Avançar para o conteúdo principal

'Gomas' Saudáveis


Há uns meses li umas considerações interessantes acerca da quase ausência de glicina na dieta moderna, e fez-me sentido tentar reforçar a minha - quase nula! - ingestão deste aminoácido.

Não me vou alongar sobre o assunto, até porque não tenho qualificações para isso, mas se quiserem saber mais sugiro que espreitem por exemplo o artigo do Examine. De resto, claro que é um detalhe menor na alimentação, sendo o essencial aquilo que toda a gente sabe - ingestão calórica e proteica apropriada, garantir o consumo de micronutrientes através de vegetais e fruta... O resto são pormenores. Pormenores deliciosos, neste caso - mas pormenores independentemente disso :P

Voltando ao assunto da glicina, confesso que não era por acaso que quase não tomava expressão no meu dia-a-dia. Não gosto nada de gelatina, não aprecio carne com tendão, e não gosto de comer ossos. Considerando o quão caro ficaria suplementar (e o quanto não me apetecia deitar colagénio no café, admito), ocorreu-me a solução perfeita:

Gomas :D (estas são de framboesa!)
Ainda hesitei em pôr esta ideia em ação - obviamente não queria aumentar o meu consumo de açúcar a par com o de glicina, e quão boas poderiam ser gomas com apenas fruta e (imensa) gelatina?

Resposta: boas. Muito boas :P

As de kiwi particularmente :D
Mas também ficam ótimas com mirtilos...

...ou tangerina...
...ou morangos...
...ou manga...
...ou frutos vermelhos...

Ou ananás :D
Após uns tempos a acertar com proporções, métodos de dissolução e sabores favoritos, descobri a receita ideal. Aliás - glicina à parte, acho que já não saberia viver sem as minhas gominhas de sobremesa ao almoço e jantar. :)

Como bónus, apresentam um aporte de fruta e um perfil nutricional simpáticos. Este último depende da fruta utilizada, mas, a título de exemplo, 5 'gomas' generosas (as tiras mais curtinhas que vêem nas fotos - é de momento o meu formato preferencial) de frutos vermelhos contêm cerca de 50 calorias, 6g de hidratos de carbono (açúcar proveniente integralmente da fruta), 7g de proteína e 0g de gordura.

Deixo-vos o método geral, caso queiram experimentar também:

Uso 600g de fruta, congelada ou fresca. As minhas favoritas são kiwi, manga, framboesas, morangos, frutos vermelhos, tangerina e ananás, por esta ordem.

Kiwi < 3
Podem fazer combinações a gosto - manga com tangerina, por exemplo, fica ótimo :)

De manga e laranja :)
Costumo comprar manga, morangos e frutos vermelhos congelados - é uma ótima forma de obter frutos vermelhos bem conservados e a um preço decente fora de época! Gosto muito das misturas de frutos vermelhos do Pingo Doce, do Mercadona e do E. Leclerc. A manga costumo comprar no E. Leclerc também, assim como framboesas. Os melhores mirtilos que já encontrei são os do Mercadona (são enormes e docinhos, ao contrário dos de todas as outras marcas - antes de os experimentar duvidei que existissem mirtilos congelados não minúsculos!), e os morangos geralmente compro no Lidl :)

É ainda uma boa forma de de combater o desperdício: pode-se congelar fruta quando começa a ficar demasiado madura, e usá-la para fazer estas gominhas mais tarde. Isto é particularmente prático se têm fruta caseira - kiwis, por exemplo, que se estragam facilmente (e fazem as melhores gomas de todas < 3).

Caso a fruta esteja congelada, aqueço previamente no microondas; depois é só triturar com a varinha mágica. Se utilizarem kiwi, manga ou ananás têm ainda de ferver o puré - estes frutos contêm enzimas que podem impedir a gelatina de solidificar. No caso da manga é particularmente delicado, assegurem-se de que a fervem bem!

Precisam também de 60g de gelatina neutra (geralmente uso em pó, mas também podem optar por folhas). Eu gosto de juntar ainda 10g de gelatina de sabor (sem açúcar) em pó, porque ficam mais docinhas - costumo combinar os sabores, o aroma fica ótimo (e.g. gelatina de kiwi/limão/maçã com kiwi, de tangerina com tangerina, de laranja e manga com manga, de morango com morango - vocês percebem a ideia :P).

