocos num processador de alimentos até que fiquem finos. :)

Costumo ainda peneirá-la com o meu coador vermelho que parece um teletubbie
Para aqueles de vocês que discordaram mentalmente quanto ao meu coador parecer um teletubbie. Ficou mais macabro do que eu pretendia, desculpem lá se vão sonhar com teletubbies decapitados por minha causa :P
Se forem ao separador de receitas do blog e carregarem num link aleatório têm 99% de probabilidade de encontrar uma receita com farinha de aveia, mas mesmo assim vou fazer-vos o favor de adicionar aqui duas sugestões ;)

Bolo de chocolate com courgette

Bolo rainha
A farinha deixa os bolos no geral bastante fofos e saborosos! Aliás, já cheguei a comprar farinha 'pronta' e achei que tinha um sabor muito forte e pior do que o da farinha feita em casa. É estranho, mas não me importo muito (era pior se fosse ao contrário) :P

Aveia Instantânea

Só a comprei uma vez, por isso a minha opinião não é muito extensa, mas caso tenham curiosidade deixo aqui uma foto da embalagem e uma da textura das papas já prontas.

Imagino que haja outras marcas, mas foi esta que experimentei

Com um wafer proteico da Diese :)
Vou-me repetir, porque já tinha falado sobre esta variedade de aveia no post das panquecas com quark, mas pronto, há sinas piores. Achei que as papas ficaram muito diferentes, mais 'coesas' (com algumas variedades de flocos acontece a aveia não absorver muito líquido e as papas ficarem com algum leite não absorvido - com esta isso não acontece, as papas ficam homogéneas). Ficaram ainda incrivelmente cremosas - não digo que vivam à altura do preço, mas se qualquer dia as encontrarem em promoção não deixem de comprar para experimentar :)

Outros Usos

Apesar de só ter sugerido aqui receitas de bolos com farinha e papas com flocos, os flocos também servem para muitas outras coisas e ganham até à farinha branca nalguns usos. Fazem, por exemplo, bases de tartes muito saborosas:

Num cheesecake saudavel com quark

Numa tarte de maçã integral e sem açúcar :)
E ficam de igual forma maravilhosos em receitas nas quais a textura que adicionam é bem vinda. Por exemplo, crumbles saudáveis:

Neste caso de maçã, o único que fiz até agora :)
O post já está demasiado longo, por isso ficará por aqui - há imensos usos para a aveia e nem no blog inteiro consigo mencioná-los todos (mas tento, se repararem :P). Espero que tenham gostado :D

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Cheesecake de Oreo com Queijo Quark (Saudável, Sem Açúcar Adicionado)


Desde que tenho parceria com a EU Nutrition já usei os produtos da marca em várias receitas: fiz panquecas gigantes (ou mini, sou de extremos) e papas com as aveias de sabor, waffles e panquecas com os preparados para panquecas, crepes com o trigo sarraceno, toneladas de coisas com o preparado para pizza proteica, brownies e um crumble com o óleo de coco e até mini tartes de maçã com as barras. 
O que nunca me ocorreu foi fazer receitas com as oreos proteicas, por muito estranho que vos pareça. Apenas as comia simples (verdade seja dita, assim já são ótimas) ou molhadas em café (a propaganda das oreos sobre molhá-las em leite tem-nos enganado a vida toda!), até que um dia me ocorreu de repente - porque é que ainda não tinha feito sobremesas decadentes com elas?
Desde então tenho explorado todo o potencial do produto - já fiz este cheesecake de oreo, brownies de oreo, batido de oreo e tenho em mente bolachas recheadas e mousses que ficarão de certeza fantásticos com estas bolachinhas.
Achei por bem começar a partilhar convosco estas sobremesas decadentes (não há mais decadente do que sobremesas com oreo, certo? É um importante passo para a humanidade haver uma versão mais 'fit' das bolachas ;)). Esta é a primeira: um cheesecake que me surpreendeu de tão incrivelmente saboroso. Sugiro seriamente que experimentem - não querem ficar para trás neste período de descoberta. ;)







