terça-feira, 29 de abril de 2014

Mousse de Cacau com Chia e Abacate (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose, Vegan)


Há coisas que são largamente utilizadas nos blogs e instagram. Tanto que me apetece logo experimentá-las. Algumas experiências não correm lá muito bem, como o couscous (ou a pior coisa que já comi na minha vida), e às vezes nem sei por que é que continuo a experimentar. 
Ultimamente, talvez porque está tudo em cutting e dieta low carb, tenho visto imensos abacates. Abacate à colher com café, abacate em tostas, abacate com iogurte, abacate com canela.
Na verdade já andava para fazer um bolo de chocolate com abacate à algum tempo, e foi por isso que comprei abacates assim que reavi o meu processador, agora arranjado. Pelo título do post podem imaginar que não correu tudo como planeado. 
Da primeira vez que usei o processador (para frozen yogurt!) ficou exatamente com o mesmo problema da última vez. E eu fiquei com 3 abacates maduros. 
Afinal tudo correu bem, exceptuando o meu processador estragado e o bolo por fazer, e com os 3 abacates descobri 3 coisas maravilhosas:
1: Gosto de abacate;
2: Atum com abacate é muito bom;
3:




Mousse de Cacau com Chia e Abacate (Saudável, Sem Glúten, Sem Lactose, Vegan)
Adaptado daqui
Para 1 dose

Ingredientes:

[  1/2 abacate maduro 
[  20-25g de mel (não experimentei, mas pode ser substituído por xarope de seiva de ácer/agave, geleia de arroz ou xarope de açúcar para que seja vegan) (dependendo do gosto)
[  10g de cacau em pó (puro para um sabor mais intenso, mas o magro também fica bom)
[  3/4 colheres de sopa de óleo de coco derretido
[  1/4 colher de chá de extrato de baunilha
[  1/4 colher de chá de sementes de chia moídas

Preparação:

| Descascar o abacate. Retirar o caroço e a pele mais escura (à volta).
| Misturar todos os ingredientes (abacate, mel, cacau, óleo de coco, baunilha e chia) num copo medidor ou no copo de uma liquidificadora. 
| Processar com a varinha mágica (copo medidor) ou com a liquificadora até que esteja cremoso.
| Colocar num copo ou ramequim e refrigerar durante pelo menos meia hora.





Algumas opções para substituir o mel, como o xarope de seiva de ácer (maple syrup) podem ter um gosto mais forte, portanto é necessário ter cuidado e ir provando antes de adicionar, ou usar algo mais neutro como xarope de açúcar. 
Gostei imenso da experiência! Uma coisa que tenho querido fazer é «pudim de chia», mas isto é mais uma mousse. A textura é muito rica - o resultado é extremamente cremoso, aveludado e algo denso. O sabor também é fantástico, intenso... O abacate não se sente de todo, até me esqueci que estava lá (e por acaso já tinha feito outra mousse deste tipo e foi horrível, completamente diferente). Esta é uma das minhas receitas preferidas! A repetir, sem dúvida. É o ideal para uma sobremesa mais saudável ou um lanche mais docinho!

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose de 167g)
Energia: 391kcal 
Proteínas: 4.4g
Hidratos de Carbono: 31.6g
-       Dos quais açúcares: 17.7g
Lípidos:  31.8g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 10.5g
Sódio: 14mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose ou à totalidade da receita). Foi calculada com 20g de mel. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para um produto sem glúten cada um dos ingredientes deve ser verificado pela possibilidade de contaminação.
_________________________________________________________________________


sexta-feira, 25 de abril de 2014

Scones de Aveia (Saudável, Sem Lactose, Sem Glúten, Sem Adição de Gordura)


