sexta-feira, 23 de junho de 2017

'Pikarons' (Macarons de Baunilha com Forma de Pikachu)

Depois de alguns dos primeiros macarons que fiz terem ficado mais perfeitinhos do que estava à espera (a palavra chave é alguns, como sabem se lerem o post) acho que me entusiasmei. Pode ter sido por mero acaso ou sorte de principiante, mas os macarons são no geral famosos pela dificuldade da sua confeção e é frequente a primeira tentativa resultar num completo falhanço, por isso o meu meio falhanço deixou-me com a auto-estima em alta. Além disso, já sabia que o tapete de macarons do Lidl é que tinha sabotado a metade má, por isso a tentativa seguinte tinha tudo para correr bem.
E o que é que eu fiz, perguntam vocês? Repeti a receita que tinha resultado bem? Escolhi outra igualmente simples? Mantive-me no básico para ver se desta vez saíam todos direitinhos (e porque afinal de contas ainda só tinha feito os bolinhos uma vez, o que não me transformava numa expert)?
Não - apaixonei-me pela ideia de fazer macarons com a forma e cara do pikachu e não resisti a experimentar. Eu, que ainda só tinha feito com sucesso meia fornada de macarons. Eu, que tenho tanto jeito para artes manuais que não consigo desenhar um cão sem que as quatro pernas estejam no mesmo plano. Eu, que ainda estou para enrolar uma torta sem a quebrar.
O plano tinha tudo para correr mal e eu sabia disso, por isso comecei a fazê-los com um misto de medo e entusiasmo mas principalmente medo.
Não vou negar alguma confusão na parte de fazer as orelhas e desenhar a cara do pikachu, mas a verdade é que nada correu especialmente mal e o resultado final ficou melhor do que estava à espera - e eu fiquei extremamente orgulhosa dos meus bolinhos. Mesmo sendo da team Digimon. ;)










'Pikarons' (Macarons de Baunilha com Forma de Pikachu)
Adaptado daqui e daqui
Para 15

Ingredientes:

Para o recheio (creme de pasteleiro):
[  500ml de leite gordo ou meio gordo
[  1 colher de chá de extrato de baunilha (podem usar 1 vagem)
[  2 ovos
[  3 gemas
[  120g de açúcar
[  45g de amido de milho
[  40g de manteiga (sem sal, de preferência)

Para as 'bolachas':
[  90g de farinha de amêndoa 
[  90g de açúcar em pó 
[  70g de claras envelhecidas*
[  90g de açúcar branco (granulado)
[  Corante amarelo

Para a decoração:
[  Lápis pasteleiros (usei branco, vermelho e castanho)

Preparação:

Para o recheio (creme de pasteleiro):
| Ferver o leite com o extrato de baunilha e desligar o lume.
| À parte, misturar os ovos, as gemas, o açúcar e o amido de milho. Adicionar um pouco do leite e mexer rapidamente (este passo serve para os ovos não cozerem depois ao serem misturados com o leite).
| Adicionar a mistura anterior ao leite (ainda no tacho), mexendo bem.
| Levar de novo ao fogão, em lume baixo, mexendo sempre até a mistura engrossar (tem de ficar mais espesso do que um creme de pasteleiro normal, para depois ficar 'fixo' entre as bolachas).
| Adicionar a manteiga, misturando até que esta esteja derretida. Retirar o tacho do calor.
| Mexer até que fique cremoso (se tiver alguns grumos dêem uns toques com a varinha mágica), colocar num recipiente e cobrir com película aderente (a tocar na superfície do creme). Reservar no frio.

