Avançar para o conteúdo principal

Cheesecake de Piña Colada Proteico

No verão gosto de fazer cheesecakes proteicos bem fresquinhos - não só em temperatura (porque isso são todos :P), mas também no sabor, escolhendo aromas particularmente adequados aos dias quentes.
Evidentemente, frutos tropicais são uma opção infalível. Nem a propósito, a EU Nutrition lançou um desconto de 10% nos aromas pêssego e piña colada (ananás e coco) dos sacos de 500g de whey - e o melhor é que é acumulável com o cupão euavela15, e por isso podem encomendá-los com um total de quase 25% de desconto :)
Para quem está neste momento a questionar a designação de pêssego como um sabor tropical, passo a explicar: no ano passado optei por fazer um cheesecake de pêssego com cobertura de maracujá, e de facto, embora não seja tropical per se, o aroma do pêssego pede sempre para ser devidamente combinado com maracujá (exemplo disto é o facto de raramente se ver produtos que tenham um destes aromas e não o outro  :P).
Se no ano passado pêssego foi o aroma eleito, este ano tinha de ser a vez da whey de piña colada brilhar - e assim surgiu este cheesecake :)
Cheesecake de Piña Colada Proteico

Ingredientes:

Para a base
[  100g de cereais (usei os de canela da EU Nutrition; podem encomendar com desconto e ofertas usando o cupão euavela15)
[  1 colher de sopa de mel (cerca de 12g)
[  2 colheres de sopa de azeite (cerca de 12g)
[  2 colheres de sopa de água

Para o recheio
[  4 ovos
[  75g de whey de piña colada (também é da EU, pelo que mais uma vez se encomendarem o cupão euavela15 dá-vos desconto.)
[  600g de quark
[  30g de polvilho doce

Para a cobertura 
[  Compota (claro que é a gosto, e opcional; usei uma de abacaxi e manga)

Preparação:

Para a base
| Utilizando um processador, triturar os cereais, reduzindo-os a pó. 
| Adicionar o mel, o azeite e a água e misturar bem.
| Colocar o preparado numa forma antiaderente (usei uma com aproximadamente 20cm de diâmetro) e calcar com as mãos, de forma a que a base fique coesa.
| Levar ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 10 minutos.

Para o recheio
| Colocar os ovos num recipiente grande e bater com uma batedeira elétrica durante cerca de 3 minutos.
| Batendo sempre, acrescentar a whey, seguida do quark.
| Diminuir a velocidade da batedeira. Juntar o polvilho doce e bater apenas até este estar incorporado.
| Colocar o preparado por cima da base previamente preparada (não precisa de estar fria) e levar ao forno pré-aquecido a 180 graus durante cerca de 45 minutos, até estar cozido e dourado. Retirar o cheesecake do forno e deixá-lo arrefecer.

Para a cobertura
| Quando o recheio estiver frio, cobrir com a compota (se desejado). 
| Guardar o cheesecake no frigorífico até à hora de servir.
Como esperava, o cheesecake ficou maravilhosamente fresco, com um sabor docinho e nada enjoativo a ananás e coco!
Não me canso do contraste de texturas dos cheesecakes: a base crocante, o recheio cremoso e a consistência da cobertura a finalizar a obra-prima :D
Devo dizer que o facto de a base saber a canela acrescenta um toque divinal, pois esta combina na perfeição com os restantes sabores :)
_________________________________________________
Informação Nutricional (por uma fatia)
Energia: 186kcal 
Proteínas: 18.6g 
Hidratos de Carbono: 17.7g 
-       Dos quais açúcares: 6.6g 
Lípidos: 5.4g
-          Dos quais hidrogenados: 0g
-          Dos quais saturados: 1.1g 
Fibra:  1.8g 

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a uma fatia ou 1/8 da receita). Não inclui a cobertura opcional. Os valores estão sujeitos a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverão estar próximos do valor real. As doses consideradas são meramente exemplificativas; as porções reais devem ser adaptadas por cada um às suas necessidades pessoais.
_________________________________________________

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

As Panquecas Perfeitas! (Saudável, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten)

Desde que tenho o blog já experimentei muitas receitas de panquecas, e já publiquei várias delas. Algumas foram particularmente bem-sucedidas: as de aveia com quark , as de weetabix e as de coco já foram feitas (e aprovadas) por muita gente que me veio dar o seu feedback . Outras tornaram-se em clássicos por aqui, e foram repetidas imensas vezes por mim desde que as publiquei; é o caso das panquecas com aveia de sabor e das de aveia e centeio . Mesmo as panquecas de abóbora , uma das últimas receitas que publiquei, foram bastante apreciadas (por mim e por quem já experimentou e partilhou a sua opinião). E gostei bastante de todas estas receitas, até porque só publico no blog coisas de que tenha gostado realmente. Mas, as receitas antigas que me desculpem, hoje não venho partilhar uma receita de panquecas 'boa', nem sequer muito boa. Hoje venho partilhar A receita, capaz de revolucionar por completo a forma como vêem as panquecas. Apenas as fiz hoje, mas tive de p