quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Produtos #71 - Wafers Proteicas da EU Nutrition



A EU Nutrition tem lançado muitos produtos novos ultimamente, entre os quais várias gamas de barras proteicas - que, como sabem, são a minha praia :D

Hoje venho falar-vos de uma destas gamas: a das wafers proteicas. Tenho vários posts nos rascunhos sobre os restantes produtos, e pretendo publicar alguns em breve. Infelizmente não tenho tido grande tempo, gostava de o ter feito logo depois do lançamento - para estar mais em cima do acontecimento :P 

De qualquer forma, continuam a pedir-me opiniões frequentemente, e aqui no blog as reviews ficam todas organizadas e facilmente acessíveis.

Se quiserem espreitar todas as novidades, podem fazê-lo no site - em particular, encontram muitas delas na categoria dos snacks. Barrinhas, bolinhas de chocolate recheadas, snacks de soja crocante... O paraíso, basicamente! ;)

Se quiserem fazer encomendas, já sabem que como sou parceira da marca o meu cupão, euavela15, vos dá desconto e ofertas no site. As ofertas mudam semanalmente, mas podem consultar as atualmente em vigor nas redes sociais, onde partilho sempre as novas campanhas. Esta semana são estas:


Já com uma das novidades - barrinhas orgânicas de mel e amêndoa :) Se gostam de torrão, comprem. E tenho para mim que a primeira oração é uma tautologia, mas cada um sabe de si :P

Ultimamente o site tem tido imensas campanhas acumuláveis com o cupão, por isso sugiro que espreitem com atenção as que estão em vigor no momento em que fazem uma encomenda. Atualmente, por exemplo, há uma série de produtos com desconto direto (barras de amendoim, proteínas vegetais, whey em saco) e 3 ofertas na compra de whey isolada (bem boas: dois cremes de barrar e 1kg de manteiga de amendoim), tudo promoções que podem acumular com o cupão. 

Mas voltando ao assunto do post - wafers proteicas. A EU lançou este produto há uns meses, e esmagou todas as expectativas que alguma vez poderia ter em relação a wafers proteicas! Sem dúvida uma grande revelação, e eu até já tinha provado wafers proteicas de várias outras marcas (Diese, Prozis, Myprotein) e gostado bastante. Mas destas não 'gostei bastante', destas 'morri ohmeudeus o que é que é isto e porque é que é tão delicioso' :P

Encontram-nas aqui. Têm o formato de uma única barra bastante grande, e são feitas de uma bolacha leve e estaladiça recheada (com o recheio dependente do sabor) e envolta numa cobertura de chocolate. Quanto ao preço, uma unidade fica a 2,30€, mas estão atualmente com um desconto direto que as deixa a 1,99€, e aplicando o cupão podem comprá-las a 1,70€Estão disponíveis nos sabores gelado de baunilha, chocolate negro e laranja e chocolate.

Quanto à informação nutricional, dou o exemplo das de gelado de baunilha: uma barra tem cerca de 220kcal, 17g de proteína, 14g de hidratos de carbono (5g de açúcar) e 12g de gordura. O perfil está próximo do da barra proteica média, com um pouco menos de proteína e de hidratos de carbono e mais gordura - como é expectável numa bolacha deste tipo. De resto, prometo que uns gramas de gordura extra valem totalmente a pena, porque nunca vi uma barra proteica com uma textura que se aproximasse da destas!

Quanto aos ingredientes, deixam um pouco a desejar. Incluem açúcar e gordura adicionados, por exemplo. É muito raro haver barras proteicas que sejam mais 'pecaminosas' (com camadas, coberturas e etc.) sem repercussões a nível de ingredientes. As barras proteicas menos processadas (dentro do possível) e com listas de ingredientes mais curtas são por norma as mais simples, sem recheios e etc - por exemplo, as EU Bar da mesma marca. Por norma, tendo em conta que produtos deste género não têm grande expressão na minha alimentação (90% é fruta, vegetais, carne, arroz, aveia,...), não me preocupo muito se uma pequena percentagem incluir produtos com listas de ingredientes não-tão-simpáticas :)

Se quiserem consultar em detalhe os rótulos de cada sabor, podem espreitar o site ou as fotografias que vou deixar mais abaixo.

Já estou a abusar no testamento - sem mais demoras, aqui vai o meu feedback sobre cada um dos sabores, por ordem de preferência!