Para as 'bolachas':
| Num processador ou liquidificadora, triturar a farinha de amêndoa juntamente com o açúcar em pó (este passo é opcional, mas convém que estes dois ingredientes estejam o mais finos possível) durante uns segundos (se o processador tiver a opção 'turbo' podem usá-la). Peneirar ambos para um recipiente bem limpo e seco**.
| Colocar as claras num recipiente (também bem limpo e seco)*** e batê-las com a batedeira elétrica na velocidade média.
| Assim que comecem a ficar com uma consistência espumosa (após uns segundos), adicionar metade do açúcar branco (45g), sem parar de bater.
| Quando as claras estiverem em castelo juntar o restante açúcar, aumentando a velocidade da batedeira para o máximo e continuando a bater até que este se dissolva (demora uns 10 minutos; nesta altura, tocando no preparado, já não devem sentir os grânulos de açúcar). Juntar então o corante e parar de bater assim que a cor da mistura fique homogénea.
| Juntar às claras um terço da mistura de açúcar e amêndoa. Com uma espátula e fazendo movimentos suaves de baixo para cima, envolver tudo. Repetir o procedimento duas vezes (até estar envolvida toda a mistura de açúcar e amêndoa).
| Continuar a mexer as claras para libertar algum ar. Estarão prontas assim que seja possível desenhar um '8' corrido deixando cair um fio de massa com a espátula (não deve quebrar a meio; podem ver como deve ficar neste vídeo).
| Transferir o preparado para um saco de pasteleiro (a ponta deve ser circular e bastante larga, com aproximadamente 1cm; visto que meu apenas tem pontas pequenas usei o sistema de enroscar sem nenhuma, como nesta imagem aqui).
| Em dois tabuleiros (podem usar apenas um se acharem suficiente, mas os macarons não devem ficar demasiado 'colados' uns aos outros) cobertos com uma folha de papel vegetal, formar com o saco de pasteleiro círculos da mistura com 2 a 3 centímetros de diâmetro, e ainda as orelhas com uma boca mais pequena (para facilitar a tarefa podem desenhar com a ajuda de um compasso - ou imprimir previamente - círculos com orelhas em papel e colocá-lo por baixo do papel vegetal).
| Deixar os dois tabuleiros repousar num local sem muita movimentação (preferencialmente onde não passe ninguém) durante uma hora.
| Meia hora antes de levar os macarons ao forno, pré-aquecer este a 150 graus.
| Finda a hora de repouso, colocar um dos tabuleiros de macarons no centro do forno (não é conveniente levar ambos os tabuleiros ao forno simultaneamente) e baixar a temperatura para 140 graus. Após 3 minutos, abrir ligeiramente a porta do forno e 'entalar' nesta uma colher de pau, de forma a manter esta abertura e melhorar a circulação do ar.
| 15 minutos após colocar a colher de pau (ou seja, depois de 18 minutos de forno no total) verificar se os macarons estão prontos tentando levantar ligeiramente um com a ponta de uma faca. Se ainda estiverem demasiado moles deixar mais uns minutos no forno, tendo em atenção, no entanto, que não é suposto dourarem/tostarem. Se estiverem rígidos o suficiente para serem levantados com a ponta da faca, retirá-los do forno e aumentar novamente a temperatura para 150 graus.
| Após uns minutos, transferir os macarons já cozidos para uma grelha para terminarem de arrefecer e colocar o outro tabuleiro no forno, tendo depois os mesmos cuidados (baixar logo a temperatura para 140 graus, colocar uma colher de pau na porta do forno após 3 minutos e 15 minutos após isto verificar se já estão prontos, retirá-los do forno e passados uns minutos deixar que arrefeçam numa grelha).

Para a 'montagem' e decoração:
| Colocar um pouco do creme de pasteleiro (com uma colher de café ou um saco de pasteleiro) numa 'bolacha' e cobrir com outra, apertando ligeiramente para que o recheio fique bem distribuído. Repetir o procedimento até estarem prontos todos os macarons.
| Com os lápis de pasteleiro, desenhar em cada um a boca, as bochechas vermelhinhas adoráveis e os olhos do pikachu (é preciso ter cuidado, pois as pinturas demoram a secar e convém que não entrem em contacto com nada).| Reservar os macarons no frigorífico durante pelo menos um dia (para que a bolacha absorva o recheio e a textura fique como pretendido), retirando-os do frio umas horas antes de os consumir (o sabor fica favorecido quando estão à temperatura ambiente).

*Basta colocar as claras num frasquinho coberto com película aderente furada com um garfo 1 ou 2 dias antes de preparar os macarons. Aquando da preparação devem estar à temperatura ambiente (retira-se-as do frigorífico umas horas antes).
**Tendo em conta a tendência do plástico para acumular alguma gordura e a sensibilidade dos macarons, passei pelos recipientes e utensílios que usei um guardanapo com algumas gotas de vinagre. Podem também lavá-los bem com água quente.





Em termos de sabor e textura são semelhantes a todos os macarons: a parte de bolacha é ligeiramente crocante por fora e húmida por dentro, onde contacta com o recheio. O sabor a baunilha é suave e consensual, resultou muito bem!
...Mas todos sabemos que se alguém faz macarons com a forma do Pikachu o objetivo não é serem deliciosos, é serem adoráveis. E apesar de serem deliciosos também, excedem-se na parte de serem adoráveis, modéstia à parte. ;)

3 comentários:

  1. Opá olha que giros! =D
    Já comia um.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Não sou a maior fã de macarons, só como se não houver mais nada. Mas estes ficaram o máximo! (=

    ResponderEliminar
  3. Ficaram mesmo adoráveis, acho que até teria pena de os comer! :p
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...