sábado, 29 de abril de 2017

Brownies de Oreo com Quark (Saudável, Vegan*, Sem Glúten/Lactose*, Sem Açúcar Adicionado)


Há uns anos era muito frequente eu fazer receitas sem ovos - tentava sempre fazer bolos vegan, e cheguei a usar umas vezes o famoso 'ovo' de linhaça.
Entretanto, como podem reparar, mudei bastante nesse aspeto. Praticamente todas as minhas receitas de bolos têm ovos, porque é um ingrediente quase insubstituível em termos de textura e composição nutricional - sem ele o mais provável é acabar com um bolo que consiste praticamente só em hidratos de carbono.
Mas isto deve-se também em parte aos desastres que fiz nessa altura - inspirava-me principalmente nas receitas da blogger vegan 'Chocolate Covered Katie', mas na verdade elas nunca me saíam muito bem, não sei se por defeito seu, meu ou dos ingredientes (visto que nem sempre encontrava as equivalências exatas aqui). Lembro-me particularmente de uns brownies baixinhos e tão moles que tive de os pôr no congelador para conseguir comer, e, ainda pior (os brownies ainda se podiam comer a fingir que era gelado :P), de uma ou duas tartes que sabiam a tofu - toda a gente sabe que o objetivo das tartes de tofu é surpreenderem por não saberem a tofu, certo? Não resulta muito bem apresentar uma tarte toda bonita, ver o pessoal que prova a torcer o bico e depois revelar como se fosse uma grande surpresa que o ingrediente principal é tofu se a reação geral for 'Ah, então é disso...'.
De qualquer modo, ainda não desisti - as receitas vegan continuam a cativar-me, mesmo se já me deixaram mal um par de vezes. Prova disto são estes brownies, que decidi fazer sem ovos, para variar um bocado das minhas tradicionais receitas ovo-mel-aveia (avisem quando estiverem fartos delas :P). Podem ser feitos com ingredientes completamente isentos de produtos de origem animal - e, quase tão importante, aguentam-se fora do congelador. Acho que usei as receitas erradas toda a minha vida.






Brownies de Oreo com Quark (Saudável, Vegan*, Sem Glúten/Lactose*, Sem Açúcar Adicionado)
Adaptado daqui
Para cerca de 16 brownies

Ingredientes:
[  125g de chocolate negro (vegan, sem glúten ou sem lactose para as respetivas versões)
[  60ml de óleo de coco (usei da EU Nutrition, que podem comprar com 15% de desconto com o cupão euavela15)
[  250g de queijo quark (podem usar um iogurte vegetal bem espesso para as versões vegan e sem lactose)
[  50g de mel ou maple syrup (este último para a versão vegan)
[  1 colher de chá de extrato de baunilha
[  70g de farinha de aveia (flocos triturados; certificados sem glúten para a versão sem glúten)
[  1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
[  1 pitada de sal
[  6 oreos proteicas (uma embalagem e meia; assim como o óleo de coco, podem adquiri-las aqui com 15% de desconto se usarem o código euavela15. Estas bolachinhas elevam os brownies a outro nível, mas podem omiti-las para as versões vegan, sem glúten e sem lactose)

Preparação:

| Partir o chocolate negro em pedaços pequenos e colocá-lo num recipiente grande.
| Aquecer o óleo de coco até ficar quente ao toque e adicioná-lo ao chocolate, mexendo bem até que este derreta completamente (podem aquecer um pouco a mistura, se necessário).
| Quando o preparado estiver homogéneo, adicionar o queijo quark e misturar tudo. Juntar de seguida o mel, o extrato de baunilha, a farinha de aveia, o bicarbonato e o sal e envolver.
| Partir as oreos em pedaços e juntar metade à massa.
| Transferir o preparado para um tabuleiro quadrado (usei um com aproximadamente 20 por 20 cm) forrado com papel vegetal. Alisar o topo com uma colher/espátula e decorá-lo com os restantes pedaços de oreo, pressionando ligeiramente.
| Levar o tabuleiro ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 30 minutos, ou até que os brownies estejam cozinhados mas ainda húmidos.
| Partir os brownies depois de estes arrefecerem (prefiro até colocá-los no frigorífico).

