terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Produtos #23 - Chocolate 'Mousse' do Lidl

Não sei se ainda se lembram, mas no Verão mencionei num dos posts com fotografias das minhas férias um chocolate negro de pistáchio que encontrei num Lidl espanhol e adorei, tendo até exprimido a minha pena por não estar disponível cá. 

Para nossa felicidade, este chocolate está disponível desde há pouco tempo nas lojas portuguesas, juntamente com duas outras variedades que constituem os chocolates 'mousse' da marca J.D. Gross (do Lidl, como já disse).


Isto é bom não só porque os chocolates são deliciosos mas também porque, para variar, sabe bem ter um produto novo que não está permanentemente esgotado. Refiro-me aos Skyr, iogurtes com que o povo anda entusiasmado e os quais, do alto da sua fama, quase que exigem que uma pessoa acampe à porta dos estabelecimentos para ter o privilégio de os comprar. Tirando a primeira vez que os comprei nunca lhes pus os olhos em cima (admito que entretanto só fui uma vez ao Lidl, mas como dessa vez estavam esgotados a indisponibilidade percentual parece-me totalista).

Apartes à parte, os chocolates têm todos uma espécie de recheio mais leve e espumoso (daí o nome mousse) e os quadradinhos são bem gordos - podem vê-los nas fotos abaixo. Esqueci-me de registar o preço, mas penso que ronda os 2 euros.


Apenas dois deles são negros (o de pistáchio e o de trufa), e mesmo estes têm uma percentagem relativamente baixa de cacau, a par de bastante açúcar e óleo de palma (podem ver os ingredientes e informação nutricional mais abaixo). No entanto, sugiro que não os deixem de parte por causa disso - claro que não são a melhor opção para um go-to chocolate negro, mas são muito agradáveis e esporadicamente não é uma diferença de 20% na percentagem de cacau que vos vai fazer menos saudáveis :)

O de avelã já não é negro de todo, infelizmente para mim e felizmente para pessoas como o meu irmão, que não gostam de chocolate negro (como é que é possível, certo?) mas adoram chocolate com sabor a frutos secos.

Relativamente aos usos, normalmente cinjo-me a consumi-los simples, mas são também fantásticos para outros usos. Ficam ótimos em papas de aveia (o quadradinho de chocolate negro a derreter por cima é imprescindível) e penso que têm potencial para transformar qualquer receita com chocolate derretido para melhor - consigo imaginá-los a ficar muito bem numa mousse mais saudável ou no bolo de chocolate húmido com courgette.

Segue-se uma descrição exageradamente ilustrada de cada uma das variedades, por ordem de preferência da minha parte (fotos a mais e rankings começam a tornar-se a minha imagem de marca).

1º - Pistáchio



Não há volta  a dar, já sabem que desde que vi este chocolate eu e ele somos inseparáveis - e nem constumo ser grande fã de coisas com sabor a pistáchio.



Como a embalagem sugere, o recheio tem uma parte de cacau e uma parte mais clara com sabor a pistáchio. Olhando para a fotografia do pacote uma pessoa fica curiosa - será que na há mesmo aquela enorme meia lua de pistáchio que tem mesmo ar de ter sido exageradamente desenhada?

Acho que isto responde à pergunta e simultaneamente vos ensina a não confiar nas fotografias que vêem nos pacotes dos alimentos :P
Portanto, e por muito difícil que seja aceitar isso, aquele quadrado meio partido com ar de miúdo chorão de BD cujos cartoonistas desenharam com um dente único para terem menos trabalho não existe realmente.

Não digam que não ficariam assim ao se aperceberem de que a vossa vida era uma mentira, eu vi o Matrix :P
De qualquer modo, a verdade é que se nota bem o sabor a pistáchio (e para ser justa há mesmo uma camada branca até bastante generosa que não se vê na fotografia que tirei). O sabor é forte e até parece ter um toque de álcool, apesar de nada com álcool estar incluído da composição. Em termos de textura os chocolates são todos semelhantes - têm uma camada de chocolate por fora e por dentro são muito macios, quase fofos. O conjunto derrete-se facilmente na boca, o que é um ponto alto agora que estamos no Inverno e até a Nutella precisa de ser cortada com um serrote.