Cheesecake de Oreo (Saudável, Sem Açúcar Adicionado)

Ingredientes:

Para a base:
[  Parte de bolacha de 2 pacotes de oreos proteicas da EU Nutrition (o recheio será utilizado na outra camada. Podem comprá-las com 15% de desconto usando o código EUAVELA15)
[  2 colheres de sopa óleo de coco (podem usar azeite, mas o sabor é mais forte; usei também da EU Nutrition)
[  3 colheres de sopa de água

Para o recheio:
[  4 ovos
[  2 colheres de sopa de mel (cerca de 40g)
[  500g de queijo quark (ou um iogurte bem denso)
[  Parte do recheio dos 2 pacotes de oreos proteicas (cuja bolacha foi usada na base)
[  2 colheres de sopa não muito cheias de polvilho doce ou azedo (cerca de 30g)
[  1 colher de chá de extrato de baunilha (opcional)

Preparação:

Para a base:
| Triturar as bolachas num processador ou liquidificadora até ficar com um pó fino. Adicionar o óleo de coco e a água e misturar bem.
| Transferir o preparado para uma forma pequena (preferencialmente de fundo amovível) e amassar bem com as mãos molhadas, para que a base fique compacta.
| Levar ao forno pré-aquecido a 180 graus durante 10 minutos.

Para o recheio:
| Bater os ovos com o mel até que a mistura fique fofa e esbranquiçada (demora uns 2-3 minutos).
| Batendo sempre, adicionar o queijo quark, o recheio das bolachas, o polvilho e o extrato de baunilha, incorporando bem cada ingrediente antes de adicionar o próximo.
| Colocar o recheio sobre a base (não é preciso que esteja fria) e levar ao forno novamente (ainda a 180 graus) durante cerca de 30 minutos.
| Transferir o cheesecake para o frigorífico depois de frio. Decorar a gosto com mais oreos proteicas e chocolate negro derretido (foi o que eu fiz, mas é claro que podem alterar isto a gosto).



MELHOR. Cheesecake. De sempre. Juro-vos, isto é mais do que bom. A textura é perfeita, ficou mesmo cremoso - ninguém diria que não são usados lacticínios gordos -, e quanto a oreos serem o melhor add-in acho que não há dúvidas. Para além disso, é bonitinho e apresentável: a base, para além de ser ótima, é consistente e permite que as fatias fiquem intactas (já fiz cheesecakes 'normais' em que isto era praticamente impossível). Por fim, o perfil nutricional (abaixo) é bem interessante :D  Espero que gostem!
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma dose)
Energia: 198kcal
Proteínas: 16.0g
Hidratos de Carbono: 16.6g 
-       Dos quais açúcares: 7.2g
Lípidos: 7.7g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 4.1g
Fibra:  1.0g
Sódio: 65mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 fatia, cerca de 250g ou 1/8 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

15% de Desconto Direto em Todas as Encomendas na EU Nutrition


Era só para avisar que, como podem ter descoberto pela mudança do banner que está do lado direito do blog, o meu código associado à EU Nutrition passou a dar um desconto de 15% (em vez de 10), sendo que por isso o nome do mesmo também mudou. O novo é euavela15, e podem já utilizá-lo  no site para obter os produtos com preços ainda melhores :)


Alguns dos meus produtos de eleição: manteiga de amendoim natural, aveia de bolacha maria, oreos proteicas e barra de chocolate (também proteica) :)

A aveia de bolacha maria tem sido aprovada por mu(uuu)ita gente, bem como as barrinhas e as oreos, mas gostava de receber ainda mais opiniões! Já provaram algum dos produtos? Ficaram fãs? :)

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Produtos #25 - Barras Proteicas 'EU Bars' (Ranking de Sabores)

