sábado, 29 de outubro de 2016

Tarte de Abóbora (Saudável, Sem Glúten/Sem Lactose, Sem Açúcar Adicionado)

.
Dirão os mais expertos nestas coisas que para cozinhar é conveniente ter uma base. Não digo isto no sentido mais literal, embora não lhe negue importância (pelo contrário, já pousei panelas e tabuleiros quentes na minha mesa envernizada vezes suficientes para valorizar as bases físicas) - refiro-me mesmo àquelas receitas que toda a gente deve saber fazer e ter feito alguma vez, por serem tão simples ou tão populares.
Eu sou uma nódoa neste aspeto. Não sou a maior entusiasta em relação a receitas salgadas nem exploro combinações inusitadas e artísticas (só mesmo as plebeias maçã e canela ou manteiga de amendoim e geleia). Nem sequer posso dizer que o blog foi uma maravilhosa porta de entrada para o mundo dos chefs e cozinheiros decentes, antes que me fez perceber que estava mesmo fora dele: desde que o criei já devo ter comentado em centenas de blogs (e imagino que várias vezes no mesmo - desculpem-me, pessoal) coisas como 'hm, que belo risotto! Nunca fiz nem provei esse prato', 'que farófias tão bonitas, não fazia ideia de que era assim que se preparavam' ou 'esse arroz doce está mesmo cremoso, nunca experimentei tal coisa na minha vida'. 
Penso que isto se deve também a tentar fazer versões saudáveis das receitas, o que não me permite apoiar-me na maior parte dos métodos de preparação tradicionais - não posso confiar em natas para chegar a determinada textura ou obter o ponto de fio com uma calda de açúcar quando estou a fazer doces que quero que sejam saudáveis (felizmente, porque sou horrível a obter determinados pontos com caldas e acabo sempre com uns belos pastéis).
Para compensar a falta de bases culinárias da pessoa que a fez, esta tarte tem uma base própria: uma base de aveia com um toque de canela mesmo viciante. E acreditem - compensa largamente...






Tarte de Abóbora (Saudável, Sem Glúten/Sem Lactose, Sem Açúcar Adicionado)

Ingredientes:

Para a base*:
[  100g de aveia em farinha (sem glúten para a versão sem glúten)
[  1 colher de sopa de mel
[  2 colheres de sopa de azeite
[  1 pitada de canela

Para o recheio:
[  3 ovos
[  50g de mel
[  300g de queijo quark (ou queijo fresco batido) (podem utilizar um iogurte vegetal bem consistente para a versão sem lactose)
[  150g de puré de abóbora (cozi abóbora em água com cravinho, noz moscada e canela e triturei; utilizei a variedade 'hokkaido')
[  2 colheres de sopa de polvilho doce (cerca de 30g)

Preparação:

Para a base:
| Colocar todos os ingredientes (aveia, mel, azeite e canela) num recipiente pequeno e misturar bem.
| Utilizar esta mistura para forrar uma tarteira (ou uma forma de bolos, se preferirem), pressionando para que fique bem compacta. Se a massa colar às mãos podem pressionar com papel vegetal, por exemplo.
| Levar a base ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 10 minutos.

Para o recheio:
| Com uma batedeira elétrica, bater os ovos com o mel até que a mistura fique leve e com uma cor clara (cerca de 2-3 minutos).
| Sempre a bater, adicionar o queijo quark e o puré de abóbora.
| Juntar o polvilho doce e parar de bater assim que este esteja incorporado.
| Colocar este preparado sobre a base (não precisa de estar fria) e levar a tarte ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 20 minutos.

*A tarte da figura foi feita com estas quantidades, mas a base ficou bem fina e demorei algum tempo a conseguir espalhá-la pela forma toda (até porque as massas com aveia não se trabalham facilmente). Se a vossa forma for grande ou não tiverem paciência para estar a racionar o preparado, talvez seja melhor fazer 1.5 vezes a receita da base.



