Avançar para o conteúdo principal

Molotof com Doce de Ovos


Na semana passada fiz algumas sobremesas para celebrar o aniversário do meu irmão. Inicialmente a ideia era que uma delas fosse um pudim dos habituais, adorado pelas pessoas em geral e pelo aniversariante em particular.
Entretanto os meus planos viram-se alterados: provei pela primeira vez molotof, e gostei tanto que me comprometi de imediato a tentar replicar a sobremesa em substituição do tradicional pudim.
Claro que entretanto comecei a duvidar da inteligência da tal decisão - é uma receita particularmente famosa por ser delicada e melindrosa, e comecei logo a imaginar um molotof fracassado, completamente abatido na forma, manchando para todo o sempre a minha reputação enquanto chef perante a família :P
Depois fiz o que qualquer pessoa sã faria: li dezenas de receitas de molotof, e pesquisei dicas sobre como fazer molotof até enjoar das recomendações mais comuns.
Com o quasi curso intensivo sobre molotof que foi a semana anterior, cheguei à altura de o fazer com mais confiança, ainda que algo receosa. Aparentemente, o receio não era justificado: correu tudo surpreendentemente bem, e fiquei muito contente com o aspeto do meu primeiro molotof :D
Várias pessoas me disseram que esta sobremesa nunca lhes saía bem, e perguntaram qual *o segredo*. Na verdade, não há grande segredo: apenas usei as proporções que me pareceram mais consensuais, e segui algumas recomendações com cuidado extra para garantir que o merengue não abatia.
Tendo isto em conta, deixo hoje a receita para a toda a gente que pediu que a partilhasse, com todos os pormenores que acho que fizeram a diferença. :)
(Ou isso, ou foi sorte de principiante. Só saberei ao certo à segunda :P)






Molotof com Doce de Ovos

Ingredientes:

Para o molotof
[  Manteiga sem sal
[  11 claras de ovo
[  1 pitada de sal
[  12 colheres de sopa de açúcar (cerca de 250g)

Para o doce de ovos*
[  250ml de água
[  250ml de açúcar
[  11 gemas de ovo

Para a montagem
[  Amêndoa laminada e tostada (tostei no forno)
[  Canela em pó

Preparação:

Para o molotof
| Pré-aquecer o forno a 180 graus e colocar um tabuleiro com água quente a meia altura (para cozer o molotof em banho maria; eu usei uma assadeira alta, que coloquei sobre a rede do forno).
| Untar com a manteiga sem sal uma forma com buraco.
| Num recipiente grande, colocar as claras e uma pitada de sal. Bater com a batedeira elétrica até que as claras fiquem em castelo.
| Adicionar o açúcar colher a colher, batendo bem a cada adição, de forma a que cada colher esteja completamente incorporada antes de se adicionar a seguinte. Devem ficar com um merengue bem espesso.
| Transferir para a forma previamente untada, tentando não deixar bolhas de ar (pressionando o merengue com uma colher à medida que se o coloca na forma). No final, bater com a forma numa bancada, para remover quaisquer bolhas de ar que se possam ter formado.
| Cozer o molotof em banho maria, no forno inicialmente pré-aquecido a 180 graus, durante 11 minutos. Findo este tempo, desligar o forno e deixá-lo fechado durante pelo menos mais 30 minutos. No fim dos 30 minutos, colocar uma colher de pau no forno de forma a abrir apenas uma fenda (como nesta imagem) e deixar o molotof arrefecer completamente assim (as mudanças bruscas de temperatura fazem com que o pudim abata, daí estes cuidados - podem tentar aldrabar, mas façam-no à vossa responsabilidade. Eu prefiro não arriscar :P).

Para o doce de ovos
| Num tacho pequeno, colocar a água e o açúcar. Levar a lume médio até que a mistura comece a ferver, e deixar ferver durante 7 minutos. Retirar do lume e deixar arrefecer um pouco, mexendo de vez em quando para que não solidifique.
| Entretanto, coar as gemas para um outro recipiente. Quando a calda de açúcar já não estiver tão quente, adicioná-la às gemas às colheres, mexendo bem para que estas não cozam. 
| Devolver a mistura ao tacho e levar a lume baixo até engrossar, mexendo sempre. Visto que o creme fica mais espesso depois de arrefecer, devem retirá-lo do lume quando ainda está mais líquido do que é desejável; na dúvida, podem retirar uma pequena porção para um prato e ver se a consistência depois de fria está como pretendem.
| Deixar arrefecer e guardar no frigorífico.

Para a montagem
| Quando o molotof já estiver completamente frio, virar a forma para um prato grande (deve sair com facilidade).
| Decorar com o doce de ovos, a amêndoa laminada e a canela.

*As quantidades que usei para o doce de ovos fazem uma dose generosa, por isso não o usei todo na cobertura e servi o que sobrou numa molheira à parte. Caso prefiram que não sobre, metade da receita será suficiente.



Não sei porque é que nunca me tinha ocorrido fazer isto antes, porque é mesmo o meu tipo de sobremesa. Doce de ovos com amêndoa laminada é uma combinação feita no paraíso, e usá-la para cobrir uma nuvem fofinha e doce em forma de bolo é de génio :D
Fica uma combinação mesmo agradável, com o merengue espumoso de sabor leve a contrastar com a cobertura mais densa e doce, e o toque crocante da amêndoa a complementar a dupla. Sem dúvida que vou repetir, até porque foi muito mais fácil de fazer do que estava à espera :)

Comentários

  1. Que maravilha,..deu vontade de provar!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

As Panquecas Perfeitas! (Saudável, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten)

Desde que tenho o blog já experimentei muitas receitas de panquecas, e já publiquei várias delas. Algumas foram particularmente bem-sucedidas: as de aveia com quark , as de weetabix e as de coco já foram feitas (e aprovadas) por muita gente que me veio dar o seu feedback . Outras tornaram-se em clássicos por aqui, e foram repetidas imensas vezes por mim desde que as publiquei; é o caso das panquecas com aveia de sabor e das de aveia e centeio . Mesmo as panquecas de abóbora , uma das últimas receitas que publiquei, foram bastante apreciadas (por mim e por quem já experimentou e partilhou a sua opinião). E gostei bastante de todas estas receitas, até porque só publico no blog coisas de que tenha gostado realmente. Mas, as receitas antigas que me desculpem, hoje não venho partilhar uma receita de panquecas 'boa', nem sequer muito boa. Hoje venho partilhar A receita, capaz de revolucionar por completo a forma como vêem as panquecas. Apenas as fiz hoje, mas tive de p