Avançar para o conteúdo principal

Crème Brûlée


Quando era pequena sonhava em ter uma piscina de moedas para mergulhar como o Tio Patinhas (já agora, o Mickey é sobreestimado. Os sobrinhos do Pato Donald e o Pluto são o equivalente da Disney à irmã amarela do Doraemon).
Depois o meu discernimento aumentou. Deixei de querer uma piscina de moedas (pelo menos para mergulhar) e surgiu-me uma ideia muito mais executável: uma piscina de gelatina.
Por um momento, por favor, deixem a maturidade de parte e reparem bem na potencialidade disto: uma piscina de gelatina
Uma piscina de gelatina.
Acho que já demonstrei suficientemente o meu nível de entusiasmo em relação a isto.
Já tive outras ideias, mas, como já é comum, nenhuma igualou esta em qualidade. Ainda assim, são merecedoras de menção honrosa as seguintes: piscina de plástico de bolhas, piscina de bolinhas-hidratáveis-que-decoram-jarros, piscina de confetis, piscina daquele material que se fura com flores, piscina de raspas de sabão que decoram as casas de banho de minha casa e remontam a um ímpeto decorativo original da minha mãe (já esborrachei algumas secretamente, sabe tão bem). 
Provavelmente como resultado da minha obsessão por piscinas, uma das primeiras coisas que me ocorreram ao experimentar o crème brûlèe foi uma piscina de crème brûlèe.  
E ao imaginar quebrar aquela «capa» crocante e mergulhar no creme mais cremoso que já comi, admito sinceramente que tenho imensa inveja da minha colher.






Crème Brûlée
Adaptado daqui
Para cerca de 12 ramequins

Ingredientes:
[  1L de natas (haha :P)
[  1 vagem de baunilha (ou 2 colheres de chá de essência de baunilha)
[  10 gemas de ovo L (ou 12 M) (200ml)
[  60g de açúcar

Preparação:
| Colocar num tacho as natas e a vagem de baunilha cortada longitudinalmente, raspando as sementes também para o leite (ou a essência).
| Levar a lume médio e aquecer apenas até estar quase a ferver (quando se formarem pequenas bolhinhas e rebentarem).
| Entretanto, à parte e na velocidade máxima da batedeira eléctrica, bater as gemas com o açúcar até que aumentem em volume e a cor aclare (cerca de 30 segundos).
| Verter as natas aquecidas em fio para a mistura das gemas, mexendo rapidamente com uma vara de arames.
| Dividir por ramequins ou tacinhas. Colocá-los num tabuleiro fundo (pelo menos tão alto como os ramequins) e encher o tabuleiro de água a ferver até ao nível do creme nos ramequins (banho-maria).
| Levar ao forno pré-aquecido a 160ºC durante cerca de 30 minutos, monitorizando: devem ficar estáveis e relativamente firmes, especialmente nas bordas, mas ainda tremelicar ligeiramente no centro quando agitados.
| Refrigerar durante pelo menos 4 horas.
| Para servir, polvilhar com açúcar e queimar com um maçarico.


Sumo de Crème Brûlée


TÃO. BOM.
Eu pensei que isto fosse difícil, mas não é. É uma receita mesmo muito simples, não dá trabalho nenhum. E fica delicioso.
Da primeira vez que fiz usei gemas M e, apesar de ter compensado nas quantidades, notei a diferença. Também fiz um banho maria mais baixinho e a consistência ficou completamente diferente - parecia sumo, quando da segunda vez era surpreendentemente próxima de veludo suave e cremoso. Também foi porque adicionei pouco tempo à receita original por não saber de que forma engrossariam no frio, o que já corrigi da segunda vez. Pus uma fotografia dele mais líquido; nem se nota muito, mas na vida real não se compara sequer.
Acho que o melhor disto é mesmo a consistência, porque é perfeita. É bastante diferente do leite creme tradicional, incluindo no procedimento, e eu gosto bastante mais. O sabor tem uma nota forte de baunilha e lembra tarte de flan ou creme de pasteleiro; não é muito doce, mas é doce na medida certa.
...Mais importante, queimá-lo é EXTREMAMENTE divertido. Descobri a minha vocação - já sei como se sentem os desenhos animados a soldar as suas naves espaciais. Se quiserem podem não queimar, mas eu gosto... O açúcar faz uma camada quente e estaladiça que cobre o creme e, para além de ser giro parti-la mandando golpes com a colher, faz um fantástico contraste com a cremosidade fria do creme.