Há livros de aventuras que fazem tudo parecer agradável. Acordar às 6 horas e comer ovos mexidos, ir acampar para um farol, andar de bicicleta para todo o lado. Sempre gostei de ler esses livros (embora já há alguns anos a minha preferência literária tenha deixado de recair sobre eles...). Todos eram bondosos e generosos e as quintas tinham caseiros bonacheirões que ofereciam ovos caseiros e geleias para uma semana de acampamento. Os colégios internos estavam cheios de festas à meia noite com latas de leite condensado comidas à dedada, latas de sardinhas, mergulhos na piscina e dores de barriga. Havia visitas à cidade para comprar fitinhas e bolachas ou visitar o circo. Havia pais e avós com saudades que enviavam bolos de aniversário cujo destino era um armário escondido, seguido de uma festa noturna (e mais dores de barriga). Havia jogos de desportos estranhos mas que soavam bem, como lacrosse. Em todo o lado havia cumplicidade e só havia uma pessoa má por ano num colégio inteiro, que o era sem lugar para dúvidas e em todo o seu carácter, sendo portanto desprezada pelas outras e no fim castigada ou vítima de uma transformação.
E havia recepções calorosas em casa de tios simpáticos em pleno inverno, com chá acabado de fazer e scones quentinhos com manteiga. O lanche mais acolhedor e reconfortante de sempre. Ainda que eu não soubesse o que eram scones.






Scones de Aveia (Saudável, Sem Lactose, Sem Glúten, Sem Adição de Gordura)
Adaptado daqui
Para 10 scones

Ingredientes:

[  150ml de leite (pode ser magro e/ou vegetal, incluindo de soja)
[  1 colher de sopa de vinagre
[  250g de farinha de aveia integral 
[  1 colher de sopa de açúcar mascavado
[  1 colher de sopa de coco ralado
[  1 pitada de sal
[  1 colher de chá de fermento
[  2 claras de ovo (ou 1 ovo)
[  2 colheres de sopa de passas (opcional)

Preparação:

| Adicionar o vinagre ao leite e deixar atuar durante 15 minutos.
| Juntar num recipiente a farinha, o açúcar, o coco, o sal e o fermento. 
| Abrir espaço no centro do recipiente (desviar os ingredientes secos) e acrescentar as claras (ou o ovo) e o leite com vinagre. 
| Mexer bem para incorporar a farinha. A mistura deve ser densa, se estiver demasiado líquida para moldar dever-se-á acrescentar mais farinha. 
| Juntar as passas e misturar.
| Forrar um tabuleiro de forno com papel vegetal e polvilhar com farinha com a ajuda de uma peneira.
| Moldar com as mãos 10 scones redondinhos com a massa e colocá-los no tabuleiro. 
| Levar ao forno pré-aquecido a 200 graus durante 15-20 minutos, ou até estarem cozidos. A forma deles pode ser parecida com massa crua, portanto o melhor é monitorizar pelo tacto.





Já fiz estes scones umas 10 vezes. São muito económicos (especialmente se a farinha for feita a partir de flocos de aveia), para além de fáceis e rápidos de fazer. São um dos poucos lanches para cozinhar na altura concebíveis quando não tenho muito tempo, já para não falar de quando já estão feitos...
Quentinhos são absolutamente deliciosos, e são óptimos para congelar: descongelados na frequência própria do microondas ficam fantásticos. Ainda que quentes sejam melhores, frios continuam a ser óptimos, mesmo se tiverem sido descongelados: são lanches muito práticos para transportar, embrulhados em papel de prata ou numa saquinha para sandes. São um bom substituto do pão, com a enorme vantagem de não terem de levedar.
Sinceramente até prefiro comê-los sem nada, mas também ficam bons com doce ou manteiga. Têm um sabor particular subtil que adoro e são pouco doces (mas não aumentaria o açúcar porque acho que assim ficam perfeitos, até surpreendentemente doces para a pequena quantidade de açúcar que levam). Ficam crocantes por fora e muito molinhos por dentro, com uma textura interior densa que é muito boa e extremamente reconfortante, ainda mais (lamento a insistência) quando estão quentes (como miolo de pão quente, mas melhor). O coco não é de todo o sabor dominante e não se nota particularmente, mas contribui para o sabor leve e agradável. 
Também gosto do aspecto, ficam com um ar rústico. As passas conferem-lhes uma certa graça, mas são perfeitamente omissíveis :)

