Avançar para o conteúdo principal

Manteiga de Sementes de Girassol (Saudável, Sem Glúten, Vegan, Sem Lactose, Sem Adição de Açúcares)


Para desanuviar do tema «Manteiga de Amendoim», que vem à baila de cada vez que eu penso escrevo sobre manteigas de oleaginosas, vou-me esforçar por fazer um pequeno relato da minha relação com as «pipas».
Eu adoro pipas; para além de me lembrarem das férias (que é quando as como, e onde existem as melhores), passadas e futuras, há alguma coisa em descascar comer pipas e jogar às cartas que grita «Verãããão!» (baixinho, que se não os vizinhos resmungam...).
Ficar com os dedos inchados e salgados de tanto descascar enquanto se acaba por comer 10g de pipas pode parecer chato, mas é extremamente divertido, garanto-vos... E as «Sementes de Girassol» (pipas, modernices!) sabem mil vezes melhor se forem descascadas à mão... A sério!
(E ainda há quem as decida estragar e caramelizá-las, blasfémia!)
Claro que ninguém é masoquista para estar a descascar imensas pipas e fazer manteiga com elas, mas esta manteiga é simplesmente o sabor das pipas (descascadas á mão!) em forma de pasta.
E sim, é deliciosa.






Manteiga de Sementes de Girassol (Saudável, Sem Glúten, Vegan, Sem Lactose, Sem Adição de Açúcares)
Adaptado daqui
Para cerca de 470g de «manteiga»

Ingredientes:
| 450g de sementes de girassol
| 3 colheres de sopa de óleo de coco (ou vegetal) (aproximadamente)
| Adoçante (xarope, mel, açúcar ou artificial) (opcional) (a gosto)
| Sal fino (a gosto)

Preparação:
[  Espalhar as sementes num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno pré-aquecido a 170 graus até que estejam douradas e tostadas (cerca de 15 minutos).
[  Transferir as sementes para um processador de alimentos grande e processar, parando a máquina e raspando os lados do recipiente com uma espátula quando necessário.
[  Primeiro forma-se uma espécie de farinha; assim que começar a ficar mais pastoso e formar aglomerados, adicionar o óleo.
[  Continuar a processar; deve com uma consistência de «pasta» e relativamente  líquida. Juntar mais algum óleo se necessário.
[  Prosseguir durante mais uns minutos.
[  Parar o processador.
[  Acrescentar os ingredientes opcionais, se desejados (mel, açúcar ou xarope, sal).
[  Para ficar um pouco mais cremosa, pode-se ainda triturar com uma liquidificadora ou uma varinha mágica até adquirir a consistência pretendida.




Gostei muito! Ficou com uma textura muito boa e em tostas fica deliciosa, com um sabor a sementes de girassol torradas muito agradável. Lembrei-me das pipas assim que experimentei!
Não desistam enquanto está a ser processada porque demora algum tempo a libertar o óleo. Provavelmente fazer só com a varinha mágica também resulta, mas deve dar mais trabalho. 
Se não forem muito fãs do sabor das sementes simples, podem sempre juntar algum adoçante e sal. Eu achei que ficou boa ao natural, mas misturei isso em parte e também me agradou. 
Guardei num tupperware (no frigorífico) e aguentou bastante tempo, cerca de um mês ou mais.

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 100g)
Energia: 600kcal 
Proteínas: 19.6g
Hidratos de Carbono: 18.9g
-       Dos quais açúcares: 2.5g
Lípidos: 54.2g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 8.1g
Sódio: 8mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 100g ou aproximadamente 1/5 da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para um produto sem glúten cada um dos ingredientes deve ser verificado devido à possibilidade de contaminação. Para que seja vegan o mel não é opção.
_________________________________________________________________________

Comentários

  1. adoro sementes de girassol *-*
    fiz uma vez mas não correu assim tão bem, nem ficou nada do genero como as tuas fotos!! :(
    Mas ainda vou voltar a fazer dessa maneira, da outra vez não as torrei, talvez assim fique com um sabor bem diferente :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei desta ideia, vou levar comigo. ;)
    Obrigado pela partilha. Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Deve ficar mesmo bom! Já tinha anotado para fazer um creme vegetal caseiro e acho que esta tua sugestão é fantástica!
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Ai manteiga de amendoim, lá voltamos nós à mesma conversa...Fiz cá em casa e nossa que ficou boa mas boa!
    De pipas não sei, acho que ia enjoar, porque eu gosto é de comer pevides e trincá-las. Acho que vou experimentar fazer manteiga de amêndoas ;)

    ResponderEliminar
  5. yummy que delicia e super saudavel:)

    http://fromportugaltonyc.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Nunca me lembrei de fazer uma manteiguinha assim! Deve ser muito saborosa. Fiquei curiosa :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Olá avelã...