2º - Trufa


Já repararam que todos os chocolates têm avelã? A Avelã também tem todos os chocolates


O de trufa tem um sabor mais normal que o de pistáchio, isto é, sabe mais a um chocolate negro tradicional (embora a textura seja completamente diferente), como seria de esperar. Preferi o outro, mas este também consegue ser muito viciante, e parece mesmo ter sido recheado com mousse.

E este, tem um recheio decentemente parecido com o sugerido na imagem, perguntam vocês?

...Não. Mas não se sintam idiotas, uma pessoa precisa de ter esperança :P
3º - Avelã




Este sabor ficou um bocado prejudicado na ordenação por não ser negro, mas para um chocolate de leite não podia ser melhor. Tem um sabor realmente agradável a avelã, um recheio muito leve, que faz com que não seja nada enjoativo, e ainda uma embalagem sem camadas perfeitas e enganadoras completamente afastadas da realidade. Se estas não são as caraterísticas de um chocolate perfeito não sei quais serão. ;)

Não há fotos da informação nutricional, porque me esqueci de tirar.

...E se repararem bem o pacote não está nos seus melhores dias, porque já o tinha rasgado e colocado no caixote da reciclagem quando me lembrei que tinha de tirar fotos e fui resgatá-lo.

Um quadrado com cara de you disgust me por ter maltratado a sua embalagem (que, além de ser sua, é verdadeira e merece por isso ser tratada com respeito e ter um final digno)
 Acho que é só isto. Já provaram os chocolates? Qual é o vosso preferido? :)

domingo, 15 de janeiro de 2017

Muffins de Chocolate com 4 Ingredientes (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)


As receitas ou artigos que tenho guardado ao longo dos anos são uma espécie de resumo das fases por que passei. Tenho reviews de cada um dos vídeos do Insanity que datam do Verão em que fiz o programa, receitas de bouchées à la Reine, cannelés e éclairs de quando me interessei mais pela culinária francesa e sugestões de fudges com manteiga de coco da altura em que andava com imensa vontade de ir ao Celeiro comprá-la.
Há uma fase que se destaca especialmente. Carateriza-se por dúzias de receitas de muffins e igual número de tutoriais sobre como conseguir fazer os muffins perfeitos, incluindo a palavra domed mais vezes do que possam imaginar (já sabem qual é o meu truque de pesquisa).
Estava, pensando eu, a aperfeiçoar a arte de fazer muffins. No entanto, apesar de raras exceções, os que fazia não eram propriamente bestiais - mesmo depois de misturar pouco a massa, utilizar mais farinha do que o pedido, aquecer mais o forno e depois baixar a temperatura, não foram muitas as vezes em que o resultado ficou exatamente como eu queria.
E aqui estou eu, meses e meses depois daquilo de que falo, a publicar uma receita de muffins que contraria tudo isto. Uma receita com mais ovos do que o costume, sem gordura e com poucos ingredientes que resultou nuns dos muffins mais fofos e altos que fiz até agora. Acho que é tempo de apagar os tutoriais...






Muffins de Chocolate (Saudável, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)
Adaptado daqui
Para cerca de 6 muffins

Ingredientes:
[  4 ovos
[  100g de aveia com sabor a brownie (ou outro sabor que prefiram. Eu usei a da EU Nutrition, que podem comprar aqui com 10% de desconto usando o código euavela10. Mais sobre a aveia com sabor neste post)
[  200g de quark
[  1 colher de sopa mal cheia de fermento

Preparação:
| Juntar todos os ingredientes e misturar bem.
| Distribuir a massa por formas de queques (costumo preferir as de silicone, mas podem sempre usar as de papel se tiverem suporte) e levá-los ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 20 minutos (ou até estarem cozidos; podem fazer o teste do palito).



A sério, acho que ninguém diria que iam ficar tão bons assim - são estupidamente simples em procedimento, e não obstante a coisa mais fofinha de sempre. Têm um sabor fresco de "bolo do dia", suave, viciante e nada enjoativo. E para além disso o perfil nutricional (explicitado aqui abaixo) é excelente também, pelo que se pode dizer que são em todos os aspetos um lanche impecável! 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por um muffin)
Energia: 120kcal
Proteínas: 9.3g
Hidratos de Carbono: 11.3g 
-       Dos quais açúcares: 1.6g
Lípidos: 4.1g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 1.1g
Fibra:  1.7g
Sódio: 54mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 muffin ou 1/6 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

sábado, 14 de janeiro de 2017

Coquinhos Saudáveis (Receita em Vídeo!)

