Avançar para o conteúdo principal

Chips de Mandioca Crocantes (Paleo, Whole30-Approved, Saudável, Sem Glúten, Vegan, Sem Lactose)


Dizia Eça de Queirós que o português nunca pode ser homem de grandes ideias, por causa da paixão da forma.
A verdade é que é muito difícil dissociar a forma do conteúdo. Isto acontece porque a ela é, no geral, uma antevisão do que representa; é praticamente impossível não fazer a conexão.
Um bom conteúdo, quando desprovido de forma, passa facilmente despercebido, e há vários e clássicos exemplos de como a alteração da forma influencia a receção do conteúdo. Se calhar também por isso uma ideia deva vir devidamente representada, já que as duas coisas podem coexistir pacificamente (até porque está na nossa natureza querer ambas em pleno, a partir do que surge a arte).
Não podemos culpar ninguém por julgar um livro pela capa; há milhares de livros, e talvez a capa seja um melhor critério de escolha do que a aleatoridade. A perceção das coisas importa e, por isso, principalmente em situações de competição e propositado impulsionamento do que é delas, as pessoas esforçam-se e usam até meios menos éticos para alterar essa perceção, por exemplo, em relação ao seu trabalho, quer isto se reflita em manchetes de revistas sensacionalistas ou em fotografias mais editadas.
A mim é-me também difícil separar duas questões tão intrinsecamente relacionadas, embora não deixe de tentar (às vezes). E é ainda mais difícil em casos como este: três receitas, três tubérculos, a mesma forma - chips. Parece difícil acreditar que a grandiosidade da receita não se prende nela...








Chips de Mandioca Crocantes (Paleo, Whole30-Approved, Saudável, Sem Glúten, Vegan, Sem Lactose)
Para 2 pessoas

Ingredientes:
[  1 mandioca pequena (150g depois de descascada)
[  Sal grosso (a gosto) (opcional)
[  Orégãos (a gosto) (opcional)
[  Paprika (a gosto) (opcional)
[  Pimentão-doce (a gosto) (opcional)
[  Alho em pó (a gosto) (opcional)
[  Pimenta branca (a gosto) (opcional)
[  1 colher de sopa de azeite

Preparação:
| Previamente, descascar a  mandioca, cortá-la em rodelas ou palitos (não demasiado finos) e demolhá-la durante pelo menos 30 minutos (podem saltar este passo, mas eu acho que ficam melhores e mais crocantes). 
| Temperar a mandioca com as especiarias (sal, orégãos, paprika, pimentão-doce, alho em pó e pimenta) e juntar também o azeite. Misturar bem.
| Espalhar num tabuleiro forrado com papel vegetal.
| Levar a forno pré-aquecido a 200 graus durante cerca de 30 a 60 minutos, mexendo a meio (para expôr o lado que ficou para baixo).



Eu sei que me arrisco a ter de mudar o nome do blog para «Chips de Imensas Coisas» (nada estranho), MAS isto é o melhor formato que existe para tubérculos. 
(Pensando melhor, talvez mude o nome do blog para «Tubérculos», sempre gostei imenso da palavra.)
A mandioca é parecida ao inhame quando em chips (digo eu, que só as comi em chips). Cheira um bocado mais estranho quando crua e dizem que é meio venenosa, mas se a cozinharem bem (hum* - chips crocantes).  São mesmo bastante semelhantes, especialmente em textura, embora o gosto seja um pouco diferente. Resumindo aquilo que já foi objecto de dissertação duas vezes: são EXTREMAMENTE boas, crocantes, têm um sabor fenomenal e são fáceis de fazer. E batem batatas fritas aos pontos. Especialmente se forem batatas fritas meladas. Quem é que gosta de batatas fritas meladas? 
Também já fiz chips de batata doce, inhame e mandioca ao mesmo tempo, o que é bastante fácil se pensarem que a preparação é exactamente a mesma. Óptimo para se tiverem cravings por chipmix!

*Onomatopeia mais estranha de sempre, peço desculpa. Também não podia vir nada de jeito de uma palavra como «pigarrear»...
_________________________________________________________________________
Informação Nutricional (por 80g, 1 dose ou metade da receita)
Energia: 144kcal
Proteínas: 1.0g
Hidratos de Carbono: 28.6g
-       Dos quais açúcares: 1.3g
Lípidos: 3.0g
-          Dos quais hidrogenados: 0g
-     Dos quais saturados: 0g
Fibra: 1.4g
Sódio: 88mg

     A informação nutricional engloba uma porção (neste caso, corresponde a 80g, 1 dose ou metade da receita). Está sujeita a erro humano e a alguma imprecisão, mas deverá apresentar valores próximos do valor real. 
_________________________________________________________________________

Comentários

  1. Nunca comi mandioca! Mas a julgar pelo aspeto dessas chips deve ser um espectáculo! Podes publicar chips à vontade, é sempre um bom petisco!

    ResponderEliminar
  2. Parece mesmo batata frita, tenho de experimentar!

    ResponderEliminar
  3. Há anis que não como mandioca, esses chips ficararm uma delicia
    boa semana

    ResponderEliminar
  4. Que bom aspeto têm. Nunca comi mandioca, mas esses chips "já marchavam".

    ResponderEliminar
  5. Ai Avelã, isso não são batatas fritas não? Estão com um aspecto tão bom, mandioca? Gosto bastante e esta receita parece ser perfeita, e não me parece que tenhas que alterar o nome do blogue, só precisamos destas sugestões, até porque batatas meladas ninguém gosta.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Isto são batatas fritas, não me enganas Avelã Maria! Raios que é tarde, senão já ia comprar uma mandioca! Fica para amanhã, para comer "fast food" vegan :) Depois conto como correu
    Teresa | A Cozinha da Ovelha Negra

    ResponderEliminar
  7. que chips com bom aspeto, ficaram magnificas já comia umas :D


    O Cantinho dos Gulosos

    ResponderEliminar
  8. Nunca provei, mas estão mesmo com bom aspecto

    ResponderEliminar
  9. Olá Avelã:)

    Que deliciosos chips! Parecem batatas fritas mas muito mais saudáveis, nunca provei mandioca mas adorei o aspecto dos chips:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Nunca comi mandioca mas coisas crocantes no forno com ar de batatas fritas soam-me sempre bem =P

    Beijinho*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

Papas de Aveia com Claras (com aveia de sabor) (Saudável, Sem Lactose*, Sem Açúcar/Gordura Adicionados)

Já ouvi relatos mirabolantes de desastres na cozinha. Mesmo sendo óbvio que esta é basicamente um aglomerado de aparelhos potencialmente perigosos, continua a surpreender a quantidade de histórias incríveis que sobre ela há: seja sobre panelas de pressão a explodir ou desastres no fogão que originam mini incêndios, praticamente toda a gente tem algumas histórias para contar nesta divisão. Considerando isto, acho que até tenho tido alguma sorte. Tirando os óbvios e nada originais cortes e queimaduras, não me aconteceu nada de especial. A menos que consideremos... O incidente do gelado frito . Tudo começou com um inocente pedido de gelado frito para sobremesa num restaurante chinês. Tinha começado há pouco a cozinhar mais sobremesas, apenas com bolos simples, e decidi depois replicar a receita em casa, o que requeria um tacho de óleo a ferver e a necessidade de colocar e retirar rapidamente bolas de gelado deste para que não derretessem - nada fora do comum até aqui, portanto. Po