Avançar para o conteúdo principal

Galette de Trigo Sarraceno (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura Adicionada)


No último post mencionei que uma das primeiras receitas em que utilizei a frigideira nova foi a de uma galette de trigo sarraceno com ovo e queijo brie. Gostei tanto que voltei a repetir a receita, desta vez com recheio de queijo, cogumelos e ovo - e ficou ainda melhor, tanto que é essa a versão que vos trago hoje.
A ideia de fazer uma surgiu quando me lembrei de que já tinha visto várias vezes fotos de galettes diferentes, que nunca tinha provado. As mais famosas são as doces, dos reis, por isso quando fiquei com vontade de fazer uma em casa não sabia bem pelo que pesquisar. Depois descobri que as que eu procurava eram as 'galettes de trigo sarraceno', o que me deixou ainda mais interessada: para além de ser uma farinha interessante (até para quem tem intolerância ao glúten), já tinha feito uma vez uns crepes com trigo sarraceno que ficaram ótimos.
Acabei por experimentar pouco depois e fiquei muito fã. São surpreendentemente fáceis de fazer, ficam adoráveis e há opções de recheios que nunca mais acabam. Mas sugiro que experimentem vocês e comprovem o que digo :)




Galette de Trigo Sarraceno (Saudável, Sem Glúten/Lactose, Sem Gordura Adicionada)
Adaptado daqui
Para 4 galettes

Ingredientes:

Para o crepe
[  150g de farinha de trigo sarraceno
[  1/2 colher de chá mal cheia de sal
[  1 ovo
[  350ml de água

Para o recheio (podem alterar ao vosso gosto, claro)
[  Cogumelos salteados (a gosto)
[  Queijo ralado (usei parmesão, 150g no total)
[  4 ovos

Preparação:

| Colocar numa tigela a farinha de trigo sarraceno e o sal e misturar.
| Juntar o ovo e uma parte da água e bater a massa até que esteja homogénea.
| Adicionar a restante água aos poucos, mexendo bem.
| Cobrir o recipiente com película aderente e refrigerar durante pelo menos uma hora (podem deixar de um dia para o outro, por exemplo).
| Aquecer uma frigideira (aconselho uma com por volta de 25cm de diâmetro) antiaderente a lume baixo. Colocar uma porção de massa e espalhar, de modo a que cubra toda a base da frigideira.
| Quando o crepe começar a ficar cozinhado, colocar os cogumelos e o queijo no centro, deixando um buraco para o ovo.
| Colocar o ovo no centro e, com a ajuda de uma espátula, dobrar o crepe de modo a que este fique com o aspeto das fotografias.
| Transferir a galette para um tabuleiro de forno forrado com papel vegetal, e levá-la ao forno pré-aquecido a 200 graus para o ovo acabar de cozer*.
| Repetir o procedimento até acabar a massa, colocando cada galette no forno depois de a dobrar.
| Retirar as galettes do forno assim que o ovo esteja cozido (depende da preferência, claro).

*Podem também tampar a frigideira e esperar que o ovo coza ao lume, em vez de levar ao forno. Eu prefiro fazê-lo porque assim enquanto faço umas galettes as outras acabam de cozer no forno, e também porque acabam por ficar mais crocantes. No entanto, especialmente se forem fazer só uma, não precisam de ligar o forno de propósito.