Comentários

  1. Uma piscina de creme brulee seria, sem dúvida alguma, algo fantástico!
    Essa capinha crocante no topo do creme está de babar :)
    Beijinhos*
    http://petiscana.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Magnífico este crème brûlée!!! Adoro :P
    Beijinho

    Recanto com Tempero
    http://recantocomtempero.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Hum, uma piscina cheia de notas era bem melhor, se bem que uma piscina de gelatina também me fascina, nunca tive desejos por piscinas!!!
    Ai tanta nata, mas adoro créme brulée é tão bom a capa crocante que delicia, fiquei com tanta vontade de voltar a fazer, que bom que está e bonito,

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. adoro creme brulee que cor tão bonita, que saboroso, gosto tanto.


    www.ocantinhodosgulosos.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. A única inveja que tenho neste momento é que a tua colher não seja a minha :D ahahahah
    (piscinas de gelatina??really?? :D hehehehe)

    ResponderEliminar
  6. Fiz apenas uma vez e gostei.
    O teu ficou maravilhoso
    bjs

    ResponderEliminar
  7. Que bom aspecto! Achas que resulta bem com "natas de soja"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que até deve dar :) Não sei é se usaria aquelas «para bater», porque as outras têm cara de ser para salgados. Vou tentar fazer uma versão sem lactose também :D

      Eliminar
  8. Sou doidinha por leite creme, mas nunca fiz crème brulée! Tenho de corrigir rápidamente esta falha, estas fotografias deixaram-me a babar... Que aspecto fantástico, sedoso, imagino a delícia de sabor...Uma bombinha calórica, é certo, mas quem quer saber disso com uma maravilha destas?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Bem... ficou perfeito!! Até custa "perfurar" essa capinha deliciosa :)
    Uma piscina de creme brulee é capaz de ser muito ambicioso, não?! :)
    Agora a serio, estas fotografias matam-me! Tenho que impor que não vejo o teu blog a estas horas... estou aqui de água na boca!!

    ResponderEliminar
  10. Adoro creme brulée! Super cremoso, quase "velvety".
    E a parte que mais gosto mesmo é quebrar a capinha de açúcar queimado, adoro!
    Uma piscina de creme brulée era bem vinda sim, eu acho que preferia ainda mais uma de chocolate negro hehe
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Adoro, adoro, adoro... a minha parte preferida também é queimar!

    ResponderEliminar
  12. Olá avelã...

    Gosto muito da ideia de ter uma piscina cheia de moedas (das de 2€ pelo menos) e com algumas notas pelo meio :-)
    À falta disso se for uma piscina de creme brulée também acredito que seja bom... Acredito... Porque eu nunca experimentei! Até te ia perguntar se seria parecido com leite-creme, mas já disseste que não. Eu adoro leite-creme, e com o açúcar queimado, gosto do crocante, do afundar a colher como dizes... Se esse tem o tal toque abaunilhado deve ser muito bom...
    Mas 1L natas??? Assustei-me :-) Gostei do teu haha entre parênteses! Uma bombinha de calorias para aterrar nas ancas... Ai, mas que sabe tão bem ao comer...

    Beijinhos grandes e obrigada por nos trazeres mais umas das tuas maravilhosas doçarias!!! Sempre a surpreender...