Trago-vos hoje o ranking que prometi quando fiz a primeira publicação sobre as EU bars (consultem-na para saberem mais sobre a lista de ingredientes e a informação nutricional das barrinhas). Sei que demorei um bocado a cumprir o prometido, principalmente se tivermos em conta que os sabores disponíveis são apenas 4, mas estive ocupada entretanto com o trabalho de pesquisa associado a rankings (sabem como é, tive de me certificar de que as barras estavam mesmo na posição inicialmente atribuída provando-as várias vezes). Espero que me perdoem. ;)

A minha impressão inicial das barras foi de que eram um pouco duras, mas entretanto, não sei se por me ter habituado se por me ter calhado uma pior da primeira vez, a minha opinião mudou. Têm-me parecido muito leves e fofas! Tão leves e fofas que encomendei esta semana 8 caixas de 12 barras para manter o vício. Ups :P

Já sabem que podem adquirir estas barras (e outros produtos) no site da EU Nutrition, e que se utilizarem o meu código - euavela10 - têm 10% de desconto na encomenda.

Sem mais demoras, deixo-vos então a minha opinião em relação a cada um dos sabores.

1º - Chocolate


Sim, a minha fixação pela barra de chocolate ainda cá e esta continua com o título de 'minha barra preferida'. Foi a última que provei e mesmo tendo gostado das outras esta foi uma ótima surpresa!

Só para terem uma ideia ;)
É muito fofa/molinha e tem uns pedaços crocantes de amêndoa (não sei como, mas apenas descobri que tinha amêndoa hoje ao comer uma, isto depois de dar saída a quase duas caixas :P) e de chocolate pelo meio. O resultado é ótimo! Esta é das que melhor fica aquecida, parece tanto um bolinho :P Para que acreditem em mim...

...Uma foto de uma barra de chocolate aquecida no forno e coberta com manteiga de amendoim ;)
Esta aqueci no forno durante uns minutos, mas a maior parte das vezes até a aqueço no microondas.

E por falar de manteiga de amendoim...

2º - Amendoim


Apesar de no geral as coisas de amendoim e chocolate estarem mais associadas a sabores demasiado doces, achei estas duas as menos enjoativas. Têm ambas um sabor leve muito agradável!

Esta sabe bastante a amendoim (ou a manteiga de amendoim - muita gente lhes chama 'barras de manteiga de amendoim', o que é engraçado, já que não é esse o sabor oficial). A textura é um bocadinho menos mole que a da anterior, já que a barra é mais crocante (o que por acaso combina muito bem com o sabor). São extremamente viciantes, como seria de esperar de barras de uma barra de frutos secos (não serão permitidos comentários de sabichões a mencionar que o amendoim não é um fruto seco) :)

3º - Banana


Esta e a de maçã estão bastante próximas na escala da minha estima (acordei barroca hoje). São as duas fiéis ao sabor dos frutos, mas eu sou uma pessoa que invariavelmente prefere os sabores mais decadentes (i.e., chocolate e amendoim). Ainda assim, esta de banana sabe a rebuçado, tem um sabor docinho bem interessante! Por acaso é a favorita de várias pessoas que encomendaram as barras e me contaram a sua opinião, o que só pode querer dizer alguma coisa.

4º - Maçã


Como já disse, a barra capta bem o sabor a maçã (e tem até uns pedacinhos pelo meio). Não está num lugar mais acima porque, como já disse, os sabores de fruta não me apelam tanto e tendo a enjoar mais facilmente destes - mas mesmo assim gostei! 