*As oreos não são vegan ou isentas de glúten/lactose, por isso essas versões são de brownies . O título parece um pouco enganador por o quark ser um queijo, mas hoje em dia já há versões não lácteas - por vezes compro um da Provamel, que julgo que ficará muito bem nesta receita se a quiserem tornar vegan :)


Ao contrário dos brownies de beterraba, que eram mais fofos, estes são super húmidos e decadentes, não sei explicar - ambos são muito bons, mas estes são mais brownies. Parecem quase um fudge intenso, com um sabor bastante forte a chocolate e incrivelmente viciantes!
E claro que, embora possam não as usar se querem uns brownies completamente vegan ou isentos de glúten/lactose, os pedaços crocantes de oreos proteicas pelo meio ficam maravilhosos (eu sou suspeita porque ando viciada nestas oreos). Dão graça ao aspeto, também - embora brownies nunca tenham precisado de adornos extra para serem deliciosos :) 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por um brownie)
Energia:143kcal
Proteínas: 6.2g
Hidratos de Carbono: 11.1g 
-       Dos quais açúcares: 3.6g
Lípidos: 8.9g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 4.7g
Fibra:  1.6g
Sódio: 50mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 brownie ou 1/16 da receita). Está calculada com um chocolate com 85% de cacau. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Empadão de Arroz Low Carb (Saudável, Sem Glúten/Lactose)

Não sei se se lembram, mas o empadão não foi propriamente um prato que cresceu comigo - na verdade, provei-o pela primeira vez quando já andava no 3º ciclo. Spoiler alert: provei-o numa cantina, por isso como podem imaginar não passou a ser o meu prato preferido.
Para sorte do empadão, a história não se ficou por aí: a minha avó começou a fazer um tabuleiro dele de vez em quando, talvez relembrada da sua existência pelas minhas descrições frequentes do empadão horroroso da cantina - talvez não fosse o incentivo ideal, mas era inevitável, juro que nunca vi comida tão má na minha vida. Ninguém tocava naquilo, tanto que uma vez poucos dias depois de a comida ser empadão serviram na cantina uma sopa que sabia exatamente ao empadão, e que eu até agora desconfio que tenha sido uma duvidosa estratégia de aproveitamento de restos em grande escala.
Claro que a versão caseira de avó, ainda por cima agradavelmente riscada com um garfo a fazer de mini-ancinho (não posso ser a única a adorar o efeito :P), me ajudou a perder as reservas em relação a empadões. E tudo parecia pacífico e estabelecido no que a empadão diz respeito.
Mas claro que a paz existe para ser perturbada, e passado algum tempo vim a ver gente blasfema a ensanduichar latas de atum entre duas camadas de arroz num tabuleiro e dizer que era empadão. Possivelmente como mecanismo de defesa contra um descaramento tão ultrajante, ignorei estes estranhos so-called empadões de arroz - até agora.
Quando eu recebi um arroz de konjac o empadão de arroz recebeu uma oportunidade, e começo a pensar que fazer o prato assim não é má ideia de todo. Assim sendo, aqui está este post, uma forma de celebrar a minha segunda ronda de pazes com empadões.
Mas não me venham já falar das modernices dos empadões de massa. Acho que ainda não estou preparada :P





Empadão de Arroz Low Carb (Saudável, Sem Glúten/Lactose)

Ingredientes:
[  1 pacote (200g) de arroz konjac (usei o da nu3, que podem comprar aqui com 20% de desconto usando o código AVELA)
[  Óleo de coco
[  3 dentes de alho
[  1/4 pimento verde
[  1/4 pimento vermelho
[  Flor de sal (ou sal)
[  Pimentão doce
[  Orégãos
[  1 cebola
[  1 lata de frango em água (comprei no Carrefour; se não tiverem podem substituir por atum ou 100g de frango cozido e desfiado)