Gostei mesmo desta galette - o recheio de queijo, cogumelos e ovo é particularmente bom. Não fica nada enjoativo e é fácil de preparar :) O crepe em si também é ótimo: é macio e indo ao forno as partes exteriores ficam estaladiças.
Como disse, há imensas opções de recheio, por isso esta receita é facilmente adaptável a todos os gostos. Até há a opção de retirar o sal dos crepes e fazer uma versão doce, ideia que me ocorreu agora e me parece extremamente interessante :P
Nunca experimentei não deixar repousar a massa porque praticamente todas as receitas que vi recomendavam esse passo (e normalmente faz-se isto nos crepes, para obter a consistência necessária). De qualquer modo, não é muito difícil prepará-la com antecedência, nem que seja no dia anterior.
Se não quiserem fazer as quatro galettes de uma vez podem (além de diminuir as quantidades, claro) guardar a massa no frigorífico e ir retirando porções - de todas as vezes que fiz utilizei a massa dentro de um dia, mas parece-me que aguenta bem uns dias no frigorífico, desde que coloquem num recipiente fechado.
____________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 galette)
Energia: 360kcal
Proteínas: 24.5g
Hidratos de Carbono: 29.1g 
-       Dos quais açúcares: 1.8g
Lípidos: 18.2g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 7.8g
Fibra:  4g
Sódio:  721mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 galette ou 1/4 da receita). Inclui todos os ingredientes referidos, entre eles 100g de cogumelos salteados numa colher de sopa de azeite. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
____________________________________________________________________________

Comentários

  1. Ficou linda! :) Em casa nunca fiz, mas comi em Paris e no Restaurante Celta Endovélico aqui no Porto e adorei. :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Ficou com muito bom aspecto e já se comia.

    ResponderEliminar
  3. Hummm, gostei da ideia.
    Levo comigo.

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.com/2018/06/arroz-de-pesto.html

    ResponderEliminar
  4. Que giro, nunca tinha visto nem lido sobre "tal coisa" =)
    Bom aspecto.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  5. adorei a receita. Confesso não ser a pessoa com mais paciência para fazer crepes e galettes, mas quando faço tenho sempre dificuldade com as farinhas sem glúen. Vou usar a tua receita para ver como corre.
    abraço
    sara

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Madalenas Sem Açúcar

Tenho a tradição de testar uma receita nova de cada vez que recebo ou compro uma nova forma. Por vezes as ideias são muitas e não é fácil escolher, mas quando a My Tup Love  me enviou esta forma não houve sequer um momento de indecisão: forma de madalenas pede madalenas :D  Juntei o útil e agradável, e usei na receita a recentemente lançada aveia de custard. O seu aroma docinho a lembrar bolos com limão não podia ser mais adequado para o efeito :)  Madalenas Sem Açúcar Para 6 madalenas Ingredientes : [  1 ovo [  50g de quark natural [  25ml de leite [  75g de farinha de aveia com sabor (usei a de custard da EU Nutrition , que tem um saborzinho a limão fantástico; podem encomendar com 15% de desconto usando o cupão euavela15 no site) [  1 colher de café de fermento Preparação : | Bater o ovo com o quark durante dois ou três minutos. | Baixar a velocidade para o mínimo e adicionar o leite, batendo apenas até este estar incorporado.  | Juntar a farinha e o fermento envolver com uma espát

Bolo de Spéculoos

  Com quase dois meses de atraso, venho deixar a receita do bolo que fiz para o meu aniversário. Mais pequeno que o habitual, tendo em conta a situação pandémica na altura (nos últimos dois anos não tive muita sorte com o timing do meu dia de anos). Para compensar, fi-lo em modo *overdose de spéculoos*: spéculoos  alegram qualquer situação :D O recheio foi improvisado à última da hora: tinha planeado fazê-lo com natas batidas e creme de spéculoos, mas aqueci o creme para ficar mais fluido e a temperatura fez com que as natas coalhassem. Fiquei sem o único pacote de natas que tinha, mas felizmente sou  exagerada  precavida e tinha meia dúzia de frascos do creme de barrar.  Acabei por desenrascar um recheio misturando-o com o pudim de caramelo da Ehrmann como base, o que de resto prova a minha tese de que há poucas coisas que não se resolvam com um pudim de caramelo da Ehrmann :P Foi tudo pelo melhor, porque ficou delicioso! Deixo a receita para que possam experimentar :)  Bolo de Spécul