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 scone)
Energia: 103kcal 
Proteínas: 4.7g
Hidratos de Carbono: 18.7g
-       Dos quais açúcares: 1.4g
Lípidos: 2.1g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 2.8g
Sódio: 107mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 dose, 1 scone ou 1/10 da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. Para um produto sem glúten cada um dos ingredientes deve ser verificado devido à possibilidade de contaminação, e a farinha utilizada deverá ser a de aveia. Para um produto sem lactose o leite terá de ser desprovido desta, podendo ser leite de vaca alterado ou simplesmente leite vegetal.
_________________________________________________________________________

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Pizzas de Francesinha


Os meus maiores sucessos culinários advém, geralmente, de ideias mirabolantes que me surgem em momentos de inspiração.
Muitas destas envolvem juntar uma comida ou prato conhecido com outra(o), o que geralmente geralmente resulta extremamente bem e acabo por fazer coisas deliciosas que acabo por repetir imensas vezes. Claro que muitas vão diretas para o lixo não ficam tão bem, mas pela taxa de sucesso, acho que vale a pena continuar a tentar.
E é de ideias como estas que surgem as melhores coisas que já fiz, entre muffins de baklava, tarte de snickers, cupcakes de kinder bueno, licor de nutella, iogurtes de tarte de maçã, rissóis de chili, papas de aveia com fudge... e pizza de francesinha.
Não faço a mínima ideia de onde veio esta ideia (como as outras...)... É basicamente «um não sei quê, que nasce não sei onde/ Vem não sei como e dói é mesmo bom não sei porquê» (sim, eu sei, acabei de profanar um clássico a propósito de pizzas de francesinha ;))




Pizza de Francesinha
Para 4 pizzas individuais
Molho da francesinha adaptado daqui, base da pizza adaptada daqui

Ingredientes:

Para a base da pizza:
[  1/2 saqueta de fermento de padeiro seco (5,5g)
[  1 1/3 colher de chá de açúcar
[  50+100ml de água
[  100g de farinha para todos os usos
[  150g de farinha fina (ou mais da anterior)
[  1 colher de chá de sal grosso
[  1 colher de sopa de azeite

Para o molho de francesinha:
[  1 colher de sopa bem cheia de manteiga
[  2 folhas de louro
[  100ml de molho de tomate
[  Molho picante (a gosto)
[  Pimentão doce (a gosto)
[  Sal (a gosto)
[  100ml de cerveja
[  50ml de vinho do Porto (ou mais cerveja)
[  50ml de vodka (ou mais cerveja)
[  80ml de leite (de preferência gordo)
[  1 colher de chá de amido de milho
[  1/2 caldo de marisco (opcional)



Para a montagem:
[  4 bifes de vaca fininhos
[  Sal (a gosto)
[  4 fatias de fiambre
[  8 fatias de queijo flamengo (ou outro) (de preferência quadradas)
[  Amido de milho (a gosto)

Preparação:

Pizza:
| Aquecer num copo alto 50ml de água, até que fique morna.
| Dissolver na água o fermento e o açúcar e mexer.
| Deixar num local quente durante cerca de 20 minutos (deve crescer muito).
| À parte, peneirar as farinhas para um recipiente grande.
| Juntar às farinhas o sal, o azeite, o preparado do fermento e os restantes 100ml de água.
| Amassar à mão durante 20 minutos.
| Formar uma bola e colocar de volta no recipiente. Tapar com um pano limpo e deixar levedar durante 2 horas.

