Avançar para o conteúdo principal

Galette de Trigo Sarraceno (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura Adicionada)


No último post mencionei que uma das primeiras receitas em que utilizei a frigideira nova foi a de uma galette de trigo sarraceno com ovo e queijo brie. Gostei tanto que voltei a repetir a receita, desta vez com recheio de queijo, cogumelos e ovo - e ficou ainda melhor, tanto que é essa a versão que vos trago hoje.
A ideia de fazer uma surgiu quando me lembrei de que já tinha visto várias vezes fotos de galettes diferentes, que nunca tinha provado. As mais famosas são as doces, dos reis, por isso quando fiquei com vontade de fazer uma em casa não sabia bem pelo que pesquisar. Depois descobri que as que eu procurava eram as 'galettes de trigo sarraceno', o que me deixou ainda mais interessada: para além de ser uma farinha interessante (até para quem tem intolerância ao glúten), já tinha feito uma vez uns crepes com trigo sarraceno que ficaram ótimos.
Acabei por experimentar pouco depois e fiquei muito fã. São surpreendentemente fáceis de fazer, ficam adoráveis e há opções de recheios que nunca mais acabam. Mas sugiro que experimentem vocês e comprovem o que digo :)




Galette de Trigo Sarraceno (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura Adicionada)
Adaptado daqui
Para 4 galettes

Ingredientes:

Para o crepe
[  150g de farinha de trigo sarraceno
[  1/2 colher de chá mal cheia de sal
[  1 ovo
[  350ml de água

Para o recheio (podem alterar ao vosso gosto, claro)
[  Cogumelos salteados (a gosto)
[  Queijo ralado (usei parmesão, 150g no total)
[  4 ovos

Preparação:

| Colocar numa tigela a farinha de trigo sarraceno e o sal e misturar.
| Juntar o ovo e uma parte da água e bater a massa até que esteja homogénea.
| Adicionar a restante água aos poucos, mexendo bem.
| Cobrir o recipiente com película aderente e refrigerar durante pelo menos uma hora (podem deixar de um dia para o outro, por exemplo).
| Aquecer uma frigideira (aconselho uma com por volta de 25cm de diâmetro) antiaderente a lume baixo. Colocar uma porção de massa e espalhar, de modo a que cubra toda a base da frigideira.
| Quando o crepe começar a ficar cozinhado, colocar os cogumelos e o queijo no centro, deixando um buraco para o ovo.
| Colocar o ovo no centro e, com a ajuda de uma espátula, dobrar o crepe de modo a que este fique com o aspeto das fotografias.
| Transferir a galette para um tabuleiro de forno forrado com papel vegetal, e levá-la ao forno pré-aquecido a 200 graus para o ovo acabar de cozer*.
| Repetir o procedimento até acabar a massa, colocando cada galette no forno depois de a dobrar.
| Retirar as galettes do forno assim que o ovo esteja cozido (depende da preferência, claro).

*Podem também tampar a frigideira e esperar que o ovo coza ao lume, em vez de levar ao forno. Eu prefiro fazê-lo porque assim enquanto faço umas galettes as outras acabam de cozer no forno, e também porque acabam por ficar mais crocantes. No entanto, especialmente se forem fazer só uma, não precisam de ligar o forno de propósito.



Gostei mesmo desta galette - o recheio de queijo, cogumelos e ovo é particularmente bom. Não fica nada enjoativo e é fácil de preparar :) O crepe em si também é ótimo: é macio e indo ao forno as partes exteriores ficam estaladiças.
Como disse, há imensas opções de recheio, por isso esta receita é facilmente adaptável a todos os gostos. Até há a opção de retirar o sal dos crepes e fazer uma versão doce, ideia que me ocorreu agora e me parece extremamente interessante :P
Nunca experimentei não deixar repousar a massa porque praticamente todas as receitas que vi recomendavam esse passo (e normalmente faz-se isto nos crepes, para obter a consistência necessária). De qualquer modo, não é muito difícil prepará-la com antecedência, nem que seja no dia anterior.
Se não quiserem fazer as quatro galettes de uma vez podem (além de diminuir as quantidades, claro) guardar a massa no frigorífico e ir retirando porções - de todas as vezes que fiz utilizei a massa dentro de um dia, mas parece-me que aguenta bem uns dias no frigorífico, desde que coloquem num recipiente fechado.
____________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 galette)
Energia: 360kcal
Proteínas: 24.5g
Hidratos de Carbono: 29.1g 
-       Dos quais açúcares: 1.8g
Lípidos: 18.2g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 7.8g
Fibra:  4g
Sódio:  721mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 galette ou 1/4 da receita). Inclui todos os ingredientes referidos, entre eles 100g de cogumelos salteados numa colher de sopa de azeite. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
____________________________________________________________________________

Comentários

  1. Ficou linda! :) Em casa nunca fiz, mas comi em Paris e no Restaurante Celta Endovélico aqui no Porto e adorei. :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Ficou com muito bom aspecto e já se comia.

