Avançar para o conteúdo principal

Preparação de Refeições #41 - Feijoada Branca Vegan com Arroz Negro



Para não variar, hoje partilho convosco as refeições que fiz para a semana. Esta rubrica tem sido presença assídua por aqui, apesar de ultimamente não atualizar o blog com frequência: o tempo nas últimas semanas não abundou. No entanto, já estou de férias (*foguetes celebratórios*), por isso conto publicar mais conteúdo nos próximos tempos - isso e atualizar o índice de receitas, coisa que tenho vindo a adiar há meses :P

Voltando ao assunto, para a semana que passou fiz uma feijoada de feijão branco com vegetais e seitan, acompanhada de arroz negro cozido.

Comida de tacho, para não variar :P

Mas já se sabe que refogados são imbatíveis :D
Preparei a feijoada mais ou menos como a tradicional, mas não usei carne ou enchidos. Comecei por fazer um refogado com cebola, pimentos e alho, depois juntei tomate, deixei cozinhar bem e triturei tudo. Devolvi ao tacho, temperei (com sal, cominhos, pimenta branca, orégãos, manjericão, salsa e louro) e quando começou a ferver juntei os ingredientes restantes: seitan, brócolos, cenoura, espinafres e feijão branco cozido, por esta ordem (os primeiros demoram mais a cozer).

Nada de novo, mas recebo inevitavelmente perguntas e não me sinto no direito de negar a ninguém o conhecimento de como fazer uma feijoada simples e deliciosa :P

O seitan que usei foi este:


É o que costumo encontrar com melhor preço (não tenho a certeza de quanto custa, mas anda perto de 2€ por embalagem de 250g), e por norma compro no Pingo Doce.

O rótulo
Pessoalmente acho que o seitan fica muito bem neste prato, até me lembra vagamente a dobrada que se costuma usar em feijoada deste tipo (mas melhor, até porque não sou a maior fã de dobrada :P). E embora o seitan tenha um sabor particular, quando usado em comida com molhos fica bem mais neutro, porque absorve muito os sabores :)

Os vegetais também ficaram ótimos! E tornam a feijoada muito mais alegre, o que é sempre agradável :D


Quanto ao acompanhamento...
...Como na semana anterior tinha usado arroz nesta quis variar um bocadinho, pelo que usei um arroz mais exótico. O escolhido foi este, da caçarola:


Já tinha provado há uns tempos, mas não usava há alguns anos. A forma de preparação é semelhante ao habitual. 

Como costumo fazer com a maior parte dos outros tipos de arroz, demolhei-o durante cerca de 12 horas e escorri bem a água na hora de o preparar. Nessa altura dourei alguns dentes de alho picados num pouco de azeite, aos quais juntei depois o arroz escorrido. Deixei o arroz ganhar o aroma do alho, adicionei a água (e sal) e a seguir foi só tampar e esperar que cozesse :)

Demora um pouco mais a cozer do que o arroz basmati ou branco, embora menos no caso de ter sido demolhado: por volta de 25 minutos. Quanto à água, usei cerca de 500ml para 250g de arroz, mas como este é bastante durinho não é preciso grande cuidado - se usarem água a mais podem simplesmente escorrer e ele fica soltinho na mesma :P

Mal me lembrava do sabor deste arroz, e fiquei positivamente surpreendida. É bastante aromático, e tem um sabor agradável que lembra levemente frutos secos. A textura é semelhante à do arroz integral, e portanto um pouco mais dura que a do arroz branco, o que também me agradou (gosto deste tipo de grãos mais chewy)!

Achei que combinava na perfeição com a feijoada :)

O prato :D
Mais uma vez, a comida ficou deliciosa e bem reconfortante - aspeto importante quando estamos em Junho e a temperatura não sobe dos vinte e poucos graus :P

Comentários

  1. Acho que nunca comi esse arroz, tenho que pesquisar bem isso =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Tantas sugestões deliciosas!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

As Panquecas Perfeitas! (Saudável, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten)

Desde que tenho o blog já experimentei muitas receitas de panquecas, e já publiquei várias delas. Algumas foram particularmente bem-sucedidas: as de aveia com quark , as de weetabix e as de coco já foram feitas (e aprovadas) por muita gente que me veio dar o seu feedback . Outras tornaram-se em clássicos por aqui, e foram repetidas imensas vezes por mim desde que as publiquei; é o caso das panquecas com aveia de sabor e das de aveia e centeio . Mesmo as panquecas de abóbora , uma das últimas receitas que publiquei, foram bastante apreciadas (por mim e por quem já experimentou e partilhou a sua opinião). E gostei bastante de todas estas receitas, até porque só publico no blog coisas de que tenha gostado realmente. Mas, as receitas antigas que me desculpem, hoje não venho partilhar uma receita de panquecas 'boa', nem sequer muito boa. Hoje venho partilhar A receita, capaz de revolucionar por completo a forma como vêem as panquecas. Apenas as fiz hoje, mas tive de p