Esta foi a única barra que teve direito a uma experiência mais elaborada (embora ande a magicar uns peanut butter cups proteicos com a de manteiga de amendoim):

Mini tarte de maçã proteica
Fi-la de forma muito simples: aqueci um pouco a barra para ficar moldável (já estão familiarizados com a minha obsessão por barras aquecidas :P), forrei com ela uma forminha de muffins e coloquei puré e fatias de maçã por cima. O resultado ficou delicioso! :)

É isto. Já provaram as barras? Quais os sabores que mais vos chamam? Contem-me tudo :D

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Estufado de Courgette e Grão-de-Bico (Saudável, Vegan, Sem Glúten/Lactose)


Há determinadas 'crenças' no que toca à culinária que atravessam gerações. Eu própria, como toda a gente, conheço várias - desde as mais rebuscadas, como 'bater a massa no sentido contrário ao dos ponteiros dos relógios deixa um bolo pior', às mais normais e fundadas, nas quais se enquadram muitos dos truques preferidos das nossas avós: trocar parte da farinha por Maizena para deixar os bolos mais fofos, juntar sempre carne à comida para a deixar mais saborosa (a sério, a minha avó até no arroz de polvo coloca vitela), começar a confeção de praticamente qualquer prato com um refogado, deixar a comida cozinhar muito lentamente e fazer tudo de raiz (porque toda a gente sabe que feijões de lata não têm o sabor dos demolhados e cozidos em casa).
Eu alinho em algumas destas coisas, principalmente a dos refogados, que adoro entupir com cebola (mostrem-se, fãs de cebola, juntos somos mais fortes). No entanto, admito que o balanço não me atribui um extremo no espectro da tradição - não há repulsa por enlatados que me faça abrir mão de uma invenção tão prática, nem teorias sobre o quão melhor fica a comida se demorarmos horas a fazê-la que me convençam, bem, a demorar horas a fazê-las.
Assim, aqui está uma receita que contraria vários princípios que fomos ensinados a aceitar. Não tem carne, demora 20 minutos a ser preparada e inclui grão-de-bico de lata. Vou arriscar e dizer que é o demolidor de princípios aceites mais delicioso de sempre. ;)





Estufado de Courgette e Grão-de-Bico (Saudável, Vegan, Sem Glúten/Lactose)
Para cerca de 4 doses

Ingredientes:
[  1 cebola
[  3 dentes de alho
[  Azeite (a gosto)
[  1 cenoura (cerca de 150g)
[  1 courgette (cerca de 600g)
[  1 tomate grande (usei congelado; podem usar fresco ou molho de tomate, em alternativa)
[  500g de grão-de-bico cozido e escorrido
[  Sal (a gosto)
[  Manjericão (a gosto)
[  Paprika (a gosto)
[  Orégãos (a gosto)
[  Pimentão-doce (a gosto)
[  Água quente

Preparação:
| Picar a cebola e o alho e colocá-los a refogar num tacho ou wok com um fio de azeite.
| Cortar a cenoura em fatias finas e adicioná-la ao tacho quando a cebola estiver translúcida.
| Assim que a cenoura começar a ficar cozida, adicionar a courgette, também cortada em tiras finas.
| Desfazer o tomate num pouco de água a ferver, depois de o descascar, e juntá-lo ao tacho.
| Quando a courgette estiver cozida, juntar o grão-de-bico. Temperar com sal, manjericão, paprika, orégãos e pimentão-doce e mexer bem.
| Se o estufado estiver demasiado seco, adicionar um pouco de água quente (a quantidade que preferirem, depende de se querem que o resultado fique com mais ou menos molho) e deixar que ferva.


Esta pode não ser a receita mais apelativa de sempre, mas é uma refeição que adoro: para além de, como disse acima, ficar pronta num instante, é daquelas comidas que ainda ficam melhores aquecidas. E acho que o valor de ter almoços prontos no frigorífico é indiscutível ;)
Para além do mais, é extremamente reconfortante! E acompanhado com couscous fica particularmente divinal. Experimentem :D 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma dose)
Energia: 189kcal
Proteínas: 9.2g
Hidratos de Carbono: 30.1g 
-       Dos quais açúcares: 7.3g
Lípidos: 6.1g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.9g
Fibra:  7.3g
Sódio: 458mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose ou 1/4 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sábado, 11 de fevereiro de 2017

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

5 Tartes Tradicionais em Versões Saudáveis

Trago hoje mais uma seleção de receitas, já que a receção do post com 10 bolos clássicos tornados saudáveis foi tão boa - rapidamente se tornou o quarto post mais visto do blog, superado apenas pelos bolos de coco e de chocolate com courgette e pelos skyr.