Não fazia um vídeo há uns tempos (ok, o único que fiz foi o de gelatina com claras), e aproveitei uma inspiração súbita para fazer um com a receita dos coquinhos saudáveis (traduzindo por miúdos, queria fazer um vídeo da tarte queijada e apercebi-me de que só tinha 2 ovos :P).



Assim sendo, aqui está ele. Se a onda de boa vontade continuar, irei publicar mais uns vídeos no meu canal de youtube nos próximos tempos, porque é vergonhoso ter um canal só com 2 carregamentos sei que vocês apreciam estas coisas, por isso não se esqueçam de subscrevê-lo. ;)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Produtos #22 - Aveia da EU Nutrition (Chocolate, Brownie e Bolacha Maria - a que sabe a Cerelac!)


Para inverter a tendência de começar os posts com blocos de texto :P
Já falei aqui várias vezes, bem como no facebook e instagram, sobre o meu sabor preferido de aveia até agora, bolacha maria. Tive a oportunidade de a provar a propósito da minha parceria com a EU Nutrition e esta passou a ser a minha aveia de eleição. Usei-a para fazer, entre outras coisas, o bolinho acima, cuja receita podem ver aqui. Hoje decidi deixar-vos uma opinião mais detalhada sobre cada um dos sabores de aveia da marca que experimentei :)

Podem ver todas as variedades disponíveis, ingredientes/informação nutricional associados a cada uma e eventualmente encomendá-las na página do produto (devido à parceria, como sabem, podem obter 10% de desconto no site usando o código EUAVELA10 - tudo sobre o site e encomendas neste post).

Por ordem: brownie, bolacha maria e chocolate
Relativamente aos ingredientes e a se esta é ou não saudável (ou inserível num estilo saudável), falei sobre isso neste outro post sobre aveia com sabor e a minha opinião mantém-se ( = este post tem menos parte chata e mais fotos de comida, tudo o que vocês alguma vez desejaram).

Eu experimentei até agora 3 dos 4 sabores disponíveis, os que mostro na imagem acima. Não quero descriminar nenhum sabor de aveia, mas o que falta é o de morango e tenho histórico de odiar coisas com sabor a morango, especialmente quentes (tipo papas). Ainda assim ando a ver se ganho coragem para experimentar, pode ser que em iogurte fique agradável (continuem a ler, logo percebem a referência) :P

Todas as farinhas são muito finas (caraterística ótima para um produto deste género) e versáteis. Vou mostrar-vos algumas coisas que fiz com cada um dos sabores, começando, claro, com o meu preferido:

Bolacha Maria


Acho que a este ponto já sabem que o meu uso favorito para esta aveia são as papas, mas nunca é demais lembrar. De cada vez que as faço penso no quão ignorante era quando disse que a aveia de panettone sabia a cerelac - esta bate-a aos pontos. O sabor é muito reconfortante e o cheiro é fantástico! Quando 'fria' (misturada com iogurte, por exemplo) lembra realmente bolacha, o que é sempre bom ;)

Quem ficou com vontade de comer papas de aveia?

A determinado ponto o chocolate negro que pus nas papas entusiasmou-se com as fotos e começou a armar-se

Não digam que não viram :P
A receita que uso normalmente para as papas é esta. Ultimamente tenho feito uma versão muito parecida no microondas, mas depois publico a receita! ;)

Mesmo sendo este o meu uso preferido, não pensem que é a única utilização desta aveia, porque estariam muito enganados.

Mesmo muito enganados, diz assertivamente o bolo de bolacha saudável :P
E eu concordo pelo arroz doce, já que ele é comida e seria infantil sugerir que a comida tem opiniões ;)

Lamento se depois do bolo de bolacha e do arroz doce esperavam algo mais elaborado, mas é só aveia com iogurte...
...Que, para compensar, é uma delícia ;)

Não tenho tido paciência para fazer panquecas, crepes ou bolos, mas são também ótimas receitas para usar esta farinha (até porque assim não é preciso triturar os flocos e sujar o processador, o que, como todos sabemos, é a definição de felicidade).

Chocolate

Os sabores brownie e chocolate estão muito próximos, mas são até menos parecidos do que estava à espera. Ainda não estou bem decidida relativamente ao meu preferido entre os dois, mas estou inclinada para a versão de chocolate, a que provei mais recentemente.