1º - Gelado de Baunilha





Contexto: eu adoro baunilha. E não digo isto levianamente. Eu vibrei com o regresso às lojas do quark de baunilha do Lidl. Eu comi um skyr de baunilha com um pauzinho à hora de almoço no aeroporto em Itália porque sabia que não havia cá e não conseguia resistir a provar. Eu fui ao Continente de propósito no dia em que alguém me disse que tinha avistado lá o novo kvarg de baunilha da Lindahls.

Dito isto, os produtos com sabor a baunilha tendem a desiludir-me, porque muitas vezes parece que 'baunilha' é eufemismo para 'nada' a nível de sabor - um iogurte que só é doce? Dizemos que é de baunilha. Acabou o aroma e só temos gelado de nata? Escreve baunilha na placa. Um verdadeiro drama para os fãs de baunilha neste mundo.

Em suma, não estava à espera de ser surpreendida por este sabor. Normalmente 'gelado de baunilha' é uma forma muito elaborada de designar o sabor das barras proteicas que sabem a 'nada de especial'.

E depois... Depois chegaram estas wafers, e provaram que nem sempre é assim. Não sei como é possível, mas sabem realmente a gelado de baunilha. Têm um sabor super fresco, e um recheio que parece chantilly com aroma a baunilha. A suportar o recheio encontram uma bolacha bem crocante e levezinha, envolta numa fina camada de chocolate de leite com uma textura macia.

É mesmo. Muito. Boa. A nível de barras proteicas é do melhor que já provei. Não é massuda, não é enjoativa, não é amarga, não tem o aftertaste da whey nem do adoçante. É só perfeita, e incrível, e deliciosa, e precisam dela nas vossas vidas, acreditem em mim. ;)

2º - Chocolate Negro e Laranja





Vou começar a repetir-me, mas este é mais um sabor estrondoso! A textura é idêntica, bem estaladiça e leve. O recheio também é húmido, com um sabor muito interessante a chocolate e laranja. A camada exterior tem uma textura semelhante, mas neste caso é de chocolate negro (< 3).

Mal se abre a embalagem sente-se um cheirinho maravilhoso a laranja. Normalmente nesta combinação o chocolate domina ao ponto de não se notar o aroma laranja, mas achei que esta wafer tinha o balanço perfeito entre os dois sabores!

Nunca tinha comido uma wafer com esta combinação, quanto mais numa versão proteica - mas ficou sem dúvida aprovada :D

3º - Chocolate





Em comparação aos dois sabores anteriores, este deixa um pouco a desejar. O recheio não parece tão húmido, e a bolacha também me pareceu um pouco menos estaladiça. A camada de chocolate, como dá para ver pelas fotos, precisava de uns retoques :P

Não é uma barra desagradável para fãs de chocolate, mas sinceramente ficam melhor servidos com um dos outros dois sabores!

Para terminar, como bónus, deixo ainda a minha opinião relativamente às wafers proteicas de Nutella:


Não se encaixam beeem na mesma gama das wafers proteicas anteriores, porque não são barras - são saquetas com várias bolachinhas individuais, aquelas clássicas tiras de wafers com recheio (mas sem cobertura). Neste caso, o único sabor disponível é eutella, a versão de Nutella da marca. A nível de ingredientes e macronutrientes assemelha-se às wafers acima. 






Como podem ver, têm uma quantidade generosa de recheio, que achei que tinha um sabor bem agradável a chocolate e avelã. A textura é ainda mais leve e muito estaladiça, mesmo parecida à das wafers deste género que se costuma comprar no supermercado! Nunca tinha visto uma versão proteica de wafers neste formato, achei imensa piada quando abri o pacot. Ficaram mais que aprovadas :)

Por norma prefiro barras mesmo (porque acho mais aprazível comer uma barra inteira do que várias bolachinhas :P), mas achei estas wafers adoráveis - e é particularmente agradável acompanhar o café com um par delas! :D

E pronto, o post já vai longo. Espero que tenham gostado de conhecer os produtos :)

domingo, 19 de janeiro de 2020

Preparação de Refeições #68 - Jardineira de Soja



Esta semana voltei a usar soja para fazer uma dose de almoços vegetarianos, depois de bastante tempo a optar por outras fontes proteicas (ando mais virada para tofu :P). Voltei a optar por uma receita de um só tacho bem reconfortante: jardineira :)

Digam lá que não ficou bonitinha :D
 Foi bem fácil de preparar:

30 minutos antes de começar a cozinhar demolhei a soja em água abundante.