Esta receita foi atabalhoadamente adaptada do cheesecake saudável com o intuito de recriar o clássico outonal que lhe dá nome (eu sei, não era nada óbvio), e correu bastante bem. A cor ficou adorável (usei abóbora hokkaido, que comprei no Lidl: é óptima para sobremesas, de tão doce que é, embora possam usar as "normais"), a textura superficial é altamente aprazível e parece seda & o sabor é delicioso. Esta base surpreendeu-me positivamente pela segunda vez, e ainda não acredito que consegui desenformar uma tarte com base sem glúten ou manteiga e deixá-la intacta :D
Participo (finalmente!) com esta receita no desafio proposto mensalmente pela Márcia do blog Intrusa na Cozinha, que nos desafiou desta vez a fazer receitas com abóbora. :)
____________________________________________________________________
Informação Nutricional (por uma fatia)
Energia: 153kcal
Proteínas: 7.8g
Hidratos de Carbono: 22.5g 
-       Dos quais açúcares: 9.1g
Lípidos: 4.0g 
-          Dos quais hidrogenados: 0.0g
-     Dos quais saturados: 0.9g
Fibra:  1.3g
Sódio: 39mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a cerca de 100g, 1 fatia ou 1/8 da receita). Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. 
______________________________________________________________________

14 comentários:

  1. Eu sou completamente fã dessa base! E na tarte de abóbora deve ficar fantástica! Essa tua tarte até se pode chamar cheesecake de abóbora! Tenho mesmo de arranjar alguém que mande vir quark para eu poder usar! Vou guardar a receita! Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Já eu acho que tens muitas bases e talento natural, pois se eu sou capaz de fazer pratos salgados sem receita, os doces não consigo inventar. Tenho que ter receita e pronto! Essa tarte está óptima, é mais uma a ir para a minha lista de doces a fazer! :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  3. Bela tarte e ainda para mais saudável.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2016/10/macarrao-de-abobora-e-grao.html

    ResponderEliminar
  4. Tem bom aspeto, mas eu não gosto de abóbora!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  5. Que maravilhosa sugestão outonal! ;)
    Beijinho

    Recanto com Tempero
    http://recantocomtempero.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Olá Avelã!
    Antes de mais, o que seria do mundo se todos gostássemos de amarelo...ou se todos só tivéssemos talento para sermos carpinteiros...deixa-me que te diga que quem me dera a mim ter metade da tua capacidade para recriar receitas "tradicionais" em versões mais saudáveis e sem perder a capacidade de nos deixar satisfeitos e plenas de sabor. Deixa-me que te diga que não conheço muitas pessoas assim. E mais, com a capacidade e a honestidade de evidenciar todos os pontos fortes e fracos de cada receita apresentada.
    Todos somos diferentes e ainda bem que os somos! bolas... era uma verdadeira seca se todos gostássemos só de banana, e de comer banana fatiada. Consegues compreender o que quero dizer?... todos temos a nossa identidade gastronómica, e isso não nos torna nem melhores nem piores que o vizinho do lado, que pode ser um chef com 5 estrelas michelin. So what?!... ele gosta de caviar e eu gosto de atum de lata ;)
    Deixa-me dizer-te que é um prazer e uma honra ter (finalmente!) a tua companhia na mesa de outubro, e por trazeres uma receita saudável e deliciosa, com a tão maravilhosa abóbora!
    Mil beijinhos
    Marta

    ResponderEliminar
  7. Acabo de aprender uma receita ótima - esta! é para experimentar agora, já, no apogeu das ab´boras!
    Obrigada.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Desculpa, não tens bases??!! Então fazes coisas super boas, mesmo!!! E muitas delas bem difíceis... os quindins (nunca fiz!) e os 'pikarons' (nunca mais me hei-de- esquecer deles :P)... uma vez tentei fazer macarons... tentei, só! Porque a coisa correu mesmo muito mal! Mas ainda vou voltar a tentar :P
    Quanto a esta tarte... ai, fiquei mesmo com vontade de ir já recriar a receita :D

    ResponderEliminar
  9. Adoro o facto de pensar sempre numa maneira de tornar tudo um bocado mais saudável.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  10. Aspeto fantastico!
    Dá para substituir o polvilho doce por outro ingrediente? É que por aqui na irlanda não se encontra polvilho :(
    Parabens pelas receitas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      Pode substituir por amido de milho ou fécula de batata, por exemplo :)

      Eliminar
  11. Espectáculo de receita!!! Que sugeres para substituir os ovos??
    Beijinhos :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me muito difícil substituir os ovos, porque são o ingrediente que mais contribui para a textura da receita :/ Quanto muito talvez fosse possível omitir o polvilho e fazer uma versão crua com gelatina! Mas possivelmente é mais fácil usar uma receita já vegan (penso que será esse o objetivo) do que adaptar esta :)
      Beijinhos :D

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...