Preparação:
| Passar o arroz por água fria, escorrer e reservar.
| Num wok/frigideira, colocar o óleo de coco e os dentes de alho. Deixar dourar um pouco e juntar então os pimentos cortados às tiras.
| Assim que os pimentos estiverem cozinhados, juntar o arroz e deixar saltear uns minutos. Temperar com flor de sal, pimentão doce e orégãos e reservar.
| No mesmo wok/frigideira (já sem o arroz, claro), colocar mais um pouco de óleo de coco e adicionar a cebola. Quando esta estiver um pouco tostada (mas não mole) adicionar o frango e mexer bem. Temperar com flor de sal, pimentão doce e orégãos.
| Num tabuleiro pequeno, colocar metade do arroz, depois a mistura do frango e por fim o resto do arroz.
| Levar o tabuleiro ao forno pré-aquecido a 200 graus durante uns 10 minutos, para tostar.


Foi o meu primeiro contacto com o arroz de konjac (não sei se conhecem o produto, mas não é realmente arroz, apenas tem um aspeto semelhante: é feito a partir de konjac e é praticamente isento de calorias e consequentemente hidratos) e gostei bastante. Não vou dizer que é igualzinho ao arroz normal, porque isso seria impossível, mas neste prato fez muito bem as vezes dele!
Com as especiarias ficou muito saboroso e agradável, mais áté do que estava à espera (estas coisas com konjac às vezes são duvidosas). Como expliquei na receita, usei um da marca nu3, que se vende online no site da Faz Bem. Já sabem que podem obter 20% de desconto nos produtos do site, este incluído, claro, usando o meu código - AVELA. Encontram o arroz aqui e, caso estejam interessados, também podem comprar a versão massa aqui.
Em termos de textura é um pouco mais duro/elástico do que o arroz comum; no que toca a sabor é neutro, por isso é importante usarem temperos de que gostem.
Quanto à designação 'low carb' da receita: talvez não se encaixe nos padrões mais rígidos, por ainda ter 12.3g de hidratos de carbono, mas visto uma dose ser tão grande e o empadão de arroz ser tradicionalmente rico em hidratos acho que faz sentido :) 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma dose)
Energia: 294kcal
Proteínas: 24.1g
Hidratos de Carbono: 12.3g 
-       Dos quais açúcares: 4.9g
Lípidos: 11.3g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 9.4g
Fibra:  8.6g
Sódio: 571mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose, o mini-tabuleiro da foto ou a totalidade da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

terça-feira, 25 de abril de 2017

10 Receitas para Gastar Claras

Talvez  também porque antes não havia muitos sítios que vendessem claras em pacotes, sempre tive algum fascínio por elas: são muito práticas e uma mais valia quando queremos fazer receitas saudáveis e ricas em proteína. O problema é que as embalagens são enormes - têm 1 litro, o equivalente a trinta e tal claras - e a validade é ridiculamente curta - 24 horas.


Visto este limite ser absurdo, logo das primeiras vezes que comprei andei à procura de testemunhos de gente aventureira que tivesse mantido e usado o pacote aberto durante mais do que um dia. Apercebi-me de que era bastante comum estender-se este limite para 72 horas ou mais, por isso comecei a estabelecer este como o prazo - e até agora nunca tive problemas.

Ainda assim, consegue tornar-se difícil gastar por volta de 300ml de claras por dia, e como pessoa que compra embalagens de claras com frequência acabei por inconscientemente desenvolver uma lista mental de receitas a fazer para as gastar. Como é óbvio pelo título, este post serve para partilhá-las convosco - espero que gostem :)

Papas de Aveia (com sabor) (volume de claras gasto: 100ml)

Com aveia de coco & uma saqueta de preparado para cappuccino
Esta tinha de ser a primeira a aparecer aqui, porque mais do que uma forma de gastar claras esta é a receita por causa da qual eu compro claras. Já muitas pessoas me disseram que estavam a pensar usar claras nas papas seguindo a minha receita mas achavam estranho, e eu só tenho a pedir-vos que experimentem - a vossa visão das papas vai mudar para sempre. Além de adicionarem proteína e tornarem as papas de aveia numa refeição mais completa, dão-lhes uma cremosidade insuperável.