    ResponderEliminar
  3. Hummm, gostei da ideia.
    Levo comigo.

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.com/2018/06/arroz-de-pesto.html

    ResponderEliminar
  4. Que giro, nunca tinha visto nem lido sobre "tal coisa" =)
    Bom aspecto.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  5. adorei a receita. Confesso não ser a pessoa com mais paciência para fazer crepes e galettes, mas quando faço tenho sempre dificuldade com as farinhas sem glúen. Vou usar a tua receita para ver como corre.
    abraço
    sara

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

As Panquecas Perfeitas! (Saudável, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten)

Desde que tenho o blog já experimentei muitas receitas de panquecas, e já publiquei várias delas. Algumas foram particularmente bem-sucedidas: as de aveia com quark, as de weetabix e as de coco já foram feitas (e aprovadas) por muita gente que me veio dar o seu feedback.
Outras tornaram-se em clássicos por aqui, e foram repetidas imensas vezes por mim desde que as publiquei; é o caso das panquecas com aveia de sabor e das de aveia e centeio.
Mesmo as panquecas de abóbora, uma das últimas receitas que publiquei, foram bastante apreciadas (por mim e por quem já experimentou e partilhou a sua opinião).
E gostei bastante de todas estas receitas, até porque só publico no blog coisas de que tenha gostado realmente. Mas, as receitas antigas que me desculpem, hoje não venho partilhar uma receita de panquecas 'boa', nem sequer muito boa. Hoje venho partilhar A receita, capaz de revolucionar por completo a forma como vêem as panquecas.
Apenas as fiz hoje, mas tive de publicar rapidamen…

Papas de Aveia com Claras (com aveia de sabor) (Saudável, Sem Lactose*, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)

Já ouvi relatos mirabolantes de desastres na cozinha. Mesmo sendo óbvio que esta é basicamente um aglomerado de aparelhos potencialmente perigosos, continua a surpreender a quantidade de histórias incríveis que sobre ela há: seja sobre panelas de pressão a explodir ou desastres no fogão que originam mini incêndios, praticamente toda a gente tem algumas histórias para contar nesta divisão. Considerando isto, acho que até tenho tido alguma sorte. Tirando os óbvios e nada originais cortes e queimaduras, não me aconteceu nada de especial. A menos que consideremos... O incidente do gelado frito. Tudo começou com um inocente pedido de gelado frito para sobremesa num restaurante chinês. Tinha começado há pouco a cozinhar mais sobremesas, apenas com bolos simples, e decidi depois replicar a receita em casa, o que requeria um tacho de óleo a ferver e a necessidade de colocar e retirar rapidamente bolas de gelado deste para que não derretessem - nada fora do comum até aqui, portanto. Por muito…

Pudim Flan Proteico (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)

Se antes tinha um ódio de estimação por gelatina, de tal forma que o cheiro me deixava enjoada (especialmente quando quente), num passado recente os meus gostos nesse campo deram uma volta de 180 graus. Isto ocorreu em grande parte devido às gomas de fruta caseiras, que faço várias vezes por semana e consumo diariamente. Até acertar com a receita tive algumas 'fornadas' sofríveis que, confesso, custaram a acabar - mas depois de chegar à fórmula ideal nunca mais olhei para trás, e ando há meses viciada nas minhas gominhas, sem sinal de mudança à vista :)  Desta forma, não é de estranhar que me veja encorajada a fazer mais experiências com gelatina entre os ingredientes. Ultimamente, e em particular depois do sucesso do leite creme proteico, andava com a ideia de fazer uma espécie de pudim flan instantâneo mesmo simples: apenas leite, whey e gelatina para solidificar. Se por um lado me parecia que uma ideia tão simples estava a pedir para ser testada, por outro custava-me acre…