Depois fiz o refogado do costume, com cebola, alho, pimentos e um fio de azeite. Coloquei os ingredientes num tacho grande e levei a lume baixo até a cebola amolecer. Juntei tomate picado e um pouco de água quente, deixei cozinhar bem e triturei.

Temperei com sal, juntei a soja e deixei ferver. Depois adicionei batata em cubos e esperei que cozesse um pouco. Por fim, acrescentei ervilhas (usei congeladas)  e cenoura em rodelas. A seguir foi só esperar que estivesse pronto :)

Foi meeesmo simples, e usar ervilhas congeladas ainda facilitou mais a tarefa. É um prato delicioso e bem fácil de fazer para várias doses!

A repetir, sem dúvida :)

Comi isto ao almoço 5 vezes esta semana e comia outras 5 se fosse preciso :P
A soja voltou a surpreender pelo facto de ser tão neutra. Acho que até seria difícil não gostar, uma vez que ela apenas absorve o molho e fica com o sabor dele. É mesmo agradável e nada enjoativa, além de ser uma fonte proteica muito acessível (mesmo comparando com as de origem animal!) :)

De resto, voltei a adiantar alguns jantares também - fiz um prato apenas (mas várias doses). O escolhido foi...

Arroz com frango, feijão e penca :D

Eu sei, eu sei, isto mais parece feijoada com arroz. Em minha defesa, pensei que tinha mais feijão demolhado no congelador, quando na verdade tinha uma quantidade estranha que não era suficiente para fazer feijoada mas também era exagerada para fazer arroz. A solução, como é óbvio, passou por fazer um arroz de feijão com uma proporção feijão:arroz que alguns diriam bizarra :P

No entanto, ficou delicioso, que é o que importa. ;)

O procedimento também não é nada de novo, tenho feito pratos deste género imensas vezes:

No dia anterior cozi uma quantidade estranha de feijão em água com sal e reservei o feijão e a água.

No próprio dia fiz refogado a mais para a jardineira; depois de o triturar transferi uma porção para outro tacho. Acrescentei água de cozer o feijão, temperei com sal e deixei ferver. Juntei então peito de frango previamente cozido e desfiado, seguido de penca em pedaços. 

Quando a couve estava quase cozida acrescentei o feijão cozido, deixei levantar fervura novamente e juntei o arroz (uso sempre vaporizado para este tipo de pratos). Adicionei água também, conforme necessário.

Depois foi só esperar que o arroz cozesse :)

Haverá prato mais reconfortante?

Tudo o que há de bom numa feijoada conjugado com tudo o que há de bom num arroz, condensado num único arroz-feijoada. De génio, certo? :P
Ando viciada em usar frango desfiado neste género de pratos, fica com uma textura incrível! :)

sábado, 18 de janeiro de 2020

Produtos #70 - Skyrella (Mozzarella Proteica do Lidl)



Hoje lembrei-me de fazer um post rápido para partilhar com quem ainda não conhece o mais recente produto do Lidl, no qual ando viciada: skyrella :)

Está à venda nos supermercados Lidl em bolas de 125g, que custam 0.99€. Como o nome indica, é uma espécie de mozzarella em versão skyr. Tem mais proteína e menos gordura que a mozzarella tradicional, e mesmo comparando com as versões magras deste tipo de queijo o perfil de macronutrientes da skyrella é superior:

A tabela nutricional
Como podem confirmar, por 100g a skyrella tem 119kcal, 22.5g de proteína (!) e apenas 2.6g de gordura e 1.5g de hidratos de carbono. Tirando queijo fresco, acho que nunca vi nenhum queijo que tivesse um perfil tão bom! Os ingredientes são bastante simples:


Em suma, a nível nutricional parece-me tão boa quanto possível. Claro que tendo isto em conta, a questão que se põe é... Quão maus são o sabor e a textura para tornar isso possível? 