Molho de Francesinha:
| Derreter num tacho a manteiga e juntar o louro.
| Adicionar o molho de tomate, o molho picante, o pimentão doce, o sal, o vinho e a vodka e/ou a cerveja.
| À parte, dissolver no leite frio o amido de milho.
| Incorporar o leite no molho.
| Juntar o caldo de marisco e mexer bem.
| Provar e, se necessário, juntar mais molho picante, pimentão doce, sal ou molho de tomate.
| Deixar ferver até que tenha a consistência desejada.

Montagem:
| Pré-aquecer o forno à temperatura máxima.
| Forrar um tabuleiro de forno com papel vegetal ou de prata e, com a ajuda de uma peneira, polvilhar com amido de milho.
| Dividir a massa em 4 e formar quadrados, colocando-os no tabuleiro preparado.
| Grelhar os bifes com sal.
| Cobrir cada um dos quadrados de massa com um pouco do molho de francesinha feito, colocando depois uma fatia de fiambre, um bife e duas fatias de queijo.
| Levar ao forno durante cerca de 10 minutos.
| Cobrir com mais molho de francesinha.




A pizza ficou meeesmo boa. A sério, que delícia! Eu nem gosto assim tanto de francesinha e achei que estava perfeita! Também se pode juntar ovo por cima do queijo e cobrir com o molho, ou acrescentar enchidos e outras coisas à escolha, claro. Poderia ser só uma pizza de tamanho normal, em vez de  4 pequenas, basta moldar mais ou menos num quadrado grande e dispôr uniformemente o fiambre, a carne e o queijo.
Tenho uma dificuldade enorme em tirar fotografias de pizza, especialmente porque quero comê-la quente. É a razão por que não tenho pelo menos 1 pizza básica aqui, acho sempre melhor fazer outra vez para ter fotos melhores. A maldição das fotos continua, mas não pude deixar de publicar esta delícia...
Quando tenho estas ideias geniais às vezes acabo por pesquisar no google para ver as pessoas que já fizeram e como fizeram, mas muitas vezes não aparece nada. Desta vez não encontrei um híbrido de pizza e francesinha! Por isso senti-me logo portadora do dever de criar uma pizza de francesinha... E como um génio, admito :)

domingo, 13 de abril de 2014

Bolo de Coco com Cobertura de Coco


Há algum tempo vi em vários sítios que, se uma lata de leite de coco fosse deixada aberta no frigorífico durante uma noite, ficaria com um creme denso em cima e soro em baixo. Fiquei imensamente fascinada com o potencial da coisa: mousses, coberturas e cheesecakes cremosos e mais saudáveis! Comprei logo duas latas e deixei uma no frigorífico. Durante 2 dias. E não aconteceu nada. 
(Acabei por comprar creme de coco, mas não é a mesma coisa e continua a ser muito mais líquido.)
Achei que podia ser de agitar demais e portanto comprei outra lata, a última da fila na prateleira do supermercado, e levei-a carinhosamente na mão o tempo todo para não haver movimentos bruscos. Também não resultou. Mimada.
E o que é que aconteceu à outra lata que estava no armário? Esteve esquecida durante algum tempo e depois foi usada neste bolo de coco delicioso. E quando a abri deparei-me com um creme uma massa extremamente espessa e soro no fundo.
Yay.









Bolo de Coco com Cobertura de Coco
Adaptado daqui


Ingredientes:

Para o bolo:
[  180g farinha fina para bolos (sem fermento)
[  100g de farinha de espelta 
[  180g de açúcar branco
[  2 colheres de chá de fermento
[  1 pitada de sal
[  180g de manteiga sem sal à temperatura ambiente (em cubos)
[  6 claras de ovo L
[  250ml de leite de coco
[  80g de coco ralado
[  60g de açúcar baunilhado

Para a cobertura:
[  6 claras de ovo L
[  300g de açúcar branco
[  330g de manteiga sem sal à temperatura ambiente (em cubos)
[  1 colher de chá de extrato de baunilha
[  1 pitada de sal
[  160ml de leite de coco
[  Coco ralado (opcional, a gosto)