    ResponderEliminar
  13. E eu a pensar toda contente que vinha daqui um creme brulee sem colesterol, sem lactose, todo light para eu experimentar e no fim é a receita maquiavélica do melhor creme brulle nada light de todo o sempre =P Gostava de saber quantas calorias tem um potinho desses por acaso =P Tem cá um aspectooooo :D

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  14. Olá Avelã!
    Este creme aveludado é um tesouro dos doces de colher. Ficou exclênte.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  15. Adoro Creme Brulee, também achava que era algo complicado para fazer até assistir a Lorraine Pascale no GNT, fantástico.

    Seu creme ficou lindo e deve ter ficado delicioso, já vou correndo preparar...eheheh

    Beijinhos,
    Pri
    http://www.receitaesperta.com.br

    ResponderEliminar
  16. Olá! Confesso que fiquei com vontade de mergulhar no creme! Em vez de piscina pode ser uma banheira! Ahahah
    Adorei a historia! Bjs

    ResponderEliminar
  17. Para mim a piscina de creme brûlée é a melhor!
    Eheh, imaginar mergulhar nessa crosta é uma ideia mais que gulosa!
    Ficou com óptimo aspecto!
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  18. Não será prejudicial para os pulmões? :)

    ResponderEliminar
  19. Ficaram tão tentadoras estas lindas tacinhas. Confesso que tenho uma certa inveja deste maçarico ( tenho imensas maquinetas,mas ainda me falta esta) que faz esta casquinha crocante no creme e que deve fazer toda a diferença.
    Bj
    Márcia

    ResponderEliminar
  20. Eu faço daqueles instantâneos e também são bons até lol

    Mas não os queimo =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  21. loooooool 1litro de natas, riso malefico ? eheheh. olha é assim... que abuso ! so me deixas com fome sabias ?
    adooooro creme brulee , os fresquinhos sao mesmo os melhores! aiii que saudades de fazer estas paparocas :D nao sei se chegaste a ver a minha resposta , mas quando abres um canal de culinaria ? ia amar ! ahahah tambem adorp queimar! bem da proxima faco esta para o pessoal ca de casa :P nhamii mas 1lt de natas nao ehehehh

    ResponderEliminar
  22. Gosto tanto de Creme Brulee e ainda não tive coragem de o fazer em casa, mas vontade para comer piscinas dele não me falta :) o teu tem um aspecto delicioso e já comia umas 3 taças seguidas :p despertar sentimentos de gula é feio, sabias? ehehe
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  23. também há a piscina de arroz doce, uma ideia de um livro já antigo da Isabel Alledre. Eu adoro creme burle e faço o muitas vezes mas nunca bato as gemas com a batedeira porque não se deve acrescentar muito ar, ou temo de queimar as bolhas depois com o lança chamas :)
    Fiquei cheia de vontade de comer um creme burle agora... malvada ;)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

Papas de Aveia com Claras (com aveia de sabor) (Saudável, Sem Lactose*, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)

Já ouvi relatos mirabolantes de desastres na cozinha. Mesmo sendo óbvio que esta é basicamente um aglomerado de aparelhos potencialmente perigosos, continua a surpreender a quantidade de histórias incríveis que sobre ela há: seja sobre panelas de pressão a explodir ou desastres no fogão que originam mini incêndios, praticamente toda a gente tem algumas histórias para contar nesta divisão. Considerando isto, acho que até tenho tido alguma sorte. Tirando os óbvios e nada originais cortes e queimaduras, não me aconteceu nada de especial. A menos que consideremos... O incidente do gelado frito . Tudo começou com um inocente pedido de gelado frito para sobremesa num restaurante chinês. Tinha começado há pouco a cozinhar mais sobremesas, apenas com bolos simples, e decidi depois replicar a receita em casa, o que requeria um tacho de óleo a ferver e a necessidade de colocar e retirar rapidamente bolas de gelado deste para que não derretessem - nada fora do comum até aqui, portanto. Po