Avançar para o conteúdo principal

Pavlova


Acho que há pouca gente que nunca tenha ouvido falar de pavlova. É uma sobremesa famosa por ser temperamental: tem tendência a abater em resposta a mudanças bruscas de temperatura.
Como tal, tende a assustar quem nunca fez - o que é uma pena, porque é deliciosa. Pessoalmente, já fiz várias pavlovas e nunca nenhuma me correu mal. Talvez porque sempre respeitei o aparato de a deixar arrefecer religiosamente fechadinha no forno, sem abrir a porta nem sequer em pensamento :P
Tenho em conta que a receita nunca me falhou, e porque acho que uma explicação simples mas com todos os passos fundamentais bem discriminados é sempre bem vinda, partilho-a aqui para quem se quiser aventurar a fazer uma pavlova também :)





Pavlova
Adaptado daqui

Ingredientes:

Para a pavlova
[  4 claras de ovo
[  200g de açúcar
[  1 colher de sopa de amido de milho
[  1 colher de chá de vinagre

Para a cobertura (obviamente, podem optar por uma cobertura diferente. Mas chantilly com frutos vermelhos é chantilly com frutos vermelhos :P)
[  200ml de natas para bater
[  3 colheres de sopa de açúcar
[  Frutos vermelhos a gosto

Preparação:

Para a pavlova
| Colocar as claras num recipiente grande. Utilizando uma batedeira elétrica na velocidade média-alta, batê-las em castelo.
| Sem parar de bater, juntar o açúcar aos poucos, uma colher de sopa de cada vez e batendo bem a cada adição.
| Bater até que o açúcar esteja completamente dissolvido. Para testar se é o caso, podem colocar um pouco do preparado entre dois dedos e apertar: e sentirem os grãos de açúcar, precisam de bater mais.
| Baixar a velocidade da batedeira para o mínimo. Adicionar o amido de milho e o vinagre e bater apenas até ambos estarem envolvidos.
| Dispor o preparado num tabuleiro forrado com papel vegetal, fazendo um círculo com cerca de 20cm de diâmetro. Como referência, podem desenhar o círculo a lápis no verso do papel vegetal.
| Colocar no forno pré-aquecido a 150 graus. Depois de fechar o forno, baixar a temperatura para 120 graus e cozer durante 1h20. Findo este tempo, desligar o forno e deixar a pavlova arrefecer completamente sem nunca abrir a porta. O melhor é mesmo deixá-la a arrefecer no forno de um dia para o outro: mudanças bruscas de temperatura podem fazer com que ela abata.

Para a cobertura (preparar quando a pavlova já estiver fria, e pouco tempo antes de servir*)
| Num recipiente grande, colocar as natas bem frias (costumo colocar 10 minutos no congelador antes de usar) e o açúcar. Bater com a batedeira elétrica até obter um chantilly espesso e cremoso.
| Cobrir a pavlova com o chantilly e decorar com frutos vermelhos.

*Recomendo colocar o chantilly por cima da pavlova apenas umas horas antes de servir, porque acho que se o fizer muito antes (por exemplo, de um dia para o outro) a crosta estaladiça típica da pavlova tende a amolecer.



Se são fãs de sobremesas com claras, como merengue, suspiros ou molotof, não podem não gostar de pavlova! Partilha com elas a delicadeza encantadora que lhes é caraterística: a crosta é estaladiça e dissolve-se na boca, e o interior mais parece uma nuvem docinha. O sabor e a textura combinam na perfeição com a cremosidade do chantilly, e com a doçura e leve acidez dos frutos vermelhos!

Comentários

  1. Posso meter adocante ou acucar amarelo?? Ou entao menos acucar?? E k 200 grms acho mt pk n gosto d mt doce

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não recomendo muito - na pavlova, assim como nos suspiros ou no molotof, o açúcar não serve só para adoçar, também é importante para a consistência...
      É uma sobremesa delicada e é possível que cortar no açúcar faça com que ela abata!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

As Panquecas Perfeitas! (Saudável, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten)

Desde que tenho o blog já experimentei muitas receitas de panquecas, e já publiquei várias delas. Algumas foram particularmente bem-sucedidas: as de aveia com quark , as de weetabix e as de coco já foram feitas (e aprovadas) por muita gente que me veio dar o seu feedback . Outras tornaram-se em clássicos por aqui, e foram repetidas imensas vezes por mim desde que as publiquei; é o caso das panquecas com aveia de sabor e das de aveia e centeio . Mesmo as panquecas de abóbora , uma das últimas receitas que publiquei, foram bastante apreciadas (por mim e por quem já experimentou e partilhou a sua opinião). E gostei bastante de todas estas receitas, até porque só publico no blog coisas de que tenha gostado realmente. Mas, as receitas antigas que me desculpem, hoje não venho partilhar uma receita de panquecas 'boa', nem sequer muito boa. Hoje venho partilhar A receita, capaz de revolucionar por completo a forma como vêem as panquecas. Apenas as fiz hoje, mas tive de p