Quanto ao procedimento:

- Triturar a fruta (600g).
- No caso de a fruta usada ter de ser fervida (lista acima), levar o puré ao lume num tacho pequeno. Notem que salpica bastante, portanto tampem o tacho. Devem deixá-lo ferver bem, senão a gelatina não vai ganhar consistência. Caso não tenha de ser fervida, devem aquecer o puré na mesma - podem fazê-lo também ao lume, ou simplesmente no microondas. Deve ficar bem quente.
- À parte, juntar os 60g de gelatina neutra em pó* e 10g de gelatina de sabor a 150ml de água fria e mexer bem. Para que se dissolva fácil e uniformemente, recomendo que não façam o inverso (juntar a água à gelatina), nem usem água quente (independentemente do que dizem as instruções da embalagem - a minha vida ficou muito menos frustrante desde que deixei de tentar dissolver gelatina em água quente, não sei qual é a ideia dos fabricantes :P). Mexer vigorosamente durante uns segundos; devem obter uma mistura homogénea e espessa.
- Levar esta mistura de gelatina ao microondas até ela derreter, retirando para mexer a cada 10 segundos. Não demora muito tempo, portanto tenham cuidado - se ferver desnatura e perde a capacidade de gelificar! No final, deve ficar homogénea e líquida (o suficiente para cair em fio de uma colher), embora algo viscosa.
- Juntar algumas colheres de sopa de puré de fruta bem quente (primeiro passo) à gelatina e incorporar bem. Acrescentar o resto em fio, mexendo sempre.
- Opcionalmente, podem juntar ainda um pouco de água a ferver, para que as gomas fiquem mais volumosas/menos concentradas.
- Transferir para um tabuleiro de silicone e levar ao frigorífico até solidificar (eu costumo deixar durante cerca de 10 horas para garantir que fica bem consistente, embora ela solidifique o suficiente para desenformar e cortar antes).

*Se usarem folhas de gelatina, devem utilizar o mesmo peso (60g, o correspondente a cerca de 36 folhas - mas isto varia bastante conforme a marca). Têm de as demolhar segundo as instruções da embalagem. Já que são muitas, convém que as descolem umas das outras a meio, para garantir que não ficam coladas e que hidratam uniformemente (senão não se irão dissolver bem). Após uns 10 minutos, é só espremer bem para retirar a água e verter aos poucos o puré de fruta bem quente por cima, mexendo para que as folhas derretam. Neste caso, têm de dissolver a gelatina de sabor à parte, num pouco de água fria; bastam uma ou duas colheres de sopa de água. Novamente, aqueço-a no microondas uns segundos para acabar de dissolver. Feito isto, junto-lhe algumas colheres do preparado com fruta + folhas de gelatina, misturo bem, e adiciono o resto em fio sem parar de mexer. Novamente, podem acrescentar um pouco de água a ferver, dependendo da intensidade do sabor e textura que pretendem.
Em termos de resultado final, a consistência é um bocadinho diferente do que se usarem gelatina em pó: com as folhas as gomas ficam mais sólidas, e com o pó lembram cubinhos de geleia de fruta. Eu prefiro esta última opção :)

Para além de fruta fresca/congelada, também já experimentei usar puré de maçã sem açúcar (daquele para bebés). Combinei com gelatina de maçã - ficaram bem boas :)

A textura é um bocadinho diferente, mas igualmente ótima!
Naturalmente, as quantidades dependem de quanto querem fazer de uma vez e das formas que têm disponíveis. Eu uso um tabuleiro retangular de silicone super prático da Tupperware - tem o tamanho perfeito para esta dose (e o formato perfeito para não ocupar muito espaço no frigorífico!). Após solidificar corto em 48 tiras curtinhas, ou 24 mais compridas. 

O tal :)
Caso queiram encomendar, falem com a My Tup Love - a minha referência no que a Tupperwares diz respeito :)

Podem, claro, utilizar outras formas. No entanto, notem que nem todas permitirão desenformar as gomas com tanta facilidade, mesmo que também sejam de silicone maleável - testei várias, com graus variados de sucesso (dependendo da qualidade do material). Para ajudar a descolar, podem levar a forma ao congelador uns minutos e/ou demolhá-la uns segundos em água quente. No caso da forma que mostrei isto é desnecessário, porque dá para desenformar muito facilmente (acho que dá para ver na foto que as bordas estão descoladas das laterais, e eu nem tinha feito nenhum esforço nesse sentido :P). Outra opção é forrar um tabuleiro com película aderente - parece-me que funcionará bem, embora o produto final deva ficar menos perfeitinho. Confesso que não tenho grande vontade de experimentar, estando já habituada ao quão ideal para isto o meu tabuleiro é :P

Quanto à conservação, devem ser guardadas no frigorífico, num recipiente bem selado; por norma consumo-as dentro de 2 dias, mas já experimentei deixá-las refrigeradas até 5 dias e ficaram ótimas na mesma. Não testei períodos de tempo mais longos, nem deixá-las à temperatura ambiente por mais do que uns minutos, mas prevejo que se conservem bem umas horas (desde no final destas sejam consumidas e não estejam num sítio excessivamente quente).