Esta versa sobre tartes. No geral são receitas mais elaboradas um bocadinho, e mais afastadas da minha zona de conforto também - como podem já ter reparado pela enorme variedade de bolos saudáveis que tenho por aqui, já os faço praticamente de olhos fechados. No entanto, acabam sempre por compensar, tanto porque ficam adoráveis (o formato de tarte conquista qualquer pessoa) como porque ficam deliciosas (o sabor de tarte conquista-nos ainda mais facilmente :P).

Tarte de Amêndoa Caramelizada


Começo pelo clássico intemporal que são as tartes de amêndoa. Esta, confesso, foi uma receita que durante muito tempo pensei ser impossível de tornar saudável, porque as tartes deste género são sempre cobertas com uma mistura de manteiga, açúcar e amêndoas difícil de substituir. No entanto, a versão que fiz, com manteiga de amendoim e mel, ainda é mais viciante! Podem encontrar a receita aqui.

Tarte de Maçã

Não se queixem por ser sempre a mesma fotografia, já sabem que é um tema delicado :P
A tarte de maçã estará para sempre associada ao fiasco das fotografias do iPad, mas mesmo assim tem uma boa conotação porque é deliciosa. ;) A base é crocante e tem um sabor muito agradável a aveia, e no geral é até bem simples de fazer. 

Tarte de Queijada


A receita base é sempre esta, mas tenho feito imensas variações. Por vezes pequenas, como juntar canela ou usar mais ovos, outras mais significativas, como usar alfarroba, polvilho e aveia com sabor em vez de aveia simples. Há uns tempos fiz esta substituição e a queijada ficou fantástica, a textura de queijada associada a um sabor tão 'decadente' resulta na perfeição! 

A tal tarte. Talvez publique a receita com todas as alterações!
Cheesecake de Forno com Queijo Quark


Para além de ser muito saboroso e ter uma textura incrível, este cheesecake tem a vantagem da versatilidade. Podem fazer milhares de versões - desde a mais tradicional, apenas com doce ou calda de fruta por cima, a algumas menos comuns, como de oreos, de chocolate negro, de limão, de manteiga de amendoim (não digam que não viram esta a chegar)... É só usar a imaginação ;)

Podem encontrar neste post a receita 'base'.

Tarte de Abóbora


Admito que desde que publiquei a receita nunca mais a fiz, mas ando com vontade de repetir a receita (até porque é uma boa oportunidade para cozer abóbora em dose dupla e fazer também um bolinho). Não sendo uma tarte muito popular a nível nacional, é ótima e perfeita para fazer no tempo mais frio!

E é isto. Espero que tenham gostado das sugestões! Se já experimentaram fazer alguma digam-me se gostaram :)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Panquecas de Aveia com Queijo Quark (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura/Açúcar Adicionado)