Tenho duas versões da receita com aveia de sabor: esta, no fogão, e esta, no microondas. Acabam por ser muito semelhantes, tanto em termos de proporções como de resultados: o que muda de essencial é só mesmo a parte de cozinhar.

Com aveia de bolacha maria (por cima: chocolate negro e manteiga de amendoim)

Com aveia de chocolate e café
Todos estes sabores de aveia (coco, bolacha maria e chocolate) são os da EU Nutrition, dos quais falei aqui, e podem comprá-los no site com 15% de desconto usando o meu código, euavela15. Para as papas da última foto troquei uma parte do leite (cerca de 50ml) por café já pronto, coisa que faço frequentemente e resulta muito bem, pelo menos se forem apreciadores de café! 

Como podem ver, há imensas formas de diversificar as papas, usando aveia de um sabor diferente, adicionando café ou outros ingredientes, mudando os toppings,... É praticamente impossível enjoar, daí adorar esta receita e repeti-la tantas vezes.

Fluff de Claras (volume de claras gasto: 100ml)


Ultimamente nem tenho feito esta receita, mas ela foi responsável pela época em que eu comprava uns 3 pacotes de claras por semana - é mesmo um vício. Assim como as papas, é facilmente 'diversificável', basta usar sabores de xarope diferentes ou inventar nos toppings: se se estiverem a sentir entusiasmados podem até, quem sabe, cobrir um fluff com oreos proteicas esmigalhadas.

*ups*
Este é um topping mesmo bom, o contraste do fluff super leve e cremoso com o crocante das bolachas fica perfeito! 

Aproveito para informar que depois de um tempo esgotadas as oreos proteicas estão de volta. Eu já tratei de encomendar a minha caixa, sugiro que façam o mesmo antes que esgotem novamente, porque valem mesmo a pena! Assim como a aveia, podem comprá-las com desconto usando o meu código (euavela15) neste link.

Crepiocas (volume de claras gasto: 30ml)


Esta receita pode parecer um bebé no que toca a gastar claras, mas não a subestimem - os 30ml de claras são utilizados para fazer 5 crepes, e acreditem que este número facilmente se multiplica. A crepiocas são uma daquelas coisas que mesmo quem não está interessado em ser mais saudável adora, porque se parecem imenso a crepes normais. A receita está aqui (podem também vê-la em formato de vídeo aqui) - façam-na e digam-me se não tenho razão. ;) 

Panqueca de Forno (volume de claras gasto: 200ml)


Mais uma receita muito prática que gosto de preparar previamente para os meus pequenos-almoços. Apenas tem 2 ingredientes e é muito fofa e saborosa! Encontram a receita neste post. Têm ainda a video-receita disponível no YouTube.

Gelatina com Claras (volume de claras gasto: 100ml)


Esta é uma versão de gelatina muito underrated - toda a gente adora e gaba a gelatina com iogurte/quark, mas adorar esta beleza que mais parece uma nuvem doce que é bom nada. Se querem testar esta maravilha de marshmallows saudáveis vejam este post.

Numa versão com maracujá
 Papas de Aveia (sem sabor) (volume de claras gasto: até 100ml)

Com manteiga de amendoim, *but of course*
Apesar de ultimamente fazer mais a versão com sabor, a receita mais antiga de papas com claras, com os tão old school flocos, continua a ter um lugar no meu coração. As papas ficam também muito cremosas e leves, e são uma boa alternativa para quem não gosta de/não tem aveia com sabor.