Mas a resposta surpreende: não são de todo maus, pelo contrário! De momento, é um dos meus queijos preferidos para derreter. Caso não acreditem, deixo duas fotos para verem a textura:

Numa tosta com fiambre

Num panino torrado com molho à bolonhesa
Como podem ver, a skyrella derrete mesmo bem: quando aquecida fica com uma textura cremosa, mas ao mesmo tempo elástica, que fica simplesmente fantástica em tostas. Faz até aqueles fios de queijo de que toda a gente gosta (não digam que não gostam, porque eu não acredito :P)!

O sabor não é demasiado forte; não precisam de ter receio porque, ao contrário do skyr, a skyrella não é particularmente ácida. Tem um sabor mais neutro que acredito que agradará à maior parte das pessoas :)

Tenho usado imenso em tostas (além das sugestões que mostrei gosto de combinar com ovo, tofu fumado,...) e não me consigo fartar, para mim é sem dúvida melhor do que queijo light em fatias - e boa sorte para encontrar um queijo fatiado com este perfil de macronutrientes (pista: não encontram) :P 

É mesmo aprazível, e dá um toque pecaminoso a qualquer sandes!

Para terminar, um conselho: se querem que a skyrella derreta, o melhor é mesmo prensar as sandes numa daquelas tostadeiras que fecham. É um queijo bastante denso, por isso não derrete tão facilmente quanto isso - não basta colocar no pão previamente torrado, ou por cima de uma omelete na frigideira, por exemplo! Mesmo levando ao microondas demora um pouco a derreter. O meu conselho é mesmo usar uma sanduicheira, para aproveitar o queijo em todo o seu esplendor. ;)

domingo, 12 de janeiro de 2020

Preparação de Refeições #67 - Massa com Couve Lombarda, Feijão Branco e Pescada



Desta vez foi semana de fazer um prato de peixe para os almoços, e obcecada como ando por massas repletas de couves decidi quebrar um limite há muito auto-imposto e fazer um prato de que desdenhava desde pequena: massa de peixe :P

Sim, aquele terror de qualquer criança, apenas superado na escala de ódio por sopa de peixe. O mais estranho é que na verdade eu sou bastante fã de peixe no geral, e de pescada em particular - mas nunca tinha comido nenhum prato do género de massa/arroz fresco com pescada, e por isso parecia-me uma coisa quase bizarra.

Esta semana decidi ultrapassar preconceitos, e ainda bem: a massa de peixe surpreendeu :D

Peixe < 3

Massa < 3
Não misturei o peixe mesmo na massa para não se desfazer - cozi-o no refogado, depois retirei e cozi no mesmo refogado a massa. E a verdade é que ficou com um sabor delicioso! Além de ser mais um prato particularmente reconfortante :)

Quanto à receita em detalhe, aqui vai:

No dia anterior cozi feijão branco (previamente demolhado) em água com sal. Reservei tanto o feijão como a água.

Na hora piquei quantidades generosas de cebola, pimentos (verdes e vermelhos) e alho e levei a refogar num fio de azeite. Quando a cebola começou a ficar translúcida juntei tomate picado e um pouco de água de cozer o feijão. Deixei os vegetais cozerem bem e triturei tudo.

Juntei a restante água do feijão, temperei com sal e esperei que fervesse. Nessa altura juntei os lombos de pescada (com cuidado para não se partirem). Esperei que cozessem, virando-os mais ou menos a meio do tempo, e retirei para os recipientes usando uma escumadeira. 

Depois de tirar o peixe, coloquei no mesmo tacho (ainda com o refogado, claro) as folhas de couve lombarda, adicionando água quente conforme necessário. Quando as couves estavam quase cozidas juntei o feijão branco previamente cozido e a massa (usei espirais tricolor, porque quem é que não gosta de massa colorida? Eu não sou de certeza :P). Esperei que a massa cozesse e pronto :)

Fiquei com a maravilha que se vê :D

Assim foram os meus almoços esta semana :)
Devo um pedido de desculpas a massa com pescada, agora cabe-me a mim remediar a situação compensando o tempo perdido com muitos pratos destes no futuro :P

De resto, esta semana voltei a fazer 2 pratos diferentes para os jantares, ambos já muito batidos por aqui. O de carne foi...