Preparação:

Bolo
| Peneirar as farinhas e juntar o açúcar, o fermento e o sal.
|  Bater com uma batedeira elétrica, na velocidade mínima, durante aproximadamente  15 segundos.
| Acrescentar a manteiga e bater na mesma velocidade durante 1 minuto, até que fique em pedaços granulosos.
| À parte, misturar as claras com o leite de coco, o coco ralado e o açúcar baunilhado.
| Adicionar à mistura com farinha metade do último preparado (claras, leite de coco, coco e açúcar baunilhado). Bater em velocidade média-alta durante 1 minuto, raspando os lados do recipiente se necessário.
| Incorporar o resto do preparado. Bater na velocidade média durante aproximadamente 30 segundos (a massa deve ficar homogénea e relativamente leve).
| Dividir por duas formas untadas e enfarinhadas. Em alternativa, refrigerar metade da massa, proceder ao passo seguinte apenas com a metade restante e repetir com a outra (para usar apenas uma forma).
|  Levar ao forno durante 35 a 40 minutos, até que a superfície esteja castanho-clara e o bolo cozido.
| Deixar arrefecer completamente numa grelha do forno, antes de desenformar.

Cobertura/Montagem
| Preparar um recipiente resistente ao calor e um tacho. O recipiente, quando pousado sobre o tacho, deve ficar com o fundo a um pouco mais de 3cm de distância do fundo deste. Usei uma taça de vidro pequena.
| Pôr no tacho referido água a cerca de 2cm de altura. Aquecer até que forme pequenas bolhinhas, mas sem ferver.
| Colocar no dito recipiente as claras e o açúcar. Pousar sobre o tacho com água, sem retirar este do lume. A água não pode tocar no fundo da taça.
| Continuar a aquecer a mistura durante cerca de 8 minutos - as claras devem estar quentes e o açúcar completamente dissolvido.
| Transferir a mistura de claras para um recipiente.
| Bater com a batedeira elétrica as claras, na velocidade média-alta, durante 6-8 minutos. Deverá resultar num merengue leve, branco e já frio.
| Reduzir para a velocidade mínima e incorporar a manteiga, alguns pedaços de cada vez.
| Na velocidade média, bater durante 4-5 minutos. Pode não estar completamente lisa no início, mas final a mistura tem de ficar cremosa e brilhante, sem pedaços de manteiga.
| Adicionar o extrato de baunilha, o sal e o leite de coco e bater durante alguns minutos na mesma velocidade, até que forme um creme brilhante e mais espesso. Pode ainda estar algo líquido, depois solidifica no frio.
| Desenformar os bolos. Sobre um espalhar cobertura e colocar o outro por cima. Cobrir com a restante cobertura e refrigerar durante algumas horas, ou até estar frio e a cobertura sólida.



O resultado final é muito diferente dos bolos com cobertura normais, porque as camadas de cobertura são mais consistentes, mas também mais leves. Tem um sabor suave e primaveril e é menos enjoativa que as  tradicionais. O bolo também é fofo e leve, tendo um sabor acentuado a coco e um travo de baunilha que é muito agradável. As duas componentes conjugam-se na perfeição, formando um bolo muito delicado.
As fatias saíram direitinhas e até gostei do aspeto final. Nunca fiz um bolo em que todas as fatias saíssem tão bem!
A receita pode parecer extensa, mas é muito simples e agradável de fazer, especialmente a cobertura, que é muito cremosa e brilhante. 

