terça-feira, 14 de julho de 2015

Batido com Sabor a Leite Achocolatado (Mas Melhor) (Saudável, Vegan, Sem Açúcar Adicionado, Sem Lactose, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten, Paleo)



Nas escolas primárias oferecem (quase) sempre leites achocolatados às crianças para beberem no recreio. Eu lembro-me das oscilações de marcas destes - acho que o que mais vezes bebi na minha escola foi um amarelo com a imagem de um miúdo. 
Claro que o leite ficava a apanhar sol na janela a manhã toda até chegar a hora de ser distribuído, coisa que a minha avó não poderia suportar. Desenvolveu então o sistema que pôs em prática durante os quatro anos em que frequentei a escola primária: levava o pacote de leite para casa, colocava no frigorífico durante a noite e no dia seguinte lá o levava eu na lancheira hermética, para não aquecer. 
(Não perguntem como fazia no primeiro dia, já tentei averiguar e não obtive resposta.)
Nunca fui grande fã de lacticínios bebíveis, mas gostava desses pacotinhos de leite - e ainda me lembro do sabor meio apagado a cacau que tinham.
Desde essa altura poucas vezes bebi leite achocolatado - uma vez provei Ucal (já agora, acho as garrafinhas adoráveis), julgo que no Algarve, e cheguei a beber uns light em pacotes azuis da mimosa que a minha mãe comprava e tinham um sabor estranho.
Quando bebi este batido e percebi que o sabor era muito semelhante ao de leite achocolatado (o sabor a banana é muito ligeiro) lembrei-me de todas estas experiências, só para chegar à conclusão de que este é muito melhor.
Especialmente quando bem fresquinho.




Batido de Cacau e Banana (Saudável, Vegan, Sem Açúcar Adicionado, Sem Lactose, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten, Paleo)
Para 2 doses

Ingredientes:
[  1 banana (100g), previamente congelada às rodelas
[  250ml de leite (costumo usar de soja, mas pode ser qualquer um)
[  1 colher de sopa de cacau

Preparação:
| Triturar, num processador de alimentos, liquidificadora ou com a varinha mágica, todos os ingredientes (banana congelada, leite e cacau).



Se há por alguém aí que (acha que) não gosta de batidos, a sério, experimentem este. Eu fazia quase diariamente há uns anos, depois não sei porquê esqueci-me (Inverno?) e quando voltei a provar achei surpreendente que soubesse tão bem! Não sou a maior fã de triturar e beber coisas, mas este é TÃO bom. Uma coisa curiosa acontece com as coisas que levam banana congelada - não têm aquele gosto meio enjoativo que a banana tem quando é aquecida ou quando está à temperatura ambiente, é completamente diferente. Mais leve e agradável. Neste caso, na minha opinião nem ficou a saber a banana - nota-se mais o cacau, mas a banana está lá para que o batido seja mais consistente e imediatamente fresquinho (além de adoçar, claro). E sabe mesmo a leite achocolatado, mas menos enjoativo e mais saudável. Só não tem, há que conceder isso, uma rodinha colorida na embalagem para dizer que é muito saudável. 
Adoro beber isto depois de correr - lembram-se daquela onda de indignação por causa de se dizer que leite achocolatado era o pós-treino perfeito? Este é ;) 
Por outras palavras: Melhor. Batido. DE SEMPRE. 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 87kcal
Proteínas: 4.2g
Hidratos de Carbono: 17.1g
-       Dos quais açúcares: 9.3g
Lípidos: 1.6g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.0g
Fibra: 2.6g
Sódio: 64mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 180g, 1 dose, 1 copo ou metade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
_________________________________________________________________________

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Waffles com Whey (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose, Sem Açúcar Adicionado)


