quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Receitas Testadas da Semana #96 a #98


Venho partilhar convosco mais uma dose de receitas do blog testadas! Temos, novamente, uma grande presença do bolo de cenoura, com 11 bolinhos. Esta semana, as panquecas (que 9 pessoas testaram) quaaaase lhes venceram! Será que alguma receita irá alguma vez derrubar estes bolinhos demoníacos do trono? Parece que temos de esperar para ver :P
Na realidade, se me contar a mim mesma, há um empate. Isto porque, como já adivinhava, tive de re-testar as panquecas perfeitas, até para verificar que eram mesmo - mesmo - perfeitas. E são :D
Fiz duas versões diferentes, ora espreitem:

Com banana, amêndoas tostadas e mel

Com whipped bites de caramelo salgado aos cubinhos
De-li-ci-o-sas. :D

...Sem mais delongas, aqui vão os bolinhos (& co.) das últimas semanas :)














Espreitem o post no blog da Inês :)




































domingo, 24 de fevereiro de 2019

Preparação de Refeições #25 - Filetes de Peixe com Batata-Doce Grelhada e Feijão-Verde



Como de costume, deixo hoje mais uma sugestão de comida para preparar para a semana, desta vez com peixe (não sei se já repararam, mas eu sou um bocado obcecada com seguir a ordem carne-peixe-vegan-repete :P).

A estrela da semana foram os filetes:

Filetes < 3
Caso não tenham visto, publiquei a receita há uns dias. Mas são só mesmo os filetes tradicionais, apenas não fritos - lamento se estavam à espera de algo diferente :P

De qualquer modo, os filetes em si já são bastante saudáveis, tirando serem fritos - removendo essa parte acho-os bem interessantes para variar na forma de preparar o peixe, e até para convencer algumas crianças a comê-lo. Não digo que não coma a versão frita esporadicamente, mas não a ia fazer para comer tantas vezes ao longo da semana. De qualquer modo, esta versão não ficou a perder em relação à original :)

Estação de montagem
Eu usei farinha de milho e ovos caseiros, daí os filetes terem ficado tão amarelos :)

Optei pela farinha de milho porque sempre vi a minha avó a utilizá-la para fazer filetes, mas sei que há quem use farinha normal ou até pão ralado (acho um bocado estranho por não estar habituada, confesso :P). Em princípio qualquer farinha fica bem, a menos que seja de frutos secos, caso em que é capaz de ficar ligeiramente doce, o que pode não ser muito agradável :P

Os filetes que usei foram do E. Leclerc (que surpresa, eu sei):

Comprei em promoção, a 2,61€ por embalagem.
Como podem ver, o preço do peixe por refeição não fica muito elevado, apesar de frequentemente haver a ideia de que comer peixe é caro. Por norma o peixe congelado de marcas brancas é bastante bom e acessível :) Mesmo fora de promoção, a embalagem de 400g que mostrei custa pouco mais de 3€.

O peixe temperado
Não vou descrever aqui o que usei para temperar o peixe, até porque já referi tudo isso na receita, mas queria só realçar que esta parte faz toda a diferença. Temperando bem o peixe ele fica mesmo saboroso, não é preciso fritura nenhuma :)

Close-up desta maravilha antes de parar de falar sobre ela

Passando para a batata-doce :) 
Para preparar a batata-doce usei uma receita bem antiga, a de batata-doce grelhada. Basicamente, cozi-a no microondas e depois grelhei-a numa frigideira. A receita que está no blog passa por embrulhar a batata em papel de cozinha humedecido, mas desta vez não fiz isso, apenas a coloquei num prato e levei ao microondas (cortada a meio porque era enorme :P). Depois de cozida e partida em pedaços ficou assim:


A parte de grelhar dá-lhe o aspeto tostadinho da foto anterior. Não é obrigatória, claro - podem simplesmente comê-la apenas cozida no microondas, já fica muito boa!

E por fim: o feijão verde

Usei fresco, mas também podem usar congelado, costuma haver nos supermercados :)
Se me perguntassem há uns meses se gostava de feijão verde diria sem qualquer tipo de dúvida que não - de vez em quando era capaz de comer, mas sem grande entusiasmo, nunca foi um dos meus vegetais preferidos. Entretanto tenho andado numa fase de tentar apreciar todos os vegetais, e depois das couves-de-bruxelas foi a vez de fazer as pazes com o feijão verde. Nem andei com grandes rodeios - embora inicialmente até tenha pensado em salteá-lo com alho para lhe dar mais sabor ou qualquer coisa do género, depois fi-lo mesmo cozido. Surpreendentemente, gostei bastante! Acho que muitas vezes o mais importante é mesmo experimentar as coisas com um espírito aberto, eu tinha vários ódios de estimação entre os vegetais e agora gosto de quase todos. Menos beringela, acho que nunca vou gostar de beringela - mas pronto, também tenho direito a manter uma ou duas manias :P

O azeite que coloquei no feijão verde
Como disse, apenas cozi o feijão verde (em água temperada com sal). Depois guardei-o em recipientes herméticos, e na altura das refeições aqueci e juntei um fio de azeite.

Utilizei o da foto, que recebi da Origens Bio há algum tempo - esta pareceu-me uma boa ocasião para o experimentar. Achei-o muito bom! Como não sou grande perita no que toca a azeite é-me difícil descrevê-lo para além disto, mas prometo que é bom :P

Caso queiram adquiri-lo podem fazê-lo online, aqui; como tenho uma parceria com a marca ao usar o cupão cremedeavelas têm 10% de desconto :)

Por fim, *o prato* :)
Desta vez há direito a uma segunda foto do prato, apreciem-na bem :P
Tirei a segunda fotografia porque num dos dias lembrei-me de juntar alho picado ao feijão verde e queria deixar a sugestão. Eu adoro alho, por isso sou suspeita, mas achei o feijão ainda melhor assim :)

(A resposta à pergunta que estão a formular mentalmente neste momento é não, não é demasiado alho. ;))

Espero que tenham gostado da sugestão desta semana! 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...