(Tive de tentar misturar a massa de coco com o soro. Não ficou perfeito, mas felizmente acabou por ficar homogéneo.)



quarta-feira, 9 de abril de 2014

Iogurte Natural


Sempre comi iogurtes (ou quaisquer lacticínios) magros em criança, por hábito. Mais tarde, quando me comecei a preocupar mais com a alimentação, passei a consumir iogurtes naturais sem açúcar e descobri que afinal gosto do sabor azedo que têm. Durante muito tempo rendi-me aos iogurtes naturais: são simples, têm pouco açúcar e aditivos e são baratos. Depois descobri o queijo fresco batido e deixei de comprar iogurtes (eu disse sou uma pessoa de fases). Encontrei uma marca muito barata e com uma textura incrivelmente cremosa e passei a comê-lo todos os dias ao pequeno-almoço durante meses.
Não sei como, mas acabei por deixá-lo também e passei a comer iogurtes de soja. Não sou intolerante à lactose, mas queria comprá-los há algum tempo. Não são tão baratos, são controversos (não que o leite de vaca não seja...) e têm muitos ingredientes, mas continuo a consumir. Se calhar é hipócrita dizer que o faço por razões éticas e não só de saúde quando como carne, mas acho que pequenas mudanças já valem a pena. 
Não os tendo começado a consumir bem por sabor ou saúde, gostei imenso. Até consegui converter algumas pessoas cépticas («é de soja, não deve ser bom»), incluindo a minha mãe!... 
Os que uso maioritariamente são os naturais, mas há outros deliciosos com 10g de açúcar por unidade

(Caso alguém queira experimentar, são os de baunilha da marca Continente (na verdade são «sobremesas de soja», provavelmente devido à definição de iogurte).)

Já tentei fazer iogurtes de soja na iogurteira e não correu bem. Entretanto fiz algumas receitas de iogurtes normais para testar a iogurteira velhinha que achava que não funcionava por ter arruinado os iogurtes de soja e gostei muito. Não os faço muitas vezes, mas são deliciosos para variar e fazer experiências!




Iogurtes Naturais Açucarados
Adaptado daqui
Para 8 iogurtes

Ingredientes:

[  1L de leite fresco meio-gordo
[  20g de leite em pó magro
[  60g de açúcar branco (opcional)
[  100ml de iogurte natural magro (1 iogurte)


Preparação:

| Misturar num tacho o leite, o leite em pó e, se desejado, o açúcar.
| Levar ao fogão a lume médio-baixo, mexendo regularmente até ferver.
| Retirar do lume e deixar arrefecer até ficar morno.
| Acrescentar o iogurte e mexer. 
| Distribuir pelos copos de vidro da iogurteira.
| Colocar na iogurteira e deixá-la ligada durante 10 horas.
| Pôr no frigorífico por pelo menos 4 horas.





Os iogurtes são maiores do que os de compra, e também são melhores! São muito cremosos e têm um sabor agradável e suave. Já fiz com e sem açúcar e gostei de ambas as maneiras, mas podem simplesmente reduzir o açúcar sem o eliminar completamente. 
Acho que já tinha feito com leite magro não fresco, mas não me lembro bem e foi um bocado à sorte, por isso não me posso responsabilizar pelos resultados.
Entretanto já fiz outras variações que também ficaram deliciosas! :)
Nem vou pôr que é saudável porque é demasiado relativo (por causa do polémico leite de vaca, claro), mas até acho que não são maus :)

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 iogurte com 140g)
Energia: 77kcal 
Proteínas: 5.9g
Hidratos de Carbono: 7.9g
-       Dos quais açúcares: 7.9g
Lípidos: 2.3g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 0.0g
Sódio: 13mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 1 iogurte ou 1/8 da receita). Enquanto ingrediente opcional, o açúcar não está incluído. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real.
_________________________________________________________________________

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Farinha de Coco e Leite ou Creme de Coco (Com 2 Ingredientes) (Saudável, Vegan, Sem Glúten, Sem Gordura/Açúcar Adicionado, Sem Lactose)