A gelatina mais acessível que encontrei nas maiores superfícies comerciais é em pó, da Globo - costuma custar cerca de 25€/kg. A gelatina em folha costuma ser mais cara, rondando por norma os 50€/kg. Encontram preços melhores (~12-15€/kg) em lojas especializadas, sobretudo se comprarem grandes quantidades. Há lojas online em que podem comprar gelatina a este preço (aqui e aqui, por exemplo).

E pronto, é isto. Espero que gostem das minhas gominhas :D

Uma foto para despedida :) (estas eram de manga - a textura fica TÃO boa com manga!)

Comentários

  1. Por acaso também não como gelatina e sou como tu, nada de tendões nem ossos :P

    Mas ficaram com um aspecto divinal e aliás, já tinha pensado fazer essas "gomas" mas mesmo com formatos, tipo a dos putos :P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Deu vontade de fazer!
    Beijinhos e bom fds,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Produtos #91 - Pudins Proteicos do Lidl (Baunilha/Chocolate)

Hoje o post é sobre a febre do momento: os pudins proteicos do Lidl :P Para quem não está a par, há algumas semanas começaram a aparecer nos supermercados portugueses da cadeia Lidl uns pudins proteicos muito parecidos aos da Ehrmann. Estão disponíveis em duas versões: baunilha e chocolate . Cada pudim ( 200g ) tem cerca de 150kcal e 20g de proteína e custa 0.99€ . Não têm açúcar adicionado , e são isentos de lactose e de glúten .  Por vezes recebo comentários a referir que o teor de açúcar não é nulo (4g/100g) , mas é importante referir que este açúcar é naturalmente presente . Os iogurtes naturais não adoçados têm uma quantidade de açúcar semelhante. Outro ponto importante a referir é que a proteína também vem do leite , que é uma fonte de qualidade (por ser completa, ao contrário por exemplo do colagénio ou glúten). Antes que fiquem excessivamente entusiasmados, devo dizer que encontrá-los não é tarefa fácil: a procura anda ao nível dos skyr na altura em que foram lançados (

Produtos #69 - Pudins Proteicos da Ehrmann (Caramelo, Baunilha, Chocolate e Chocolate-Coco)

Hoje o post é sobre os famosos pudins proteicos da Ehrmann. Sempre que partilho fotos deles recebo perguntas, é infalível - seja acerca do rótulo, do preço, do sabor, dos locais de compra,... Desta forma, achei que o melhor seria escrever um post sobre eles e acabar com as dúvidas de uma vez por todas :) Começo pelas informações básicas: Locais de Compra Para já, os pudins estão disponíveis em poucas superfícies comerciais: fisicamente apenas os encontram nas lojas  Auchan e Primebody Nutrishop (há três, todas em Lisboa). Podem ainda encomendar online pelos respetivos sites, auchan.pt e primebodynutrishop.com . A cadeia Auchan só faz envios para algumas partes do território nacional, mas a Primebody envia para todo o país. Se optarem por encomendar pelo Auchan , os portes ficam a 5,90€ ; que eu saiba são fixos (acho que não há nenhum valor a partir do qual o envio seja grátis). No site da Primebody os portes ficam a 3,99€ , e são grátis para encomendas a part

As Panquecas Perfeitas! (Saudável, Sem Gordura Adicionada, Sem Glúten)

Desde que tenho o blog já experimentei muitas receitas de panquecas, e já publiquei várias delas. Algumas foram particularmente bem-sucedidas: as de aveia com quark , as de weetabix e as de coco já foram feitas (e aprovadas) por muita gente que me veio dar o seu feedback . Outras tornaram-se em clássicos por aqui, e foram repetidas imensas vezes por mim desde que as publiquei; é o caso das panquecas com aveia de sabor e das de aveia e centeio . Mesmo as panquecas de abóbora , uma das últimas receitas que publiquei, foram bastante apreciadas (por mim e por quem já experimentou e partilhou a sua opinião). E gostei bastante de todas estas receitas, até porque só publico no blog coisas de que tenha gostado realmente. Mas, as receitas antigas que me desculpem, hoje não venho partilhar uma receita de panquecas 'boa', nem sequer muito boa. Hoje venho partilhar A receita, capaz de revolucionar por completo a forma como vêem as panquecas. Apenas as fiz hoje, mas tive de p