Não sei porque é que os miúdos americanos ainda andam com sacos de farinha banais e sem graça para treinar a parentalidade :P
Como disse, experimentei-a há pouco, por isso não fiz grandes experiências com ela. A que fiz foi tão básica e previsível quanto possível:

Iogurte com aveia de chocolate, framboesas e coco, ou "como ter imaginação"
Em minha defesa, esta combinação é mesmo agradável. Estava tão enganada quando achava que misturar farinha com iogurte era estranho! Como disse acima, as farinhas da EU (só para os amigos :P) são ainda mais finas do que o costume, pelo que se algumas vezes o iogurte com aveia da Max Protein ainda ficava com alguns "grumos" - bem como as papas -, com esta não fica de todo.

Caso não tenham acreditado, iogurte com aveia de chocolate a sambar na cara das inimigas (quem mais adora a expressão?) :P
Isto faz sempre com que me pergunte porque é que não existem mais iogurtes de chocolate nos supermercados - a combinação é tão boa! Mas pronto, enquanto pudermos misturar iogurte com aveia de sabor já não estamos mal. ;)

É difícil explicar sabores, mas tentando fazer os possíveis posso mencionar que esta aveia me lembrou um bocadinho de achocolatado em pó (tipo nesquik). É menos enjoativa/doce, claro, mas aquele toque a nostalgia da infância está lá :P

Quando experimentar este sabor em papas sou capaz de editar este post para dar o feedback (se me lembrar - já devo ter dito isto em imensos outros posts, deixando-vos expectantes com a ânsia de uma atualização, só para depois me esquecer de o fazer. Desculpem-me :P). Como sabem, a minha preferência para papas recai sobre sabores sem chocolate (e que se assemelhem a cerelac - é verdade, agora a aveia de bolacha maria permite-me estes padrões de exigência, sou uma pessoa mudada), mas de vez em quando gosto de fazer umas papas mais 'explosão de chocolate'. Parece-me que este sabor servirá bem para isso :)

Brownie


Com a farinha de brownie já fiz coisas um bocadinho mais elaboradas do que aveia com iogurte. É ótima para receitas como bolos ou panquecas porque dá aquele ar de sobremesa decadente que, não vamos mentir, agrada a toda a gente.

Não se pode mentir em relação a isso olhando estes muffins nos olhos, pois não? ;)
Os queques que vos mostro em particular foram um sucesso, tanto entre quem os provou como entre quem os viu nas redes sociais (lamento estar sempre a 'ougar-vos', pessoal). É na verdade ótimo que me tenha lembrado de ir buscar esta foto, porque a associei à receita e à necessidade de a publicar, uma vez que a tenho de molho desde o início de Novembro do ano passado (aaah, passagens de ano. Fazem qualquer período temporal parecer mais dramático, não é?). Não se preocupem - não deve demorar muito.

Se demorar, ficam desde já compensados com uma foto de quark com aveia de brownie e manteiga de amendoim, porque este post não está suficientemente saturado em iogurte nem nada

E papas de aveia de brownie - aproveitem a vista, porque tive de revirar todas as framboesas congeladas para que não ficassem com ar de quem esteve na arca frigorífica no Ártico
Diria que este sabor é um pouco mais intenso e mais doce que o de chocolate, o que está em concordância com a imagem mental que temos de um brownie, certo? Não me obriguem a fazer-vos olhar nos olhos dos muffins outra vez.

tl;dr - Os sabores são todos uma delícia, aveia com iogurte é a combinação perfeita e os muffins saudáveis certos para vocês têm um olhar que nunca serão capazes de ignorar (nunca pensei que os meus posts fossem tão vazios de conteúdo :P).