Raras vezes como alimentos com sabor a coco. Iogurtes sólidos / líquidos, barras, sumos,... Não só porque, no geral, não uso produtos aromatizados artificialmente, mas também porque acho que, principalmente em iogurtes adoçados, o coco fica com um sabor estranho e não gosto muito (isso inclui coco ralado). No entanto, acho que a minha família traz nos genes uma certa adoração por coco, isto porque há muita gente que adora. Apesar de gostar do sabor do leite de coco e do coco ralado em alguns doces, por exemplo, achava que essa adoração hereditária pelo sabor puro do coco tinha saltado uma geração. Até esta semana. 
O coco fresco tem um sabor óptimo e é muito saudável, apesar de uma experiência de infância traumática em que demorei meia hora a mastigá-lo. É incomparavelmente melhor do que coco ralado!
A indiscutivelmente melhor parte desta receita é partir o coco à martelada. A sério, é incrivelmente divertido. Bem mais do que deveria ser.
E, claro, ficar com 100g de farinha de coco e 400ml de leite de coco por 80 cêntimos, quando dizer que a farinha de coco é cara é um eufemismo, não é muito mau. 

Mas continuo a preferir a parte de partir o coco à machadada.

 Leite de coco




Farinha de coco:



Creme de Coco (já muito espesso):


Farinha de Coco e Leite ou Creme de Coco
Adaptado daqui
Para aproximadamente 100g de farinha de coco e 400ml de leite de coco ou 100g de farinha de coco e 100ml de creme de coco

Ingredientes:
[  1 coco
[  420ml de água (pode-se substituir parte pela água do coco)

Preparação:

| Partir o coco com um martelo (bater-lhe com um martelo e ir rodando até partir a meio).
| Levar ao forno pré-aquecido a 180 graus durante 10 minutos (isto é para retirar a casca mais dura).
| Deixar arrefecer ligeiramente e retirar a casca. 
| Com um descascador de batatas ou uma faca, retirar a pele do coco (castanha, mais fina).
| Partir o miolo aos bocados e, num copo medidor, juntar a água (se necessário, processar metade de cada vez). Passar com a varinha mágica ou liquidificadora.
| Passar muito bem até ficar um líquido branco com alguns «flocos» finos.
| Embrulhar a mistura num pano fino (para coar) e espremer muito bem para um recipiente.
| Levar a polpa que fica no pano (espremida, com pouca água), bem espalhada num tabuleiro com papel vegetal, ao forno pré-aquecido a 90 graus durante 2 a 3 horas. Isto é a farinha de coco. Tem de secar bem, senão fica húmida.
| Colocar o líquido que sobrou num recipiente. É o leite de coco. Tal como os de lata, passado algum tempo o soro separar-se-á do resto (à temperatura ambiente, de preferência). Nessa altura pode-se misturar, ficando novamente com leite de coco, ou retirar o creme de coco que se forma à superfície e descartar o soro.




Gostei imenso da experiência e vou repetir. Uma liquidificadora tornaria o trabalho bastante mais fácil, mas a varinha mágica também resulta bem. A receita pode ser duplicada, mas dá mais trabalho, especialmente se for feita com a varinha mágica.
O leite de coco é muito melhor que o de compra. Não gosto do sabor do de compra (em si) e acho impensável bebê-lo, mas este tem um sabor muito bom e é agradável, mesmo sem nada! O creme de coco é mais concentrado e muito saboroso, com um travo amargo delicioso. A farinha de coco é o meu produto preferido destes, porque dispenso ter de comprá-la e funciona muito bem. Já fiz uma experiência com ela e correu maravilhosamente bem, agora tenho de fazer mais para outras receitas...
Não posso calcular a informação nutricional porque é-me impossível saber que partes ficam em cada subproduto. Os valores da farinha devem ser semelhantes aos usuais, mas o leite é menos diluído e portanto deve ser mais rico, especialmente em gorduras, e ter uma maior densidade energética (assim como o creme). 


quarta-feira, 2 de abril de 2014

Brownie No Microondas com 80 calorias (Saudável, Sem Lactose, Vegan, Integral, Sem Gordura Adicionada)