Uma dificuldade por que passei com o meu falecido processador de alimentos foi a lavagem. 
Como não seria suficientemente difícil limpar todos os constituintes por si só, o processador, que como poderão saber encravava com frequência, prendia a lâmina. 
Na primeira vez que isto aconteceu estava mesmo pronta para ir correr. Vesti-me e ia só fazer rapidamente manteiga de avelã com cacau. Eram umas 15/16 horas da tarde e só saí para correr depois das 18h.
Depois disso tornou-se frequente, bem como as minhas idas à loja para o arranjar (caso se estejam a perguntar, sim, era muito divertido passear com um enorme motor de dez quilos numa saca). 
Surgiu então uma espécie de ritual: fazia uma receita, a lâmina encravava, tirava o mais que podia e limpava o resto com um pano, processo após o qual o processador ficava a ganhar bolor por ter locais inacessíveis até eu ter tempo de o levar a arranjar (originando histórias engraçadas, como 'O Processador Segrega Líquidos Castanhos no Balcão de Atendimento').
Muito divertido, como podem imaginar.
Um dia o processador foi (com uma recomendação especial para o arranjarem decentemente) e não voltou.
Por vezes lembro-me dele ao lavar loiça particularmente irritante - como é o caso da máquina de waffles, cheia de buraquinhos-lar para agregados de gordura. É preciso encontrar receitas que valham a pena - como é o caso desta.





Waffles com Whey (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose, Sem Açúcar Adicionado)
Adaptado daqui
Para 2 waffles

Ingredientes:

[  Óleo de Coco
[  1/2 banana (50g)
[  1 ovo M
[  25g de whey protein (proteína de soro de leite) (1 scoop) (usei de stracciatella)
[  40g de aveia


Preparação:

| Untar a máquina de waffles com óleo de coco e ligá-la para que aqueça. Nunca fiz estes sem untar, talvez resulte. 
| Triturar todos os restantes ingredientes (banana, ovo, whey, aveia) com a varinha mágica/processador/liquidificadora.
| Quando a máquina estiver suficientemente quente, colocar a massa nesta e cozinhar os waffles.



Estes waffles são muito bons! Têm um sabor leve e maravilhoso ao sabor da whey utilizada, a textura é muito boa e, pelo menos pela minha experiência, não colam à máquina. A textura é boa, fofa, leve e densa numa certa medida ao mesmo tempo. São docinhos, práticos e deliciosos, resumindo. Chocolate negro, iogurte, fruta ou caramelo paleo são óptimos toppings!
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 waffle)
Energia: 175kcal
Proteínas: 14.7g
Hidratos de Carbono: 19.9g
-       Dos quais açúcares: 3.9g
Lípidos: 4.3g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 1.2g
Fibra: 3.2g
Sódio: 67mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 80g, 1 dose, 1 waffle ou metade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para que o resultado sem glúten a aveia deve ser certificada sem glúten.
_________________________________________________________________________

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Gelado/Sorvete de Manga e Laranja (Saudável, Sem Glúten, Sem Açúcar Adicionado, Sem Lactose, Vegan)


Há uma coisa interessante que praticamente todas as sobremesas de restaurante têm em comum: não serem grande coisa.
Nunca fui assídua nos estabelecimentos, mas nas vezes em que ia quando era mais pequena, como qualquer criança que se preze, deixava-me levar pelos desenhos apelativos nas páginas com gelados destinadas às crianças.
Escusado será dizer que ficava desiludida - no metro quadrado de espaço que deixavam na embalagem para o presente estavam raquíticas tatuagens que nunca viria sequer a usar (mas que vieram a ficar armazenadas como provas do meu engenho infantil, uma vez que tencionava fazer um monte delas em pessoas da minha família enquanto elas dormiam. Não perguntem como é que lhes ia espetar papéis na cara, cobrir com água e esfregar antes que elas acordassem. Talvez fosse melhor incluir uns sedativos no plano.)
Entre os vestígios destas escolhas de gelado inconsequentes estão um exército de cabeças de pinguim e copos com a cara do pirata da olá (que um dia, tenho a certeza, irá entrar numa luta até à morte com o capitão Iglo. Só pode haver um pirata bondoso na secção de congelados.).
Talvez seja derivada das minhas desilusões em criança a minha falta de confiança quando se fala de gelados - já falei com um psicólogo, mas consta que esta relação nunca mais será a mesma após tantos brindes desapontantes. Como não sou de desistir, e como vocês têm oportunidade de testemunhar, tenho feito uns gelados saudáveis bastante convincentes - e acho que com este dei uns deliciosos passos no sentido da recuperação... 