sábado, 7 de janeiro de 2017

Macarons de Maracujá

Uma vez estava a passar por um corredor do Lidl e vi um tapete de silicone para macarons. Na altura pareceu-me uma ótima ideia comprar um tapete de silicone para macarons - nunca tinha feito estes bolinhos e já estava na altura de experimentar.
Depois de o deixar andar perdido pelos armários durante uns tempos, resgatei-o, num rasgo de coragem. Fiz tudo com cuidados exagerados, desde triturar a farinha de amêndoa para a tornar ainda mais fina a desinfetar todos os recipientes e utensílios para evitar resíduos (passando, claro, por ver mil e quinhentos - ok, três - vídeos a mostrar o ponto da massa).   Como fiz dois tabuleiros, apenas um deles ficou com o tapete, sendo que utilizei apenas papel vegetal para o outro.
Deixei-os então a descansar por uma hora enquanto desesperava (a sério, devia ser proibido que uns bolinhos com reputação de complicados demorassem tanto tempo a estar prontos - embora admita a utilidade da pausa quando metade da massa ficou espalhada pela cozinha). Findo o tempo, como não seria aconselhável devido à distribuição de calor colocar os dois simultaneamente, escolhi o tabuleiro com o tapete para primeiro. Fui buscá-lo ao quarto todo fechado e trancado à chave onde tinha ficado e transportei-o vagarosamente até à cozinha para que não apanhasse muito vento (eu avisei quanto aos cuidados exagerados).
Durante os próximos minutos tentei espreitar através do vidro escuro e irritantemente opaco do meu forno, só para ver o desastre em que os meus macarons se tinham tornado: estavam todos tortos, com massa a sair pelo meio e por baixo e, a última gota, sem aquela base rugosa caraterística dos macarons.
Eu podia suportar macarons tortos. Eu podia suportar macarons com massa a sair pelo meio e por baixo. Mas, pelo bem dos próprios macarons, era bom que não me aparecessem à frente sem aquela base rugosta carsterística.
O que é que eu fiz, perguntam vocês? Bati nos macarons? Atirei-os contra as paredes? Não - tirei o tabuleiro bruscamente do forno e, esperem só, pousei-o com (não querendo gabar-me) bastante força na mesa, para que percebessem bem a minha frustração. Eu sei, sou uma fora-de-lei.
Para minha surpresa, a fornada com papel vegetal apenas ficou até perfeitinha - e esta é a história de como devem pensar duas vezes antes de adquirir as utilidades esquisitas do Lidl. E de como com um tabuleiro qualquer e papel vegetal se conseguem macarons extremamente deliciosos ;)






Macarons de Maracujá
Adaptado daqui e daqui
Para 15

Ingredientes:

Para o recheio (curd de maracujá):
[  1 colher de chá de farinha maizena
[  60ml de leite
[  25ml de sumo de maracujá (sumo de aproximadamente 5 maracujás)*
[  1 colher de sopa de água
[  1 ovo
[  1 gema
[  70g de açúcar
[  30g de manteiga sem sal

Para as 'bolachas':
[  90g de farinha de amêndoa 
[  90g de açúcar em pó 
[  70g de claras envelhecidas**
[  90g de açúcar branco (granulado)
[  Corante cor-de-rosa (podem usar vermelho, se preferirem)

Preparação:

Para o recheio (curd de maracujá):
| Dissolver a maizena no leite e transferir a mistura para um tacho pequeno. Juntar todos os restantes ingredientes (sumo de maracujá, água, ovo, gema, açúcar e manteiga) e levar o preparado a lume médio até que comece a ganhar consistência (a textura aproxima-se à do creme de pasteleiro).
| Deixar arrefecer e reservar no frigorífico. Se ficar com grumos ou menos cremoso do que o desejado podem triturar com a varinha mágica ou no processador/liquidificadora.