A aveia está sempre disponível no meu armário em diversas formas (flocos grossos, flocos finos, farinha simples, farinha com sabor, por vezes flocos instantâneos... Já devem ter reparado pelos ingredientes das minhas receitas que adoro aveia). A versão que mais cedo comecei a usar foi, naturalmente, os flocos, mas sempre tive uma certa curiosidade em relação às outras versões comuns em alguns países - os mais grosseiros steel-cut oats (ou 'aveia escocesa') ou a ainda mais popular aveia instantânea, uma espécie de aveia em flocos pré-cozinhada de forma a ser cozinhada mais rapidamente.
Demorei bastante tempo a provar esta última, em parte porque acho ridículo pagar mais de 4 euros por 500g de aveia (o que se verifica com a aveia instantânea da Quaker, uma das poucas que se encontram nos supermercados). Só quando finalmente a encontrei em promoção me decidi a dar-lhe uma oportunidade.
Embora continue a achar o preço exagerado a experiência ajudou-me a perceber o motivo, uma vez que notei realmente diferença. Além de demorarem pouco tempo a ficar prontas, as papas feitas no microondas com esta aveia nunca entraram em erupção como a aveia mortal (todos sabemos o quanto este aspeto é precioso) e ficaram ainda mais cremosas do que as que costumava fazer no fogão.
Gostava muito de dizer que a aveia instantânea mudou a minha vida e nunca mais comprei outra, mas a parte do pagar mais de 4 euros por 500g de aveia ali de cima pesa bastante na hora da decisão. No Lidl a mesma quantidade de aveia custa 59 cêntimos, o que, penso eu, faz desvanecer qualquer inclinação para comprar aveia de luxo.
Assim como assim, a verdade é que a aveia tradicional faz já umas papas maravilhosas - e, caso ainda não tenham percebido com esta receita, panquecas também. ;)






Panquecas de Aveia com Queijo Quark (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura/Açúcar Adicionado)
Adaptado daqui
Para cerca de 10 panquecas

Ingredientes:
[  80g farinha de aveia (flocos de aveia triturados; certificada sem glúten para a versão sem glúten)
[  1/2 colher de chá de fermento
[  1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
[  1 pitada de sal
[  150g de queijo quark (ou um iogurte sem lactose / vegetal bem denso para a versão sem lactose)
[  1/2 colher de chá de mel
[  1 ovo
[  150ml de leite (vegetal ou sem lactose para a versão sem lactose)

Preparação:
| Misturar num recipiente os ingredientes secos (farinha de aveia, fermento, bicarbonato de sódio e sal).
| Num recipiente à parte, colocar o quark, o mel e o ovo e bater bem. Adicionar o leite, mexendo até que o preparado fique homogéneo.
| Juntar a mistura líquida aos ingredientes secos e envolver.
| Numa frigideira anti-aderente (ou untada com um pouco de óleo de coco) aquecida, colocar porções de massa (equivalentes a mais ou menos uma colher de sopa) em formato circular. Quando o lado de baixo estiver cozinhado, virar com uma espátula. deixando que o outro lado cozinhe também.
| Retirar a panqueca (preferencialmente para uma grelha, para arrefecer) e repetir o procedimento até que a massa acabe.



A receita a que costumo recorrer sempre que me apetecem panquecas é a de panquecas de aveia e centeio que publiquei há séculos (mais precisamente em 2014 - uau! Já havia computadores nessa altura? :P) e é tão boa que nunca senti necessidade de experimentar qualquer outra. No entanto, quando vi uma receita de panquecas com iogurte no blog A Casinha das Bolachas guardei-a, com a intenção de fazer uma versão de aveia com quark - toda a gente sabe o quão boas costumam ser as receitas com quark. Ainda bem que o fiz! As panquecas ficam muito fofas e saborosas, perfeitas para comer com fruta e um fio de mel (ou virtualmente qualquer outros toppings de que gostem, não vou sugerir manteiga de amendoim e banana porque não me quero tornar repetitiva ;)). Será uma receita repetida muitas vezes (parece que a de aveia e centeio vai ter de aprender a partilhar a atenção) :D
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma unidade)
Energia: 51kcal
Proteínas: 3.6g
Hidratos de Carbono: 6.3g 
-       Dos quais açúcares: 1.0g
Lípidos: 1.2g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.0g
Fibra:  0.9g
Sódio: 29mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 panqueca ou 1/10 da receita). O leite considerado foi o de soja da Alpro, não adoçado. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...