Pessoalmente, não sou apologista desse tipo de modas sensacionalista do género oh-meu-deus-uma-barra-de-cereais-deliciosa-com-90-calorias.
Acho que as pessoas deviam ligar mais à restante informação nutricional, porque, tirando o valor energético, há muito pouca gente que lhe dê atenção. 
Não digo que quem faz isso é ignorante nem nada do género; é simplesmente natural para algumas pessoas que a aparência seja (bem) mais importante do que a saúde, e é uma questão de prioridades. Afinal, alguns preferem viver felizes sem serem saudáveis a não o ser e ter uma saúde de ferro, porque para elas são coisas aparentemente inconciliáveis.
Do meu ponto de vista, não vale a pena fugir dos frutos secos, das coisas integrais porque têm mais meia dúzia de calorias por 100g (a sério?! Há cada ideia...), do abacate, da banana, da manteiga de amendoim ou do coco... até do açúcar (do certo e na proporção certa, conjugado com outros grupos alimentares e em detrimento da maioria dos adoçantes, que ainda fazem pior).
Claro que tudo tem o seu lugar, e é importante não exagerar na dose de energia necessária... Mesmo assim os os alimentos, mesmo os mais calóricos, são perfeitamente passíveis de serem enquadrados numa dieta equilibrada. (Como podemos ler nos pacotes de batatas fritas...)
Mas depois há as ocasiões em que, talvez por coincidência, se consegue harmonizar todos os parâmetros.
E, nessas ocasiões, há que ceder às modas, para fazer um brownie saudável, delicioso e com baixo valor energético. 

Ou, caso se se sintam mais extravagantes, estragar tudo com uma bola de gelado.






Brownie no Microondas (Saudável, Sem Lactose, Vegan, Integral, Sem Gordura Adicionada)
Adaptado daqui
Para 1 bolinho pequeno

Ingredientes:

[  1 pitada de fermento
[  1 colher de sopa de farinha integral 
[  1/2 colher de sopa de açúcar puro de cana (ou mascavado)  
[  3/4 colher de sopa de cacau em pó (de preferência puro)
[  1 1/2 colher de sopa de água bem quente 
[  30g de puré de maçã (1 colher de sopa cheia)
[  1/2 colher de sopa de queijo batido ou de iogurte (pode ser de soja) 
[  1 colher de café de essência de baunilha
[  1/2 colher de sopa de pepitas ou pedaços de chocolate negro (opcional)

Preparação:

| Juntar numa malguinha o fermento, a farinha e o açúcar.
| À parte, dissolver o cacau na água (aquecida). 
| Juntar na malguinha o cacau, puré de maçã, queijo batido/iogurte e baunilha.
| Mexer até estar cremoso.
| Levar cerca de 1 minuto ao microondas a 70% da potência máxima, com cuidado para não cozer demais.





Já fiz várias vezes (e vem aí outra versão, sem glúten). É suposto não estar muito cozido - fica mesmo húmido, delicioso, e é muito rápido de fazer! Só suja a malga do bolo e uma malguinha para dissolver o cacau. Não preenche uma caneca grande, mas eu achei muito satisfatório e o ideal para quando se tem vontade de comer um pequeno doce. Já fiz o dobro mas achei que era demais...
É mais nutritivo do que os bolos ditos «normais»; tem algum açúcar porque senão fica amargo, mas grande parte vem do puré de maçã e é contrabalançado pela fibra e restantes ingredientes. 
O sabor do cacau é bastante intenso e até é acentuado pelo sabor da maçã (apesar de não saber a maçã). Gostei muito!

_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 1 dose)
Energia: 81kcal 
Proteínas: 4.4g
Hidratos de Carbono: 19.6g
-       Dos quais açúcares: 10.1g
Lípidos: 0.6g
-          Dos quais hidrogenados0g
Fibra: 3.0g
Sódio: 1mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a toda a receita). Enquanto ingredientes opcionais, as pepitas/chocolate não estão incluídos. Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real.
_________________________________________________________________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...