Para as 'bolachas':
| Num processador ou liquidificadora, triturar a farinha de amêndoa juntamente com o açúcar em pó (este passo é opcional, mas convém que estes dois ingredientes estejam o mais finos possível) durante uns segundos (se o processador tiver a opção 'turbo' podem usá-la). Peneirar ambos para um recipiente bem limpo e seco***.
| Colocar as claras num recipiente (também bem limpo e seco)*** e batê-las com a batedeira elétrica na velocidade média.
| Assim que comecem a ficar com uma consistência espumosa (após uns segundos), adicionar metade do açúcar branco (45g), sem parar de bater.
| Quando as claras estiverem em castelo juntar o restante açúcar, aumentando a velocidade da batedeira para o máximo e continuando a bater até que este se dissolva (demora uns 10 minutos; nesta altura, tocando no preparado, já não devem sentir os grânulos de açúcar). Juntar então o corante e parar de bater assim que a cor da mistura fique homogénea.
| Juntar às claras um terço da mistura de açúcar e amêndoa. Com uma espátula e fazendo movimentos suaves de baixo para cima, envolver tudo. Repetir o procedimento duas vezes (até estar envolvida toda a mistura de açúcar e amêndoa).
| Continuar a mexer as claras para libertar algum ar. Estarão prontas assim que seja possível desenhar um '8' corrido deixando cair um fio de massa com a espátula (não deve quebrar a meio; podem ver como deve ficar neste vídeo).
| Transferir o preparado para um saco de pasteleiro (a ponta deve ser circular e bastante larga, com aproximadamente 1cm; visto que meu apenas tem pontas pequenas usei o sistema de enroscar sem nenhuma, como nesta imagem aqui).
| Em dois tabuleiros (podem usar apenas um se acharem suficiente, mas os macarons não devem ficar demasiado 'colados' uns aos outros) cobertos com uma folha de papel vegetal, formar com o saco de pasteleiro círculos da mistura com 2 a 3 centímetros de diâmetro (para facilitar a tarefa de os fazer todos do mesmo tamanho podem desenhar utilizando um compasso ou imprimir previamente círculos com o diâmetro pretendido em papel e colocá-lo por baixo do papel vegetal).
| Deixar os dois tabuleiros repousar num local sem muita movimentação (preferencialmente onde não passe ninguém) durante uma hora.
| Meia hora antes de levar os macarons ao forno, pré-aquecer este a 150 graus.
| Finda a hora de repouso, colocar um dos tabuleiros de macarons no centro do forno (não é conveniente levar ambos os tabuleiros ao forno simultaneamente) e baixar a temperatura para 140 graus. Após 3 minutos, abrir ligeiramente a porta do forno e 'entalar' nesta uma colher de pau, de forma a manter esta abertura e melhorar a circulação do ar.
| 15 minutos após colocar a colher de pau (ou seja, depois de 18 minutos de forno no total) verificar se os macarons estão prontos tentando levantar ligeiramente um com a ponta de uma faca. Se ainda estiverem demasiado moles deixar mais uns minutos no forno, tendo em atenção, no entanto, que não é suposto dourarem/tostarem. Se estiverem rígidos o suficiente para serem levantados com a ponta da faca, retirá-los do forno e aumentar novamente a temperatura para 150 graus.
| Após uns minutos, transferir os macarons já cozidos para uma grelha para terminarem de arrefecer e colocar o outro tabuleiro no forno, tendo depois os mesmos cuidados (baixar logo a temperatura para 140 graus, colocar uma colher de pau na porta do forno após 3 minutos e 15 minutos após isto verificar se já estão prontos, retirá-los do forno e passados uns minutos deixar que arrefeçam numa grelha).

Para a 'montagem':
| Colocar um pouco do curd de maracujá (com uma colher de café ou um saco de pasteleiro) numa 'bolacha' e cobrir com outra, apertando ligeiramente para que o recheio fique bem distribuído. Repetir o procedimento até estarem prontos todos os macarons.
| Reservar os macarons no frigorífico durante pelo menos um dia (para que a bolacha absorva o recheio e a textura fique como pretendido), retirando-os do frio umas horas antes de os consumir (o sabor fica favorecido quando estão à temperatura ambiente).


*Fiz o sumo aquecendo e coando a polpa dos maracujás.
**Basta colocar as claras num frasquinho coberto com película aderente furada com um garfo 1 ou 2 dias antes de preparar os macarons. Aquando da preparação devem estar à temperatura ambiente (retira-se-as do frigorífico umas horas antes).
***Tendo em conta a tendência do plástico para acumular alguma gordura e a sensibilidade dos macarons, passei pelos recipientes e utensílios que usei um guardanapo com algumas gotas de vinagre. Podem também lavá-los bem com água quente.



Eu sei que a receita parece exageradamente extensiva, mas isto não implica necessariamente imenso trabalho - apesar de os macarons serem realmente um pouco trabalhosos, a extensão deve-se maioritariamente à quantidade de pequenas dicas que adicionei por ter lido que faziam diferença (o ponto da massa, a alteração da temperatura do forno,...). Não sei se valeu de alguma coisa ser assim tão meticulosa, mas como resultaram bem (aqueles que fiz em papel vegetal anyway) acho que não vou arriscar mudar o procedimento tão cedo :P
O resultado agradou-me muito - o sabor das 'bolachas' é ótimo (adoro doces com amêndoa!) e a textura, principalmente depois de amolecer um pouco com o recheio, perfeita. A única coisa que mudava se fizesse novamente estes macarons seria o curd, que acho que devia ter deixado espessar mais (nalgumas fotos nota-se que estava um pouco mais líquido do que o normal). Mesmo assim superaram expectativas! Aconselho imenso a receita :)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...