Gelado/Granizado de Manga e Laranja

Ingredientes:
[  400g de gelo
[  250g de manga congelada
[  200g de laranja (2 laranjas microscópicas ou 1 de tamanho minimamente decente)

Preparação
| Colocar todos os ingredientes no recipiente de uma liquidificadora, um processador de alimentos ou um robot de cozinha.
| Triturar bem até ficar cremoso. 



Os gelados de caju e de banana são mais «ricos», cremosamente densos e semelhantes aos tradicionais gelados de leite; este está mais próximo do «sorbet», é diferente - mas muito delicioso na mesma, até mais refrescante. Tem um sabor muito bom e suave. Se preferirem um sabor mais intenso e doce podem substituir uma porção do gelo por mais manga congelada. Podem até juntar mais laranja ou algum líquido e triturar menos para obter um granizado! Há imensas combinações de fruta que têm potencial, portanto aconselho-vos a ir experimentar - até porque está um calor de morrer (dizem que é perigoso e induz repetitividade). 
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 47kcal
Proteínas: 0.8g
Hidratos de Carbono: 12.4g
-       Dos quais açúcares: 10.6g
Lípidos: 0.1g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.0g
Fibra: 1.8g
Sódio: 2mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 170g, 1 dose, 1 copo ou 1/5 da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
_________________________________________________________________________

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Mini Cheesecakes com Quark (Saudável, Sem Lactose, Sem Glúten)


Provei cheesecake pela primeira vez há relativamente pouco tempo, e a data em que o fiz é indeterminada por haver fontes contraditórias.
Se me perguntarem a mim, direi que provei cheesecake pela primeira vez quando fiz um grande com cobertura de mirtilo, que foi ao forno e teve bastante sucesso. Ainda assim, e mesmo que ver cheesecakes nos desafios idiotas do 'the biggest loser' não conte como prová-los, até podia admitir que antes disso, já há uns anos, tinha experimentado um cheesecake saudável cuja receita retirei de um blog.  No entanto, este cheesecake era mais uma bolacha maria coberta com queijo da vaca que ri e doce, o que pode ou não deitar por terra esta segunda teoria.
Há ainda uma terceira teoria que tenta responder à muito importante questão sobre qual foi o cheesecake que experimentei em primeiro lugar. A fonte desta trabalha numa pastelaria e diz que, antes ainda de fazer o tal cheesecake saudável, a Avelã encomendou um cheesecake para um aniversário.
Pode parecer muito credível, mas peço-vos que não acreditem nesses rumores - a verdade é que fui ludibriada. Queria comprar um cheesecake para uma festa de alguém que era fã do bolo, pelo que me dirigi à tal pastelaria e perguntei se faziam. Disseram que sim e mostraram-me uma espécie de tartelete. Como é óbvio, eu fiz a muito perspicaz observação - o cheesecake não tem lados. Uma tarte tem lados. Um cheesecake não. Depois de ficar descansada com as consistentes explicações sobre como em maior era diferente, fui-me embora.
Num dia muito bonito de sol fui buscar o cheesecake que tinha encomendado e a senhora da pastelaria abre a caixa para mostrar o bolo.
Uma tarte.
(Mais especificamente, uma tartelete gigante.)
Eu, que julgava que tinha sido bastante clara quanto à falta de lados do bolo que queria, comecei a lutar com a rapariga insisti que aquilo não era um cheesecake. Claro que trouxe o bolo na mesma, mas essa experiência é apenas relativa a uma tarte, como podem depreender. 
Assim, continuo a insistir que o primeiro cheesecake que experimentei foi um grande, com cobertura de mirtilo. Talvez por ter gostado da experiência, fiz estes - mais saudáveis, mais pequenos, com cobertura de mirtilo. E sem lados.