Fluff de Whey e Banana (volume de claras gasto: 30ml)


Não é segredo que tudo o que tenha banana congelada sendo triturado se transforma numa nuvem super fofa e deliciosa, portanto imaginem o que acontece se se juntar claras. Este fluff rende sempre imenso e sabe muito bem nos dias mais quentes! Na minha receita inicial apenas incluí 30ml de claras, mas podem usar mais; eu faço isso frequentemente. Se apenas usarem os 30ml vai ficar quase um gelado sólido, e se usarem mais fica uma mistura mais leve. De qualquer das formas é uma delícia. ;)

Mousse de Manga (volume de claras gasto: 60ml)

O quê, não sabiam que colocar guardanapos em ângulos esquisitos nas fotos era super trendy? :P
A minha experiência com mousses de fruta (ou mousses de algo que não chocolate, na verdade) até fazer esta receita eram nulas, mas uma pessoa não devia subestimar o potencial de uma mousse cremosa e fresquinha com sabor a fruta. É uma sobremesa nada enjoativa e muito saudável - vejam a receita aqui.

Panquecas de Aveia (volume de claras gasto: 100ml)


Receitas de panquecas são do que mais há por aqui, e faço frequentemente bastantes delas: as de weetabix, as de aveia e centeio, as com quark... Talvez por a variedade ser tanta esta receita tem andado um bocado esquecida, mas é tão simples de fazer que merece ser ressuscitada. São umas panquecas mais low carb do que as outras, e por isso a textura/sabor são um bocadinho diferentes, mas são muito boas e com chocolate negro derretido ficam uma perdição! Vejam como as faço aqui.

Nutella Saudável (volume de claras gasto: 150ml)


Esta receita tinha de estar aqui, uma vez que estarei eternamente grata às claras devido a terem salvado esta Nutella. Tinha inicialmente usado apenas avelãs, cacau e um pouco de mel, mas a textura estava a ficar estranha, muito densa, Depois lembrei-me de que tinha um pacote de claras abertas e fez-se magia - o resultado foi este creme com uma textura fantástica e muito viciante! É óbvio que as claras diminuem significativamente a duração do creme, mas vale totalmente a pena :) A receita é esta.

E pronto, eram estas as sugestões que tinha para vocês - agora não têm desculpa para andar a beber as claras sozinhas (sim, há quem faça isso). Também têm algumas receitas a que recorrem quando têm um pacote de claras a terminar o prazo? :)

sábado, 22 de abril de 2017

Croissants Integrais de Sementes com Skyr (Saudável, Integral, Sem Açúcar Adicionado, Sem Lactose)


Quando fiz a publicação sobre os Skyr aqui no blog não sabia ainda que estes se tornariam tão populares, nem que iria ser quase uma raridade vê-los nas prateleiras indo ao Lidl mais do que 5 minutos depois da hora da abertura.
Entretanto já ouvi dizer que havia quem ficasse à espera em frente às prateleiras vazias para os agarrar assim que fossem repostos, que se começavam a formar filas em frente aos supermercados antes de estes abrirem portas e que havia quem discutisse - nay, lutasse - por causa dos últimos iogurtes disponíveis.
Os extremismos que se formaram por causa de um simples produto são incríveis - há o lado de quem adora os iogurtes e o lado de quem adora odiá-los, porque são horríveis, porque têm demasiada proteína e fazem mal, porque só quem é idiota é que os compra quando tem o quark a melhor preço.
Pelo caminho perdem-se duas noções fundamentais: a da decência humana e a de que os Skyr são só iogurtes. Podem ser uns bons iogurtes. Uns deliciosos iogurtes, até. Mas continuam a ser iogurtes (não me venham dizer que são produtos lácteos e não iogurtes, para mim são iogurtes e acabou a história :P).
Agora chegam os rumores de que vão ser descontinuados, porque o Lidl não seria o Lidl se não ameaçasse os consumidores com o fim dos seus produtos preferidos (se sentiram algum ressentimento acumulado na última frase é porque ainda não superei o drama do quark, que afinal não passou de uma simples mudança de visual). Não sei se é verdade ou não, mas enquanto são e não são fica uma receita com Skyr natural. Se gostam e têm usem. Se odeiam ou não encontram podem subtituir por quark ou qualquer iogurte tão espesso. É assim tão fácil. 