Feijoada, claro :D Mais precisamente: feijoada com frango e penca, claro :D
A preparação é a mesma do costume: no dia anterior cozi feijão vermelho em água com sal (e reservei a água). De resto, como sempre, aproveitei o facto de ter de cozinhar os almoços para fazer refogado a mais. Depois de o triturar passei parte para outro tacho, juntei a água de cozer o feijão e temperei com sal e cominhos. Juntei frango (previmente cozido em água com sal e desfiado) e deixei ferver. Nessa altura adicionei folhas de penca, e quando estavam quase cozidas acrescentei o feijão. Deixei mais um pouco ao lume para o refogado engrossar et voilà :D

Estou sempre a fazer isto, mas podem culpar-me apreciando aqueles trocinhos maravilhosos? :P

Mais uma dose de tupperwares

3 dos jantares da semana foram assim :)
Para os restantes jantares usei o forno para fazer um prato vegetariano:

Tofu fumado e batata-doce assados + sopa
Também está longe de ser uma novidade, já fiz isto para os jantares da semana inúmeras vezes :P E o procedimento é sempre o mesmo: fatio o tofu e a batata-doce e levo ambos ao forno a 200 graus até estarem prontos, virando a meio. Quanto à sopa, desta vez usei abóbora, cenoura e courgette. Fiz apenas duas doses, e na terceira vez acompanhei com tomates cherry:

Ando viciada em tomates cherry, admito. Se quiserem o meu conselho, os do Lidl e do Mercadona são particularmente bons! :)
Assim se passou mais uma semana. Novamente, não partilho nada de inovador, mas espero que ajude algumas pessoas a organizarem-se e prepararem refeições equilibradas que apreciam sem gastar horas na cozinha :)

domingo, 5 de janeiro de 2020

Preparação de Refeições #66 - Frango à Gomes de Sá com Grelos



Nesta semana que passou voltei a só preparar os almoços, visto que os jantares continuaram a ser atípicos por causa da época. E na verdade, à conta dos horários trocados, acabei por acordar tão tarde que muitas vezes o almoço ficou mesmo para o jantar :P

Designações à parte, fiz apenas 5 doses de um só prato, que me serviram para uma refeição por dia. O prato escolhido foi uma versão desavergonhadamente aldrabada de bacalhau à Gomes de Sá:

Com frango em vez de bacalhau, e com grelos (porque #couves). Não sei quem será o Gomes de Sá, mas imagino que se esteja a retorcer na cova.
Da última vez quando fiz bacalhau à Gomes de Sá para os almoços semanais fiquei com vontade de repetir, e esta semana (em que queria escolher um prato de carne) lembrei-me de fazer uma versão com frango. 

Os ingredientes principais foram os óbvios:

Grelos, batata, ovos e frango, tudo cozido
Cozi tudo em água com sal (menos os ovos). Quanto ao frango, depois de cozido desfiei-o. Claro que poderia ter usado frango cru e colocado diretamente no tacho, mas gosto mais da textura dele assim (é uma mania minha, como já podem ter reparado em posts anteriores).

Em minha defesa, delicioso :P
Usei grelos congelados porque não tinha frescos. Depois de cozer espremi bem para tirar a água.
 As batatas nem merecem menção, usei mesmo batatas brancas descascadas, partidas em cubos e cozidas em água com sal.

Com estes elementos prontos o resto foi bem fácil: cortei cebola em lâminas e piquei alho, salteei num fio de azeite e juntei (por esta ordem) o frango, as batatas e os grelos.

Quanto aos ovos, por serem mais delicados, voltei a tomar precauções extra.

Nomeadamente, colocá-los num recipiente adorável (da My Tup Love), porque como toda a gente sabe os ovos estragam-se menos quando guardados em recipientes adoráveis
Optei por não os juntar logo ao tacho porque se conservam melhor com a casca - na hora da refeição, antes de aquecer a comida, descascava um ovo e partia-o para o prato. Além disso, não cozi os ovos todos no domingo - apenas 3, e cozi os restantes 2 a meio da semana. Assim passaram no máximo 3 dias no frigorífico, e com a casca aguentam bem esse tempo.

O tacho ficou um pouco menos colorido sem os ovos, mas nada que a ausência de uma intoxicação alimentar não compense :P


Para mais, o prato já ficou bem bonitinho :D
Ficou muito bom, sem surpresas. O frango não tem um sabor tão forte como o bacalhau, mas fica bem interessante na mesma! A próxima experiência será fazer isto com tofu fumado. Acho que não tem como desiludir :)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...