Mini Cheesecakes com Quark (Saudável, Sem Lactose, Sem Glúten)
Adaptado daqui
Para 15 cheesecakes individuais

Ingredientes:

Para a base
[  100g de farinha de aveia (podem triturar flocos com um processador ou até varinha mágica)
[  25g de ghee (ou outra gordura, como óleo de coco)
[  5g de mel

Para a segunda camada
[  8 folhas de gelatina 
[  100ml de água quente
[  500g de quark ou iogurte (pode ser de soja, para uma versão sem lactose, mas nesse caso aconselho a que se reduza a água quente para 50ml)
[  20g de mel (uma colher de sopa bem cheia)
[ 1/2 colher de chá de extrato de baunilha

Para a cobertura
[  180g de doce, o mais natural possível (usei St. Dalfour)

Preparação:

Para a base
| Misturar a farinha de aveia com a ghee derretida e o mel. Colocar em formas pequenas (podem ser formas de muffins, cortadores de bolachas,...), pressionando bem para ficar uma camada homogénea e coesa. 

Para a segunda camada
| Hidratar as folhas de gelatina num recipiente com água abundante (devem permanecer na água durante cerca de 10 minutos).
| Num recipiente, bater o quark com o mel e o extrato de baunilha. 
| Espremer as folhas de gelatina e dissolver nos 100ml de água quente. 
| Juntar à mistura do quark e misturar bem.
| Colocar esta camada por cima da anterior e levar ao frigorífico durante pelo menos 2 horas.

Para a cobertura
| Quando sólidos, cobrir os cheesecakes com o doce.




O resultado foi muito bom - para além de achar que ficam girinhos assim em versão mini, gostei imenso. A receita é muito simples, o que ajuda sempre. Fiz a base um bocado à sorte, e por acaso (ainda que pareça que não) ficou mesmo boa. Eu acho que o ghee cheira a cheesecake, o que é bastante conveniente neste caso (e em qualquer outro, o cheiro é demais), e apesar de levar uma quantidade mínima de mel fica doce quanto baste. A parte do quark fica com uma consistência próxima da gelatina, como seria de esperar, já que solidifica à base de gelatina e não coze. Mesmo assim fica uma textura boa, cremosa e refrescante, e eu não costumo gostar de gelatina. O contraste com o doce de mirtilo é muito bom! E aguentam-se bem direitinhos. Normalmente eu tenho problemas em manter fatias de cheesecake intactas, sem que a base se desfaça ou mergulhe na minha roupa, e fiquei surpreendida quando um cheesecake saiu da forma disparado e aterrou ileso - base inteira e tudo! Dá para comer à mão, o que é dizer alguma coisa (a não ser que seja só eu a ter o problema da bolacha quebradiça).  
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 cheesecake)
Energia: 94kcal
Proteínas: 4.9g
Hidratos de Carbono: 12.5g
-       Dos quais açúcares: 8.6g
Lípidos: 1.7g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.9g
Fibra: 0.7g
Sódio: 117mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 60g, 1 dose, 1 cheesecake ou 1/15 da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para uma versão sem lactose, o iogurte utilizado deverá ser de soja. Para uma versão sem glúten, a aveia utilizada deve ser certificada sem glúten.
_________________________________________________________________________

sábado, 4 de julho de 2015

Gelado de Caju e Baunilha (Saudável, Vegan, Sem Lactose, Sem Glúten, Paleo)


Agora que está uma temperatura de matar por abafo as pessoas começam a arranjar maneiras de sobreviver. Ventoinhas, ar condicionado, gelados, bebidas frias, viagens ao Polo Norte - é tudo válido nesta tentativa de dissipar energia. E agora, mais do que nunca, começam a aparecer  relatos dos 'beneficiados'.
Que são os 'beneficiados'?, perguntam vocês. São pessoas que têm a casa fria no verão e quente no inverno. Gente com sorte e um bom isolamento, portanto. 
Confesso que tenho alguma inveja destas pessoas. A minha casa desde cedo manifestou um planeamento inteligente, sendo gelada no inverno e uma estufa abafada no verão, de tal maneira que no início de junho começo a receber um monte de telefonemas de aglomerados de musgo que se querem instalar por aqui. Oferecem-se para ficar até dezembro e depois sacrificam-se para fazer um presépio. 
Como devem perceber, não é a coisa mais agradável do mundo. Valem-me as ventoinhas, melhores aparelhos alguma vez inventados - incluindo aquela que já caiu 20 vezes, tem arame a toda a volta para segurar as partes que encaixam e encrava irritantemente, ficando a fazer barulho de ventoinha avariada até alguém lhe dar uma empurradela. 
E valem-me também receitas como estas - gelados saudáveis, fresquinhos e cremosos. Porque nada sabe melhor que um gelado num dia de calor :)
(Tirando um vidro duplo num dia de calor. Ou um balde de água fria num dia de calor.)