Croissants Integrais de Sementes com Skyr (Saudável, Integral, Sem Açúcar Adicionado, Sem Lactose)
Adaptado daqui
Para 16 croissants

Ingredientes:
[  250ml de leite (sem lactose para a versão sem lactose)
[  500g de farinha de trigo integral
[  10g de fermento de padeiro seco
[  1 pitada generosa de sal
[  1 colher de chá de mel (ou xarope de agave)
[  1 ovo
[  1 skyr natural (podem substituir por 125g de quark ou outro iogurte bem espesso para não terem de andar a caçar os skyr; sem lactose para a versão sem lactose)
[  Óleo de coco para pincelar (cerca de 20ml)
[  Sementes a gosto para a cobertura (usei sementes de cânhamo da EU Nutrition, que podem comprar com 15% usando o código euavela15 aqui, e a 'supermix omega' da Origens Bio, que podem comprar em alguns supermercados ou online)

Preparação:
| Aquecer o leite até ficar quente ao toque (sem queimar). Num recipiente grande, misturar a farinha, o fermento, o sal, o mel, o ovo, o skyr e o leite aquecido e misturar bem.
| Transferir a massa para uma superfície polvilhada com farinha integral e cortá-la em oito partes.
| Estender (com as mãos ou com o rolo da massa) uma das oito partes de forma a que fique redonda (e mais ou menos do tamanho de um prato de sobremesa). Pincelar o topo com óleo de coco derretido, cobrir com outra parte depois de lhe dar o mesmo formato circular e repetir o processo até utilizar toda a massa - a camada de cima não deve ser pincelada com óleo de coco.
| Com o rolo da massa, estender o conjunto de todas as camadas para que fique mais fino e com maior diâmetro (mantendo a forma circular).
| Cortar o círculo em 16 fatias do mesmo tamanho (cortando primeiro em metades, depois em quartos,...). Enrolar cada uma das fatias de fora para dentro (dando-lhes o formato de um croissant).
| Colocar os croissants num tabuleiro forrado com papel vegetal e cobri-los com as sementes, pressionando ligeiramente para que fiquem 'coladas'.
| Deixar os croissants a levedar num sítio quente (por exemplo, no forno pré-aquecido a 50 graus e desligado) durante cerca de uma hora.
| Levar o tabuleiro ao forno pré-aquecido a 180 graus até que os croissants estejam cozidos (cerca de 20 minutos).


Estes croissants ficaram muito bons, à semelhança dos de alfarroba com quark. Podem não crescer tanto como uns croissants normais nem ser tão doces, mas são incrivelmente fofinhos - o que é um grande feito se considerarmos o que os croissants de compra (mesmo os integrais ou de sementes, embora bem tentem enganar-nos) têm para serem fofos.
As sementes dão-lhes sempre outra graça, também. E ficam particularmente deliciosos com manteiga de amendoim, mas acho que nem precisava de dizer isso :P
Estejam atentos ao canal de youtube, porque preparei uma versão em vídeo desta receita e deve aparecer por lá esta semana! :D
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por um croissant)
Energia: 132kcal
Proteínas: 6.2g
Hidratos de Carbono: 23.6g 
-       Dos quais açúcares: 0.8g
Lípidos: 2.3g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 1.2g
Fibra:  4g
Sódio: 22mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 croissant ou 1/12 da receita). O leite considerado foi o de soja sem açúcar da Alpro. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Produtos #28 - Pudins de Claras 'PR-OU'

Não sei se já ouviram falar do mais recente produto-sensação, os pudins de claras da marca PR-OU. Existem em vários sabores - bolacha maria, coco, cappuccino, café, crema catalana, tiramisù, torrão,... E até em vários tipos, dos quais falo mais abaixo.

Eu já tinha ouvido falar muito bem (especialmente da parte da Inês, no IG), mas nunca tinha tido oportunidade de comprar. Entretanto descobri uma loja que vendia estas pequenas maravilhas perto de mim, há coisa de duas semanas - e o resto é história.


Ainda vou fazer um ranking, quando tiver provado todos os sabores (já faltou mais, diga-se), mas decidi fazer este post de esclarecimento porque tenho recebido tantas mensagens e comentários a perguntar onde compro que começo a não dar conta do recado :P 

Desta forma, aqui vai a parte mais importante, os pontos de venda. Sei que há gente que não tem acesso a nenhum destes, mas podem sempre encomendar online na última loja.