    Eu juro que antes de ler o post e mal olhei para a 1ª foto me pareceu manteiga de amendoim :-)
    Mas depois lá vi que não... Mas gosto! Gosto especialmente da consistência dessa manteiga...
    Realmente com uma varinha mágica é capaz de ser mais trabalhoso, mas só experimentando mesmo...

    Beijinhos grandes***

    ResponderEliminar
  8. Eu adoro sementes de girassol, de todas as formas e feitios! :)
    Desconhecia que se podia fazer manteiga com elas... deve ser tão bom!! O oleo de côco aqui é carissimo, achas que com azeite não ficará bom?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Na receita original fala de um azeite «light», que basicamente tem um sabor menos acentuado. Não sei se se usar azeite «normal» não ficará com um gosto ligeiro a azeite, mas também já vi receitas que o usam e que parecem igualmente boas... :)
      Também podes usar óleo vegetal, que tem um sabor menos intenso, de girassol/amendoim/..., por exemplo.

      Eliminar
  9. Mal olhei para as fotos pensei em manteiga de amendoim, é que a cor e textura parecem mesmo!

    ResponderEliminar
  10. Eu adoro manteiga de amendoim, adoro adoro! Ainda hoje publiquei (mais!) um bolo com manteiga de amendoim... E juro que quando olhei para a foto pensei que era manteiga de amendoim :)
    Tem bom aspecto, tem! Ai gulodice :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  11. Pipas, nem acredito que me esqueci de tal nome. Na minha infância ouvia imensas vezes porque a minha avo e vizinha tinham sempre muitas em casa. Com o passar dos anos ate me esqueci que pipas e sementes de girassol eram a mesma coisa :p Falo como se já fosse muito velha xD
    Realmente nunca me tinha passado pela cabeça que daria para fazia uma "manteiga" com elas, que fantástico!
    Nunca fui grande fã de as comer, confesso que ando com a "manteiga de caju" na cabeça :p
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  12. Nem conhecia esse nome "pipas". Por cá ,chamávamos "pevides", rsrs.Adorei esta manteiga, com uma textura bem semelhante à de amendoim, que adoro!!
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  13. Vai cuscar no FB do blog :D Tá la um post para ti ihihih
    https://www.facebook.com/raparigamodernablog
    (o pao caseiro)

    ResponderEliminar
  14. Pipas e gomas, eram as coisas em que gastava mais dinheiro quando saía da escola no secundário. Mas eu partia com os dentes, o que também não é de todo um charme, mas não tinha força de outra maneira! :P Manteiga de pipas parece-me uma coisa mesmo mesmo boa. Será que ganha à de amendoim? Não me parece, mas hei-de fazer o teste ;)

    beijinho*

    ResponderEliminar
  15. Já fiz várias manteigas vegetais mas esta ainda não! E tenho imensas sementes lá por casa dos meus pais... falta é paciência para as descascar... Mas com a tentação de fazer esta manteiga ainda ganho coragem! hihihi

    ResponderEliminar
  16. Respostas
    1. Vou publicar em breve uma nova receita, ando preguiçosa :P

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

Papas de Aveia com Claras (com aveia de sabor) (Saudável, Sem Lactose*, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)

Já ouvi relatos mirabolantes de desastres na cozinha. Mesmo sendo óbvio que esta é basicamente um aglomerado de aparelhos potencialmente perigosos, continua a surpreender a quantidade de histórias incríveis que sobre ela há: seja sobre panelas de pressão a explodir ou desastres no fogão que originam mini incêndios, praticamente toda a gente tem algumas histórias para contar nesta divisão. Considerando isto, acho que até tenho tido alguma sorte. Tirando os óbvios e nada originais cortes e queimaduras, não me aconteceu nada de especial. A menos que consideremos... O incidente do gelado frito . Tudo começou com um inocente pedido de gelado frito para sobremesa num restaurante chinês. Tinha começado há pouco a cozinhar mais sobremesas, apenas com bolos simples, e decidi depois replicar a receita em casa, o que requeria um tacho de óleo a ferver e a necessidade de colocar e retirar rapidamente bolas de gelado deste para que não derretessem - nada fora do comum até aqui, portanto. Po