Gelado de Caju e Baunilha (Saudável, Vegan, Sem Lactose, Sem Glúten, Paleo)
Para 4 doses (4 copos de 200ml cheios)

Ingredientes:
[  200g de cajus crus (demolhados, com água em excesso, durante a noite anterior, cerca de 8 a 12h)
[  500ml de leite (vegetal ou não, pode ser magro)
[  2 colheres de sopa de óleo de coco
[  20g de mel ou maple syrup
[  1 colher de chá de extrato de baunilha (opcional)
[  1 pitada de sal (opcional)

Preparação:
| Coar os cajus demolhados, descartar a água e secar bem com um pano ou papel absorvente.
| Triturar num robot de cozinha, numa liquidificadora ou num processador de alimentos potente os cajus com o leite, o óleo, o mel (ou maple syrup), a baunilha e o sal até não haver grãos e a textura ser suave, aveludada e sem bocadinhos de caju a passear. Para me certificar, e uma vez que odiaria um gelado ganuloso, fi-lo durante cerca de 8 minutos, mas depende da eficácia da máquina e basta provar para ver.  
| Congelar (eu pus em cuvetes de gelo e recomendo, com a maior área de contacto congela mais rápido, formam-se menos cristais e é mais fácil triturar) até estar completamente sólido, pelo menos*. 
| Retirar o creme do recipiente onde foi congelado e colocar de novo num robot de cozinha/liquidificadora/processador. Processar até ter uma consistência cremosa de gelado. 

*Podem deixar durante vários dias neste estado de latência, assim têm gelado de reserva (como os 10kg de rodelas de banana que eu tenho em espera).




Eu não estava nada à espera que isto corresse bem, porque a minha última tentativa de transformar uma coisa sólida numa coisa cremosa resultou numa tarte de framboesa e chocolate super crocante (e horrível). MAS, e com a ajuda da não-presença do meu processador de alimentos mal intencionado, ficou mesmo delicioso e superou o meu cepticismo.
Não tem textura grumosa nem estranhamente quente (como previ injustamente que tivesse). Sabe a caju (pleasant undertones de caju, mais especificamente) e a baunilha, além de ser bastante doce para a quantidade de mel que leva (não olhem-só-para-a-minha-intolerância-a-açúcar-doce: suficientemente doce). E a baunilha, também tem gosto a baunilha. É muito bom e a textura é fantástica, cremosa e leve! Fica branquinho e sabe a Epá, mas sem as chicletes manhosas.
Agora percebi a fama do caju em sobremesas do género e acho que vou experimentar mais! Impera é a necessidade de uma máquina que triture bem, senão talvez não valha a pena fazer. Acabam por ficar muitos pedacinhos que tornam a textura muito estranha. Também não me arriscava usar a varinha mágica, mas isso é porque a minha é um bocado da idade da pedra.
Experimentem, é delicioso! Podem sempre juntar outras coisas que não baunilha para dar sabor. Sugiro que acompanhem com o caramelo paleo ;)
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 331kcal
Proteínas: 10.1g
Hidratos de Carbono: 23.0g
-       Dos quais açúcares: 9.5g
Lípidos: 24.3g (but hey, it´s heart-healthy!)
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 6.1g
Fibra: 1.9g
Sódio: 70mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 180g, 1 dose, 1 copo, 200ml ou 1/4 da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para a versão vegan deve ser utilizado maple syrup e não mel. Para a versão sem lactose o leite deve ser vegetal.
_________________________________________________________________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...