Pontos de Venda

Barcelos - Ervanário Portuense
Braga - Nutriside
Chaves - Ginásio 100%
Covilhã - Ginásio Muscle Gym
Gondomar - Sportduo
Lisboa - Primebody Nutrishop (só na loja do centro comercial da Bela Vista)
Penafiel - NR Pro Store
Porto - Ervanário Portuense (várias lojas)
Setúbal - Muscle Power
Sintra - Querbio, Nutranyma
Viana do Castelo - Ervanário Portuense
Online - Sportduo

Só para quebrar a monotonia do texto :P
Preço

O preço dos pudins varia consoante a loja, mas está sempre entre os 1.2 e os 1.5€. Custa exatamente isso na Nutriside e na Sportduo; no Ervanário Portuense custa menos um bocadinho (1.4€), e na Querbio custa 1.2€ (esta última informação vi na página da Sara, My Food Files - vão lá dar uma espreitadela). De resto, como podem imaginar, não tenho a certeza - nunca pus os pés na maior parte das lojas :P

Os preços que aqui estão são os à data da última edição do post (24/04), se entretanto souberem de alterações podem sempre dizer-me e eu corrijo :)

Ingredientes e Informação Nutricional

Relativamente à informação nutricional, é o que se poderia esperar de um produto feito quase exclusivamente de claras - cada pote tem por volta de 60kcal e 13.5g de proteína, estando os restantes macronutrientes presentes em quantidades desprezáveis.

Os ingredientes consistem basicamente em claras, antioxidante, conservantes, aromas e edulcorante. Não é uma lista propriamente "natural", mas é o que se poderia esperar de uma sobremesa deste género com tão bom perfil nutricional. Como tudo, recomendo que haja moderação - e se não forem de todo apologistas de adoçantes e etc. talvez este não seja um produto para vocês. :)


Variedades, Textura e Sabor

Podem consultar a informação nutricional e ingredientes dos vários tipos no site da marca, bem como os sabores que existem. Há 3 tipos principais: normais (só com claras), os que tem mais sabores (crema catalana, café, bolacha maria, tiramisù, morango, torrão, piña colada, limão, coco, cacau e banana), com whey (existem de iogurte, de iogurte e cacau e de iogurte e morango) e com aveia (de chocolate, morango ou banana). 

Depois existem também uns com proteína de bovino, apenas num sabor (cappuccino), uns com sementes de chia (com sabor a crema catalana ou a iogurte) e ainda uns com amido de milho (de limão e de ananás).

No geral, os pudins têm uma textura semelhante. São bastante sólidos, quase que podem ser desenformados, mas ao mesmo tempo são cremosos - sendo fresquinhos o resultado disto é maravilhoso, ficam mesmo a parecer uma sobremesa pecaminosa! Em relação ao sabor, pensei que fosse ser estranho (já tive suficientes más experiências com claras), mas fui positivamente surpreendida, é muito bom também.

Adianto que inicialmente o de cappuccino foi o que mais me conquistou. É o único que tem proteína de bovino, e não sei se isso faz alguma diferença mas a textura é mais cremosa e leve do que os outros - e sobremesas com sabor a café têm sempre um espacinho reservado no meu coração!

*textura super boa*
Mas, e porque pudins não são pudins sem novelas, o sabor 'crema catalana' veio perturbar a estabilidade do primeiro lugar do cappuccino ao ser a melhor coisa de sempre.

Não se deixem enganar com o aspeto inocente, eu digo-vos - melhor coisa de sempre!
Este parece mesmo um pudim, tipo flan ou daqueles que se vendem em potinhos nos supermercado. Como não podia deixar de ser, conquistou o topo e parece-me que só muito dificilmente será de lá retirado. ;)

É isto - aguardem o meu ranking completo, que aparecerá por aqui em breve. E entretanto digam-me - já provaram os pudins? Partilham o meu amor pelo de crema catalana ou o vosso preferido é outro?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...